Estimativa de graus-dia acumulados no ciclo de frutificação de cultivares de abacateiros (Persea americana, Miller)

Estimation of degree days accumulated in the cycle of fruiting of avocado (Persea Americana, Miller) cultivars

Resumos

De acordo com os dados climáticos da região de cultivo, utilizando-se da somatória de graus-dia acumulados, acima de um mínimo denominado temperatura base, pode-se estimar períodos de desenvolvimento, época de maturação e mesmo épocas de se processar controles fitossanitários. Com essas finalidades, estudou-se o comportamento, com relação ao ciclo de frutificação, das cultivares Pollock, Collinson, Prince e Wagner, em pomares de três regiões climaticamente diferentes do Estado de São Paulo, Novo Horizonte, Limeira e Itapetininga. Para o cálculo da somatória de graus-dia acumulados no ciclo de frutificação dessas cultivares, em cada região, utilizou-se da metodologia de VILLA NOVA et alii (1972) em função das temperaturas máximas e mínimas mensais, dados meteorológicos esses, obtidos na Seção de Climatologia Agrícola do Instituto Agronômico do Estado de São Paulo. Através dos estudos realizados verificou-se que uma determinada cultivar, mesmo sendo cultivada em regiões climaticamente diferentes, requer uma mesma quantidade de graus-dia para completar o seu ciclo de frutificação. Verificou-se que a cultivar Pollock necessita em média, 2513 graus-dia; a Collinson de 3767; a Prince de 4138 e a Wagner de 4480. Dependendo da raça de origem dos abacateiros, pode-se determinar uma faixa de graus-dia acumulados para as diferentes cultivares completarem o ciclo de frutificação. Assim, as da raça Antilhana, consideradas precoces, necessitam de 2164 a 3554; as da Guatemalense consideradas tardias requerem 3729 a 4708 e as híbridas (Antilhana X Guatemalense), de 3278 a 3790 graus-dia acumulados.


According to the meterological data of the cultivation region, using the summation of accumulated degree days above a minimum called basic temperature, we can make the estimation of growth periods, maturation moment, and moments to make pes; and disease controls. With this subject it was studied the behaviour with relations to the cycle of fruiting of the Pollock, Collinson, Prince, and Wagner cultivars in three regions of Sao Paulo State: Novo Horizonte, Limeira, and Itapetininga. It was used the method of VILLA NOVA et alii (1972) to make these determinations. It wasverified that certain specific cultivar growing in climatically different regions needs the same quantity of degree days to complete the cycle of fruiting. Is was determined that the cultivar Pollock needs about 2513 degree days; Collinson 3767; Prince 4138 and Wagner 4480. Depending of the race of origin of the avocados, we can determine a range of accumulated degree days for the different cultivars to complete the cycle of fruiting. So, the cultivars of the Antilhana race, considered premature, need 2164 to 3554; the Guatemalense race, considered slow, need 3729 to 4708, and the hibrids (Antilhana. x Guatemalense) need 3278 to 3790 degree days accumulated.


Antonio A. LucchesiI; Heitor W. S. MontenegroII; Nilson A. Villa NovaIII; Antonio C. FlorencioIV

IDepartamento de Botânica da ESALQ

IIDepartamento de Agricultura e Horticultura da ESALQ

IIIDepartamento de Física e Meteorologia da ESALQ

IVAcadêmico, estagiário do Departamento de Botânica da ESALQ

RESUMO

De acordo com os dados climáticos da região de cultivo, utilizando-se da somatória de graus-dia acumulados, acima de um mínimo denominado temperatura base, pode-se estimar períodos de desenvolvimento, época de maturação e mesmo épocas de se processar controles fitossanitários. Com essas finalidades, estudou-se o comportamento, com relação ao ciclo de frutificação, das cultivares Pollock, Collinson, Prince e Wagner, em pomares de três regiões climaticamente diferentes do Estado de São Paulo, Novo Horizonte, Limeira e Itapetininga.

Para o cálculo da somatória de graus-dia acumulados no ciclo de frutificação dessas cultivares, em cada região, utilizou-se da metodologia de VILLA NOVA et alii (1972) em função das temperaturas máximas e mínimas mensais, dados meteorológicos esses, obtidos na Seção de Climatologia Agrícola do Instituto Agronômico do Estado de São Paulo.

Através dos estudos realizados verificou-se que uma determinada cultivar, mesmo sendo cultivada em regiões climaticamente diferentes, requer uma mesma quantidade de graus-dia para completar o seu ciclo de frutificação.

Verificou-se que a cultivar Pollock necessita em média, 2513 graus-dia; a Collinson de 3767; a Prince de 4138 e a Wagner de 4480. Dependendo da raça de origem dos abacateiros, pode-se determinar uma faixa de graus-dia acumulados para as diferentes cultivares completarem o ciclo de frutificação. Assim, as da raça Antilhana, consideradas precoces, necessitam de 2164 a 3554; as da Guatemalense consideradas tardias requerem 3729 a 4708 e as híbridas (Antilhana X Guatemalense), de 3278 a 3790 graus-dia acumulados.

SUMMARY

According to the meterological data of the cultivation region, using the summation of accumulated degree days above a minimum called basic temperature, we can make the estimation of growth periods, maturation moment, and moments to make pes; and disease controls. With this subject it was studied the behaviour with relations to the cycle of fruiting of the Pollock, Collinson, Prince, and Wagner cultivars in three regions of Sao Paulo State: Novo Horizonte, Limeira, and Itapetininga. It was used the method of VILLA NOVA et alii (1972) to make these determinations.

It wasverified that certain specific cultivar growing in climatically different regions needs the same quantity of degree days to complete the cycle of fruiting. Is was determined that the cultivar Pollock needs about 2513 degree days; Collinson 3767; Prince 4138 and Wagner 4480.

Depending of the race of origin of the avocados, we can determine a range of accumulated degree days for the different cultivars to complete the cycle of fruiting.

So, the cultivars of the Antilhana race, considered premature, need 2164 to 3554; the Guatemalense race, considered slow, need 3729 to 4708, and the hibrids (Antilhana. x Guatemalense) need 3278 to 3790 degree days accumulated.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

LITERATURA CITADA

LUCCHESI, A.A. & MONTENEGRO, H.W.S., 1975. Influencia ecológica no desenvolvimento do fruto e no teor de óleo na polpa do abacate (Persea americana Miller). Aanais da Esc. Sup. Agric. "Luiz de Queiroz", vol. 32.

Entregue para publicação em 09-11-1977.

  • ALLEN, J.C., 1976. A modified sine wave method for calculating degree days. Environ. Entomol. 5(3): 388-396.
  • CARTER, M.W. & PONELEIT, C.G., 1973. Black layer maturity and filling period variation among inbred lines of corn (Zea mays L.). Crop. Sci. 13(4): 436-439.
  • DAMARIO, E.A. & PASCALE, A.J., 1971 Estimation de sumas de temperaturas efectivas normales para estudios agroclimáticos. Rev. Fac. Agr. Vet. Univ. Buenos Aires 19(3): 109-124.
  • HOPP, R.J.; LAUTZENHEISER, R.E.; & VARNEY, K.E., 1968. Growing degree days in Vermont. Vermont Agr. Exp. Sta. Bull. n.° 659, Burlington, 16 p.
  • KISH, A.J., 1967. Forecasting maturity date of snap beans in South Carolina. U.S. Dept. Comm. Tech. Mem. n.° 20, New York, 7 p.
  • MAC MAHON, J. & LOW, A., 1972. Growing degree days as a measure of temperature effects on cotton. Cotton Grow Rev., Aust., 49(1): 39-49.
  • MOTA, F.S.; ACOSTA, M.J.C.; ELLIS, J. & VALENÇA, A.S., 1977. Disponibilidades térmicas para a agricultura nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. Ciência e Cultura 29(9): 1006-1020.
  • NEWMAN, J.E. & BLAIR, B.O., 1968. Growing degree days and dent corn maturity. Part II, Corn Production. Proc. Indiana, p. 19-31.
  • POPENOE, W., 1924. The avocado. In Manual of tropical and subtropical fruits. The Macmillan Company, New York, p. 9-78.
  • PRALORAN, J.C., 1970. Le climat des aires d'origine des avocatiers. Fruits 25(7-8): 543-557.
  • STAHL, AL., 1933 Changes in composition of Florida avocados in relation to maturity. University of Florida. Agricultural Experiment Station Gainesville, USA, Bull. 259, 61 p.
  • VALLI, V.J., 1965 Biometeorological factores as predictors of agronomic maturity of peanuts. Tech. Note n.° 6 AGMET 2, U.S. Dept. Comm. Washington, 10 p.
  • VILLA NOVA, N.A.; PEDRO JR., M.J.; PEREIRA, A.R. & OMETTO, J.C., 1972. Estimativa de graus-dia acumulados acima de qualquer temperatura base, em função das temperaturas máxima e mínima. Caderno de Ciências da Terra, Instituto de Geografia, USP, n.° 30, 8 p.
  • VILLA NOVA, N.A. & SANTOS, J.M., 1976. Unidades de calor (Graus-dia). Departamento de Física e Meteorologia, E.S.A. "Luiz de Queiroz", Piracicaba (SP), 6 p. (apostilado).

  • Estimativa de graus-dia acumulados no ciclo de frutificação de cultivares de abacateiros (Persea americana, Miller)
    Estimation of degree days accumulated in the cycle of fruiting of avocado (Persea Americana, Miller) cultivars

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    17 Maio 2012
  • Data do Fascículo
    1977
Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura Av.Páduas Dias, 11, C.P 9 / Piracicaba - São Paulo, Brasil, tel. (019)3429-4486, (019)3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@esalq.usp.br