A celulose biossintética induz a formação de uma neoduramáter na correção antenatal da meningomielocele em fetos de ovelhas

OBJETIVO: Estudar os efeitos do emprego de dois materiais consideravelmente diferentes quanto à origem e custo na correção intra-uterina da meningomielocele criada experimentalmente em feto de ovino. MÉTODOS: Em 36 fetos de ovinos foi criado um defeito aberto de tubo neural, com 75 de dias de gestação. Os casos foram divididos em três grupos: o controle onde o defeito não foi corrigido, grupo corrigido A onde o material utilizado para cobrir a medula exposta foi a matriz dérmica humana acelular (MDHA) e o grupo corrigido B onde o material foi a celulose biossintética (CB). Após a correção realizada com 100 dias, os fetos eram mantidos intra-útero até o termo da gestação. Os sacrifícios foram realizados com 140 dias e a coluna fetal era submetida à análise macro e microscópica onde foi observada a aderência dos materiais à pele, medula ou tecido nervoso remanescente. RESULTADOS: Na fase inicial (piloto), 11 fetos foram operados e 4 sobreviveram (37%). Na segunda fase (estudo) 25 fetos foram operados e 17 sobreviveram (68%). No grupo de estudo, 6 fetos não foram submetidos à correção (grupo controle), 11 casos foram corrigidos e ocorreu 1 perda fetal. Do total de 10 casos, 4 constituíram o grupo A e 6, o grupo B. À macroscopia observou-se deslizamento da pele e tecidos subjacentes sobre a CB em todos os casos onde ela foi empregada e isto não ocorreu em nenhum dos casos onde a MDHA foi utilizada. Para comparar a aderência, foram considerados 4 casos do grupo A e 4 do grupo B. A aderência, caracterizada pela migração de células do hospedeiro e proliferação de vasos para dentro da MDHA, foi observada em 100% dos casos do grupo A e em nenhum caso no grupo B (p < 0,05). No grupo B observou-se formação de uma camada de fibroblastos ao redor do material, protegendo a medula, caracterizando a formação de uma "neoduramater". CONCLUSÃO: A utilização da película de celulose biossintética parece ser mais adequada como substituto de dura-máter para cobertura e proteção do tecido nervoso que a matriz dérmica humana acelular. Ela parece promissora na correção intra-uterina da meningomielocele, evitando a aderência do tecido nervoso aos planos superficiais ("medula presa") minimizando os efeitos deletérios do ambiente intra-uterino sobre a medula espinhal.

Feto; Meningomielocele; Disrafismo espinhal; Cuidado pré-natal; Celulose; Experimentação animal; Ovinos


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br