Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Volume: 4, Issue: 1, Published: 2004
  • The issue of medical education Editorial

    Perez, Emília Pessoa
  • Determinant factors of infant growth Revisâo

    Romani, Sylvia de Azevedo Mello; Lira, Pedro Israel Cabral de

    Abstract in Portuguese:

    Esta revisão enfoca os fatores que interferem no crescimento de crianças nos primeiros anos de vida. Foram utilizadas informações de artigos publicados em revistas científicas, teses e publicações de organizações internacionais. O crescimento infantil se constitui em um dos melhores indicadores de saúde da criança e o retardo estatural representa atualmente, a característica antropométrica mais representativa do quadro epidemiológico da desnutrição no Brasil. Ressaltando a importância do fator genético no crescimento, a revisão abrange com maior ênfase a atuação dos fatores extrínsecos, sabendo-se que o processo de crescimento resulta da interação entre a carga genética e os fatores do meio ambiente, os quais premitirão a maior ou menor expressão do potencial genético. Face a comprovada natureza multicausal do crescimento infantil, vários estudos têm sido desenvolvidos, buscando relacionar variáveis biológicas, socioeconômicas, maternas, ambientais, culturais, demográficas, nutricionais, entre outras, com a sua etiologia, seu desenvolvimento e sua manutenção. A revisão apresentada reforça o interesse em investigações sobre o crescimento na primeira infância que devem ser permanentes, devido, principalmente, às repercussões a longo prazo sobre a saúde infantil.

    Abstract in English:

    This review focuses on factors interfering with growth during the first years of life. Information was collected from articles published in indexed scientific journals, theses, technical books and publications of international organizations. Infant growth is one of the best health indicators, and linear growth retardation is currently the most representative anthropometric characteristic of child nutrition epidemiology in Brazil. The review indicates the value of genetics in growth, focusing, however on the influence of the extrinsic factors. Growth process results from interaction between genetic and environmental factors, determining variation in genetic potential manifestations. Because of the complex nature of infant growth, several studies have been developed aiming at relating biological, socio-economic, maternal, environmental, cultural, demographic and nutritional determinants among others, with the etiology, development and maintenance of growth. This review reinforces the value of permanent investigation on infant growth, especially concerning the long term impact on infant health.
  • The moderating effect of social risk in the relationship between biologic risk and child functional performance Artigos Originais

    Mancini, Marisa C.; Megale, Luiz; Brandão, Marina B.; Melo, Ana Paula P.; Sampaio, Rosana F.

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: avaliar impacto da interação nascimento pré-termo e nível socioeconômico (NSE) da família no desempenho funcional e na independência em tarefas da rotina diária, em crianças de três anos de idade. MÉTODOS: estudo transversal com 40 crianças, alocadas em quatro grupos, conforme variáveis de risco biológico e de risco social alto e baixo. A habilidade e a independência das crianças foram avaliadas pelo teste funcional padronizado PEDI, nas áreas: auto-cuidado, mobilidade e função social. RESULTADOS: foram revelados fatores de interação significativos nas habilidades funcionais de mobilidade e na independência em função social. Contrastes mostraram diferenças significativas entre crianças pré-termo e a termo, de NSE baixo. Crianças nascidas pré-termo apresentaram escores inferiores nos dois aspectos de desempenho funcional. Não foram observadas diferenças significativas nos grupos de crianças de NSE alto, nas áreas avaliadas. CONCLUSÕES: o risco social (fator moderador) modificou a relação entre risco biológico e habilidades de mobilidade e independência em função social. A interação entre fatores biológicos e sociais, e não apenas a presença de único fator de risco, influencia o desempenho funcional aos três anos de idade. Os resultados ampliam ações terapêuticas para crianças expostas a fatores de risco biológico e social.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: to assess the impact of preterm birth and family socioeconomic status (SES) as they relate to functional and routine tasks performance in three years old children. METHODS: cross-sectional study including 40 children distributed into four groups according to biologic risk variables of high and low social risk. Children's abilities and independence were assessed by the standardized PEDI functional test in the areas of: self-care, mobility and social function. Two-way ANOVA tested the interaction effect between biologic and social risks, and main effects of individual risk factors. RESULTS: significant interaction factors in mobility functional ability and independence in social function were demonstrated between preterm and at term children with low SES. Preterm children scored lower in the two aspects of functional performance. There were no significant differences in the groups of children with high SES in the evaluated areas. CONCLUSIONS: social risk (moderating factor) changed the relationship between biologic and mobility abilities and social function independence. The interaction of biologic and social factors, and not only the presence of a sole risk factor impacts functional performance in three year old children. The results points towards increasing therapeutic actions favoring children exposed to biologic and social risk factors.
  • Determinant factors of haemoglobin levels in 12 months old infants in the South of the Zona da Mata of Pernambuco Artigos Originais

    Lima, Ana Claudia V. M. de S.; Lira, Pedro Israel Cabral de; Romani, Sylvia de Azevedo Mello; Eickmann, Sophie Helena; Piscoya, Maria Dilma; Lima, Marília de Carvalho

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: avaliar os fatores determinantes dos níveis de hemoglobina de crianças aos 12 meses de vida, em quatro municípios da Zona da Mata Meridional de Pernambuco. MÉTODOS: estudo transversal, realizado em uma sub-amostra de 245 lactentes, pertencentes a uma coorte de 652 crianças. A coleta de dados foi realizada no período de janeiro a agosto de 1999. RESULTADOS: a prevalência de anemia foi de 73,2%, sendo a média de hemoglobina de 9,8 g/dL (DP = 1,6 g/dL). A análise de variância apresentou uma associação estatisticamente significante entre níveis de hemoglobina e escolaridade materna, posse de televisão no domicílio, peso ao nascer, duração do aleitamento materno exclusivo, ocorrência de diarréia e estado nutricional segundo os índices peso/idade e comprimento/idade. A análise de regressão linear múltipla mostrou que as condições socioeconômicas, o peso ao nascer, a duração do aleitamento materno exclusivo e a ocorrência de diarréia tiveram um impacto significante na variação dos níveis de hemoglobina. CONCLUSÕES: os resultados confirmam ser a anemia um relevante problema de saúde pública, especialmente em lactentes, tendo múltiplos fatores que contribuem para o seu surgimento, sendo necessário, portanto, identificar os mais importantes para serem levados em consideração nos programas de saúde da criança.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: to evaluate factors determining hemoglobin levels in 12 months old infants living in four small towns located in the South of Pernambuco. METHODS: a cross-sectional study conducted in a sub-sample of 245 infants belonging to a cohort of 652 children. Data collection was performed from January to August 1999. RESULTS: the prevalence of anemia was 73.2% and mean hemoglobin level 9.8 g/dL (SD = 1.6 g/dL). Variance analysis indicated a significant association between hemoglobin levels and maternal education, absence of a television set at home, birth weight, duration of exclusive breast-feeding, occurrence of diarrhea and nutritional indicators (weight-for-age and length-for-age). Multiple linear regression analysis indicated that socio-economic conditions, birth weight, exclusive breast feeding duration and occurrence of diarrhea had a significant impact on hemoglobin levels. CONCLUSIONS: results confirm that anemia is a severe public health problem, especially during childhood, with multiple factors that contribute to the condition. There is a need to identify the prevailing ones so they can be addressed by programs targeting child health.
  • Breast feeding prevalence and early supplementary feeding in an urban area of Southeast Brazil, Embu, SP Artigos Originais

    Pedroso, Glaura César; Puccini, Rosana Fiorini; Silva, Edina Mariko Koga da; Silva, Nilza Nunes da; Alves, Maria Cecília Goi Porto

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: estimar a prevalência do aleitamento materno em Embu, utilizando indicadores da Organização Mundial de Saúde; investigar a associação dos eventos "não início do aleitamento materno" e "introdução precoce de suplementos alimentares" com fatores sociodemográficos e relacionados à assistência à saúde. MÉTODOS: estudo transversal analítico, domiciliar, com amostragem por conglomerados em dois estágios (sorteio sistemático) - parte do projeto "Morbidade e Utilização de Serviços de Saúde". População: 798 menores de três anos, residentes no Embu em 1996. RESULTADOS: aleitamento materno - 95,7% (IC95%: 93,2-98,2) dos menores de um ano; aleitamento exclusivo - 10,3% (IC95%: 2,9-17,6); predominante - 32,3% (IC95%: 23,5-41,2); duração mediana do aleitamento: seis meses. Fatores associados à introdução precoce de suplementos (uso de outros alimentos, exceto água ou chás, antes de 120 dias): residir em favela - OR = 3,70 (IC95%; 2,01-6,81); alta hospitalar do recém-nascido após cinco dias de vida - OR = 6,12 (IC95%: 1,64-22,80); mãe com 30 anos ou mais - OR = 1,70 (IC95%: 1,01-2,86). CONCLUSÕES: foram caracterizados grupos priori-tários para intervenção em aleitamento materno, apontando para a necessidade de novos estudos, além de ações dirigidas à população favelada e à melhora da assistência pré e perinatal.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: to estimate breast feeding rates in Embu, SP, using World Health Organization indicators and to determine the association of "no breastfeeding" and "early introduction of food supplements" with healthcare social and demographic factors. METHODS: analytical household survey, with two-stage systematic cluster sampling, as part of the project "Morbidity and Healthcare Facilities Use: a Survey on Child's Health". Participants - 798 children under three years old, living in Embu in 1996. RESULTS: breast feeding - 95,7% (IC95%: 93,2-98,2) of under one year old infants; exclusive breast feeding - 10,3% (IC95%: 2,9-17,6); predominant breast feeding - 32,3% (IC95%: 23,5-41,2); median breast feeding time: six months. Factors associated to the early introduction of supplements (use of other food, except for water or tea, before 120 days following birth): living in slum areas- OR = 3,70 (IC95%; 2,01-6,81); newborn hospital discharge five days following birth. OR = 6,12 (IC95%: 1,64-22,80); mothers over thirty years of age - OR = 1,70 (IC95%: 1,01-2,86). CONCLUSIONS: groups eligible for priority breast feeding education were determined pointing towards the need of further studies in addition to actions in slum area populations oriented towards prenatal and perinatal care improvement.
  • Contributions to curriculum changes at Botucatu Medical School Artigos Originais

    Cyrino, Eliana Goldfarb; Rizzato, Agueda Beatriz Pires

    Abstract in Portuguese:

    Descreve-se a inovação pedagógica de dois casos na graduação médica: uma matéria denominada Saúde Coletiva III, com (Administração, Ciências Sociais, Epidemiologia, Ética e Nutrição em Saúde Publica) e a disciplina de Semiologia Pediátrica. Para descrição e avaliação dos casos, utilizaram-se métodos qualitativos. A Saúde Coletiva III foi organizada por núcleos temáticos: Problemas em Saúde Publica; Nutrição em Saúde Publica; Planejamento em Saúde. O modelo de ensino centrou-se na problematização de situações vivenciadas na prática da Saúde Publica, trabalhando-se em centros, serviços e organizações de saúde. A Semiologia Pediátrica privilegiou a atenção integral à saúde da criança. O modelo de ensino centrou-se na aprendizagem baseada em problemas e no aprendizado prático da semiologia pediátrica em diferentes cenários, enfatizando-se o ensino ambulatorial. Privilegiou-se o trabalho em pequenos grupos, com a orientação docente. A principal missão voltou-se à utilização de estratégias que valorizassem o ensino centrado no estudante e sua capacidade de construir conhecimento com autonomia. No caso da Pediatria, avançou-se rumo a Medicina Integral, com enfoque amplo do modelo de atenção à criança. A Saúde Coletiva aproximou-se da Medicina Comunitária problematizando situações concretas no SUS e na atenção primária. O estudo mostra a possibilidade de inovação no ensino, e podendo contribuir para a mudança institucional.

    Abstract in English:

    This paper describes the innovations in the discipline of Pediatric Semiology and in a group of disciplines called Public Health III. Two cases were chosen: Public Health III (Administration, Social Sciences, Epidemiology, Ethics and Nutrition in Public Health) and Pediatric Semiology. Qualitative methods were used to describe and evaluate the cases. Public Health covered: Problems in Public Health, Nutrition and Planning in Health. The teaching model was centered on the inquiry of situations routinely experienced in Health Centers and other Health Services. Pediatric Semiology focused on full assistance to children. The teaching model adopted was Problem Based Learning and practical teaching of Pediatric Semiology in different scenarios, mainly in the outpatient department. The main goal was to design and utilize strategies offering a student-centered approach allowing for more independence to build and increase knowledge. As for Pediatrics, the model adopted was Comprehensive Medicine focused on child assistance. As for Public Health the focus was Community Medicine considering the reality captured by the work developed at SUS and primary care centers. This indicated the feasibility of changes in teaching and the possibility of innovating teaching in Medical Schools.
  • Pregnancy related perception and behavior of adolescents and their families Artigos Originais

    Lima, Celian Tereza Batista; Feliciano, Katia Virginia de Oliveira; Carvalho, Maria Francisca Santos; Souza, Andréa Patrícia Pereira de; Menabó, Jacyana de Barros Correia; Ramos, Laís Souza; Cassundé, Leila Faro; Kovacs, Maria Helena

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: conhecer as percepções e práticas de adolescentes grávidas e de seus familiares em relação à gestação atual. MÉTODOS: estudo descritivo com 19 gestantes, de 10-19 anos que realizaram pré-natal nas unidades de saúde da família da ilha do Chié, em Recife, de agosto a setembro de 2002, e 14 responsáveis pelas adolescentes. Utilizaram-se dois instrumentos para coleta de dados e as questões abertas foram submetidas à análise de conteúdo. RESULTADOS: as adolescentes têm a mãe como responsável pelo cuidado (71,5%), iniciaram-se sexualmente com o namorado (73,7%), com idade entre 10-14 anos (52,7%), usando método contraceptivo (68,4%) e têm antecedentes reprodutivos (42,1%). Metade desejava a gravidez atual, 78,5% recebem apoio afetivo e financeiro do pai da criança e 57,2% da mãe. Antes de engravidar 10,5% não estudavam, nem trabalhavam, e atualmente 57,9% estão nessa condição. Suas responsáveis são mulheres, 21,4% analfabetas e 64,3% provem o sustento. Diante da gravidez das filhas sentiram alegria/satisfação (35,7%) e desgosto (28,5%), e 92,9% aceitaram o fato. CONCLUSÕES: a gravidez na adolescência nem sempre é percebida como um problema, o que reforça a importância da construção de estratégias de prevenção que considerem a realidade local.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: to investigate information on perception and behavior of pregnant adolescents and their families related to current pregnancy. METHODS: descriptive study involving 19 pregnant adolescents from 10 to 19 years old under prenatal care in the family health units located in the Chié Island in Recife, from August to September 2002, and 14 family members and caretakers of these adolescents. Two collection tools were used and open questions were submitted to content analysis. RESULTS: adolescents are under the care of their mothers (71.5%), experienced their first sexual intercourse with their boyfriends (85.7%) when they were between 10-14 years old (52.7%) using contraceptives (68.4%) and have been pregnant before (42.1%). Half of them accepted their current pregnancy, 78.5% receive financial and psychological support from the child's father and 57.2% from their mother. Before becoming pregnant 10.5% were not going to school or held a job, currently 57.9% are in this condition. Their caretakers are women, 21.4% illiterate and 64.3% support them. When informed of the pregnancy they were happy/satisfied (35.7%) and unhappy (28.5%), 92.9% accepted the fact. CONCLUSIONS: pregnancy during adolescence is not always perceived as a problem and that reinforces the value of designing prevention strategies considering local reality.
  • Nutrition habits and healthcare: feeding the children and the family Artigos Originais

    Rotenberg, Sheila; De Vargas, Sonia

    Abstract in Portuguese:

    A alimentação é um aspecto fundamental para a promoção da saúde da criança. No entanto, nutrir, amamentar, comer e oferecer comida são práticas sociais. O objetivo deste estudo foi analisar o significado das práticas alimentares compreendendo as percepções, experiências e valores sobre a alimentação para mães de criança sob risco nutricional, moradoras da Rocinha e freqüentadoras do grupo de mães do Centro Municipal de Saúde Píndaro de Carvalho Rodrigues. Para análise e compreensão do problema, foi utilizado o método da pesquisa qualitativa, através de entrevistas semi-estruturadas e da observação participante. O estudo possibilitou identificar que os hábitos e as práticas alimentares são permeados pelo aprendizado materno, que tem início na infância e é associado aos hábitos urbanos de consumo. A amamentação, a introdução de alimentos complementares até a alimentação cotidiana da família é um processo construído pela experiência e aprendizado próprios de cada grupo social. Identificamos que as práticas alimentares são construídas a partir de diferentes dimensões: temporal, de saúde e doença, de cuidado, afetiva, econômica e de ritual de socialização, que se entrelaçam conformando uma rede. A partir desse entendimento podemos, profissionais de saúde e usuários dos serviços, intervir na realidade tendo em vista a melhoria da saúde da criança e da família.

    Abstract in English:

    Food is essential to children's health. Nevertheless, nourishing, nursing, eating and offering food are social habits. The objective of this study is to analyze the meaning of eating habits encompassing perception, experiences and values related to food for mothers of children under nutritional risk, living in the Rocinha and members of the mother's group of the Municipal Health Center Píndaro de Carvalho Rodrigues. For purposes of analysis and understanding of the issue, qualitative survey was performed through semi-structured interviews and participative observation. The study identified that food habits and practices are permeated by maternal knowledge stemming from childhood and associated to urban consumption habits. Nursing, the introduction of complementary food and the day to day family meals is a process built by experience and learning inherent to each social group. We identified that food habits are built based on different issues: time, health and disease, care, affection, social and economic rites that intertwine building a network. Based on this understanding both healthcare professionals and service users will be able to interfere in this process aiming at the improvement of child and family health.
  • Early cerebrovascular accident: implications in working-age adults assisted by the Brazilian Public Health System Notas De Pesquisa

    Falcão, Ilka Veras; Carvalho, Eduardo Maia Freese de; Barreto, Kátia Magdala Lima; Lessa, Fabio José Delgado; Leite, Valéria Moura Moreira

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: conhecer as incapacidades e identificar se há diferenças de gênero, em sobreviventes de primeiro episódio de acidente vascular cerebral (AVC), entre 20 e 59 anos de idade, na cidade do Recife e que tenham sido hospitalizados pelo Sistema Único de Saúde. MÉTODOS: entrevista domiciliar com uma amostra de sobreviventes, investigando-se as incapacidades referidas na vida funcional e produtiva deles. RESULTADOS: amostra equilibrada entre os sexos, média de idade de 52 anos, com nível elementar de estudos ou analfabeto e trabalhando no setor de serviços, informal ou doméstico. Menos de 20% informam recuperação total após o AVC. Aproximadamente 80% apresentam algum déficit, sendo os problemas de comunicação e os sintomas depressivos mais freqüentes entre as mulheres. Após o AVC aumentou o número de desempregados e aposentados e as incapacidades repercutem negativamente na satisfação de vida de mais de 70% dos entrevistados. CONCLUSÕES: é expressivo o percentual de casos, ainda jovens, com seqüelas pós AVC, sendo este mais precoce e o quadro de incapacidades mais freqüente e/ou grave entre as mulheres. A prevenção e a reabilitação após o AVC são desejáveis, com a implantação de programas, considerando as condições de gênero, para o controle dos riscos e para as seqüelas resultantes do AVC.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: to assess incapacities and determine whether there are gender differences following an initial episode of cerebrovascular accident among survivors between the ages of 20 and 59 years old living in Recife city, hospitalized in the public health system. METHODS: in-home survey performed with a sample of survivors, investigating incapacities and alterations in the functional and productive life of these individuals. RESULTS: the sample had a balanced proportion between genders and an average age of 52 years old. Individuals were either illiterate or had an elementary education level, holding jobs in the informal or domestic service sector. Approximately 80% exhibited some incapacity. Difficulty in communication and symptoms of depression were more common among women. Functional incapacities had negative repercussions in the level of fulfillment in the lives of 70% of the interviewees. CONCLUSIONS: the percentage of cases among still young individuals that are exhibiting some type of incapacity following an early stroke episode is expressive. Strokes occur earlier and incapacities are more frequent/severe among women. Prevention and rehabilitation following a stroke are desirable with the implementation of programs that should consider gender conditions aiming at strokes' risk and incapacity control.
  • Gastroenterologia e hepatologia em pediatria: diagnóstico e tratamento Resenhas

    Silva, Giselia Alves Pontes da
  • Untitled document Cartas

    Chagas, Maria Helena de Castro; Flores, Hernando; Campos, Florisbela de A.C. de Siqueira; Santana, Raquel Araújo de; Lins, Erika Chagas Barreto
Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira Rua dos Coelhos, 300. Boa Vista, 50070-550 Recife PE Brasil, Tel./Fax: +55 81 2122-4141 - Recife - PR - Brazil
E-mail: revista@imip.org.br