Diversidade de cetáceos como ferramenta no monitoramento dos impactos ambientais das sísmicas marítimas

Tem sido constante o surgimento de novas informações sobre o efeito das sísmicas marítimas em cetáceos, demonstrando uma crescente preocupação com essa atividade. Os efeitos da atividade incluem respostas comportamentais e mudanças nos padrões de vocalização, alterações nas rotas migratórias, danos no sistema auditivo e aumento dos encalhes. Embora todos esses efeitos possam afetar a diversidade de espécies nas áreas de realização de sísmicas marítimas, não existem informações acadêmicas nesse sentido. Este estudo buscou verificar as relações entre as sísmicas marítimas, dados oceanográficos e a diversidade de cetáceos registrados no Brasil após a intensificação das operações a partir de 1999 até o ano 2004. Foram utilizados dados de observações de cetáceos realizadas durante as sísmicas marítimas e complementadas por relatórios de progresso do Brasil enviados para a Comissão Internacional Baleeira, dados oceanográficos disponibilizados pelo projeto Pilot Research Moored Array in the Tropical Atlantic (PIRATA) e informações de sísmicas marítimas arquivadas no Escritório de Licenciamento de Petróleo e Nuclear do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Sustentáveis (ELPN-Ibama) e outras disponibilizadas na página da Internet da Agencia Nacional de Petróleo e Gás Natural (ANP). Os resultados indicam decréscimo na diversidade de espécies durante os anos 2000 e 2001, enquanto uma intensificação das sísmicas marítimas foi registrada para os mesmos anos. Os dados oceanográficos não apresentaram variações significativas entre os anos estudados. Os resultados sugerem alguma relação de efeito e causa entre a diversidade de cetáceos e a intensidade de sísmicas marítimas ocorridas no Brasil entre 1999 e 2004. O aprimoramento na coleta de dados com foco mais específico para avaliar os efeitos imediatos na diversidade é recomendado para melhor avaliação da hipótese e utilização da diversidade de espécies como indicador de longo prazo dos impactos das sísmicas marítimas nos cetáceos.

impacto sonoro; sísmica marítima; diversidade de cetáceos; América do Sul


Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP Departamento de Biologia Vegetal - Instituto de Biologia, UNICAMP CP 6109, 13083-970 - Campinas/SP, Tel.: (+55 19) 3521-6166, Fax: (+55 19) 3521-6168 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: contato@biotaneotropica.org.br