Reformas Neoliberais, Reforma Sanitária Brasileira e Fundações Estatais de Direito Privado: análise de documento da Fundação Estatal de Saúde da Família (FESF) - Bahia

Neoliberal Reforms, Brazilian Health Care Reform and Private Law State Foundations: analysis of a Family Health State Foundation (FESF-Bahia) document

Resumos

A implantação do Sistema Único de Saúde (SUS) coincidiu com um período da história brasileira hostil a direitos sociais universalistas, no qual se aprofunda o padrão de dominação de classes no País, determinado pela subordinação a interesses externos e por um regime de segregação social. As reformas neoliberais - atual expressão deste padrão - se chocam frontalmente com as proposições da reforma sanitária brasileira. Este estudo analisou um documento da Fundação de Saúde da Família da Bahia, onde se encontraram os principais elementos das reformas neoliberais: a acomodação ao ajuste fiscal, a retirada de direitos dos trabalhadores, a lógica corporativa na gestão dos serviços de saúde.

Reforma Sanitária Brasileira; Fundações Estatais de Direito Privado; Sistema Único de Saúde; Reformas Neoliberais; Direitos Civis


The implantation of the Unified Health System (SUS) has coincided with a period of Brazilian history of hostililty toward universal social rights, in which the pattern of class domination in the country is deepened, determined by subordination to external interests by a regime of social segregation. The process of neoliberal reforms, a current expression of this pattern, clashes head on with the propositions of the Brazilian public health reform. This study has analyzed a document from the Fundação de Saúde da Família da Bahia, in which the main elements of the neoliberal reforms were found: the accomodation to fiscal adjustment, the removal of worker rights, the corporative logic behind health care service management.

Brazilian Health Care Reform; Private Law State Foundations; National Health System; Neoliberal Reforms; Civil Rights


  • ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SÃO PAULO. Comissão Parlamentar de Inquérito sobre a remuneração dos serviços médicos hospitalares. Sub-relatoria de Organizações Sociais. Sub-relatório. São Paulo: a Assembléia, 2008.
  • BIANCHI, A. O laboratório de Gramsci: filosofia, história e política. São Paulo: Alameda, 2008.
  • BORON, A. Estado, Capitalismo y Democracia en América Latina. Buenos Aires: Clacso, 2004.
  • CAMPOS, G. W. S. Reforma Política e Sanitária: A sustentabilidade do SUS em questão? Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 301-306, abr. 2007.
  • CARNEIRO, F. F. et al. Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro: ABRASCO, abr. 2012.
  • CENTRO BRASILEIRO DE ESTUDOS DE SAÚDE. A Questão Democrática na Área da Saúde; Assistência à saúde numa sociedade democrática. In: FLEURY, S.; BAHIA, L.; AMARANTE, P. (orgs.) Saúde em Debate: fundamentos da reforma sanitária. Rio de Janeiro: CEBES, 2008.
  • CHAVES, J. V.; RIBEIRO, J. A. C. Gasto Social Federal: uma análise da execução orçamentária de 2011. Brasília: IPEA, 2012.
  • FALEIROS, V. P. et al. A construção do SUS: histórias da reforma sanitária e do processo participativo. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.
  • FATORELLI, M. L. Quem vai pagar a conta? Revista Poli: Saúde, educação e trabalho, Rio de Janeiro, a. 4, n. 26, jan./fev. 2013.
  • FATORELLI, M. L.; ÁVILA, R. Os números da dívida. Disponível em: <www.auditoriacidada.org.br>. Acesso em: 24 abr 2012.
  • FERNANDES, F. Poder e Contrapoder na América Latina. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1981.
  • ______. Nova República? Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.
  • ______. Em Busca do Socialismo. São Paulo: Xamã, 1995.
  • ______.O que é Revolução. In: PRADO JR., C.; FERNANDES, F. Clássicos sobre a revolução brasileira. São Paulo: Expressão Popular, 2000.
  • ______.A Revolução Burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. São Paulo: Globo, 2006.
  • FLEURY, S. (org.). Saúde e Democracia: a luta do CEBES. São Paulo: Lemos Editorial, 1997.
  • FUNDAÇÃO ESTATAL SAÚDE DA FAMÍLIA DA BAHIA. FESF-SUS Inovação Radical na Estratégia de Saúde da Família. Salvador: FESF/SUS, 2009.
  • FURTADO, C. Pequena introdução ao desenvolvimento. São Paulo: Companhia Nacional, 1982.
  • GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. v. 3.
  • GRANEMANN, S. Fundações Estatais: Projeto de Estado do Capital. In: BRAVO, M. I. S. et al (org.). Política de saúde na atual conjuntura: modelos de gestão e agenda para a saúde.2. ed. Rio de Janeiro: Rede Sirius/ADUFRJ-SSind, 2008.
  • IBAÑEZ, N.; VECINA NETO, G. Management models and Brazil's National Health System (SUS). Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, suppl. 0, nov. 2007.
  • LOPEZ, A.; MOTA, C. G. História do Brasil: uma interpretação. São Paulo: Senac, 2008.
  • MÉSZAROS, I. O desafio e o fardo do tempo histórico: o socialismo no século XXI. São Paulo: Boitempo, 2007.
  • OCKÉ-REIS, C. O.; SOPHIA, D. C. Uma crítica à privatização do sistema de saúde brasileiro: pela constituição de um modelo de proteção social público de atenção à saúde. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 33, n. 81, p.72-79, jan./abr. 2009.
  • PAN AMERICAN HEALTH ORGANIZATION/WORLD HEALTH ORGANIZATION. Health Situation in the Americas. Basic Indicators 2012. Washington: PAHO/WHO, 2012. Disponível em: <http://new.paho.org/hq/index.php?option=com_content&task=view&id=2470&ltemid=2003>. Acesso em: 01 dez. 2012.
  • PAIM, J. S. Reforma Sanitária Brasileira: contribuição para a compreensão e crítica. Salvador: EDUFBA; Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2008.
  • ______. Uma análise sobre o processo da Reforma Sanitária brasileira. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 33, n. 81, p. 27-37, jan./abr. 2009.
  • PAIM, J. S.; TEIXEIRA, C. F. Configuração institucional e gestão do Sistema Único de Saúde: problemas e desafios. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, suppl. 0, nov. 2007.
  • PAN AMERICAN HEALTH ORGANIZATION; WORLD HEALTH ORGANIZATION. Health Situation in the Americas. Basic Indicators 2012. Washington: PAHO/WHO, 2012. Disponível em: <http://new.paho.org/hq/index.php?option=com_content&task =view&id=2470&Itemid=2003>. Acesso em: 01 dez. 2012.
  • REZENDE, C. A. P. O Modelo de Gestão do SUS e a ameaça neoliberal In: BRAVO, M. I. S. et al (orgs.). Política de saúde na atual conjuntura: modelos de gestão e agenda para a saúde. 2. ed. Rio de Janeiro: Rede Sirius/ADUFRJ-SSind, 2008.
  • SAMPAIO JÚNIOR, P. A. Entre a nação e a barbárie: os dilemas do capitalismo dependente em Caio Prado, Florestan Fernandes e Celso Furtado. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.
  • SANTOS, N. R. A Reforma Sanitária e o Sistema Único de Saúde: tendências e desafios após 20 anos. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 33, n. 81, p.13-26, jan./abr. 2009.
  • SOARES, L. T. R. Ajuste Neoliberal e Desajuste Social na América Latina. Rio de Janeiro: UFRJ, 1998.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    19 Ago 2013
  • Data do Fascículo
    Jun 2013

Histórico

  • Recebido
    Abr 2012
  • Aceito
    Maio 2013
Centro Brasileiro de Estudos de Saúde Av. Brasil, 4036, sala 802, 21040-361 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel. 55 21-3882-9140, Fax.55 21-2260-3782 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revista@saudeemdebate.org.br