Tomografia computadorizada na agenesia do corpo caloso: achados em 27 casos

Computerized tomography in the agenesis of the corpus callosum: a description of 27 cases

GUILBERTO MINGUETTI KARINE FURTADO LISANDRA CARLA DE AGOSTINI Sobre os autores

Resumos

Foi realizado estudo retrospectivo de tomografia computadorizada em 27 pacientes com anormalidades anatômicas definidas como agenesia total do corpo caloso, afastando-se os casos de agenesia parcial. Cada caso foi avaliado buscando-se as características tomográficas, incidência por sexo, idade, associação com a clínica e com outras malformações congênitas encefálicas. Nesta casuística, contudo, foram eliminados os casos de agenesia do corpo caloso associados a esquizencefalias, holoprosencefalias e malformações do complexo de Dandy-Walker.

corpo caloso; agenesia; tomografia computadorizada


We describe a retrospective study of 27 cases of complete agenesis of the corpus callosum examined by CT and not associated to schizencephaly, holoprosencephaly and Dandy-Walker complex. Partial agenesis is also not included in the present study. The imaging findings are correlated to sex, age and symptoms.

corpus callosum; agensis; CT scan


TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NA AGENESIA DO CORPO CALOSO: ACHADOS EM 27 CASOS

GUILBERTO MINGUETTI* * Disciplina de Neurologia do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e CETAC - Centro de Tomografia Computadorizada, Curitiba, Paraná: Professor Adjunto; ** Sextanista do Curso de Medicina. Aceite: 29-julho-1998. , KARINE FURTADO** * Disciplina de Neurologia do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e CETAC - Centro de Tomografia Computadorizada, Curitiba, Paraná: Professor Adjunto; ** Sextanista do Curso de Medicina. Aceite: 29-julho-1998. , LISANDRA CARLA DE AGOSTINI** * Disciplina de Neurologia do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e CETAC - Centro de Tomografia Computadorizada, Curitiba, Paraná: Professor Adjunto; ** Sextanista do Curso de Medicina. Aceite: 29-julho-1998.

RESUMO - Foi realizado estudo retrospectivo de tomografia computadorizada em 27 pacientes com anormalidades anatômicas definidas como agenesia total do corpo caloso, afastando-se os casos de agenesia parcial. Cada caso foi avaliado buscando-se as características tomográficas, incidência por sexo, idade, associação com a clínica e com outras malformações congênitas encefálicas. Nesta casuística, contudo, foram eliminados os casos de agenesia do corpo caloso associados a esquizencefalias, holoprosencefalias e malformações do complexo de Dandy-Walker.

PALAVRAS-CHAVE: corpo caloso, agenesia, tomografia computadorizada.

Computerized tomography in the agenesis of the corpus callosum: a description of 27 cases

ABSTRACT - We describe a retrospective study of 27 cases of complete agenesis of the corpus callosum examined by CT and not associated to schizencephaly, holoprosencephaly and Dandy-Walker complex. Partial agenesis is also not included in the present study. The imaging findings are correlated to sex, age and symptoms.

KEY WORDS: corpus callosum, agensis, CT scan.

O corpo caloso é a maior via de associação entre os hemisférios cerebrais. É formado por grande número de fibras que cruzam o plano sagital mediano e penetram de cada lado do cérebro unindo áreas simétricas do córtex cerebral de cada hemisfério1. Sua formação se inicia em torno da 12ª semana de gestação e ele encontra-se completamente desenvolvido entre a 18ª e 20ª semanas de vida intra-uterina2,3.

Sua função é permitir a transferência de informações entre um hemisfério e outro fazendo com que eles atuem harmonicamente1. A ausência do corpo caloso pode ser total ou parcial. Estas alterações são encontradas em 1 a 3 : 1000 crianças nascidas vivas4,5. Embora seja mais comum a malformação isolada, ela é encontrada em associação com cerca de 25 síndromes genéticas, erros inatos do metabolismo e em associação com o uso abusivo de álcool e cocaína pela mãe6,7. Pode ocorrer como lesão isolada ou como parte de outras anomalias craniocerebrais, como o complexo de Dandy-Walker, polimicrogiria, heterotopias, lipoma, encefalocele, cisto aracnoídeo, esquizencefalia, holoprosencefalia e outras5,8,9. Agenesia do corpo caloso pode ser assintomática, mas epilepsia, atraso do desenvolvimento neuropsicomotor (DNPM) e outras manifestações clínicas são achados comuns, bem como alterações eletrencefalográficas10,11,12.

O objetivo deste estudo é descrever os achados tomográficos em 27 casos de agenesia do corpo caloso.

CASUÍSTICA E MÉTODO

Foram selecionados para o presente estudo 27 pacientes com o diagnóstico de agenesia total do corpo caloso pela tomografia computadorizada, no período de 1978 a 1997. O estudo foi realizado no CETAC, em Curitiba, tendo sido utilizados os aparelhos Delta Scan 25 (Ohio-Nuclear) com cortes tomográficos axiais de 5, 8 e 10 mm de espessura e Tomoscan 350 (Philips) com cortes tomográficos de 6 e 9 mm de espessura. Nos dois aparelhos a matriz utilizada foi 256x256. Cada caso foi avaliado segundo a idade do paciente na época da realização do exame, sexo, manifestações clínicas e associação com outras malformações cerebrais avaliadas no mesmo exame tomográfico.

RESULTADOS

Dos 27 pacientes com diagnóstico tomográfico de agenesia total de corpo caloso, 16 eram do sexo masculino (59%) e 11 do sexo feminino (41%). A idade na época da realização do exame variou de 23 dias a 33 anos, segundo a distribuição na Tabela 1.

Tivemos acesso às manifestações clínicas dos pacientes por meio de requisições de exames em apenas 20 casos, segundo a distribuição na Tabela 2.

A associação com outras malformações encefálicas foi observada em 8 pacientes (29,5%); elas estão relacionadas na Tabela 3.

Os principais achados tomográficos (Fig 1) encontrados pela ordem de frequência foram: 1 - separação dos ventrículos laterais com seus corpos paralelos e ausência de septo pelúcido; 2 - alteração da forma dos ventrículos laterais; 3 - dilatação dos cornos occipitais dos ventrículos laterais (colpocefalia); 4 - fissura inter-hemisférica estendendo-se até a porção anterior do terceiro ventrículo; 5 - assimetria dos ventrículos laterais; 6 - afilamento dos cornos frontais dos ventrículos laterais; 7 - cistos inter-hemisféricos; 8 - coleção fluida extracerebral.

DISCUSSÃO

Agenesia de corpo caloso é anomalia encefálica congênita incomum que acomete com igual frequência pacientes do sexo masculino e feminino. Em nosso estudo, houve predominância discreta do sexo masculino. O desenvolvimento embrionário do corpo caloso se dá entre a 12ª e 20ª semanas de gestação, concomitantemente com o desenvolvimento de muitas outras estruturas encefálicas,8,9,13,14. As anomalias congênitas encefálicas resultam de insulto (vascular, metabólico, infeccioso, ou outros) durante o período de desenvolvimento cerebral, dependente do tempo de exposição e à susceptibilidade genética do embrião ou feto ao insulto. O insulto, se localizado, pode determinar a lesão de corpo caloso isoladamente. Se o insulto for difuso, muitas das estruturas encefálicas que se desenvolvem concomitantemente podem estar afetadas e esta é a condição mais comum13,15. A associação com outras malformações cerebrais foi encontrada apenas em 29,5% dos nossos pacientes, talvez explicada por termos excluído os casos de agenesia parcial de corpo caloso e os casos associados às esquizencefalias, holoprosencefalias e ao complexo de Dandy-Walker.

O significado clínico da agenesia isolada do corpo caloso é de menor importância, porque sua ausência é compensada por conexões não-calosas, desenvolvimento bilateral de funções específicas e pela utilização de vias sensoriais somáticas ipsilaterais11,16. A condição é usualmente identificada incidentalmente durante a investigação de outras anomalias e são estas que, quando presentes, darão os sintomas de epilepsia, problemas neurológicos e atraso do desenvolvimento16,10. A idade do diagnóstico em nossos pacientes variou de 23 dias a 33 anos, demonstrando a variabilidade das manifestações clínicas e suas intensidades. A relação entre sintomatologia e malformações associadas não pôde ser realizada, pois não tínhamos o quadro clínico de todos os pacientes.

Quando o corpo caloso está ausente, os axônios que iriam cruzar o plano mediano retornam à fissura inter-hemisférica e correm paralelamente a esta formando os feixes calosos longitudinais de Probst14. Devido a sua localização, os feixes de Probst dão aos ventrículos laterais uma forma crescente mais pronunciada rostralmente. O terceiro ventrículo tende a ser mais largo e estender-se superiormente dentro da fissura inter-hemisférica formando uma coleção líquida, geralmente referida como cisto inter-hemisférico. O forame de Monro tende a alargar-se. É o corpo caloso que dá ao ventrículo lateral sua forma e mantém seu tamanho normal. Na ausência de corpo caloso os ventrículos laterais mantêm-se paralelos e suas paredes mediais apresentam-se côncavas. Os cornos occipitais podem mostrar relativa dilatação. Este fenômeno chama-se colpocefalia e deve-se à ausência do esplênio do corpo caloso.

Os achados tomográficos da agenesia de corpo caloso são bem caracterizados e bem definidos em cortes axiais e coronais6. Podemos observar nas imagens tomográficas a separação dos ventrículos laterais, seus corpos paralelos, a alteração de suas formas, ausência de septo pelúcido, colpocefalia, coleção fluida ou cistos inter-hemisféricos, extensão da fissura inter-hemisférica até a porção anterior do terceiro ventrículo, afilamento dos cornos frontais dos ventrículos laterais, supra-elevação e interposição do terceiro ventrículo ao corpo do ventrículo lateral, aspecto cístico ou dilatação do terceiro ventrículo e as alterações tomográficas específicas para cada malformação encefálica associada17. Estes dados da literatura coincidem com os achados em nosso estudo.

CONCLUSÃO

Embora a ressonância magnética seja o melhor método diagnóstico para as diferentes disgenesias do corpo caloso, a tomografia computadorizada mostra-se método confiável nos casos específicos de agenesia total do corpo caloso. Procuramos no presente estudo fazer um levantamento estatístico destes casos, encontrando 25 casos em 20 anos de atividade clínica e mostramos que as alterações observadas são típicas e coincidentes com outros estudos anteriormente registrados.

Dr. Guilberto Minguetti - Rua Padre Ildefonso 105 - 80240-160 Curitiba PR - Brasil.

  • 1. Machado A. Anatomia funcional. 2.Ed. Rio de Janeiro: Ateneu, 1993.
  • 2. Moore KL. Embriologia clínica. 4.Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990.
  • 3. Rakic P, Yakovlev PI. Development of the corpus callosum and cavum septi in man. J Comp Neurol 1968;132:45-72.
  • 4. Jeret JS, Serun C, Wiesniewski K, Fish C. Frequency of agenesis of the corpus callosum in the developmentally disable population as determined by computerized tomography. Pediatric Neurosci 1986;12:101-103.
  • 5. Ford FR. Diseases of the nervous system in infancy, childhood and adolescence. 5.Ed. Springfield: Charles C. Thomas, 1966.
  • 6. Kolodny EH. Agenesis of the corpus callosum: a marker for inherited metabolic disease? Neurology 1989;39:847-848.
  • 7. Wiesniewski K, Damska M, Sher JH, Oazi O. A clinical neuropathological study of the fetal alcohol syndrome. Neuropediatrics 1983;14:197-201.
  • 8. Barkovich AJ, Norman D. Anomalies of the corpus callosum. In: Vinken PJ, Bruyn GW. (eds). Handbook of clinical neurology, Vol 30. Amsterdam: North Holland, 1977: 285-297.
  • 9. Parrish MD, Roessmann U, Levinsohn MH. Agenesis of the corpus callosum: a study of the frequency of associated malformations. Ann Neurol 1979;6:349-356.
  • 10. Byrd SE, Harwood-Nash DC, Fitz CR. Absence of the corpus callosum: computed tomografic evaluation in infant and children. J Can Assoc Radiol 1978;29:108-112.
  • 11. Guilbert-Trainer F, Piton J, Billerey J, Caille JM. Agenesis of corpus callosum. J Neuroradiol 1982;9:135-160.
  • 12. Grogno JL. Children with agenesis of the corpus callosum. Dev Med Child Neurol 1968;10:613-616.
  • 13. Barkovich AJ, Norman D. Anomalies of the corpus callosum: correlation with further anomalies of the brain. Am J Roent 1988;151:171-179.
  • 14. Kendall BE. Disgenesis of the corpus callosum. Neuroradiology 1983;25:239-256.
  • 15. Kemeyama Y. Comparative developmental pathology of malformations of the central nervous system. Progr Clin Biol Res 1985; 163A:143-156.
  • 16. Warren ME, Cook JV. Agenesis of the corpus callosum: case report. Br J Radiol 1993; 66:81-85.
  • 17. Guiorsy M, Jaccone A, Fondelli MP, Salomone G. TC e disgenesia del corpo caloso. Min Ped 1988;40:599-604.
  • 18. Probst FP. Congenital defects of the corpus callosum: morphology and encephalographic appearances. Acta Radiol 1973;331:1-152.

  • *
    Disciplina de Neurologia do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e CETAC - Centro de Tomografia Computadorizada, Curitiba, Paraná:
    Professor Adjunto;
    **
    Sextanista do Curso de Medicina. Aceite: 29-julho-1998.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    06 Dez 2000
  • Data do Fascículo
    Set 1998

Histórico

  • Aceito
    29 Jul 1998
Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO R. Vergueiro, 1353 sl.1404 - Ed. Top Towers Offices Torre Norte, 04101-000 São Paulo SP Brazil, Tel.: +55 11 5084-9463 | +55 11 5083-3876 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista.arquivos@abneuro.org