Accessibility / Report Error

Sistema agro-alimentar transnacional para quem? Lutas pela hegemonia na Rio+20

RESUMO

A alimentação tem sido um dos discursos mais debatidos e contestados na governança ambiental global, sem que haja, contudo, uma reflexão nos campos da Gestão e Estudos Organizacionais. Neste artigo, analisamos as diferentes posições assumidas no sistema agro-alimentar transnacional por atores estatais, privados e da sociedade civil. Mapeamos as principais diferenças e semelhanças nos discursos desses grupos na influente Rio+20, em 2012. Com base na teoria de discurso neogramsciana, desvelamos os diferentes interesses político-econômicos e posicionamentos no sistema agro-alimentar. Demonstramos que as ONGs internacionais e os movimentos sociais de base possuem abordagens muito divergentes sobre a segurança alimentar, o que se refletido nas suas diferentes formas de atuação política. Assim, o artigo contribui para a nossa compreensão de como a hegemonia é organizada, destacando o importante papel dos diferentes atores da sociedade civil na manutenção ou na resistência de abordagens hegemônicas ao sistema agro-alimentar transnacional.

PALAVRAS-CHAVE:
Sistema agro-alimentar; abordagem de discurso neogramsciana; sociedade civil; Rio+20; desenvolvimento sustentável

Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo Av 9 de Julho, 2029, 01313-902 S. Paulo - SP Brasil, Tel.: (55 11) 3799-7999, Fax: (55 11) 3799-7871 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rae@fgv.br