CONVIVENDO COM O TRANSTORNO MENTAL NA INFÂNCIA: SENTIMENTOS E REAÇÕES DA FAMÍLIA1 1 Artigo extraído da dissertação - Transtorno mental na infância: vivências familiares, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá (UEM), em 2013.

Jéssica Batistela Vicente Sonia Silva Marcon Ieda Harumi Higarashi Sobre os autores

Estudo descritivo de abordagem qualitativa, realizado junto a 14 familiares de crianças com transtornos mentais, atendidas no Centro de Atenção Psicossocial Infantil de Maringá, Paraná, tendo como objetivo compreender as vivências, os sentimentos e as reações de famílias de crianças com transtorno mental. Os dados, coletados no período de janeiro a abril de 2013, por meio de entrevista aberta, foram submetidos à análise de conteúdo, modalidade temática, da qual emergiram duas categorias: "Convivendo com o transtorno mental na infância: uma batalha diária" e "O sentir e o reagir: vivenciando o transtorno mental infantil". Conclui-se que a família precisa compreender a doença para aceitá-la e, assim, aprender a conviver com ela, e cabe ao enfermeiro oferecer suporte para o enfrentamento das dificuldades.

Família; Saúde da criança; Saúde mental; Enfermagem


Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Campus Universitário Trindade, 88040-970 Florianópolis - Santa Catarina - Brasil, Tel.: (55 48) 3721-4915 / (55 48) 3721-9043 - Florianópolis - SC - Brazil
E-mail: textoecontexto@contato.ufsc.br