Índice redox de estabilidade do carbono do solo

Como alternativa aos relativamente complexos e dispendiosos métodos espectroscópicos, as propriedades redox dos ácidos húmicos, determinadas por titulação potenciométrica, vêm sendo usadas na avaliação da estabilidade do C do solo. O objetivo deste estudo foi estabelecer um índice redox de estabilidade do C (RICS) e correlacioná-lo com alguns atributos de diferentes solos modais brasileiros (distintos estádios de intemperismo ou manejo), a fim de mais facilmente comparar sistemas. O RICS foi eficiente para comparação de solos e variou similarmente com os métodos químicos e espectroscópicos usados na caracterização dos ácidos húmicos. Os valores de pH, ponto de efeito salino nulo zero, soma de bases, teor de cálcio trocável, índice de intemperismo, bem como de razão entre oxigênio e carbono, teores de quinonas e de radicais livres semiquinonas, carbono aromático e intensidade de fluorescência dos ácidos húmicos, mostraram estreitas relações com o RICS. Os solos menos intemperizados, com argilas mais ativas e mais alta fertilidade apresentaram maior RICS. Os solos sob longo tempo de manejo com cana-de-açúcar mostraram RICS seguindo a ordem decrescente: cana crua, cana queimada com vinhaça, cana queimada sem vinhaça.

química do solo; matéria orgânica do solo; substâncias húmicas; capacidade de oxidação


Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Secretaria Executiva , Caixa Postal 231, 36570-000 Viçosa MG Brasil, Tel.: (55 31) 3899 2471 - Viçosa - MG - Brazil
E-mail: sbcs@ufv.br