DEPENDÊNCIA DE INTERNET EM ADOLESCENTES DE UMA CIDADE NA AMAZÔNIA OCIDENTAL BRASILEIRA

Tatiane Dalamaria Wagner de Jesus Pinto Edson dos Santos Farias Orivaldo Florencio de Souza Sobre os autores

ABSTRACT

Objective:

Analyze the prevalence and factors associated with internet addiction in a sample of high school adolescents in Acre, a state in northern Brazil.

Methods:

A population-based cross-sectional study was conducted with 1,387 adolescents between 14 and 18 years old enrolled in high schools in the city of Rio Branco, Acre. A structured questionnaire with questions about demographics, family and behavioral patterns was applied. Internet addiction was verified using the Internet Addiction Test (IAT), with a cutoff equal to or greater than 70 points. The associated factors were identified by multiple logistic regression analyses.

Results:

The overall prevalence of Internet addiction was 10.6%. Higher dependence was observed in females. The factors associated with Internet addiction were being female, using the computer for more than two hours a day during weekdays and on the weekend, not practicing physical activities and going out to dance at nightclubs and concerts at least once a month. A protective association of reading habits in relation to Internet dependence was observed.

Conclusions:

The present study showed a high prevalence of Internet dependence, with female adolescents being more susceptible. Behavioral aspects were associated with internet dependence in a sample of adolescents from Rio Branco, Acre.

Keywords:
Addictive behavior; Leisure activities; Internet; Adolescents

RESUMO

Objetivo:

Analisar a prevalência e os fatores associados à dependência de internet em uma amostra de adolescentes do ensino médio no Acre.

Métodos:

Estudo transversal de base populacional realizado com 1.387 adolescentes entre 14 e 18 anos regularmente matriculados em instituições de ensino médio no município de Rio Branco, Acre. Questionário estruturado com questões sobre aspectos demográficos, sociais, familiares e comportamentais foi aplicado. A dependência de internet foi verificada pelo internet addiction test (IAT), com ponto de corte igual ou superior a 70. Os fatores associados foram identificados mediante regressão logística múltipla.

Resultados:

A prevalência geral para dependência de internet foi de 10,6%. Maior dependência foi evidenciada no sexo feminino. Os fatores associados à dependência de internet foram ser do sexo feminino, utilizar o computador por mais de duas horas diárias durante o meio de semana e no fim de semana, não praticar atividade física e sair por pelo menos uma vez ao mês para dançar em boates e shows. Observou-se associação protetora do hábito de leitura em relação à dependência de internet.

Conclusões:

O presente estudo evidenciou alta prevalência para dependência de internet, sendo as adolescentes do sexo feminino mais suscetíveis. Aspectos comportamentais estiveram associados à dependência de internet em uma amostra de adolescentes de Rio Branco.

Palavras-chave:
Comportamento aditivo; Atividades de lazer; Internet; Adolescente

INTRODUÇÃO

Na atualidade, a internet é elemento imprescindível no contexto da vida cotidiana, possibilitando a fluidez necessária à circulação de informações e à comunicação global.11. Mihajlov M, Vejmelka L. Internet Addiction: a review of the first twenty years. Psychiatr Danub. 2017;29:260-72. https://doi.org/10.24869/psyd.2017.260
https://doi.org/https://doi.org/10.24869...
,22. Conti MA, Jardim AP, Hearst N, Cordás TA, Tavares H, Abreu CN. Avaliação da equivalência semântica e consistência interna de uma versão em português do Internet Addiction Test (IAT). Rev Psiq Clín. 2012;39:106-10. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832012000300007
https://doi.org/http://dx.doi.org/10.159...
Apesar de haver benefícios, uma nova patologia chamada dependência de internet tem ocorrido.11. Mihajlov M, Vejmelka L. Internet Addiction: a review of the first twenty years. Psychiatr Danub. 2017;29:260-72. https://doi.org/10.24869/psyd.2017.260
https://doi.org/https://doi.org/10.24869...
,33. Kuss DJ, Griffiths MD, Karila L, Billieux J. Internet addiction: a systematic review of epidemiological research for the last decade. Curr Pharm Des. 2014;20:4026-52. https://doi.org/10.2174/13816128113199990617
https://doi.org/https://doi.org/10.2174/...
,44. Young KS. The evolution of internet addiction. Addict Behav. 2017;64:229-30. https://doi.org/10.1016/j.addbeh.2015.05.016
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...
Assim, uma linha tênue tem separado o acesso essencial para o trabalho, processo ensino-aprendizagem, comunicação social e busca de informações do uso compulsivo e patológico da internet. Logo, a dependência de internet é problema novo e crescente em saúde pública, carecendo de maior entendimento pela comunidade científica para propor intervenções comunitárias.

Diversos fatores estão associados à dependência de internet, como aspectos sociodemográficos relativos aos hábitos do uso da internet e psicossociais55. Jorgenson AG, Hsiao RC, Yen CF. Internet addiction and other behavioral addictions. Child Adolesc Psychiatr Clin N Am. 2016;25:509-20. https://doi.org/10.1016/j.chc.2016.03.004
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...
,66. Nakayama H, Mihara S, Higuchi S. Treatment and risk factors of Internet use disorders. Psychiatry Clin Neurosci. 2017;71:492-505. https://doi.org/10.1111/pcn.12493
https://doi.org/https://doi.org/10.1111/...
,77. Cerniglia L, Zoratto F, Cimino S, Laviola G, Ammaniti M, Adriani W. Internet addiction in adolescence: Neurobiological, psychosocial and clinical issues. Neurosci Biobehav Rev. 2017;76:174-84. https://doi.org/10.1016/j.neubiorev.2016.12.024
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...
. Alguns estudos têm relatado que os tipos de atividades de lazer desenvolvidas no tempo livre, além das atividades múltiplas realizadas online, também são fatores predisponentes à dependência da internet.88. Wang H, Zhou X, Lu C, Wu J, Deng X, Hong L. Problematic internet use in high school students in Guangdong Province, China. PLoS ONE. 2011;6:e19660. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0019660
https://doi.org/https://doi.org/10.1371/...
,99. Zhou R, Fong PS, Tan P. Internet use and its impact on engagement in leisure activities in China. PloS ONE. 2014;9:e89598. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0089598
https://doi.org/https://doi.org/10.1371/...
Especificamente, revisões sistemáticas indicaram diversos efeitos adversos da dependência de internet sobre a saúde mental, tais como transtorno de déficit de atenção com hiperatividade, depressão, hostilidade e baixa autoestima.11. Mihajlov M, Vejmelka L. Internet Addiction: a review of the first twenty years. Psychiatr Danub. 2017;29:260-72. https://doi.org/10.24869/psyd.2017.260
https://doi.org/https://doi.org/10.24869...
,55. Jorgenson AG, Hsiao RC, Yen CF. Internet addiction and other behavioral addictions. Child Adolesc Psychiatr Clin N Am. 2016;25:509-20. https://doi.org/10.1016/j.chc.2016.03.004
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...
,66. Nakayama H, Mihara S, Higuchi S. Treatment and risk factors of Internet use disorders. Psychiatry Clin Neurosci. 2017;71:492-505. https://doi.org/10.1111/pcn.12493
https://doi.org/https://doi.org/10.1111/...
,77. Cerniglia L, Zoratto F, Cimino S, Laviola G, Ammaniti M, Adriani W. Internet addiction in adolescence: Neurobiological, psychosocial and clinical issues. Neurosci Biobehav Rev. 2017;76:174-84. https://doi.org/10.1016/j.neubiorev.2016.12.024
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios apontam que no Brasil 49,4% das pessoas estão conectadas à internet, sendo a sua utilização mais concentrada na faixa etária de 15 a 17 anos.1010. Brazil - Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa nacional por amostra de domicílio: acesso à internet e a televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal 2013. Rio de Janeiro: IBGE; 2015. Assim, o objetivo deste estudo foi investigar a prevalência da dependência de internet e os fatores associados em estudantes do ensino médio no município de Rio Branco, estado do Acre.

MÉTODO

Trata-se de um estudo transversal de base populacional com estudantes do ensino médio no município de Rio Branco realizado nos meses de maio e junho de 2015. A população do estudo foi composta de 20.476 estudantes matriculados nas 37 escolas do ensino médio da área urbana de Rio Branco. Para a determinação do tamanho da amostra, considerou-se prevalência esperada para dependência de internet de 12%, conforme observado em estudantes do ensino médio da China,88. Wang H, Zhou X, Lu C, Wu J, Deng X, Hong L. Problematic internet use in high school students in Guangdong Province, China. PLoS ONE. 2011;6:e19660. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0019660
https://doi.org/https://doi.org/10.1371/...
precisões fixadas para um erro de amostragem em 0,03 e nível de confiança de 95%, sendo necessária para este estudo uma amostra de 1.182 estudantes. Para proteger a investigação dos efeitos de não resposta, foram acrescidos 18% ao tamanho da amostra, levando em conta as restrições operacionais, tais como o número de pesquisadores e o tempo disponível para a coleta dos dados. O tamanho final da amostra foi estimado em 1.391 alunos.

A seleção dos estudantes ocorreu em três estágios. Primeiramente, foram sorteadas por amostragem aleatória simples cinco escolas, sendo três públicas e duas privadas. Esse número de escolas foi fundamentado nas restrições operacionais para a coleta de dados. No segundo estágio, foram escolhidas as salas de aula por escola por alocação proporcional ao tamanho, e os estudantes, por sala de aula no terceiro estágio. Como critérios de inclusão, consideraram-se os estudantes com idade entre 14 e 18 anos e 11 meses regularmente matriculados na instituição de ensino médio no município de Rio Branco. O critério de exclusão foi apresentar patologias em geral que impossibilitassem o estudante de participar da coleta de dados sem auxílio, haja vista a fundamental privacidade para responder às questões. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Acre com o número de protocolo 39594914.8.0000.5010. Antes do início da coleta de dados, foram obtidos o termo de consentimento livre e esclarecido dos pais e o termo de assentimento livre e esclarecido dos adolescentes.

Questionário estruturado e autorrespondido foi aplicado aos estudantes com questões referentes às variáveis demográficas (sexo e idade), sociofamiliares (estado marital, ser filho único, número de amigos verdadeiros e número de adolescentes em casa), atividades de lazer (prática de atividade física; ir ao cinema e teatro; sair para dançar em boates e shows; e leitura de jornal, revista ou livro), controle dos pais e tempo de uso de computador.

Para a obtenção de informações sobre atividade física, aplicou-se o self-administered physical activity checklist, validado por Farias Junior et al.1111. Farias Junior JC, Lopes AS, Mota J, Santos MP, Ribeiro JC, Hallal PC. Validity and reproducibility of a physical activity questionnaire for adolescents: adapting the Self-Administered Physical Activity Checklist. Rev Bras Epidemiol. 2012;15:198-210. https://doi.org/10.1590/s1415-790x2012000100018
https://doi.org/https://doi.org/10.1590/...
Mediante esse instrumento, foram verificadas as modalidades de atividade física e a quantidade de minutos praticados por semana. Essa variável foi categorizada em: igual ou superior a 300 minutos, entre 150 e 299 minutos, de 1 a 149 minutos e não pratica atividade física.

De acordo com protocolo sugerido por Petroski,1212. Petroski EL. Antropometria: técnicas e padronizações. 5th ed. Jundiaí: Fontoura; 2011. obteve-se a medida do peso corporal por balança portátil digital com capacidade máxima de 150 kg e sensibilidade de 50 g, enquanto a estatura foi mensurada por estadiômetro portátil com extensão máxima de 2 m e subdividida em 0,1 cm. A variável índice de massa corporal (IMC) foi utilizada conforme recomendado pela World Health Organization,1313. de Onis M, Onyango AW, Borghi E, Siyam A, Nishida C, Siekmann J. Development of a WHO growth reference for school-aged children and adolescents. Bull World Health Organ. 2007;85:660-7. https://doi.org/10.2471/blt.07.043497
https://doi.org/https://doi.org/10.2471/...
sendo o excesso de peso (somatório do sobrepeso e obesidade) determinado para os valores de IMC para idade igual ou superior a 1 escore Z.

O teste para dependência de internet foi verificado pelo questionário internet addiction test (IAT),1414. Young KS. Internet addiction: the emergence of a new clinical disorder. Cyber Psychol Behav. 1998;1:237-44. https://doi.org/10.1089/cpb.1998.1.237
https://doi.org/https://doi.org/10.1089/...
validado e adaptado para o idioma português.22. Conti MA, Jardim AP, Hearst N, Cordás TA, Tavares H, Abreu CN. Avaliação da equivalência semântica e consistência interna de uma versão em português do Internet Addiction Test (IAT). Rev Psiq Clín. 2012;39:106-10. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832012000300007
https://doi.org/http://dx.doi.org/10.159...
,1515. Pontes HM, Patrão IM, Griffiths MD. Portuguese validation of the internet addiction test: an empirical study. J Behav Addict. 2014;3:107-14. https://doi.org/10.1556/JBA.3.2014.2.4
https://doi.org/https://doi.org/10.1556/...
O teste consiste em 20 questões de autopreenchimento em uma escala Likert, variando de 1 (raramente) a 5 (sempre). Os indivíduos com pontuação igual ou superior a 70 pontos foram considerados como dependentes de internet.

A análise estatística dos dados foi realizada com o programa Stata, versão 10 (Stata Corp. College Station, TX, Estados Unidos). Os fatores associados foram identificados em duas etapas. Primeiramente, as variáveis independentes que apresentaram associações com a dependência de internet com p≤0,20 pelo teste de Wald na regressão logística simples foram selecionadas para compor o modelo múltiplo final. Posteriormente, utilizando a regressão logística múltipla, mediante o procedimento passo a passo com eliminação retrógrada, selecionaram-se as variáveis com p≤0,05 para compor o modelo múltiplo final. As variáveis com -valor entre 0,05 e 0,10 permaneceram no modelo como variáveis de ajuste.

RESULTADOS

Dos 1.391 adolescentes contatados, houve quatro perdas por recusa para participar deste estudo. Assim, 1.387 adolescentes foram considerados nessa análise, dos quais 76,8% eram de escolas públicas e 23,2% de escolas privadas. Deles, 53,1% eram do sexo feminino, 44,5% tinham idade entre 14 e 15 anos e 55,5% entre 16 e 18 anos.

A prevalência geral da dependência de internet foi de 10,6%. Os estudantes do sexo masculino revelaram menor prevalência (6,9%) de dependência de internet, em contraste ao sexo feminino (13,9%), contudo não foi identificada diferença estatística entre as idades para a dependência de internet.

As variáveis sexo, amigos verdadeiros, uso de computador no quarto, horas por dia de uso de computador no meio da semana e no fim de semana, ir ao cinema ou teatro, sair para dançar em boates ou shows, ler jornal, revista ou livro e praticar atividade física apresentaram-se como candidatas para o modelo múltiplo final (Tabelas 1 e 2).

Tabela 1
Prevalência (%) e Odds Ratio da dependência de internet segundo variáveis demográficas, sociofamiliares e índice de massa corpórea em adolescentes do ensino médio, Rio Branco, Acre, Brasil.
Tabela 2
Prevalência (%) e Odds Ratio da dependência de internet segundo variáveis de atividades de lazer, controle dos pais e tempo de uso de computador em adolescentes do ensino médio, Rio Branco, Acre, Brasil.

Na análise dos fatores associados à dependência de internet (Tabela 3), o sexo feminino apresentou 1,84 vez mais chance de ter dependência de internet em relação ao masculino. Os adolescentes que despendiam mais de duas horas no computador em dia de semana e no fim de semana mostraram magnitudes de associação de 2,39 e 2,08, respectivamente, com a dependência de internet. A situação dos adolescentes de não praticar atividade física mostrou 2,27 vezes mais chance de apresentar dependência de internet quando comparada à dos que praticavam mais de 300 minutos por semana, enquanto os adolescentes que saíam para dançar em boates ou shows semanalmente mostraram 3,32 vezes mais chances de serem dependentes de internet do que os que raramente ou nunca frequentavam tais locais. O hábito de ler semanalmente apresentou-se como variável de ajuste no modelo final da dependência de internet.

Tabela 3
Modelo múltiplo da dependência de internet em adolescentes do ensino médio, Rio Branco, Acre, Brasil, descritos em Odds Ratio e intervalo de confiança de 95%.

DISCUSSÃO

Neste estudo transversal de base populacional na região amazônica brasileira com adolescentes do ensino médio foi identificada prevalência de 10,6% de dependência de internet. O sexo feminino mostrou maior prevalência de dependência em contraste ao masculino. Os fatores associados à dependência de internet foram a utilização do computador no tempo livre por mais de duas horas diárias, a inatividade física e a frequência de sair para dançar em boates e shows.

A alta prevalência de dependência de internet observada aqui pode ter sido estimulada pela política de inclusão digital, que disponibilizou o acesso livre e gratuito da internet em vários pontos públicos no município de Rio Branco, inclusive em escolas. Kuss et al.1616. Kuss DJ, van Rooij AJ, Shorter GW, Griffiths MD, van de Mheen D. Internet addiction in adolescents: prevalence and risk factors. Comput Hum Behav. 2013;29:1987-96. http://dx.doi.org/10.1016/j.chb.2013.04.002
https://doi.org/http://dx.doi.org/10.101...
sugerem que a acessibilidade à internet de forma irrestrita pode contribuir para a dependência da internet.

Investigações sobre dependência de internet têm apresentado diferentes magnitudes nas prevalências em vários países. Essa variabilidade nas prevalências pode ser em razão dos inúmeros instrumentos de medição e pontos de corte utilizados para demarcar os níveis de dependência. Além disso, a desigualdade de acessibilidade à internet em várias localidades, decorrente da diversidade cultural, pode ter contribuído com essa variação na prevalência na dependência de internet.1717. Vondráčková P, Gabrhelík R. Prevention of internet addiction: a systematic review. J Behav Addict. 2016;5:568-79. https://doi.org/10.1556/2006.5.2016.085
https://doi.org/https://doi.org/10.1556/...
Portanto, deve haver cautela na comparação das prevalências nos estudos com os métodos distintos. No entanto, considerando apenas pesquisas que utilizaram ponto de corte igual ou superior a 70 pontos no IAT, a prevalência de dependência de internet verificada no presente estudo foi maior em relação à dos estudantes da Coreia do Sul (2,3%)1818. Choi K, Son H, Park M, Han J, Kim K, Lee B, et al. Internet overuse and excessive daytime sleepiness in adolescents. Psychiatry Clin Neurosci. 2009;63:455-62. https://doi.org/10.1111/j.1440-1819.2009.01925.x
https://doi.org/https://doi.org/10.1111/...
e do Líbano (4,2%).1919. Hawi NS. Internet addiction among adolescents in Lebanon. Comput Hum Behav. 2012;28:1044-53. https://doi.org/10.1016/j.chb.2012.01.007
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...

Na modelagem dos fatores associados, o sexo feminino apresentou maior magnitude de associação com a dependência de internet. De forma controversa, estudos apontam que os meninos são mais dependentes do que as meninas,2020. Krishnamurthy S, Chetlapalli S. Internet addiction: Prevalence and risk factors: a cross-sectional study among college students in Bengaluru, the Silicon Valley of India. Indian J Public Health. 2015;59:115-21. https://doi.org/10.4103/0019-557X.157531
https://doi.org/https://doi.org/10.4103/...
,2121. Müller KW, Dreier M, Beutel ME, Duven E, Giralt S, Wölfling K. A hidden type of internet addiction? Intense and addictive use of social networking sites in adolescents. Comput Hum Behav. 2016;55:172-7. https://doi.org/10.1016/j.chb.2015.09.007
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...
,2222. Tang CS, Koh YW, Gan Y. Addiction to internet use, online gaming, and online social networking among young adults in China, Singapore, and the United States. Asia Pac J Public Health. 2017;29:673-82. https://doi.org/10.1177/1010539517739558
https://doi.org/https://doi.org/10.1177/...
contudo o nível de utilização da internet no sexo feminino tem aumentado nos últimos anos.2323. Yates TM, Gregor MA, Haviland MG. Child maltreatment, alexithymia, and problematic internet use in young adulthood. Cyberpsychology Behav Soc Netw. 2012;15:219-25. https://doi.org/10.1089/cyber.2011.0427
https://doi.org/https://doi.org/10.1089/...

No presente trabalho, o tempo gasto no computador tanto durante a semana como no fim de semana mostrou associação com a dependência de internet. Informação análoga foi verificada na cidade de Xangai, com relação às horas gastas online em dias de semana e fins de semana.88. Wang H, Zhou X, Lu C, Wu J, Deng X, Hong L. Problematic internet use in high school students in Guangdong Province, China. PLoS ONE. 2011;6:e19660. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0019660
https://doi.org/https://doi.org/10.1371/...
De acordo com estudos realizados na China e Turquia, os adolescentes que passaram mais de duas horas por dia no computador apresentaram maior probabilidade de serem dependentes de internet em comparação aos que gastaram tempo menor.99. Zhou R, Fong PS, Tan P. Internet use and its impact on engagement in leisure activities in China. PloS ONE. 2014;9:e89598. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0089598
https://doi.org/https://doi.org/10.1371/...
,2424. Sasmaz T, Oner S, Kurt AÖ, Yapici G, Yazici AE, Bugdayci R, et al. Prevalence and risk factors of internet addiction in high school students. Eur J Public Health. 2014;24:15-20. https://doi.org/10.1093/eurpub/ckt051
https://doi.org/https://doi.org/10.1093/...
Assim, o tempo de uso acima de duas horas diárias de computador com acesso à internet é um comportamento sedentário e possui potencial de impacto negativo sobre o estado de saúde.2525. Ferreira RW, Rombaldi AJ, Ricardo LI, Hallal PC, Azevedo MR. Prevalence of sedentary behavior and its correlates among primary and secondary school students. Rev Paul Pediatr. 2016;34:56-63. http://dx.doi.org/10.1016/j.rppede.2015.09.002
https://doi.org/http://dx.doi.org/10.101...
Portanto, controlar o tempo de uso do computador pelos adolescentes seria uma atitude eficaz para a prevenção da dependência de internet.

A prática de atividade física tem sido recomendada como importante estratégia de saúde pública para melhoria da saúde de crianças e adolescentes. Nos dias atuais, há diminuição da atividade física e do tempo destinado ao lazer ocasionada pela informatização.2626. Valencia-Peris A, Úbeda-Colomer J, Lizandra J, Peiró-Velert C, Devís-Devís J. Active gaming prevalence and correlates by type of day in Spanish youth. J Phys Act Health. 2019;17:1-7. https://doi.org/10.1123/jpah.2018-0448
https://doi.org/https://doi.org/10.1123/...
,2727. Simons M, de Vet E, Brug J, Seidell J, Chinapaw MJ. Active and non-active video gaming among Dutch adolescents: who plays and how much? J Sci Med Sport. 2014;17:597-601. https://doi.org/10.1016/j.jsams.2013.10.250
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...
Coincidentemente aos resultados evidenciados neste estudo, pesquisas identificaram associação entre os menores níveis de atividade física e dependência de internet em adolescentes.2828. Babey SH, Hastert TA, Wolstein J. Adolescent sedentary behaviors: correlates differ for television viewing and computer use. J Adolesc Health. 2013;52:70-6. https://doi.org/10.1016/j.jadohealth.2012.05.001
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...
,2929. Khan MA, Shabbir F, Rajput TA. Effect of gender and physical activity on internet addiction in medical students. Pak J Med Sci. 2017;33:191-4. https://doi.org/10.12669/pjms.331.11222
https://doi.org/https://doi.org/10.12669...
,3030. Park S. Associations of physical activity with sleep satisfaction, perceived stress, and problematic Internet use in Korean adolescents. BMC Public Health. 2014;14:1143. https://doi.org/10.1186/1471-2458-14-1143
https://doi.org/https://doi.org/10.1186/...
Também Babey et al.2828. Babey SH, Hastert TA, Wolstein J. Adolescent sedentary behaviors: correlates differ for television viewing and computer use. J Adolesc Health. 2013;52:70-6. https://doi.org/10.1016/j.jadohealth.2012.05.001
https://doi.org/https://doi.org/10.1016/...
afirmam que os adolescentes estão propensos a substituir a atividade física no tempo livre pelo tempo no computador.

Os adolescentes que saem para dançar em boates ou shows apresentaram maior dependência de internet. Esse resultado corrobora com o argumento de Zhou et al.,99. Zhou R, Fong PS, Tan P. Internet use and its impact on engagement in leisure activities in China. PloS ONE. 2014;9:e89598. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0089598
https://doi.org/https://doi.org/10.1371/...
que infere que a utilização da internet contribui para manter ou aumentar os compromissos da atividade social. Usualmente, os adolescentes frequentam shows e boates como espaço social. Dessa forma, crê-se que eles vivenciam o tempo real de modo indissociável com o espaço virtual da internet, utilizando a internet para sua promoção pessoal em busca da autoafirmação.

Como variável de ajuste na modelagem, o hábito de ler jornal, revista ou livro semanalmente é um indicador de proteção para a dependência de internet. Nesse sentido, Sasmaz et al.2424. Sasmaz T, Oner S, Kurt AÖ, Yapici G, Yazici AE, Bugdayci R, et al. Prevalence and risk factors of internet addiction in high school students. Eur J Public Health. 2014;24:15-20. https://doi.org/10.1093/eurpub/ckt051
https://doi.org/https://doi.org/10.1093/...
afirmam que a construção de um ambiente de vida saudável pelo controle do uso de computador e pelo acesso à internet e a promoção da leitura de livros favorecem a prevenção e o tratamento da dependência de internet em adolescentes.

Existem algumas limitações neste estudo que devem ser ressaltadas. Em primeiro lugar, o delineamento transversal usado no presente trabalho impossibilitou a identificação da causalidade de fatores associados à dependência de internet. Em segundo, os dados foram obtidos de um questionário autopreenchido pelos adolescentes, sem informações complementares dos pais e de outros informantes.

Em conclusão, o presente estudo evidenciou prevalência de 10,6% para dependência de internet em uma amostra de adolescentes do ensino médio no Acre. Os adolescentes do sexo feminino mostraram-se mais suscetíveis à dependência de internet quando comparados aos do sexo masculino. As horas despendidas no computador e a inatividade física foram fatores preponderantes para a dependência de internet. Das atividades de lazer no tempo livre, o hábito da leitura revelou-se como indicativo de ser protetora para a dependência de internet. Em contrapartida, frequentar shows e boates associou-se positivamente à dependência de internet.

Diante dessas evidências, para a prevenção da dependência de internet em escolares, sugere-se implementar estratégias voltadas à redução do tempo de uso de internet e de computador no âmbito escolar e sociofamiliar, concomitantemente ao estímulo à participação de atividades físicas e à valorização do hábito de leitura semanal de jornais, revistas e livros.

Referências bibliográficas

Financiamento

  • O projeto de pesquisa foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Acre (FAPAC) (015/2013).

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    03 Jul 2020
  • Data do Fascículo
    2021

Histórico

  • Recebido
    30 Jul 2019
  • Aceito
    21 Out 2019
  • Publicado
    26 Jun 2020
Sociedade de Pediatria de São Paulo R. Maria Figueiredo, 595 - 10o andar, 04002-003 São Paulo - SP - Brasil, Tel./Fax: (11 55) 3284-0308; 3289-9809; 3284-0051 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rpp@spsp.org.br