Civitas - Revista de Ciências Sociais, Volume: 14, Número: 1, Publicado: 2014
  • Diálogos do Sul Apresentação

    Soares, Eliane Veras; Mutzenberg, Remo
  • Entrevista com Alberto da Costa e Silva Dossiê: Diálogos do Sul

    Soares, Eliane Veras; Mutzenberg, Remo
  • Estudos pós-coloniais: Desconstruindo genealogias eurocêntricas Dossiê: Diálogos do Sul

    Mata, Inocência

    Resumo em Português:

    Resumo: O pós-colonial, termo que remonta aos anos 1970, só adquire, enquanto noção, substância conceptual a partir dos anos 1980, no mundo anglo-saxônico, particularmente com o hoje datado livro The empires writes back: theory and practice in post-colonial literatures (Ashcroft, 1989). Embora este seja um dos primeiros livros desta área de estudos (aliás, livro seminal que, pode dizer-se, está na origem da abertura a um campo de investigação, em retração hoje), e apesar de não existir uma teoria pós-colonial, o que parece aproximar as várias percepções deste campo de estudos é a construção de epistemologias que apontam para outros paradigmas metodológicos na análise cultural, sendo porventura a mais importante mudança a assinalar no campo dos estudos culturais (e literários) a análise das relações de poder, nas diversas áreas da atividade social caracterizada pela diferença: étnica, de raça, de classe, de gênero, de orientação sexual… Apesar disso, muitos estudiosos, particularmente de ex-impérios, convergem para a consideração de que os atuais estudos culturais, nomeadamente no âmbito da crítica pós-colonial, se reorganizam em outros alicerces, diferentes dos tradicionais, de antagonismos lineares e duais, que intentam perpetuar a supremacia de uma estrutura ideológica e histórica espácio-temporal. O objetivo deste ensaio é intentar o desvelamento dos meandros hegemônicos dos estudos pós-coloniais.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: The expression post-colonial, current in the 70’s of the last century, was only recognized in the Anglo-Saxon world as a substantial concept during the 80’s. This dates from the publication of the book, The empire writes back: theory and practice in post-colonial literatures (Ashcroft, 1989). Although this was one of the first books in this area of study (however, a seminal work which, we could say, gave rise to the opening of a field of research which is being retraced today), and although there can’t be said to be one post-colonial theory, what seems to approximate the various perceptions of this field of studies is the construction of epistemologies that point to other methodological paradigms for cultural analysis. The most important change to point out in the field of cultural (and literary) is the analysis of power relations in the different areas of social activity, differentiated by such things as ethnicity, race, class, gender and sexual orientation. Despite this, many researchers, particularly from the former empires, merge in their considerations of recent cultural studies, notably in the area of post-colonial criticism, reorganized on other foundations, different from the traditional, from linear and dualistic antagonisms which attempt to perpetuate the supremacy of an ideological and historical space-time structure. The object of the present study is to endeavour to unveil these hegemonic meanderings of post-colonial studies.
  • Sociologias do Sul: Ensaio bibliográfico sobre limites e perspectivas de um campo emergente Dossiê: Diálogos do Sul

    Rosa, Marcelo C.

    Resumo em Português:

    Resumo: Este artigo discute as recentes publicações na área de ciências sociais que buscam apontar a noção de Sul com alternativa teórica, metodológica ou epistemológica aos efeitos coloniais nesta área do conhecimento. Por meio de uma revisão crítica dos argumentos de Boaventura de Sousa Santos, Raewyn Connell e Jean e John Comaroff em suas obras mais recentes, procura apontar as principais fragilidades destas perspectivas e possíveis caminhos alternativos à produção acadêmica fora da euro-américa.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: This paper reviews the recent literature in the field of social sciences in which the term “South” is regarded as a theoretical, methodological or epistemological alternative to the colonial effects of our disciplines. Analysing the books of Boaventura de Sousa Santos, Reawyn Connell and Jean and John Comaroff it seeks to point out some of their fragilities and possible alternative paths for a sociology beyond the Euro-American tradition.
  • Por uma razão decolonial: Desafios ético-político-epistemológicos à cosmovisão moderna Dossiê: Diálogos do Sul

    Miglievich-Ribeiro, Adelia

    Resumo em Português:

    Resumo: A revisão das epistemologias modernas impõe-se como desafio teórico para a inteligibilidade do mundo em sua hibridez; também como desafio ético e político, na medida em que explicita a exclusão e o silenciamento de sujeitos levados à desumanização, tendo seus saberes e cosmovisões negados como explicativos e orientadores legítimos de condutas. Combino neste texto a reflexão de Boaventura de Sousa Santos acerca do “paradigma prudente para uma vida decente” com as teses da “modernidade-colonialidade-decolonialidade” latino-americana. Associando a hermenêutica diatópica de Santos e a hermenêutica pluritópica de Mignolo, acentuo a urgência do diálogo a partir do Sul entre as distintas esferas culturais bem como da ação descolonizadora das subalternidades mediante a ênfase nas experiências singulares, na tradução e na articulação das diferenças em torno de projetos plurais de reconhecimento de sujeitos e suas vozes para a ampliação do universal como diversalidade.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: A review of modern epistemologies is a theoretical challenge for understanding the complex world. It is also an ethical and political challenge, as far as it will show the exclusion and silencing of the persons led to the dehumanization, whose knowledge and worldviews were for a long time discredited as legitimate explanations and guiding for their actions. In the text I merge the idea of Boaventura de Sousa Santos concerning the “prudent paradigm of a decent life” with the thesis of Latin American “modernity-coloniality-decoloniality”. Associating the diatopic hermeneutic of Santos with the pluritopic hermeneutic of Mignolo, I emphasize the urgency of a dialogue between the distinct cultural spheres, advocated by the South, as well as the urgency of decolonizing actions of the subalternities with an emphasis on particular experiences, on the translation and conjunction of differences around pluralistic projects of recognition of the subjects and their voices to expand the universal as diversality.
  • “Embora lidando com literatura, você está fazendo sociologia” Dossiê: Diálogos do Sul

    Soares, Eliane Veras

    Resumo em Português:

    Resumo: As relações entre a literatura e o conhecimento (científico) não parecem satisfatoriamente resolvidas seja pela sociologia do conhecimento, seja pela sociologia da literatura. No primeiro caso, a literatura pode ser concebida como uma forma de conhecimento, mas tem preservada sua “natureza ficcional”, diversa do conhecimento científico. No segundo caso, o que se considera é a dimensão social da literatura e o modo como ela pode expressar de modo exagerado, distorcido, controverso a realidade, sem com ela confundir-se. O argumento que procuro desenvolver não propõe uma equivalência entre literatura e conhecimento científico. Busca explorar novos caminhos em que a literatura seja encarada como uma epistemologia válida para a compreensão das dinâmicas sociais. Esse procedimento, certamente, deve ser exercitado pelo cientista social. Para dar forma a esta reflexão, ainda de caráter exploratório, trago aqui alguns pontos críticos referentes ao meu duplo processo de inserção – na temática dos estudos africanos, de um lado, e na sociologia da literatura, por outro –, para com isso, tentar problematizar em um novo estado, as questões de caráter teórico-epistemológico referentes à produção do conhecimento. Sinalizo antecipadamente que o estado da arte desta reflexão ainda não consegue trazer respostas, mas tenta, antes, elaborar questionamentos que circunscrevam de modo mais preciso onde a pesquisa sistemática considerando essas formas específicas de produção poderá nos levar.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: The relationship between literature and (scientific) knowledge does not seem to be satisfactorily treated neither by the sociology of knowledge nor by the sociology of literature. For the former, the literature can be conceived as a form of knowledge, but has to preserve its “fictional nature” in contrast to scientific knowledge. For the latter, what matters is the social dimension of literature and how it can express in an exaggerated, distorted, controversial manner the reality, without being confounded with it. The argument developed in this article does not expect to establish a similitude between literature and scientific knowledge. It seeks to explore new ways in which literature can be seen as a valid epistemology for understanding social dynamics. This is a job for a social scientist. To shape this reflection, although still in the exploratory stage, I bring together critical references to my two-fold relationship – to the theme of African studies and that of of the sociology of literature – in an attempt to take to a new level the theoritical-epistemological issues relevant to the production of knowledge. The state of the art of this reflection is still without answers, but is producing questions pointing to need for more systematic research and where these specific forms of production can lead us.
  • Exílio e diáspora nas personagens de ficção Paulo Martins (Terra em transe) e Paco (Terra estrangeira) Dossiê: Diálogos do Sul

    Soares, Paulo Marcondes Ferreira

    Resumo em Português:

    Resumo: O estudo centra-se em aspectos dados às configurações das personagens Paulo Martins, do filme Terra em transe (Glauber Rocha, 1967), e Paco, do filme Terra estrangeira (Walter Salles e Daniela Thomas, 1996), relativamente às dimensões identitárias, políticas e de contextualidade (tempo diegético e espaço diegético) vividas por essas personagens na sociedade interna dos filmes vis a vis às dimensões culturais e identitárias, mas, também, políticas e contextuais em que tais películas foram produzidas. Não se trata de traçar um perfil psicológico das personagens, mas de refletir o que as leva, e em que circunstâncias, a assumir determinadas atitudes frente ao impasse em que se encontram e de como suas atitudes, apesar de estarem relacionadas a situações históricas distintas, são construções ficcionais que se ligam a processos identitários que remetem a um sentido de lugar. O ponto que move meu argumento está numa passagem de um texto do crítico Paulo Emílio Salles Gomes, sobre A personagem cinematográfica, em que diz: “Fundamentalmente arte de personagens e situações que se projetam no tempo”. E eu acrescentaria: no espaço. Nesse texto, Gomes inicia uma discussão sobre o problema da autonomia no cinema, um debate fervoroso que historicamente opôs teóricos formalistas e realistas. No que pese às alegorias a propósito de um lugar de origem, bem como a amarga situação vivida pela derrota política nas histórias ficcionais desses filmes, eles operam a partir de referentes miméticos que coincidem em termos de estrutura fílmica, mas, distinguem-se em termos das possibilidades políticas encontradas pelas suas personagens em face de uma tomada de decisão. Ao passo que Paulo Martins se volta para o enfrentamento em defesa de um projeto político de nação, Paco parte para o exílio, lançado numa diáspora, sem quaisquer projetos políticos e sem o vislumbre de um lugar. Ante a possibilidade de ser confinado a um exílio interno, Paulo Martins se lança numa rota suicida de enfrentamento; por sua vez, Paco se vê lançado num exílio externo e numa situação à deriva, por absoluta falta de condições materiais e emocionais de permanência no lugar, em direção a uma existência regida pelo signo da instabilidade e da morte, mas, em busca de suas origens ancestrais. Numa situação, a personagem é compelida ao enfrentamento; na outra, à fuga.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: The study is based on aspects attributed to the make-up of the characters of Paulo Martins, in the film Terra em transe [Entranced earth; Anguished land] (Glauber Rocha, 1967), and Paco, in the film Terra estrangeira [Foreign land] (Walter Salles and Daniela Thomas, 1996), with respect to the dimensions of identity, politics and of context (narrative time and space) experienced by these personages in the internal society of these films vis a vis the cultural and identity dimensions, as well as the politics and context in which these films were produced. This is not a study of the psychological profile of the personages, but a reflection on what, and under what circumstances, caused them assume specific attitudes, faced with the impasse of their situation; and how these attitudes, although related to distinct historical situations, are fictional constructions that bind the identity process to a reflection of the sense of place. My argument is informed by a passage from a text of the critic Pablo Emilio Salles Gomes, on the cinematographic personage, where he says: “Basically the art of personages and situations is how they project in time”. And, I would add: in space. In this text, Gomes initiates a discussion of the problem of autonomy in cinema, which is under debate that has historically opposed formalists and realists. In spite of the allegories about a place of origin, as well as the bitter situation experienced as a result of political defeat in the fictional stories of these films, they are both based on mimetic referents which coincide in terms of the filmatic structure, but are different in terms of the political possibilities encountered by their characters in the face of having to make a decision. To the point that Pablo Martins returns to face the defense of a national political project while Paco goes into exile, on a journey, without any political projects and without a sense of place. With the possibility of being confined to an internal exile, Pablo Martins sets out on a suicidal road of confrontation; in contrast, Paco goes for external exile, and is set adrift, for absolute lack of material and emotional conditions to stay in one place, towards an existence governed by signs of instability and death, in search of his ancestral origins. In the one situation, the personage is compelled to confrontation; in the other, to escape.
  • A democracia no Brasil não é um mal-entendido Dossiê: Diálogos do Sul

    Coelho, Maria Francisca Pinheiro

    Resumo em Português:

    Resumo: A ideia deste trabalho surgiu da famosa frase de Sérgio Buarque de Holanda, em Raízes do Brasil: “A democracia no Brasil foi sempre um lamentável mal-entendido.” Para o autor, inspirado nos tipos ideais weberianos e sob um olhar comparativo, o Brasil com seu homem cordial – aquele que age mais pelo coração do que pela razão – e com o predomínio do espaço privado sobre o público não se apresentava como um solo receptivo aos valores de igualdade da democracia. O texto pretende sugerir que a institucionalização das regras do jogo democrático relativiza o peso da cultura, sem, contudo, alterar seus traços no ritmo compatível com as mudanças das normas. O Brasil, com todos os problemas decorrentes de uma sociedade desigual e hierárquica, situa-se atualmente entre as democracias mais consolidadas da América Latina, que mais interagem e que apresentam disposição para o diálogo.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: The idea for this work came from the famous phrase of Sérgio Buarque de Holanda, in Raízes do Brasil: “Democracy in Brazil has always been an unfortunate misunderstanding.” For the author, inspired by the Weberian ideal types and with a comparative view, Brazil with his cordial man – one who acts more by heart than by reason – and with the predominance of the private space on the public one did not appear as a receptive soil to equal values of democracy. The text suggests that the institutionalization of democratic rules relativizes the weight of culture, without changing its traces in the same rhythm of the rule changes. Brazil, with all the problems arising from an unequal and hierarchical society, is currently located among the more consolidated democracies in Latin America, among those that interact more and which have a willingness to dialogue.
  • Raça e uma nova forma de analisar o imaginário da nossa comunidade nação: Da miscigenação freyreana ao dualismo fanoniano Dossiê: Diálogos do Sul

    Lewis, Liana

    Resumo em Português:

    Resumo: Este artigo se propõe analisar como a identidade nacional brasileira tem se constituído em um campo de batalha acerca da questão racial. Ele se propõe a investigar duas formas de pensar o conceito de comunidade imaginada de Benedict Anderson a partir da questão racial: a miscigenação de Gilberto Freyre e o dualismo branco/negro de Fanon. Partindo da análise dos livros Casa grande e senzala e Pele negra máscaras brancas, o texto mostra como o Movimento Negro tem contestado a perspectiva de democracia racial e reivindicado uma política identitária que leva em consideração a hierarquização da vida da população branca e negra.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: The present article seeks to analyze how the national Brazilian identity has become a battlefield around the racial issue. It proposes to investigate two ways of conceiving Benedict Anderson’s concept of imagined community regarding the racial matter: Gilberto Freyre’s miscegenation and Frantz Fanon’s black and white dualism. Having the analysis of Casa grande e senzala (The masters and the slaves) and Pele negra máscaras brancas (Black skin, white masks) as my departure point, I show how the Black Movement has been contesting the racial democracy perspective and demanding an identitarian politics that takes into consideration the hierarchy between white and black people.
  • Protestos sociais em Moçambique: Uma agenda de pesquisa Dossiê: Diálogos do Sul

    Mutzenberg, Remo

    Resumo em Português:

    Resumo: A África, na última década, passou a ser lócus de investimentos de empresas internacionais, particularmente no campo da exploração de recursos naturais. A empresa brasileira Vale do Rio Doce é uma destas empresas que vem investindo na exploração do carvão em Moçambique. Por um lado, a presença da Vale em Tete-Mz gerou expectativas de desenvolvimento e é considerada como investimento importante para o desenvolvimento econômico do país. Por outro lado, essa presença e seus desdobramentos no campo social, ambiental e frustrações de expectativas da população têm gerado protestos de diferentes ordens. O texto busca situar a presença da Vale do Rio Doce, e de outras empresas brasileiras, em África, no quadro da diplomacia política e econômica brasileira, assumida na última década, e da política de incentivos adotados pelos países em África para atrair investimentos, particularmente em Moçambique. Segue análise da Vale em Moçambique, ao lado de outros projetos de mineração. Destaca-se uma análise das manifestações, ocorridas a partir de 2012, pelos reassentados da Vale, situando esses confrontos como parte visível das tensões geradas pela presença, não só da Vale, pelos megaprojetos de mineração. Coloca-se a questão de como esses confrontos se articulam com um movimento latente, isto é, com os questionamentos em relação à política interna moçambicana relativa aos megaprojetos que estariam produzindo riqueza sem fixá-la no país. Nessa direção, a consolidação das relações entre Brasil e Moçambique (e África), no sentido de se estabelecerem relações verticais ou horizontais, não depende apenas de acordos de cooperação, mas das dinâmicas políticas internas e externas, em que a Vale é apenas um dos atores. O texto, assim, se propõe pontuar questões de pesquisa que dizem respeito a processos sociais e políticos locais conectados transnacionalmente, que colocam como quadro geral o debate atual sobre desenvolvimento, dependência e cooperação nas relações Sul-Sul.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: Africa in the past decade has become a place for international business investments, particularly in the areas of natural resources exploitation. The Brazilian company, Vale do Rio Doce, is one of these companies which has invested in coal mining in Mozambique. On the one hand, the presence of this company in Tete-Mz has increased the potential for development and is considered as an important investment for the economic development of the country. On the other hand, this presence and its dealings in the social and environmental areas, frustrating the expectations of the local populations, has created different types of protests. This present text situates the presence of the Vale do Rio Doce and other Brazilian companies in Africa, within the situation of Brazilian political and economic diplomacy undertaken in the past decade as well as the incentives adopted by African countries, in particular Mozambique, to attract investment. The text contains an analysis of the Vale company in Mozambique, together with other mining projects. Attention is given to an analysis of the manifestations which occurred starting in 2012, by the Vale workers [by those resettled by the Vale], situating these confrontations as a visible part of the tension generated not only by the Vale company, but by all the mining megaprojects. The question raised is how these confrontations form part of a latent movement concerned with issues related to Mozambican internal policies relative to the megaprojects which are producing wealth without retaining it within the country. Thus cooperation between Brazil an Mozambique (and Africa) in the sense of establishing vertical and horizontal relations does not depend only on cooperative agreements but also on the internal and external political dynamics, in which the Vale company is only one of the actors. Therefore, the text proposes itself to underline research questions related to connected transnational social and political processes, posing, as a general framework the current debate about development, dependence and South-South cooperation relations.
  • Barbarizações do conflito social: Lutas por reconhecimento ao início do século 21 Artigos

    Honneth, Axel

    Resumo em Português:

    Resumo: Em alguns de seus trabalhos Talcott Parsons descreveu o estabelecimento das sociedades modernas como um processo de diferenciação de diversas esferas de reconhecimento recíproco. Neste texto eu uso a teoria social do reconhecimento de Parsons para examinar características de conflitos sociais recentes. Começo expondo a descrição que Parsons fez das lutas por reconhecimento ocorridas nas sociedades altamente industrializadas de sua época. Depois tomo a concepção de Parsons sobre conflitos por reconhecimento normativamente orientados para indicar tendências que levaram a uma gradual erosão das estruturas de pacificação social postuladas por Parsons nas últimas décadas do século 20. Descrevo as consequências iniciais dessa desintegração como uma “barbarização” dos conflitos sociais. Por barbarizado entendo um estágio da sociedade em que as lutas por reconhecimento social escalaram e se tornaram anômicas, uma vez que não podem mais ser resolvidas nas esferas sistêmicas estabelecidas de negociação. Este texto revela a importância do conceito de reconhecimento para a teoria social ao acompanhar Parsons na análise de transformações estruturais que atualmente emergem em resposta a conflitos sociais. Resumo do editor.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: In several of his analyses, Talcott Parsons describes the establishment of modern societies as a differentiation process across spheres of mutual recognition. In this paper, I use Parsons’ social theory of recognition to examine features of recent social conflicts. I begin with Parsons’ description of the struggles for recognition that took place during his lifetime in the highly industrialized societies of the west (1). I then use Parsons’ view of normatively ordered recognition conflicts to point out societal trends that led, in the final third of the twentieth century, to a gradual undermining of the pacification structures postulated by Parsons (2). An initial outcome of this apparent disintegration I describe as a “barbarization” of social conflict. By this I mean a state of society where struggles for social recognition escalate and become anomic because resolution can no longer be found in the existing systemic spheres of negotiation (3). This paper shows the importance of the term recognition to social theory by following Parsons’ theory in analyzing structural transformations that are currently emerging in response to social conflicts. Editors abstract.
  • Democratização de políticas sociais no Brasil: Venturas e desventuras das organizações da sociedade civil Artigos

    Teodósio, Armindo dos Santos de Sousa; Resende, Graziele Andrade

    Resumo em Português:

    Resumo: O artigo discute as perspectivas de democratização de políticas sociais através da descentralização no Brasil. Para tanto, faz uma discussão teórica sobre a dinâmica da descentralização de políticas públicas no contexto brasileiro e seus desdobramentos sobre a democratização das políticas sociais a partir de dois fenômenos que compõem as tentativas de modernização do estado: a difusão de conselhos municipais de políticas e a promoção de parcerias entre organizações da sociedade civil e governos para a provisão de serviços sociais. Trata-se de um artigo de natureza teórica, que recorreu a diferentes fontes bibliográficas sobre participação popular, conselhos de políticas, relações entre estado e sociedade civil e cultura política brasileira. A análise aponta a permanência de importantes desafios para a consolidação de processos políticos pautados na democracia participativa no Brasil, que acabam por reconfigurar e trazer novas dimensões para armadilhas e riscos de centralização de poder, domínio tecnocrático e expansão do clientelismo no cenário político brasileiro contemporâneo.

    Resumo em Inglês:

    Abstract: This paper discusses the democratization of social policies through decentralization in Brazil. The authors make a theoretical analysis of the dynamics of decentralization of public policies in the Brazilian context and its repercussions on the democratization of social policies based on two phenomena that conform the attempts to modernize the state: the diffusion of municipal councils and the promotion of partnerships between civil society organizations and governments for the provision of social services. This is a theoretical paper that builds on different literature sources on popular participation, policy councils, relations between state and civil society and Brazilian political culture. The analysis points to the persistence of important challenges to the consolidation of political processes guided by the participatory democracy in Brazil, which eventually renew and bring new dimensions for traps and risks of centralization of power, technocratic power and expansion of the clientelism in contemporary Brazilian political reality.
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Av. Ipiranga, 6681 - Partenon, Cep: 90619-900, Tel: +55 51 3320 3681 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: civitas@pucrs.br