Accessibility / Report Error

CARACTERÍSTICAS DO CAPULHO E PROPRIEDADES TECNOLÓGICAS DA FIBRA DO ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DA CALAGEM E DA GESSAGEM

BOLLS CHARACTERISTICS AND TECHNOLOGICAL PROPERTIES OF THE COTTON FIBER FACING OF LIMESTONE AND PHOSPHOGYPSUM

Resumos

Em latossolo roxo ácido e de baixa fertilidade do município de Guaíra (SP), desenvolveu-se de 1986/87 a 1989/90 um ensaio de caráter permanente com o algodoeiro para estudar o efeito da aplicação de calcário (0,6; 1,8 e 3,0 t.ha-1) e de gesso (0, 2, 4, 6 t.ha-1) sobre as características do capulho e propriedades tecnológicas da fibra. O delineamento experimental utilizado foi do tipo blocos ao acaso com parcelas subsubdivididas e quatro repetições. O calcário elevou os valores de massa de um capulho e diminuiu o índice Micronaire e a maturidade da fibra, mas não afetou a massa de sementes, a porcentagem, o comprimento, a uniformidade de comprimento e a tenacidade da fibra. O gesso aumentou as massas de capulho e de sementes, especialmente quando associado a maior dose de calcário, assim como o índice Micronaire e a maturidade da fibra, no mais baixo nível de calagem.

algodão; Gossypium hirsutum L.; qualidade da fibra; calagem; gessagem; produção de capulho


The effects of limestone and phosphogypsum applications on bolls characteristics and technological properties of the cotton fiber were studied in a permanent trial on a Dystrophic Dusky Latosol, acid and of low fertility during growing seasons of 1986/87 to 1989/90. A randomized complete block design was used, arranged in split split-plots with four replications where the dolomitic limestone doses were the main plots (0.6, 1.8 and 3.0 t.ha-1), and the phosphogypsum doses (0, 2, 4, and 6 t.ha-1) were the subplots. Lime and phosphogypsum were applied in the first year and reaplicated during 1988/89. Liming caused an increase in mass of bolls and reduced the Micronaire index and fiber maturity, and did not affect the mass of seed, the percentage of fiber, the length, the length uniformity and fiber tenacity. The use of phosphogypsum increase the mass of bolls and mass of seed, mainly when associated with extremes doses of lime. Otherwise, its effects upon Micronaire index and fiber maturity values, were significant at low level of liming.

cotton; Gossypium hirsutum L.; fiber quality; limestone; phosphogypsum; boll yield


IV. TECNOLOGIA DE FIBRAS

CARACTERÍSTICAS DO CAPULHO E PROPRIEDADES TECNOLÓGICAS DA FIBRA DO ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DA CALAGEM E DA GESSAGEM(1) (1) Recebido para publicação em 24 de dezembro de 1997 e aceito em 7 de agosto de 1998.

NELSON PAULIERI SABINO(2, 3) (1) Recebido para publicação em 24 de dezembro de 1997 e aceito em 7 de agosto de 1998. , NELSON MACHADO DA SILVA(2, 3) (1) Recebido para publicação em 24 de dezembro de 1997 e aceito em 7 de agosto de 1998. e JULIO ISAO KONDO(2) (1) Recebido para publicação em 24 de dezembro de 1997 e aceito em 7 de agosto de 1998.

RESUMO

Em latossolo roxo ácido e de baixa fertilidade do município de Guaíra (SP), desenvolveu-se de 1986/87 a 1989/90 um ensaio de caráter permanente com o algodoeiro para estudar o efeito da aplicação de calcário (0,6; 1,8 e 3,0 t.ha-1) e de gesso (0, 2, 4, 6 t.ha-1) sobre as características do capulho e propriedades tecnológicas da fibra. O delineamento experimental utilizado foi do tipo blocos ao acaso com parcelas subsubdivididas e quatro repetições. O calcário elevou os valores de massa de um capulho e diminuiu o índice Micronaire e a maturidade da fibra, mas não afetou a massa de sementes, a porcentagem, o comprimento, a uniformidade de comprimento e a tenacidade da fibra. O gesso aumentou as massas de capulho e de sementes, especialmente quando associado a maior dose de calcário, assim como o índice Micronaire e a maturidade da fibra, no mais baixo nível de calagem.

Termos de indexação: algodão, Gossypium hirsutum L., qualidade da fibra, calagem, gessagem, produção de capulho.

ABSTRACT

BOLLS CHARACTERISTICS AND TECHNOLOGICAL PROPERTIES OF THE COTTON FIBER FACING OF LIMESTONE AND PHOSPHOGYPSUM

The effects of limestone and phosphogypsum applications on bolls characteristics and technological properties of the cotton fiber were studied in a permanent trial on a Dystrophic Dusky Latosol, acid and of low fertility during growing seasons of 1986/87 to 1989/90. A randomized complete block design was used, arranged in split split-plots with four replications where the dolomitic limestone doses were the main plots (0.6, 1.8 and 3.0 t.ha-1), and the phosphogypsum doses (0, 2, 4, and 6 t.ha-1) were the subplots. Lime and phosphogypsum were applied in the first year and reaplicated during 1988/89. Liming caused an increase in mass of bolls and reduced the Micronaire index and fiber maturity, and did not affect the mass of seed, the percentage of fiber, the length, the length uniformity and fiber tenacity. The use of phosphogypsum increase the mass of bolls and mass of seed, mainly when associated with extremes doses of lime. Otherwise, its effects upon Micronaire index and fiber maturity values, were significant at low level of liming.

Index terms: cotton, Gossypium hirsutum L., fiber quality, limestone, phosphogypsum, boll yield.

1. INTRODUÇÃO

Vários autores, segundo revisão realizada por Silva (1983), têm mostrado a influência da aplicação de calcário na correção da acidez do solo para a cultura do algodoeiro e sobre componentes da produção e propriedades tecnológicas da fibra. Dentre eles, destacam-se os resultados de Fuzatto et al. (1965), nos quais o uso da calagem beneficiou a massa de um capulho e de cem sementes e a porcentagem de fibras, dados confirmados por pesquisa de Carvalho (1980). São conhecidos também os resultados de Sabino (1973), em que o uso de calcário não modificou sensivelmente o comprimento, a uniformidade de comprimento e a tenacidade das fibras, mas diminuiu o índice Micronaire. Entretanto, Sabino et al. (1995), utilizando os resultados de ensaio permanente de calagem e adubação potássica, por um período de dez anos, no município de Guaíra (SP), demonstraram que a aplicação do corretivo elevou os valores da massa de um capulho, não afetou a massa de sementes e a porcentagem de fibra, mas diminuiu os valores do índice Micronaire, da uniformidade de comprimento, da maturidade e da tenacidade da fibra de algodão.

Atualmente, o uso de gesso na cultura do algodoeiro, visando reduzir a acidez subsuperficial do solo, tem despertado interesse por parte de vários pesquisadores. Resultados positivos têm demonstrado que a gessagem reduz a atividade do alumínio em solução (Alva et al., 1986; Cameron et al., 1986), aumenta os teores de Ca e os valores de pH e diminui o H + Al (Sumner et al., 1986; Chaves et al., 1988). Possibilita, também, maior absorção de água e de nutrientes pelas plantas, em conseqüência do aumento do volume de raízes no subsolo (Ritchey et al., 1980; Souza & Ritchey, 1986).

Este trabalho teve por objetivo estudar os efeitos da calagem e da aplicação de gesso sobre componentes de produção e propriedades tecnológicas da fibra do algodoeiro.

2. MATERIAL E MÉTODOS

Utilizaram-se os dados anuais de um ensaio de caráter permanente, realizado de 1987 a 1990, em latossolo roxo, ácido e de baixa fertilidade, no município de Guaíra (SP).

O plano experimental constou de doze tratamentos com quatro repetições, em esquema de parcelas subdivididas com distribuição em blocos ao acaso. No ano agrícola de 1986/87, o calcário foi incorporado às parcelas nas doses de 0,6, 1,8 e 3,0 t.ha-1 e o gesso, nas subparcelas, com 0, 2, 4 e 6 t.ha-1. O ensaio foi instalado na gleba por dois anos sucessivos, utilizando-se o cultivar IAC 20. Após esse período, ocorreu a reaplicação das mesmas doses de calcário e de gesso, e o estudo foi mantido por mais dois anos. A parcela experimental constou de quatro linhas de 5,0 m, com espaçamento de 0,8 m. Na operação de desbaste, deixaram-se cerca de sete plantas por metro linear.

Na adubação básica de plantio, a cada ano, empregaram-se o sulfato de amônio, o superfosfato simples e o cloreto de potássio, fornecendo 10, 80, 80 e 60 kg.ha-1 de N, P2O5, K2O e S respectivamente. Em cobertura, aplicaram-se 50 kg.ha-1 de N, anualmente, na forma de uréia. Na segunda fase, a adubação potássica foi aumentada para 100 kg.ha-1 de K2O e a cobertura, para 60 kg.ha-1 de N.

Coletaram-se, anualmente, nas duas linhas centrais de cada parcela experimental, amostras de 40 capulhos, visando aos estudos de componentes de produção (massa de um capulho, massa de cem sementes e porcentagem da fibra) e das propriedades tecnológicas da fibra (comprimento, uniformidade de comprimento, índice Micronaire, maturidade e tenacidade).

A massa de um capulho e a de cem sementes correspondem a determinações médias das massas expressas em gramas. A porcentagem de fibra representa o valor médio de sua porcentagem ponderal, obtida após o beneficiamento das amostras. Os resultados do comprimento correspondem aos valores médios de comprimento 2,5%, fornecidos pelo Fibrógrafo. A uniformidade de comprimento, expressa em porcentagem, representa a relação entre os comprimentos 50% e 2,5%, obtidos por meio do Fibrógrafo. O índice Micronaire, que representa o complexo finura + maturidade, determinado no aparelho Fibronaire, revela a proporção do fluxo de ar que atravessa uma amostra de fibra de 3,24 g, sob pressão constante. A maturidade, dada em porcentagem, corresponde ao índice médio fornecido pelo Fibrógrafo, segundo método proposto por Sabino et al. (1980). A tenacidade, dada em g.Tex-1(4) (1) Recebido para publicação em 24 de dezembro de 1997 e aceito em 7 de agosto de 1998. , é determinada no aparelho Pressley, mediante a ruptura de pequeno feixe de fibras paralelas, quando as garras do aparelho estão separadas de 1/8 de polegada.

A avaliação estatística dos resultados baseou-se em análises conjuntas, englobando os dois ciclos da calagem e da gessagem. Por meio de análises de regressão por polinômios ortogonais, ajustaram-se equações de regressão para os dados dos componentes de produção e propriedades tecnológicas da fibra, em função dos efeitos da calagem e da gessagem, assim como das doses de gesso dentro dos níveis de calcário. Consideraram-se apenas as regressões com coeficientes de determinação significativos ao nível de 5%.

3. RESULTADOS E DISCUSSÃO

O Quadro 1 apresenta os resultados médios dos componentes da produção e das propriedades tecnológicas da fibra, correspondentes às diferentes doses de calcário e de gesso, assim como dados das respectivas análises da variância, obtidos no período (1986/87-1989/90) de desenvolvimento do ensaio.


Os ensaios foram reunidos no conjunto dos quatro anos, tendo em vista que as análises individuais, efetuadas a cada dois anos, não revelaram variações significativas.

Observa-se efeito significativo e positivo do calcário para a massa de um capulho e nenhum efeito para massa de sementes e porcentagem da fibra. O gesso contribuiu também para melhorar a massa de um capulho, assim como a de cem sementes. Quanto às propriedades tecnológicas da fibra do algodoeiro, as aplicações de calcário modificaram os resultados do índice Micronaire e da maturidade, diminuindo os seus valores. O gesso, por sua vez, quando considerado isoladamente, não modificou tais características.

Nos dois ciclos estudados e no seu conjunto, não se observaram efeitos da interação calcário x gesso. Entretanto, o efeito do gesso, dentro de cada nível de calcário (Quadro 1), revelou significância estatística para massa de um capulho e de sementes, principalmente na dose de 3,0 t.ha-1 de calcário, e quanto à maturidade e ao índice Micronaire, destacou-se na dose de 0,6 t.ha-1 do corretivo.

Os resultados sobre o efeito positivo da calagem na massa de um capulho (Figura 1) vêm confirmar os descritos por diversos autores: Neves et al. (1960), Fuzatto et al. (1965), Carvalho (1980) e Sabino et al. (1995). A massa de um capulho, que é proporcional ao seu tamanho, além de ser um fator de produção, é importante na cultura do algodoeiro por determinar a facilidade da colheita, principalmente quando esta é manual. Sabe-se também que a aplicação de calcário, além de fornecer Ca e Mg às plantas, aumenta a disponibilidade de outros elementos, principalmente o fósforo, dando condições de melhorar a formação do algodoeiro, com reflexos positivos na frutificação. Efeito semelhante foi obtido para essa característica e para massa de cem sementes com a aplicação de gesso, notadamente em presença da dose máxima de calcário (Figuras 2 e 3).

Figura 1.
Representação gráfica da equação de regressão entre as doses de calcário e a massa de um capulho.
Figura 2.
Representação gráfica da equação de regressão entre as doses de gesso e a dose 3,0 t.ha-1 de calcário, para a massa de um capulho.
Figura 3.
Representação gráfica da equação de regressão entre as doses de gesso e a dose 3,0 t.ha-1 de calcário, para a massa de cem sementes.

Com relação às propriedades tecnológicas, confirmou-se o efeito prejudicial do calcário sobre o índice Micronaire e maturidade da fibra (Figuras 4 e 5), já observado em outros trabalhos.

Figura 4.
Representação gráfica da equação de regressão entre as doses de calcário e o índice Micronaire.
Figura 5.
Representação gráfica da equação de regressão entre as doses de calcário e a maturidade da fibra.

Assim, Sabino (1973) relatou efeito depressivo sobre o índice Micronaire, e Sabino et al. (1995) demonstraram ação semelhante sobre a maturidade da fibra algodoeira. O Micronaire é um aparelho baseado na passagem de uma corrente de ar sob pressão constante através de uma amostra de fibras de massa também constante, reduzidas a um mesmo volume. Quando se trabalha com o mesmo cultivar, como no presente caso, no qual o diâmetro da fibra é pouco variável, o Micronaire tende a medir mais a maturidade da fibra, ou seja, o teor de celulose depositada na parede das células. Segundo Fuzatto et al. (1965), a aplicação de calcário na cultura algodoeira tem causado problemas nutricionais, sobretudo com relação ao potássio, provocando uma diminuição no ciclo das plantas e deficiente formação dos frutos. Assim, é de admitir que o uso do calcário pode, no presente caso, ter concorrido para uma deficiente absorção de potássio, com conseqüentes prejuízos à formação dos frutos e à maturidade da fibra. Por outro lado, a Figura 6 mostra o efeito positivo do gesso sobre o índice Micronaire na dose menor de calcário (0,6 t.ha-1), semelhante ao ocorrido com a maturidade da fibra (Quadro 1). Tais resultados ocorreram provavelmente em função de maior exploração do subsolo pelas raízes do algodoeiro, conforme demonstrado por Silva et al. (1997).

Figura 6.
Representação gráfica das equações de regressão entre as doses de gesso e a dose 0,6 t.ha-1 de calcário, para o índice Micronaire.

4. CONCLUSÕES

1. A aplicação de calcário elevou os valores da massa de um capulho, diminuiu o índice Micronaire e a maturidade da fibra, e não afetou a massa de cem sementes, a porcentagem, o comprimento, a uniformidade de comprimento e a tenacidade da fibra.

2. A utilização de gesso aumentou as massas de capulho e de sementes, sobretudo quando associada à maior dose de calcário.

3. O índice Micronaire e a maturidade da fibra foram beneficiados pelo gesso, especialmente na mais baixa dose de calcário.

(2) Centro de Algodão e Fibrosas Diversas, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13001-970 Campinas (SP).

(3) Com bolsa de produtividade em pesquisa do CNPq.

(4) g.Tex-1: representa a força necessária, em gramas, para romper uma mecha de fibras paralelas de título 1 Tex.

  • ALVA, A.K.; BLAMEY, F.P.C.; EDWARDS, D.G. & ASHER, C.J. An evolution of aluminium indices to predict toxicity to plants grown in nutrient solutions. Communications in Soil Science and Plant Analysis, New York, 17:1271-1280, 1986.
  • CAMERON, R.S.; RITCHEY, G.S.P. & ROBSON, A.D. Relative toxicities of inorganic aluminium complexes to barley. Soil Science Society of American Journal, Madison, 50(5):1231-1236, 1986.
  • CARVALHO, L.H. Efeitos da calagem e da adubaçăo boratada sobre o algodoeiro (G. hirsutum L.) cultivado em latossolo vermelho-amarelo - fase arenosa. Piracicaba, ESALQ, 1980. 64p. Tese (Mestrado) - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", 1980.
  • CHAVES, J.C.D.; PAVAN, M.A. & MIYAZAWA, M. Reduçăo da acidez superficial em coluna de solo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, 23:469-476, 1988.
  • FUZATTO, M.G.; SILVA, N.M. & CORRĘA, F.A. O efeito das fertilizaçőes nas características do produto do algodoeiro. In: REUNIĂO ANUAL DA SBPC, 7., Belo Horizonte, 1965. Resumos SBPC, 1965. p.198-199.
  • NEVES, O.S.; CAVALERI, P.A.; ABRAMIDES, E. & FREIRE, E.S. Adubaçăo do algodoeiro: X. Ensaios com diversos adubos potássicos. Bragantia, Campinas, 19(12):183-200, 1960.
  • RITCHEY, K.D.; SOUZA, D.M.G.; LOBATO, E. & CORREIA, O. Calcium leaching to increase rooting depth in a Brazilian Savannah Oxisol. Agronomy Journal, Madison, 72:40-44, 1980.
  • SABINO, N.P. Efeitos da aplicaçăo de calcário, fósforo e potássio na qualidade da fibra do algodoeiro (Gossypium hirsutum L.) cultivado em latossolo roxo. Piracicaba, ESALQ, 1972. 65p. Tese (Doutorado) - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", 1973.
  • SABINO, N.P.; KONDO, J.I. & CARNEIRO, J.B. Maturidade da fibra de algodăo determinada pelo Fibrógrafo Modelo 430. Bragantia, Campinas, 43(1):87-94, 1980.
  • SABINO, N.P.; KONDO, J.I.; SILVA, N.M.; SABINO, J.C. & IGUE, T. Efeitos da calagem e da adubaçăo potássica sobre características agronômicas e propriedades tecnológicas da fibra do algodoeiro. Bragantia, Campinas, 54(2):385-392, 1995.
  • SILVA, N.M. Acidez do solo e calagem para o algodoeiro. In: REUNIĂO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO, 15., Campinas, 1982. Anais Campinas, Sociedade Brasileira de Cięncia do Solo, 1983. p.259-276.
  • SILVA, N.M.; RAIJ, B. van; CARVALHO, L.H.; BATAGLIA, O.C. & KONDO, J.I. Efeitos do calcário e do gesso na cultura do algodoeiro. Bragantia, Campinas, 56(2):389-401, 1997.
  • SOUZA, D.M.G. & RITCHEY, K.D. Uso de gesso no solo de cerrado. In: SEMINÁRIO SOBRE O USO DO FOSFOGESSO NA AGRICULTURA, 1., Brasília, 1985. Anais Brasília, EMBRAPA/DDT, 1986. p.119-144.
  • SUMNER, M.E.; FEY, M.V. & FARINA, M.P.W. Amelioration of acid subsoils with phosphogypsum. East African Agriculture and Forestry Journal, Nairobi, 49:18-83, 1986.
  • (1)
    Recebido para publicação em 24 de dezembro de 1997 e aceito em 7 de agosto de 1998.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      27 Maio 1999
    • Data do Fascículo
      1998

    Histórico

    • Aceito
      07 Ago 1998
    • Recebido
      24 Dez 1997
    Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br