Análise da fisiologia da deglutição por meio da ultra-sonografia

Cinthya da Silva Lynch

RESUMO DE TESE THESIS ABSTRACT

Análise da fisiologia da deglutição por meio da ultra-sonografia

Autora: Cinthya da Silva Lynch.

Orientadora: Maria Cristina Chammas.

Co-orientadora: Leticia Lessa Mansur.

[Tese de Doutorado]. São Paulo; Universidade de São Paulo; 2008.

INTRODUÇÃO: O mecanismo de proteção das vias aéreas consiste na inibição reflexa da respiração, fechamento do esfíncter glótico, elevação e anteriorização laríngea. Na fase faríngea da deglutição, o deslocamento do complexo hio-laríngeo pode trazer dados importantes para a observação da proteção funcional de vias aéreas. O exame de ultra-sonografia é um método que pode revelar informações sobre a avaliação, o diagnóstico e o prognóstico das disfagias, além de ser utilizado como recurso de retroalimentação. Por outro lado, apresenta limitações, quando comparada à videofluoroscopia, método tradicionalmente utilizado, pois não fornece a visualização panorâmica do processo de deglutição e dá acesso restrito a algumas estruturas faríngeas.

OBJETIVO: Quantificar, por meio da ultra-sonografia, os parâmetros espaciais do complexo hio-laríngeo na dinâmica da deglutição e a associação entre idade e efeitos decorrentes do processo fisiológico do envelhecimento.

MÉTODOS: Neste estudo quantitativo e prospectivo foram incluídos 39 indivíduos sadios, de ambos os gêneros, na faixa etária de 50 a 90 anos (média de 45,56; desvio-padrão de 14,53). Todos os indivíduos preencheram os critérios de normalidade para a função de deglutição. Foram excluídos indivíduos com histórico de doenças neurológicas, neurodegenerativas ou outras que oferecessem prejuízos à deglutição. O consentimento livre e esclarecido foi obtido de cada indivíduo. Utilizou-se equipamento de ultra-sonografia de alta resolução da marca Philips, modelo IU-22, munido de transdutor linear multifreqüencial (5 a 2 MHz). Utilizou-se o modo-B para avaliação da deglutição pela medida da região cervical anterior, em cortes longitudinais, a fim de se estabelecer medidas de amplitude dos movimentos relacionados à porção superior do osso hióide até a borda superior da cartilagem tireóide, no momento de máxima elevação laríngea, durante a deglutição sem manobra de reforço e com manobra de esforço, comparadas às medidas obtidas em repouso. As medidas foram realizadas com a ingestão de saliva, 10 ml de alimento nas consistências líquida e pastosa, ofertadas em colher. Os indivíduos permaneceram em posição sentada, com suporte confeccionado, mantendo fixa a cabeça, em ângulo de 90 graus, favorecendo a tentativa de simulação do posicionamento usual em uma refeição. Os dados foram analisados pelo modelo de análise de variância (ANOVA) com medida repetida. Adotou-se nível de significância de 5% (p = 0,05).

RESULTADOS: Os resultados do estudo, quando comparados com as faixas etárias entre si e intrafaixas etárias, bem como a comparação das condições de avaliação e o efeito da manobra de esforço, apresentaram grande variabilidade em todas as condições estudadas no deslocamento hio-laríngeo não-proporcional à idade.

CONCLUSÕES: Foi possível estabelecer um método ultra-sonográfico para avaliação do complexo hio-laríngeo investigando-se o repouso como recurso comparativo. A ultra-sonografia permitiu a verificação da funcionalidade da deglutição e mostrou sua variação fisiológica de acordo com a idade.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    20 Jan 2009
  • Data do Fascículo
    Dez 2008
Publicação do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Av. Paulista, 37 - 7º andar - conjunto 71, 01311-902 - São Paulo - SP, Tel.: +55 11 3372-4541, Fax: 3285-1690, Fax: +55 11 3285-1690 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: radiologiabrasileira@cbr.org.br