Atualização em asma na infância: tratamento medicamentoso

Wellington Borges Dennis Burns Emanuel Sarinho Hermila Guedes Raquel Pitchon M.I.P Anderson Sandra E Vieira Wanderley Marques Bernardo

ACREDITAÇÃO

Atualização em asma na infância: tratamento medicamentoso

Wellington Borges; Dennis Burns; Emanuel Sarinho; Hermila Guedes; Raquel Pitchon; Anderson M.I.P.; Sandra E. Vieira; Wanderley Marques Bernardo

1. A via inalatória é mais eficaz que a via oral para o uso de broncodilatadores (BDL) na crise?

a. A comparação com a administração por via oral mostrou que a ação dos BDL inalatórios é mais rápida e apresenta menos efeitos colaterais.

b. O β2-agonista inalatório pode ser administrado em intervalos de um a cinco minutos.

c. O β2-agonista inalatório pode ser administrado em até seis inalações em uma hora.

d. A via oral é preferencial para o uso de β2-agonistas na crise asmática.

2. Na crise grave, a eficácia das vias subcutânea e endovenosa é superior à da via inalatória, para a administração de β 2-adrenérgicos?

a. A via endovenosa é preferencial para a administração dos β-adrenérgicos.

b. A via subcutânea é preferencial para a administração dos β-adrenérgicos.

c. A via inalatória é preferencialmente recomendada para o uso de β-adrenérgicos na crise asmática.

d. O uso de epinefrina por via subcutânea também é eficaz, com início de ação em aproximadamente uma hora e duração por cerca de quatro horas.

3. Os corticosteroides inalatórios são eficazes para o tratamento da crise?

a. Há semelhança de eficácia entre o uso de corticosteroides inalatórios em altas doses ou sistêmicos.

b. O uso contínuo é associado a mais exacerbações que o uso intermitente.

c. É recomendado o uso de corticosteroide por via inalatória para resgate da crise asmática em crianças.

d. A beclometasona contínua por duas semanas é associada a menos exacerbações que a dexametasona.

4. A aminofilina é eficaz no tratamento da crise grave? Como droga inicial? Como coadjuvante? É segura?

a. A aminofilina confere benefício clínico adicional ao uso de β2-adrenérgicos.

b. Há aumento do tempo de hospitalização em crianças que receberam aminofilina em comparação ao salbutamol endovenoso.

c. Não pode ser utilizada em casos graves, com pobre resposta aos β2-adrenérgicos e esteroides.

d. A aminofilina apresenta margem de segurança terapêutica estreita e pode ocasionar intoxicação e efeitos colaterais.

5. Os corticosteroides inalatórios são eficazes e seguros para a prevenção de crises na criança?

a. O tratamento com baixas doses de corticosteroide inalatório aumenta em 14% a necessidade de tratamento adicional para asma.

b. O tratamento contínuo com corticosteroide está associado à diminuição dos índices de hospitalização.

c. O tratamento profilático com corticosteroides inalatórios não é benéfico na asma induzida por exercício.

d. O uso contínuo de corticosteroides inalatórios não interfere na velocidade de crescimento.

Respostas ao cenário clínico: atualização em infecção urinária não complicada na mulher: diagnóstico

[Publicado na RAMB 2011; 57(4)]

1. Disúria e polaciúria sem vaginite dá probabilidade do diagnóstico maior que 90% (Alternativa A).

2. Um resultado positivo para nitrito fornece 80% de probabilidade (Alternativa B).

3. Em quadro clínico de cistite complicada (Alternativa C).

4. Náusea e vômito são sintomas de pielonefrite (Alternativa D).

5. Todas acima estão corretas (Alternativa D).

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    14 Out 2011
  • Data do Fascículo
    Out 2011
Associação Médica Brasileira R. São Carlos do Pinhal, 324, 01333-903 São Paulo SP - Brazil, Tel: +55 11 3178-6800, Fax: +55 11 3178-6816 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: ramb@amb.org.br