EFEITO DO ÁCIDO GIBERÉLICO SOBRE O COMPRIMENTO E DIÂMETRO DO CAULE DE PLÂNTULAS DE LIMÃO `CRAVO' (Citrus limonia Osbeck)

J.C. MODESTO J.D. RODRIGUES S.Z. de PINHO Sobre os autores

Resumos

O presente trabalho foi instalado em condições de campo com plântulas de limão `Cravo'(Citrus limonia Osbeck), em delineamento inteiramente casualizado, com três repetições no esquema de parcelas sub-divididas, onde os tratamentos principais foram 5 concentrações de ácido giberélico: T1 = 0, T2 = 25, T3 = 50, T4 = 100 e T5 = 150 ppm, parceladas em quatro pulverizações. Os tratamentos secundários foram as coletas do material, realizadas dos 70 aos 210 dias, em intervalos de 14 dias. Pelos resultados obtidos, o fitorregulador promoveu efeito favorável com relação ao incremento do comprimento do caule, sendo o tratamento de 150 ppm superior aos demais. O diâmetro do caule atingiu maiores dimensões com aplicação de ácido giberélico 50 e 25 ppm.

porta-enxerto; limão `Cravo'; Citrus limonia Osbeck; ácido giberélico; crescimento


The effects of a plant regulator were studied for rangpur lime seedlings sprayed at 14-day intervals, from the 70th day until the 210th. The seedlings were sprayed with: T1 = 0; T2 = 25; T3 = 50; T4 = 100; T5 = 150 ppm of gibberellic acid. The applications of gibberellic acid on the seedlings of rangpur lime rootstocks resulted in significant increases in plant height (T5 = 150 ppm) and stem diameter (T2 = 25 ppm and T3 = 50 ppm). The seedlings reached the buddable size in shorter time through the positive effects of the plant regulator. The stem diameter was higher with gibberellic acid at concentrations of 25 and 50 ppm. Shortening this time would benefit nurserymen by reducing various production inputs and costs.

rootstocks; rangpur lime; Citrus limonia Osbeck; gibberellic acid; growth


EFEITO DO ÁCIDO GIBERÉLICO SOBRE O COMPRIMENTO E DIÂMETRO DO CAULE DE PLÂNTULAS DE LIMÃO `CRAVO' (Citrus limonia Osbeck)1 1 Parte da Dissertação de Mestrado do primeiro autor.

J.C. MODESTO2; J.D. RODRIGUES3; S.Z. de PINHO4

2ESAPP - C.P. 88, CEP: 19700-000 - Paraguaçu Paulista, SP.

3Depto. de Botânica-IB/UNESP, CEP: 18608-000 - Botucatu, SP.

4Depto. de Bioestatística-IB/UNESP, CEP: 18608-000 - Botucatu, SP.

RESUMO: O presente trabalho foi instalado em condições de campo com plântulas de limão `Cravo'(Citrus limonia Osbeck), em delineamento inteiramente casualizado, com três repetições no esquema de parcelas sub-divididas, onde os tratamentos principais foram 5 concentrações de ácido giberélico: T1 = 0, T2 = 25, T3 = 50, T4 = 100 e T5 = 150 ppm, parceladas em quatro pulverizações. Os tratamentos secundários foram as coletas do material, realizadas dos 70 aos 210 dias, em intervalos de 14 dias. Pelos resultados obtidos, o fitorregulador promoveu efeito favorável com relação ao incremento do comprimento do caule, sendo o tratamento de 150 ppm superior aos demais. O diâmetro do caule atingiu maiores dimensões com aplicação de ácido giberélico 50 e 25 ppm.

Descritores: porta-enxerto, limão `Cravo', Citrus limonia Osbeck, ácido giberélico, crescimento

EFFECT OF THE GIBBERELLIC ACID ON STEM LENGHT AND DIAMETER OF RANGPUR LIME (Citrus limonia Osbeck) SEEDLINGS

ABSTRACT: The effects of a plant regulator were studied for rangpur lime seedlings sprayed at 14-day intervals, from the 70th day until the 210th. The seedlings were sprayed with: T1 = 0; T2 = 25; T3 = 50; T4 = 100; T5 = 150 ppm of gibberellic acid. The applications of gibberellic acid on the seedlings of rangpur lime rootstocks resulted in significant increases in plant height (T5 = 150 ppm) and stem diameter (T2 = 25 ppm and T3 = 50 ppm). The seedlings reached the buddable size in shorter time through the positive effects of the plant regulator. The stem diameter was higher with gibberellic acid at concentrations of 25 and 50 ppm. Shortening this time would benefit nurserymen by reducing various production inputs and costs.

Key Words: rootstocks, rangpur lime, Citrus limonia Osbeck, gibberellic acid, growth

INTRODUÇÃO

Com relação aos inúmeros porta-enxertos utilizados na citricultura brasileira, o limão `Cravo' (Citrus limonia Osbeck) recebe maior atenção, por se tratar da espécie mais utilizada no país, visto que das variedades copas exploradas comercialmente, 80% estão enxertadas sobre o limão `Cravo', que apresenta uma série de características favoráveis induzidas por este porta-enxerto.

A propagação dos porta-enxertos de citros é realizada através de sementes, sendo que este método, acarreta melhor desenvolvimento do sistema radicular pivotante da muda e, consequentemente, da planta cítrica.

O tempo de produção do porta-enxerto e da muda cítrica é relativamente longo, isto devido a uma série de fatores: espécie utilizada, clima da região, características físico-químicas do solo, etc. Entretanto, pode-se utilizar reguladores vegetais, com a finalidade de promover maior crescimento dos porta-enxertos, e assim, diminuir o tempo de produção do mesmo.

Entre os vários reguladores vegetais, as giberelinas têm apresentado resultados favoráveis no aumento do crescimento em várias espécies vegetais.

Deste modo, objetivou-se no presente estudo, avaliar o efeito de diferentes concentrações de giberelinas no desenvolvimento de porta-enxertos de limão `Cravo'.

REVISÃO DE LITERATURA

Reguladores vegetais têm sido utilizados para modificar o crescimento e desenvolvimento de plantas. Hoje sabe-se que o ácido giberélico pode funcionar como regulador da divisão e alongamento das células (Takahashi et al., 1988).

Stant (1961) estudou várias espécies vegetais e concluiu que o ácido giberélico teve efeito significativo no aumento das células, isto mais evidenciado nos primeiros estádios de desenvolvimento das plantas.

Para Metivier (1986), os efeitos mais espetaculares das giberelinas aparecem no crescimento, especialmente no alongamento do caule, podendo o crescimento foliar ser aumentado em muitas espécies. Diferenciação da zona cambial e do xilema, também podem ser induzidas por giberelinas. Estas e outras observações foram realizadas também por Modesto (1994) em plântulas de citros.

Ben-Gad et al. (1978), estudaram os efeitos do ácido giberélico à 200 ppm, aplicado via solo em plântulas de lima (Citrus limettiodes Tanaka) concluindo que o regulador aumentou o alongamento do caule, resultando em plântulas maiores.

Utilizando laranja `Azeda' (Citrus aurantium L.), com oito meses, Sidahmed (1978) pulverizou-as com ácido giberélico nas seguintes concentrações: 0, 25, 50, 100 e 200 ppm, parcelados em quatro pulverizações. Obteve incremento no tamanho das plantas, da ordem de: 13,95; 18,68; 25,90; 32,80 e 38,80%, para cada tratamento empregado, respectivamente. O aumento no diâmetro do caule não foi influenciado por nenhum tratamento.

Muller & Young (1982), estudaram a influência da aplicação de pasta de lanolina com ácido giberélico (500 ppm) em plantas de laranja `Azeda' (Citrus aurantium L.), com sete anos, cultivadas em casa de vegetação. Os resultados obtidos demonstraram que para as condições do experimento, o ácido giberélico influenciou positivamente no aumento da altura das plantas, comprimento dos entrenós e diâmetro do caule. Para Ramos (1980), o aumento no diâmetro das plantas é consequência da multiplicação da camada de células que constitui o câmbio.

Trabalhando em Cruz das Almas - BA, Coelho et al. (1983) utilizaram ácido giberélico nas concentrações: 0, 50, 100, 150 e 200 ppm, parcelados em quatro aplicações, em plântulas híbridas de `Cleópatra' x Poncirus trifoliata Raf., com quatro meses, objetivando aumentar a taxa de crescimento, bem como reduzir o tempo para produção de mudas. A concentração de 100 ppm incrementou o crescimento em 37%. Já as concentrações de 150 e 200 ppm, promoveram aumentos da ordem de 63 e 59%, respectivamente. Porém provocando superalongamento nas plântulas o que, segundo os autores, favoreceu a incidência de fungos patogênicos. Nenhuma das concentrações utilizadas promoveu aumento no diâmetro do caule.

Segundo Casper & Taylor (1989), a pulverização de ácido giberélico na concentração de 50 ppm, em plantas de pêssego (Prunus persica (L.) Batsch.), proporcionou aumento no diâmetro dos ramos, bem como elevação no número de ramos laterais.

Taylor (1972), verificou que em plântulas de pecan, cultivadas em casa de vegetação, a aplicação de ácido giberélico com pasta de lanolina no tronco, estimulou o crescimento do câmbio, com isto, produzindo significativo aumento no diâmetro do mesmo. O autor relata que, a realização da enxertia, poderia ser antecipada com a utilização desta técnica.

Castro et al. (1991), trabalharam com nogueira macadâmia aplicando ácido giberélico nas concentrações de 50, 100, 250 e 500 ppm. As aplicações do regulador foram realizadas aos 120 e 181 dias após a semeadura, sendo as avaliações realizadas até 211 dias. Os autores concluíram que o GA3 favoreceu o desenvolvimento do caule passados 15 dias após a pulverização. Na dose de 500 ppm, houve aumento precoce no diâmetro do caule, sendo que as plântulas estavam aptas à receber a enxertia um mês antes do controle (testemunha).

Em trabalho de Leonel & Rodrigues (1995), onde pulverizaram plantas de limão `Cravo', aos oito meses, com 50, 100 e 250 ppm de GA3, os autores concluíram que houve efeito benéfico no aumento do crescimento e desenvolvimento das plantas, acarretando em diminuição do período de tempo necessário para ser atingido o ponto de enxertia.

Modesto et al. (1994), utilizaram plântulas de limão `Cravo' (Citrus limonia Osbeck), transplantada de sementeira para vaso, em condições de viveiro, onde foi implantado experimento com 5 tratamentos com ácido giberélico (GA3), estabelecidos com base nas diferentes concentrações: 0, 25, 50, 100 e 150 ppm de GA3, parcelados em quatro pulverizações em intervalos quinzenais. O ácido giberélico, na avaliação final do experimento, influenciou no comprimento e diâmetro do caule das plântulas, onde com a elevação na concentração utilizada, houve aumento concomitante dos parâmetros avaliados.

MATERIAL E MÉTODOS

O experimento foi instalado em condições de campo, na Fazenda Experimental de São Manuel, pertencente à Faculdade de Ciências Agronômicas, do Campus de Botucatu - UNESP, situada no município de São Manuel (SP), nas coordenadas geográficas: altitude 750 m, latitude 22o44' S e longitude 48o34' W Gr. O clima da região é tipo mesotérmico Cfa.

Foram utilizadas plântulas de limão `Cravo' (Citrus limonia Osbeck) com quatro meses e meio, transplantadas da sementeira para o viveiro, localizado em Latossolo Vermelho Amarelo. O plantio foi realizado no espaçamento de 1,0 m x 0,4 m.

O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com três repetições em um esquema de parcelas sub-divididas, com 20 plântulas cada parcela, sendo os tratamentos principais as doses do regulador vegetal (GA3) e os tratamentos secundários, as coletas.

Os tratamentos foram estabelecidos com base em cinco concentrações de ácido giberélico (GA3): T1 = 0, T2 = 25, T3 = 50, T4 = 100 e T5 = 150 ppm, estas parceladas em quatro pulverizações, realizadas aos 73, 98, 122 e 146 dias após o transplante. As avaliações foram realizadas dos 70 aos 210 dias após o transplante, sendo que o período entre as coletas foi de 14 dias.

Os tratos culturais realizados nos viveiros seguiram as recomendações de Teófilo Sobrinho (1991).

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Comprimento do caule das plântulas (cm): A análise de variância dos resultados obtidos, com aplicação do ácido giberélico nas diferentes avaliações, evidenciou que a interação tratamentos x coletas foi significativo a 5% de probabilidade (F= 2,14*); sendo assim, foi realizado o desdobramento da interação para cada tratamento, em regressão linear, quadrática e cúbica, onde seus resultados encontram-se na Figura 1. Os tratamentos 1 e 3 foram significativos para regressão quadrática (F= 24,37* e F = 18,49*, respectivamente). Os demais tratamentos foram significativos para o desvio da regressão, evidenciando significância para equação matemática de maior grau. Deste modo, foi realizado ajuste matemático com inúmeras equações, sendo os tratamentos 2 e 4 melhor ajustados para equação exponencial, enquanto no tratamento 5 a equação exponencial cúbica foi a que melhor ajustou os dados (na referida Figura 1 encontram-se as respectivas equações matemáticas e seus coeficientes de determinação).

Figura 1
- Efeito do ácido giberético, no comprimento do caule (cm) das plântulas de limão 'Cravo'.

T1 = 40.27 - 0.52X + 0.0045X2 R2 = 0.90 T2 = 12.69 * EXP(0.113X) R2 = 0.87 T3 = 33.69 - 0.27X + 0.0039X2 R2 = 0.90 T4 = 15.38 * EXP(0.011X) R2 = 0.83 T5 = 0.64 * EXP(0.076 - 0.00041X2 + 0.00000082X3) R2 = 0.89

O regulador vegetal empregado (ácido giberélico) favoreceu o incremento no comprimento do caule de plântulas de limão `Cravo', sendo este aumento maior com a elevação das concentrações utilizadas. A partir destes resultados pode-se afirmar que o ácido giberélico teve efeito primordial sobre o aumento do crescimento das plântulas, decorrente de 3 fatores básicos: a) aumento na divisão celular; b) aumento no alongamento celular (aumento do volume); c) devido a interação de ambos os fatores.

A ação do ácido giberélico é descrita em vários trabalhos na literatura científica. No que se refere ao aumento no crescimento das plantas, Takahashi et al. (1988) e Metivier (1986) relatam sua ação na divisão e alongamento celular. Várias espécies vegetais tiveram seu tamanho influenciado pela ação deste regulador, como pode ser verificado em vários trabalhos, como os de Stant (1961) e Ben-Gad et al. (1978) os quais demonstraram o efeito do regulador aplicado via solo em Citrus limettioides; Sidahmed (1978) e Muller & Young (1982) com Citrus aurantium; Coelho et al. (1983) com plântulas híbridas de Cleópatra x Poncirus trifoliata e mais recentemente trabalhos de Modesto et al. (1994) e Leonel & Rodrigues (1995) com plântulas de limão `Cravo'.

Deste modo, os resultados obtidos no presente estudo comprovam a ação favorável no crescimento de plântulas de limão `Cravo', encontrando subsídios na literatura científica com relação a ação do regulador nesta variável.

Diâmetro do caule (cm): Os resultados obtidos para a variável mostram pela análise de variância que a interação tratamentos x coletas foi significativa a 5% de probabilidade (F=1,27*). Os desdobra-mentos foram realizados e seus resultados encontram-se ilustrados na Figura 2. Os tratamentos 1, 2 e 3 foram significativos para regressão cúbica (F=26,82*; F=43,64*, F=56,36*, respectivamente), enquanto os tratamentos 4 e 5 foram significativos para os desvios da regressão. Deste modo, foram realizados vários ajustes matemáticos, sendo a equação exponencial quadrática a que melhor ajustou os dados para ambos os tratamentos.

Figura 2
- Efeito do ácido giberético, no diâmetro do caule (cm) das plântulas de limão 'Cravo'.

T1 = 20.69 - 0.36X + 0.0022X2 - 0.0000039X3 R2 = 0.98 T2 = 18.66 - 0.34X + 0.0022X2 - 0.0000042X3 R2 = 0.90 T3 = 26.52 - 0.47X + 0.0030X2 - 0.0000054X3 R2 = 0.96 T4 = 0.24 * EXP(0.027X - 0.000049X2) R2 = 0.98 T5 = 0.30 * EXP(0.025X - 0.000044X2) R2 = 0.96

Ainda na Figura 2, pode-se verificar que todos os tratamentos empregados promoveram aumentos no diâmetro do caule durante a época de avaliação (70 aos 210 dias após o transplante). Porém, os melhores resultados foram obtidos pelos tratamentos 3 e 2, respectivamente, 50 e 25 ppm do regulador. Estes resultados evidenciaram que não é necessária a aplicação de altas concentrações do regulador, pois com concentrações menores obtiveram-se os melhores resultados. Quando se aplicou altas concentrações de ácido giberélico (100 e 150 ppm), houve maior aumento no tamanho das plantas, como já foi descrito na Figura 1. Isto não implicou que também obter-se-iam os maiores aumentos no diâmetro do caule das plântulas, como foi visualizado na Figura 2. Altas concentrações aumentaram o diâmetro, mas com resultados inferiores as concentrações de 25 e 50 ppm, sendo estes os melhores tratamentos empregados.

Na avaliação final, a testemunha apresentou diâmetro médio de 7,26 mm. Como todas as concentrações utilizadas de ácido giberélico, levaram à um incremento na variável, os tratamentos com 25 e 50 ppm anteciparam os resultados em 84 dias, quando comparados à testemunha, sendo que com o emprego de 100 e 150 ppm a antecipação foi de 64 dias.

Com o aumento observado é interessante o uso dos tratamentos com GA3 para diminuição do período de produção dos porta-enxertos, visto que é necessário o crescimento rápido, tanto em altura como em espessura para que estes estejam em condições adequadas para receber o enxerto. Com os dados apresentados, demonstra-se a ação favorável do regulador para ambas as variáveis estudadas, sendo assim tem-se a hipótese que a espessura foi incrementada devido a maior atividade cambial, decorrentes das conclusões dos trabalhos de Metivier (1986), Muller & Young (1982), Ramos (1980), Caspar & Taylor (1989), Taylor (1972) e Castro et al. (1991).

Entretanto os trabalhos de Sidahmed (1978) e Coelho et al. (1983), discordam dos resultados obtidos com limão `Cravo', em consequência de vários fatores que influenciaram os resultados no presente trabalho, tais como condições climáticas, espécie utilizada, entre outros.

CONCLUSÕES

Pelos resultados obtidos, nas condições em que foi conduzido o experimento, pode-se concluir que:

- O comprimento do caule de plântulas de limão `Cravo' foi incrementado pela aplicação de ácido giberélico, sendo que o maior aumento foi obtido pela aplicação de 150 ppm;

- Todas as concentrações utilizadas do regulador levaram à incremento no diâmetro do caule das plântulas. Entretanto, os maiores valores foram obtidos pela aplicação de 50 e 25 ppm, respectivamente;

- Com a utilização de ácido giberélico, pode-se reduzir o período de permanência das plântulas em viveiro, visto que poderá ser antecipada a época de realização da enxertia, pois os melhores tratamentos chegaram a antecipar esta prática em até 84 dias.

Recebido para publicação em 17.07.96

Aceito para publicação em 06.10.96

  • 1
    Parte da Dissertação de Mestrado do primeiro autor.
    • BEN-GAD, D.Y.; ALTMAN, A.; MONSELISE, S.P. The effects of root-applied GA3 and SADH on the vegetative development of sweet lime seedlings, their assimilate distribution and starch content. Israel Journal of Botany, v.27, n.1, p.40, 1978.
    • CASPER, J.A.; TAYLOR, B.H. Growth and development of young `Loring' peach trees after foliar sprays of paclobutrazol and GA3 Hortscience, v.24, n.2, p.240-242. 1989.
    • CASTRO, P.R.C.; PENTEADO, S.R.; TERAMOTO, E.R. et al. Promoçăo do desenvolvimento de nogueira macadâmia com reguladores vegetais visando enxertia precoce. Anais Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiróz", v.48, p.155-166, 1991.
    • COELHO, Y.S.; OLIVEIRA, A.A.R.; CALDAS, R.C. Efeitos do ácido giberélico (GA3) no crescimento de porta-enxertos para citros. Pesquisa Agropecuaria Brasileira, v.18, n.11, p.1229-1232, 1983.
    • LEONEL, S.; RODRIGUES, J.D. Efeito de fitorreguladores, no crescimento e desenvolvimento do porta-enxerto de limoeiro `Cravo'. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOLOGIA VEGETAL, 5., Lavras, 1995. Resumos. Lavras: SBFV, 1995. p.19.
    • METIVIER, J.R. Giberelinas. In: FERRI, M.G. (Coord.) Fisiologia vegetal Săo Paulo: EDUSP, 1986. v.2, cap.5, p.129-161.
    • MODESTO, J.C. Efeitos de diferentes reguladores de crescimento sobre o desenvolvimento de porta-enxerto de citros. Botucatu, 1994. 127p. Dissertaçăo (Mestrado) - Faculdade de Cięncias Agronômicas, Universidade Estadual Paulista.
    • MODESTO, J.C.; RODRIGUES, J.D.; PINHO, S.Z. Efeitos da aplicaçăo de ácido giberélico (GA3) em "seedlings" de limăo "Cravo' (Citrus limonia Osbeck). In: REUNIĂO ANUAL DA SBPC, 46. Vitória ,1994. Anais . Vitória, 1994. p.16.
    • MULLER, I.A.; YOUNG, M.J. Influence of gibberellic acid and effectiveness of several carriers on growth of sour orange (Citrus aurantium L.) seedlings. Hortscience, v.17, n.4, p.673-674, 1982.
    • RAMOS, V.H.V. Efeitos do ácido giberélico e cycocel sobre porta-enxerto de mangueira (Mangifera indica L.) em viveiro. Viçosa, 1980. 117p. Dissertaçăo (Mestrado) - Universidade Federal de Viçosa.
    • SIDAHMED, O.A. Effects of different levels of gibberellic acid (GA3) on growth of sour orange (Citrus aurantium L.) seedlings. Acta Horticulturae, n.84, p.165-169, 1978.
    • STANT, M.Y. The effect of gibberellic acid on fibre-cell lenght. Annals of Botany, v.25, n.100, p.453-462, 1961.
    • TAKAHASHI, N.; YAMAGUCHI, I.; YAMANE, H. Gibberellins. In: TAKAHASHI, N. (Ed.) Chemistry of plant hormones Boca Raton: CRC Press, 1988. cap. 3, p.57-151.
    • TAYLOR, R.M. Influence of gibberellic acid on early patch budding of pecan seedlings. Journal American Society for Horticultural Science, v.97, n.5, p.677-679, 1972.
    • TEÓFILO SOBRINHO, J. Propagaçăo dos citros. In: RODRIGUEZ, O.; VIÉGAS, F. Citricultura brasileira 2.ed. Campinas: Fundaçăo Cargill, 1991. v.1, p.281-301.

    1 Parte da Dissertação de Mestrado do primeiro autor.

    Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      10 Fev 1999
    • Data do Fascículo
      Maio 1996

    Histórico

    • Recebido
      17 Jul 1996
    • Aceito
      06 Out 1996
    Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Phone: +55 19 3429-4401 / 3429-4486 - Piracicaba - SP - Brazil
    E-mail: scientia@usp.br