Ganho de peso, consumo de ração e histologia de órgãos de leitões alimentados com rações contendo baixos níveis de fumonisina B1

Weight gain, feed consumption and histology of organs from piglets fed rations containing low levels of fumonisin B 1

Pollyana C.M.C. Souto Leandra N.Z. Ramalho Fernando S. Ramalho Mayra C. Gregorio Keliani Bordin Anne-Marie Cossalter Isabelle P. Oswald Carlos A.F. Oliveira Sobre os autores

Resumo:

A fumonisina B1 (FB1) é um metabólito secundário produzido principalmente por Fusarium verticilioides em diversos tipos de alimentos, principalmente o milho, o qual constitui a base para composição de rações para várias espécies de animais domésticos. A FB1é particularmente tóxica para suínos, cujas manifestações clínicas são evidentes em animais expostos a altas concentrações de FB1 na ração (em geral, acima de 30mg/kg). No entanto, são escassos os estudos sobre os efeitos da FB1em suínos alimentados com rações contendo baixas concentrações de fumonisinas, as quais são mais prováveis de serem encontradas em condições de campo. O objetivo do estudo foi avaliar os efeitos da exposição de leitões a baixos níveis de FB1 na ração, durante 28 dias, sobre o ganho de peso, consumo de ração, peso relativo de órgãos e aspectos histológicos do baço, fígado, pulmões, rins e coração. Vinte e quatro leitões foram distribuídos em 4 grupos experimentais e alimentados com rações contendo 0mg (controle), 3,0mg, 6,0mg ou 9,0mg FB1/kg de ração. As diferentes dietas não afetaram (P>0,05) o ganho de peso e nem o peso relativo dos órgãos analisados. Não foram constatadas lesões macroscópicas ou histopatológicas no baço, fígado, rins e coração. No entanto, foram observadas lesões histopatológicas nos pulmões de todos os suínos alimentados com rações contaminadas com fumonisinas, indicando que nenhum dos níveis de FB1 usados no experimento poderia ser considerado como seguro para suínos. São necessários novos estudos sobre os mecanismos de ação tóxica da FB1 em suínos, sobretudo em condições de exposição prolongada a baixos níveis de contaminação na ração.

Termos de Indexação:
Fumonisina B1 ; FB1 ; níveis baixos; suínos; efeitos tóxicos; micotoxicoses

Abstract:

Fumonisin B1 (FB1) is a secondary metabolite produced mainly by Fusarium verticilioides in several types of foods, particularly corn, which is the basis for composition of feed for several domestic animals. FB1 is particularly toxic to pigs, being the clinical manifestations evident in animals exposed to high concentrations of FB1 in the diet (generally above 30mg/kg). However, there are few studies on the effects of FB1 on pigs fed rations containing low concentrations of fumonisin, which are most probably found under field conditions. The aim of the study was to evaluate the effects of a 28-day exposure of piglets to low levels of FB1 in the feed on the weight gain, feed consumption, organ weights and histological aspects of the spleen, liver, lungs, kidneys and heart. Twenty-four pigs were assigned into 4 experimental groups and fed diets containing 0mg (control), 3.0mg, 6.0mg or 9.0mg FB1/kg diet. The different diets did not affect (P>0.05) the weight gain or the weight of organs examined. There were no macroscopic or histological lesions in the spleen, liver, kidneys and heart. However, histological lesions were found in the lungs from all animals fed rations containing fumonisin, hence indicating that none of the FB1 levels used in the experiment could be considered as safe for piglets. Further studies on the mechanisms of toxic action of FB1 in pigs are needed, particularly under conditions of prolonged exposure to low contamination levels in the diet.

Index Terms:
Fumonisin B1 ; FB1 ; low levels; swine; toxic effects; mycotoxicosis

Introdução

Os fungos filamentosos produzem uma grande diversidade de metabólitos secundários, como pigmentos, antibióticos, fitotoxinas além de compostos tóxicos, denominados micotoxinas (Diaz 2005Diaz D.E. 2005. The mycotoxin blue book. Nottingham University Press, Nottingham, UK. 349p.). Os fungos produtores de micotoxinas predominam em regiões com climas tropicais e subtropicais, tendo em vista que o desenvolvimento fúngico é favorecido pelas condições ambientais, principalmente pela temperatura e umidade, em substratos variados (Dilkin 2002Dilkin P. 2002. Micotoxicose suína: aspectos preventivos, clínicos e patológicos. Biológico, São Paulo, 64(2):187-191.). Cereais e sementes oleaginosas são frequentemente afetadas por micotoxinas durante a colheita, armazenamento e processamento, ocasionando perdas econômicas devido à contaminação de produtos agrícolas e a perda de produtividade animal (Sabino 1996Sabino M. 1996. Micotoxinas em Alimentos, p.461-472. In: Oga S. (Ed.), Fundamentos de Toxicologia. Atheneu Editora, São Paulo.).

Entre as micotoxinas mais frequentemente encontradas no Brasil, destacam-se as fumonisinas B1 (FB1), B2 (FB2) e B3(FB3), as quais são produzidas principalmente por Fusarium verticilioides e Fusarium proliferatum (Diaz 2005Diaz D.E. 2005. The mycotoxin blue book. Nottingham University Press, Nottingham, UK. 349p.). Estas micotoxinas ocorrem fundamentalmente no milho e em alimentos à base de milho, sendo a FB1 a mais a mais tóxica, representando 70-80% do total de fumonisinas produzidas em culturas de laboratório ou em milho naturalmente contaminado (Cawood et al. 1991Cawood M.E., Gelderblom W.C.A., Vleggaar R., Behrend Y., Thiel P.G. & Marasas W.F.O. 1991. Isolation of the fumonisin mycotoxins - a quantitative approach. J. Agric. Food Chem. 39(11):1958-1962., Binder et al 2007Binder E.M., Tan L.M., Chin L.J., Handl J. & Ichard J. 2007. Worldwide occurrence of mycotoxins in commodities, feeds and feed ingredients. Anim. Feed Sci. Technol. 137(3/4):265-282.). A contaminação de matérias primas alimentares e rações com fumonisinas, tem sido associada a várias doenças que podem afetar a saúde de animais domésticos, sendo extremamente tóxicas para equídeos e suínos (Soriano, González & Catalá 2005Soriano J.M., González L. & Catalá A.I. 2005. Mechanism of action of sphingolipids and their metabolites in the toxicity of fumonisin B1. Progr. Lipids Res. 44(6):345-356.). Em casos de intoxicação aguda com elevados níveis da toxina, os animais apresentam um quadro caracterizado pela redução da eficiência reprodutiva, piora na conversão alimentar, diminuição da taxa de crescimento e do ganho de peso (Dilkin 2002Dilkin P. 2002. Micotoxicose suína: aspectos preventivos, clínicos e patológicos. Biológico, São Paulo, 64(2):187-191.). Como medida preventiva para evitar os efeitos das fumonisinas nas criações animais, os Estados Unidos e a União Europeia recomendam os limites de tolerância de 20,0mg/kg (milho em grão para rações de suínos) e 5,0mg/kg (rações de suínos), respectivamente (Oliveira et al. 2014Oliveira C.A.F., Corassin C.H., Corrêa B.& Oswald I.P. 2014. Animal Health: mycotoxins, p.358-377. In: Alfen N.V. (Ed.), Encyclopedia of Agriculture and Food Systems. Vol.1. Elsevier, San Diego.). Contudo, não há limites de tolerância para fumonisinas em ingredientes ou rações animais no Brasil.

Os suínos estão potencialmente expostos a níveis elevados FB1 na ração em curto prazo, sendo o edema pulmonar suíno (EPS) a principal patologia induzida por esta micotoxina (Haschek et al. 2001Haschek W.M., Gumprecht L.A., Smith G., Tumbleson M.E. & Constable P.D. 2001. Fumonisin toxicosis in swine: An overview of porcine pulmonary edema and current perspectives. Environ. Health Perspect. 109(Suppl.2): 251-257.). O principal mecanismo de ação tóxica da FB1 está relacionado com a inibição da biossíntese de esfingolipídeos de membrana celular (Soriano, González & Catalá 2005Soriano J.M., González L. & Catalá A.I. 2005. Mechanism of action of sphingolipids and their metabolites in the toxicity of fumonisin B1. Progr. Lipids Res. 44(6):345-356.). As manifestações clínicas decorrentes da intoxicação por altas concentrações de FB1 (em geral, acima de 30mg/kg) em suínos são bem descritas na literatura (Voss et al. 2001Voss K.A., Riley R.T., Norred W.P., Bacon C.W., Meredith F.I., Howard P.C., Plattner R.D., Collins T.F.X., Hansen D.K. & Porter J.K. 2001. An overview of rodent toxicities: liver and kidney effects of fumonisins and Fusarium moniliforme. Environ. Health Perspect.109(Suppl.2):259-266.). No entanto, são escassos os estudos sobre os efeitos da exposição de suínos a rações contendo baixas concentrações de fumonisinas, as quais são mais prováveis de serem encontradas em condições de campo. Zomborszky-Kovacs et al. (2002)Zomborszky-Kovács M., Kovács F., Horn P., Vetési F., Repa I., Tornyos G. & Tóth A. 2002. Investigations into the time - and dose-dependent effect of fumonisin B1 in order to determine tolerable limit values in pigs. Livest. Prod. Sci. 76(3):251-256. observaram um aumento significativo e dose-dependente nos pesos dos pulmões de suínos expostos a níveis de 5,0 a 10,0mg de FB1/kg de ração, porém não foram encontrados dados sobre os efeitos da FB1 em níveis menores que 5,0 mg/kg. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o ganho de peso, consumo de ração e o aspecto histológico de órgãos de leitões alimentados com rações contendo 3,0, 6,0 e 9,0mg de FB1/kg.

Material e Métodos

O estudo foi realizado no Institute National de la Recherche Agronomique/INRA, em Toulouse, França. Todos os procedimentos de experimentação em animais foram realizados conforme com as diretrizes europeias para o uso de animais para fins de investigação científica (Processo nº TOXCOM/0018/PP IO, Comité d'Ethique de Farmacologie - Toxicologie de Toulouse - Midi Pyrénées, Toxcométhique, INRA). Vinte e quatro leitões desmamados de 4 semanas de idade, machos castrados (Pietrain/Duroc/Large-white) foram utilizados no presente estudo. Os leitões foram aclimatizados durante 1 semana no biotério do Laboratório ToxiAlim INRA (Toulouse, França) antes de serem utilizados para os protocolos experimentais. Após este período, os animais foram mantidos em baias por 28 dias, sendo 3 animais/baia. Água e ração foram fornecidos ad libitum durante todo o período experimental. Seis animais foram distribuídos para cada tratamento com base no peso corporal, observados diariamente e pesados semanalmente.

Os animais foram submetidos a quatro diferentes dietas, contaminadas com os seguintes níveis de fumonisina B1(FB1) durante 28 dias: dieta controle (0mg FB1/kg de ração); 3,0mg FB1/kg de ração, 6,0mg FB1/kg de ração e 9,0mg FB1/kg de ração. A FB1 utilizada no experimento foi produzida no Veterinary Medical Diagnostic Laboratory da Universidade de Missouri, em Columbia, Estados Unidos, a partir do cultivo de cepas toxigênicas de Fusarium verticillioides, de acordo com Ogido et al. (2004)Ogido R., Oliveira C.A.F., Ledoux D.R., Rottinghaus G.E., Corrêa B., Butkeraitis P., Reis T.A., Gonçales E. & Albuquerque R. 2004. Effects of prolonged administration of aflatoxin B1 and fumonisin B1 in laying Japanese quail. Poult. Sci. 83(12):1953-1958.. Os procedimentos para a produção de fumonisinas foram relatados previamente (Weibking et al. 1993Weibking T.S., Ledoux D.R., Bermudez A.J., Turk J.R. & Rottinghaus G.E.1993. Effects of feeding Fusarium moniliforme culture material, containing known levels of fumonisin B1, on the young broiler chick. Poult. Sci.72(3):456-466.).

As dietas foram fabricadas nas instalações do INRA em Rennes (França) e formuladas de acordo com as exigências nutricionais para leitões, como descrito por Grenier et al. (2011)Grenier B., Loureiro-Bracarense A.P., Lucioli J., Pacheco G.D., Cossalter A.M., Moll W.D., Schatzmayr G. & Oswald I.P. 2011. Individual and combined effects of subclinical doses of deoxynivalenol and fumonisins in piglets. Mol. Nutr. Food Res. 55(5):761-771.. Os extratos contendo a toxina foram misturados em suplementos de vitaminas e minerais, e, em seguida, incorporados na mistura dos cereais antes da granulação. Os níveis FB1 nas rações, bem como a ausência de concentrações detectáveis de outras micotoxinas, foram confirmados usando o método multi-micotoxina LC-MS/MS (de acordo com o protocolo de 365-007, GIP LABOCEA, França - Relatório de análise 113074005). No 3º e 10º dia do experimento, todos os leitões foram imunizados por via subcutânea com Stellamune® Mycoplasma us.vet. (Pfizer Animal Health SA, France), de acordo com as especificações do fabricante. Esta imunização foi necessária para garantir a saúde dos animais e prevalecer apenas o efeito tóxico da FB1.

As variáveis estudadas durante o período de intoxicação foram o ganho de peso e o consumo alimentar. No final do período experimental, os suínos foram insensibilizados por eletronarcose com posterior sangria, de acordo com os procedimentos padrão do INRA/Toulouse. Após, foram submetidos à necropsia e avaliação dos pesos do baço, fígado, pulmões, rins e coração. Amostras desses órgãos, de todos os animais dos 4 tratamentos, foram coletadas e fixadas em formol tamponado a 10% para análise histopatológica. Os cortes de tecidos (pulmão, fígado, coração, rins e esôfago) foram desidratados por meio de álcoois graduados, embebidos em cera de parafina e cortados em espessura de 5 μm. Em seguida, estes cortes foram corados com hematoxilina-eosina (HE) para realização do exame histopatológico. Um patologista que desconhecia os tratamentos de intoxicação por FB1, sob a microscopia de luz, avaliou o grau de inflamação ou os danos celulares. A inflamação do tecido foi classificada da seguinte forma: grau 0, mínima ou nenhuma evidência de inflamação; grau +, inflamação leve; grau ++, inflamação moderada a grave; grau +++, inflamação grave. Os dados foram submetidos à ANOVA unidirecional, seguido de teste de Tukey, para analisar as diferenças entre as médias dos diferentes tratamentos. Valores de P<0,05 foram considerados significativos.

Resultados

A ingestão das rações experimentalmente contaminadas com fumonisina B1 (FB1) não prejudicou (P>0,05) o desempenho dos animais (Quadro 1), e também não afetou (P>0,05) os pesos relativos dos órgãos, em comparação com o grupo controle (Quadro 2). Nenhum sinal clínico de intoxicação foi observado em qualquer tratamento durante o experimento. Durante a necropsia, não foram encontradas alterações macroscópicas no pulmão, rim, coração e fígado. Microscopicamente, apenas nos pulmões foi observada uma inflamação intersticial (de moderada a grave), sem edema alveolar. Os suínos alimentados com as rações contaminadas com 3,0 ou 6,0mg FB1/kg de ração, apresentaram lesões pulmonares classificadas como leves (+) ou moderadas (++) (Fig.1), sendo que lesões moderadas à grave (+++) foram observadas nos animais que consumiram rações com 8,0mg FB1/kg. Todos os animais do grupo controle apresentaram pulmões classificados como grau 0 (mínima ou nenhuma evidência de inflamação). Os outros órgãos analisados, como esôfago, rim, coração e fígado, não apresentaram lesões histopatológicas significantes em todos os tratamentos.

Quadro 1:
Peso corporal, ganho de peso e consumo de ração de leitões alimentados com rações controle e rações contaminadas com fumonisina B1após 28 dias de intoxicação*
Quadro 2:
Pesos relativos de órgãos de leitões alimentados com rações controle e rações contaminadas com fumonisina B1 após 28 dias de intoxicação*

Fig.1:
Corte histológico de pulmão demonstrando lesões causadas pela fumonisina B1(FB1) em leitões alimentados com ração controle 0mg FB1/kg, ou rações contaminadas com 3,0, 6,0, ou 9,0mg FB1/kg. As lesões foram estabelecidas após exames histopatológicos de acordo com o grau das lesões. (A) Zero (sem lesões). (B) Lesão leve (+), (C) Lesão moderada (++), (D) Lesão grave (+++). HE, obj.40x.

Discussão

No presente estudo, os leitões foram expostos a níveis baixos de fumonisinas, normalmente encontrados em uma variedade de substratos em condições de campo, principalmente o milho (base da ração para animais). A literatura demonstra que grande parte dos dados sobre os efeitos das fumonisinas em animais domésticos, incluindo aves, cavalos e suínos, foi obtida utilizando rações mono-contaminada com altas concentrações de FB1 (Dilkin et al. 2003Dilkin P., Zorzete P., Mallmann C.A., Gomes J.D., Utiyama C.E., Oetting L.L. & Corrêa B. 2003. Toxicological effects of chronic low doses of aflatoxin B1 and fumonisin B1-containing Fusarium moniliforme culture material in weaned piglets. Food Chem. Toxicol. 41(10):1345-1353., Butkeraitis et al. 2004Butkeraitis P., Oliveira C.A.F., Ledoux D.R., Ogido R., Albuquerque R., Rosmaninho J.F. & Rottinghaus G.E. 2004. Effect of dietary fumonisin B1 on laying Japanese quail. Brit. Poult. Sci. 45(6):798-801., Direito et al. 2009Direito G.M., Almeida A.P., Aquino S., Reis T.A., Pozzi C.R. & Corrêa B. 2009. Evaluation of sphingolipids in Wistar rats treated to prolonged and single oral doses of fumonisin B1. Int. J. Mol. Sci. 10(1):50-61.). Os dados deste estudo procurou determinar os efeitos da ingestão sub-crônica de rações contaminadas com níveis baixos de FB1 no desempenho animal e na histopatologia, visto que os suínos são altamente susceptíveis e estão potencialmente expostos a níveis elevados de FB1. Assim, sob o ponto de vista de segurança alimentar, são de extrema importância os estudos que utilizam níveis menores da micotoxina para determinar os limites toleráveis que não sejam prejudiciais para o organismo animal.

A fumonisina B1 (FB1) não interferiu no consumo médio de ração e no ganho de peso corporal. Considerando-se os baixos níveis de contaminação utilizados, nossos dados não são surpreendentes e corroboram os estudos que utilizaram rações contaminadas com 10,0mg FB1/kg (Dilkin et al. 2003Dilkin P., Zorzete P., Mallmann C.A., Gomes J.D., Utiyama C.E., Oetting L.L. & Corrêa B. 2003. Toxicological effects of chronic low doses of aflatoxin B1 and fumonisin B1-containing Fusarium moniliforme culture material in weaned piglets. Food Chem. Toxicol. 41(10):1345-1353.) ou 6,0mg FB1/kg (Grenier et al. 2011Grenier B., Loureiro-Bracarense A.P., Lucioli J., Pacheco G.D., Cossalter A.M., Moll W.D., Schatzmayr G. & Oswald I.P. 2011. Individual and combined effects of subclinical doses of deoxynivalenol and fumonisins in piglets. Mol. Nutr. Food Res. 55(5):761-771.) sobre o desempenho de suínos, os quais não relataram nenhum efeito sobre o ganho de peso corporal. Leitões alimentados com rações que continham de 1,0-10,0 FB1 mg/kg durante 4-8 semanas, também não apresentaram efeitos tóxicos das fumonisinas (Zomborszky et al. 2000Zomborszky M.K., Vetési F., Repa I., Kovacs F., Bata A., Horn P. Tóth A. & Romvari R. 2000. Experiment to determine limits of tolerance for fumonisin B1 in weaned piglets. J. Vet. Med. B 47(4):277-286., 2002Zomborszky-Kovács M., Kovács F., Horn P., Vetési F., Repa I., Tornyos G. & Tóth A. 2002. Investigations into the time - and dose-dependent effect of fumonisin B1 in order to determine tolerable limit values in pigs. Livest. Prod. Sci. 76(3):251-256., Dilkin et al. 2010Dilkin P., Direito G., Simas M.M., Mallmann C.A. & Corrêa B. 2010. Toxicokinetics and toxicological effects of single oral dose of fumonisin B1containing Fusarium verticillioidesculture material in weaned piglets. Chem. Biol. Interact. 185(3):157-162.). Burel et al. (2013)Burel C., Tanguy M., Guerre P., Boilletot E., Cariolet R., Queguiner M., Postollec G., Pinton P., Salvat G., Oswald I.P. & Fravalo P. 2013. Effect of low dose of fumonisins on pig health: immune status, intestinal microbiota and sensitivity to Salmonella. Toxins 5(4):841-864. demonstraram que a exposição a uma concentração moderada de fumonisinas (11,8 ppm) não teve efeito sobre o desempenho dos animais (consumo de ração, crescimento e eficiência alimentar). Porém, os autores observaram que a FB1 alterou a razão de esfingolipídeos de membrana, embora nenhuma mortalidade ou patologia tenha sido constatada nos leitões ao longo de 63 dias de exposição.

Alterações no peso de órgãos de suínos intoxicados com FB1foram previamente observadas por Harvey et al. (1995)Harvey R.B., Edrington T.S., Kubena L.F., Elissalde M.H. & Rottinghaus G.E. 1995. Influence of aflatoxin and fumonisin B1- containing culture material on growing barrows. Am. J. Vet. Res. 56(12):1668-1672.. Os autores relataram que o peso do fígado foi reduzido, ocorrendo um aumento de peso do pulmão de leitões intoxicados com níveis elevados da micotoxina (100mg FB1/kg de ração) durante 35 dias. No presente estudo, a exposição dos animais a níveis baixos de FB1 por 28 dias não resultou em alterações nos pesos de órgãos em todos os tratamentos. Dilkin et al. (2003)Dilkin P., Zorzete P., Mallmann C.A., Gomes J.D., Utiyama C.E., Oetting L.L. & Corrêa B. 2003. Toxicological effects of chronic low doses of aflatoxin B1 and fumonisin B1-containing Fusarium moniliforme culture material in weaned piglets. Food Chem. Toxicol. 41(10):1345-1353.também não encontraram diferenças significativas no peso médio do coração, fígado e pulmões, ao avaliarem o efeito de 10,0mg FB1/kg e de 30,0mg FB1/kg durante 28 dias de exposição. Em contrapartida, suínos expostos a níveis de 5,0 a 10,0 mg FB1/kg de ração, a ingestão da toxina induziu um aumento significativo dose-dependente nos pesos dos pulmões de suínos (Zomborszky et al. 2002Zomborszky-Kovács M., Kovács F., Horn P., Vetési F., Repa I., Tornyos G. & Tóth A. 2002. Investigations into the time - and dose-dependent effect of fumonisin B1 in order to determine tolerable limit values in pigs. Livest. Prod. Sci. 76(3):251-256.). Estas alterações podem ser causadas por diferenças nas condições experimentais, no estado de saúde dos animais ou interações com outros contaminantes. A principal micotoxicose induzida por fumonisinas em suínos é caracterizada por lesão pulmonar, conhecida como edema pulmonar suíno (EPS). Dependendo da dose ingerida, a FB1 pode causar danos hepáticos, cardiovasculares e imunossupressão, devido a alterações no metabolismo dos esfingolipídeos (Haschek et al. 2001Haschek W.M., Gumprecht L.A., Smith G., Tumbleson M.E. & Constable P.D. 2001. Fumonisin toxicosis in swine: An overview of porcine pulmonary edema and current perspectives. Environ. Health Perspect. 109(Suppl.2): 251-257.). Apesar da ausência de efeitos da FB1 no desempenho animal, observou-se danos pulmonares, apresentando infiltrado celular inflamatório intersticial classificado como leve a moderado, em animais que consumiram rações contaminadas com 3,0mg FB1/kg de ração, lesão moderada para o nível de 6,0mg FB1/kg e lesão de moderada a grave para a ingestão do nível de 9,0mg FB1/kg de ração. Embora no presente trabalho tenham sido constatadas alterações histopatológicas nos pulmões dos leitões de todos os tratamentos, não foi observado edema pulmonar. Nos estudos de Grenier et al. (2011)Grenier B., Loureiro-Bracarense A.P., Lucioli J., Pacheco G.D., Cossalter A.M., Moll W.D., Schatzmayr G. & Oswald I.P. 2011. Individual and combined effects of subclinical doses of deoxynivalenol and fumonisins in piglets. Mol. Nutr. Food Res. 55(5):761-771., as lesões pulmonares microscópicas foram observadas sem sinais macroscópicos, os quais estão de acordo com os dados do presente estudo. Os danos pulmonares induzidos pela FB1 no nível de 6,0 FB1 mg/kg de ração, foram relacionados com alterações do tecido linfóide bronquiolar associados a danos vasculares Grenier et al. (2011)Grenier B., Loureiro-Bracarense A.P., Lucioli J., Pacheco G.D., Cossalter A.M., Moll W.D., Schatzmayr G. & Oswald I.P. 2011. Individual and combined effects of subclinical doses of deoxynivalenol and fumonisins in piglets. Mol. Nutr. Food Res. 55(5):761-771.. Contudo, os dados deste estudo não estão de acordo com Zomborszky et al. (2000)Zomborszky M.K., Vetési F., Repa I., Kovacs F., Bata A., Horn P. Tóth A. & Romvari R. 2000. Experiment to determine limits of tolerance for fumonisin B1 in weaned piglets. J. Vet. Med. B 47(4):277-286., o qual observaram a presença de edema pulmonar em suínos alimentados com ração contaminada com 5,0mg FB1/kg. Ainda, Dilkin et al. (2003)Dilkin P., Zorzete P., Mallmann C.A., Gomes J.D., Utiyama C.E., Oetting L.L. & Corrêa B. 2003. Toxicological effects of chronic low doses of aflatoxin B1 and fumonisin B1-containing Fusarium moniliforme culture material in weaned piglets. Food Chem. Toxicol. 41(10):1345-1353. descreveram o edema pulmonar durante a exposição de leitões recém-desmamados submetidos a 10,0mg FB1/kg na ração.

A ausência de lesões histopatológicas de outros órgãos avaliados (esôfago, rins, coração e fígado) é coerente com as baixas concentrações de FB1 nas rações utilizadas no presente estudo. Os efeitos tóxicos da FB1 no fígado, por exemplo, têm sido relatados em vários trabalhos utilizando materiais altamente contaminados (Voss et al. 2001Voss K.A., Riley R.T., Norred W.P., Bacon C.W., Meredith F.I., Howard P.C., Plattner R.D., Collins T.F.X., Hansen D.K. & Porter J.K. 2001. An overview of rodent toxicities: liver and kidney effects of fumonisins and Fusarium moniliforme. Environ. Health Perspect.109(Suppl.2):259-266.). Haschek et al. (2001)Haschek W.M., Gumprecht L.A., Smith G., Tumbleson M.E. & Constable P.D. 2001. Fumonisin toxicosis in swine: An overview of porcine pulmonary edema and current perspectives. Environ. Health Perspect. 109(Suppl.2): 251-257.demonstraram que alterações morfológicas foram observadas após a ingestão de 23mg/kg ou após administração intravenosa de FB1 em suínos. Por outro lado, danos no fígado ocorreram após a ingestão de um nível menor que 12ppm de fumonisinas (Motelin et al. 1994Motelin G.K., Haschek W.M., Ness D.K., Hall W.F., Harlin K.S., Schaeffer D.J. & Beasley V.R. 1994. Temporal and dose-response features in swine fed corn screenings contaminated with fumonisin mycotoxins. Mycopathologia 126(1):27-40.). Mesmo com a exposição de suínos submetidos a 6,0mg FB1/kg ter induzido lesões hepáticas (Grenier et al. 2011Grenier B., Loureiro-Bracarense A.P., Lucioli J., Pacheco G.D., Cossalter A.M., Moll W.D., Schatzmayr G. & Oswald I.P. 2011. Individual and combined effects of subclinical doses of deoxynivalenol and fumonisins in piglets. Mol. Nutr. Food Res. 55(5):761-771.), os suínos que receberam ração contaminada com 9,0mg FB1/kg (maior nível de FB1 no presente estudo), não apresentaram lesões histopatológicas no fígado. Ainda, não foram encontradas alterações no rim ou coração, nem qualquer sinal de inflamação nos animais alimentados com 3,0, 6,0 ou 9,0mg FB1/kg de ração.

Conclusões

As concentrações de 3,0-9,0mg/kg de fumonisina B1(FB1) utilizadas neste estudo não induziram manifestações clínicas evidentes e nem alteraram o ganho de peso, consumo de ração ou alterações macroscópicas em órgãos dos animais expostos às rações contaminadas.

No entanto, lesões histopatológicas nos pulmões foram constatadas de maneira dose-dependente, indicando que nenhum dos níveis de FB1 usados no experimento poderia ser considerado como seguro para suínos.

São necessários novos estudos sobre os mecanismos de ação tóxica da FB1 em suínos, sobretudo em condições de exposição prolongada a baixos níveis de contaminação na ração.

Agradecimentos

Os autores agradecem à Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior (CAPES/PDSE) - processo BEX nº 5780/13-6, pela bolsa concedida

Referências

  • Binder E.M., Tan L.M., Chin L.J., Handl J. & Ichard J. 2007. Worldwide occurrence of mycotoxins in commodities, feeds and feed ingredients. Anim. Feed Sci. Technol. 137(3/4):265-282.
  • Burel C., Tanguy M., Guerre P., Boilletot E., Cariolet R., Queguiner M., Postollec G., Pinton P., Salvat G., Oswald I.P. & Fravalo P. 2013. Effect of low dose of fumonisins on pig health: immune status, intestinal microbiota and sensitivity to Salmonella Toxins 5(4):841-864.
  • Butkeraitis P., Oliveira C.A.F., Ledoux D.R., Ogido R., Albuquerque R., Rosmaninho J.F. & Rottinghaus G.E. 2004. Effect of dietary fumonisin B1 on laying Japanese quail. Brit. Poult. Sci. 45(6):798-801.
  • Cawood M.E., Gelderblom W.C.A., Vleggaar R., Behrend Y., Thiel P.G. & Marasas W.F.O. 1991. Isolation of the fumonisin mycotoxins - a quantitative approach. J. Agric. Food Chem. 39(11):1958-1962.
  • Diaz D.E. 2005. The mycotoxin blue book. Nottingham University Press, Nottingham, UK. 349p.
  • Dilkin P. 2002. Micotoxicose suína: aspectos preventivos, clínicos e patológicos. Biológico, São Paulo, 64(2):187-191.
  • Dilkin P., Zorzete P., Mallmann C.A., Gomes J.D., Utiyama C.E., Oetting L.L. & Corrêa B. 2003. Toxicological effects of chronic low doses of aflatoxin B1 and fumonisin B1-containing Fusarium moniliforme culture material in weaned piglets. Food Chem. Toxicol. 41(10):1345-1353.
  • Dilkin P., Direito G., Simas M.M., Mallmann C.A. & Corrêa B. 2010. Toxicokinetics and toxicological effects of single oral dose of fumonisin B1containing Fusarium verticillioidesculture material in weaned piglets. Chem. Biol. Interact. 185(3):157-162.
  • Direito G.M., Almeida A.P., Aquino S., Reis T.A., Pozzi C.R. & Corrêa B. 2009. Evaluation of sphingolipids in Wistar rats treated to prolonged and single oral doses of fumonisin B1 Int. J. Mol. Sci. 10(1):50-61.
  • Grenier B., Loureiro-Bracarense A.P., Lucioli J., Pacheco G.D., Cossalter A.M., Moll W.D., Schatzmayr G. & Oswald I.P. 2011. Individual and combined effects of subclinical doses of deoxynivalenol and fumonisins in piglets. Mol. Nutr. Food Res. 55(5):761-771.
  • Harvey R.B., Edrington T.S., Kubena L.F., Elissalde M.H. & Rottinghaus G.E. 1995. Influence of aflatoxin and fumonisin B1- containing culture material on growing barrows. Am. J. Vet. Res. 56(12):1668-1672.
  • Haschek W.M., Gumprecht L.A., Smith G., Tumbleson M.E. & Constable P.D. 2001. Fumonisin toxicosis in swine: An overview of porcine pulmonary edema and current perspectives. Environ. Health Perspect. 109(Suppl.2): 251-257.
  • Motelin G.K., Haschek W.M., Ness D.K., Hall W.F., Harlin K.S., Schaeffer D.J. & Beasley V.R. 1994. Temporal and dose-response features in swine fed corn screenings contaminated with fumonisin mycotoxins. Mycopathologia 126(1):27-40.
  • Ogido R., Oliveira C.A.F., Ledoux D.R., Rottinghaus G.E., Corrêa B., Butkeraitis P., Reis T.A., Gonçales E. & Albuquerque R. 2004. Effects of prolonged administration of aflatoxin B1 and fumonisin B1 in laying Japanese quail. Poult. Sci. 83(12):1953-1958.
  • Oliveira C.A.F., Corassin C.H., Corrêa B.& Oswald I.P. 2014. Animal Health: mycotoxins, p.358-377. In: Alfen N.V. (Ed.), Encyclopedia of Agriculture and Food Systems. Vol.1. Elsevier, San Diego.
  • Sabino M. 1996. Micotoxinas em Alimentos, p.461-472. In: Oga S. (Ed.), Fundamentos de Toxicologia. Atheneu Editora, São Paulo.
  • Soriano J.M., González L. & Catalá A.I. 2005. Mechanism of action of sphingolipids and their metabolites in the toxicity of fumonisin B1 Progr. Lipids Res. 44(6):345-356.
  • Voss K.A., Riley R.T., Norred W.P., Bacon C.W., Meredith F.I., Howard P.C., Plattner R.D., Collins T.F.X., Hansen D.K. & Porter J.K. 2001. An overview of rodent toxicities: liver and kidney effects of fumonisins and Fusarium moniliforme Environ. Health Perspect.109(Suppl.2):259-266.
  • Weibking T.S., Ledoux D.R., Bermudez A.J., Turk J.R. & Rottinghaus G.E.1993. Effects of feeding Fusarium moniliforme culture material, containing known levels of fumonisin B1, on the young broiler chick. Poult. Sci.72(3):456-466.
  • Zomborszky M.K., Vetési F., Repa I., Kovacs F., Bata A., Horn P. Tóth A. & Romvari R. 2000. Experiment to determine limits of tolerance for fumonisin B1 in weaned piglets. J. Vet. Med. B 47(4):277-286.
  • Zomborszky-Kovács M., Kovács F., Horn P., Vetési F., Repa I., Tornyos G. & Tóth A. 2002. Investigations into the time - and dose-dependent effect of fumonisin B1 in order to determine tolerable limit values in pigs. Livest. Prod. Sci. 76(3):251-256.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    Maio 2015

Histórico

  • Recebido
    08 Maio 2015
  • Aceito
    27 Maio 2015
Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA Pesquisa Veterinária Brasileira, Caixa Postal 74.591, 23890-000 Rio de Janeiro, RJ, Brasil, Tel./Fax: (55 21) 2682-1081 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: pvb@pvb.com.br