Retossigmoidoscopia em pacientes sintomáticos

Rectossigmoidoscopy in symptomatic patients

EDITORIAL

Retossigmoidoscopia em pacientes sintomáticos

Rectossigmoidoscopy in symptomatic patients

Descritores: Colonoscopia. Sigmoidoscopia. Proctoscopia.

Headings: Colonoscopy. Sigmoidoscopy. Proctoscopy.

O emprego da retossigmoidoscopia na prática clínica remonta à antigüidade. Na época de Hipócrates, já existiam tubos rígidos para o exame dos segmentos distais do intestino(2).

Na década de 1970, a colonoscopia foi incorporada ao arsenal diagnóstico das afecções colorretais. Embora possibilite o exame de toda a extensão do cólon, esse procedimento é mais invasivo e requer preparo intestinal adequado.

A condução da investigação diagnóstica de pacientes sintomáticos a partir de exames menos agressivos é plenamente defensável. Nesse caso, a retossigmoidoscopia estaria indicada como exame inicial e, na dependência de seu resultado, ao paciente seria recomendada uma colonoscopia.

No entanto, suponhamos um paciente com sangramento intestinal, que é submetido a uma retossigmoidoscopia. Caso esse primeiro exame seja normal, a colonoscopia para elucidação diagnóstica se impõe. Se for constatada a presença de câncer colorretal, a colonoscopia é imperativa para detecção de lesões sincrônicas. O mesmo raciocínio é válido se a retossigmoidoscopia revelar a existência de pólipos. Se, porventura, uma doença inflamatória for diagnosticada, o passo seguinte é a realização de colonoscopia para avaliação da extensão da doença. Então por que indicar a retossigmoidoscopia para um paciente sintomático?

A esses fortes argumentos, associam-se os achados de BINDA et al.(1) que, avaliando uma série de pacientes sintomáticos encaminhados à colonoscopia, detectaram que, apesar de as lesões nos segmentos distais serem mais freqüentes, é possível haver neoplasias nos segmentos proximais em indivíduos cujos segmentos distais são normais. Esse fenômeno foi particularmente evidente em indivíduos com mais de 50 anos de idade. Nesse grupo, 1 em 52 pacientes que não tinham lesões neoplásicas no reto e sigmóide, apresentavam-se com lesões avançadas nos segmentos proximais e três quartos dos pacientes com lesões proximais apresentavam os segmentos distais normais.

Progressivamente, torna-se mais evidente que a colonoscopia é o exame inicial de eleição para pacientes sintomáticos, com suspeita de lesões colorretais. Por outro lado, a retossigmoidoscopia flexível, por ser segura, bem tolerada e com impacto direto na redução da mortalidade pelo câncer colorretal, permanece como importante recurso no rastreamento do câncer em pacientes assintomáticos.

Marcelo Averbach

Hospital Sírio Libanês, São Paulo, SP

REFERÊNCIAS

1. Binda V, Pereira-Lima J, Nunes CA, Falkemberg LT, Azambuja DB, Cruz JV. Is there a role for sigmoidoscopy in symptomatic patients? Arq Gastroenterol. 2007;44:2-7.

2. Keele KD. The evolution of clinical methods in medicine. London: Pitman; 1963.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    24 Jul 2007
  • Data do Fascículo
    Mar 2007
Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia e Outras Especialidades - IBEPEGE. Rua Dr. Seng, 320, 01331-020 São Paulo - SP Brasil, Tel./Fax: +55 11 3147-6227 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: secretariaarqgastr@hospitaligesp.com.br