(Atualizado: 31/01/2022)

Sobre o periódico

 

Informações básicas

 

Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia (Brazilian Journal of Geriatrics and Gerontology)

Editor: Renato Peixoto Veras

Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia (RBGG) é continuação do título Textos sobre Envelhecimento, fundado em 1998. É um periódico especializado que publica produção científica no âmbito da Geriatria e Gerontologia, com o objetivo de contribuir para o aprofundamento das questões atinentes ao envelhecimento humano.

Periodicidade: publicação contínua, com formato eletrônico, sendo publicada nos idiomas Português/Espanhol e Inglês, acesso aberto e gratuito (open access), com identificação do ORCID de todos os autores.

O título abreviado da revista é Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., que deve ser usado em bibliografias, notas de rodapé, referências e legendas bibliográficas.

Versão on-line ISSN 1981-2256

Política de Plágio

A Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia adota o sistema Plagium para identificação de plagiarismo.

 

 

Fontes de indexação

 

Os artigos publicados na Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia são indexados ou resumidos por:

  •  SciELO - Scientific Electronic Library Online
  •  Cabell's Directory of Publishing Opportunities
  •  DOAJ - Directory of Open Access Journals
  •  Free Medical Journals
  •  LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  •  LILACS - Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências Sociais 
  •  PAHO - Pan American Health Organization 
  •  Redalyc - Red Revistas Científicas América 
  •  Open Acess Digital Library
  •  Ubc Library Journals
 

 

Propriedade intelectual

 

Todo o conteúdo do periódico, exceto onde estiver identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons do tipo atribuição CC-BY.

 

 

Divulgação

 

Site RBGG

Instagram

Facebook RBGG

Youtube RBGG
 

 

 

Corpo editorial

Editor

   

 

Editores associados

   

 

Editor executivo

   

 

Grupo de assessores

 
  • Alexandre Kalache – Centro Internacional de Longevidade Brasil. Rio de Janeiro-RJ, Brasil
  • Anabela Mota Pinto – Universidade de Coimbra. Coimbra, Portugal
  • Anita Liberalesso Néri – Universidade Estadual de Campinas. Campinas-SP, Brasil
  • Annette Gertrud Anneliese Leibing – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro-RJ, Brasil
  • Candela Bonill de las Nieves – Hospital Universitário Carlos Haya. Málaga, Espanã
  • Carina Berterö – Linköping University. Linköping, Suécia
  • Catalina Rodriguez Ponce – Universidad de Málaga. Málaga, Espanã
  • Eliane de Abreu Soares – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro-RJ, Brasil
  • Emílio Hideyuki Moriguchi – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre-RS, Brasil
  • Emílio Jeckel Neto – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre-RS, Brasil
  • Evandro da Silva Freire Coutinho – Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro-RJ, Brasil
  • Guita Grin Debert – Universidade Estadual de Campinas. Campinas-SP, Brasil
  • Ivana Beatrice Mânica da Cruz – Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria-RS, Brasil
  • Jose F. Parodi - Universidad de San Martín de Porres de Peru. Lima, Peru
  • Lúcia Helena de Freitas Pinho França – Universidade Salgado de Oliveira. Niterói-RJ, Brasil
  • Lúcia Hisako Takase Gonçalves – Universidade Federal do Pará. Belém-PA, Brasil
  • Luiz Roberto Ramos – Universidade Federal de São Paulo. São Paulo-SP, Brasil
  • Maria da Graça de Melo e Silva – Escola Superior de Enfermagem de Lisboa. Lisboa, Portugal
  • Martha Pelaez – Florida International University. Miami, EUA
  • Mônica de Assis – Instituto Nacional de Câncer. Rio de Janeiro-RJ, Brasil
  • Raquel Abrantes Pêgo - Centro Interamericano de Estudios de Seguridad Social. México-DF, México
  • Ricardo Oliveira Guerra – Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal-RS, Brasil
 

 

Produção editorial

 

Assistentes Editoriais

Normalização

  • Gisele de Fátima Nunes da Silva
  • Maria Luisa Lamy Mesiano Savastano

Revisão

  • Luiz Antonio Tarcitano
 

 

Instruções aos autores

 

Categorias de manuscritos

 

Todos os artigos, independente da sua respectiva categoria deverão ser elaborados de acordo com a orientação da RBGG, observando o desenho de estudo do artigo (indicado no Checklist do site da Revista).

Artigos originais: são relatos de trabalho original, destinados à divulgação de resultados de pesquisas inéditas de temas relevantes para a área pesquisada, apresentados com estrutura constituída de Introdução, Metodologia, Resultados, Discussão e Conclusão, embora outros formatos possam ser aceitos.

Máximo de 4.000 palavras, excluindo resumo, referências bibliográficas, tabelas e figuras. Máximo de 35 referências e de 5 tabelas e/ou figuras.

Para aceitação de artigo original abrangendo ensaios clínicos, será solicitado o número de identificação de registro dos ensaios.

Artigos de opinião:

São textos de opinião livre capazes de fomentar uma reflexão e discussão sobre temas de interesse para a Geriatria e Gerontologia, desenvolvidos com qualidade científica e ética. 

Máximo de 4.000 palavras, excluindo resumo, referências bibliográficas, tabelas e figuras. Máximo de 30 referências e de 4 tabelas e/ou figuras. Devem incluir Resumo e duas a cinco Palavras-chave.

Revisões:

a) Revisão sistemática - é uma revisão planejada para responder a pergunta específica, objeto da revisão. É feita por meio da síntese de resultados de estudos originais, quantitativos ou qualitativos, e descreve o processo de busca dos estudos, os critérios utilizados para seleção daqueles que foram incluídos na revisão e os procedimentos empregados na síntese dos resultados obtidos pelos estudos.

b) Metanálise - É uma técnica estatística utilizada para combinar resultados vindos de dois ou mais estudos diferentes encontrados na literatura sobre uma mesma questão de pesquisa. Integra dados de modo padronizado, com o objetivo de obter um resultado com maior poder explicativo e esclarecer eventuais divergências nas conclusões dos diferentes estudos-base.

c) Revisão de escopo - Mapeamento da literatura com relação a métodos, análises de dados, variáveis, conceitos etc. utilizados sobre determinado assunto que ainda não se tem muito conhecimento produzido. Em geral, tem o objetivo de nortear a execução de posterior revisão sistemática ou metanálise. Parte de uma busca mais ampla e aprofunda utilizando os descritores e referências encontrados inicialmente para direcionar mais precisamente para o que se publicou sobre o assunto

d) Revisão integrativa - método de revisão amplo, que permite incluir literatura teórica e empírica, bem como estudos com diferentes abordagens metodológicas (quantitativa e qualitativa). Os estudos incluídos na revisão devem ser analisados de forma sistemática em relação aos seus objetivos, materiais e métodos.

Máximo de 4.000 palavras, excluindo resumo, referências. Máximo de 50 referências e de 5 tabelas e/ou figuras.

Relatos de caso: Relatos inéditos, de descrição bem documentada, relacionados ao campo temático da revista. Esta categoria tem por função anunciar novas variações de processos de doença, tratamento ou resultados inusitados etc.), enquanto ainda não houve tempo de uma análise com maior número de casos para submeter como "artigo original". Os autores devem informar, na argumentação do texto, os aspectos relevantes e sua relação aos casos publicados anteriormente na literatura da área. Devem apresentar Introdução, Método, Resultados (relatando a experiência inédita), Discussão e Conclusão.

Máximo de 3.000 palavras, excluindo resumo, referências. Máximo de 25 referências e de 3 tabelas e/ou figuras.

Recomendamos consultar as orientações para relato de caso.

Atualizações: trabalhos descritivos e interpretativos, com fundamentação sobre a situação global em que se encontra determinado assunto investigativo, ou potencialmente investigativo.

Máximo de 3.000 palavras, excluindo resumo, referências. Máximo de 25 referências e de 3 tabelas e/ou figuras.

Comunicações breves: Relatos breves, de resultados preliminares de pesquisa com estudos em andamento ou que tenham sido concluídos recentemente antecipando resultados inovadores. Necessitam ser publicados com urgência por demonstrar fortes indícios de relações entre variáveis que possam levar a riscos à saúde pública, ainda que nem todas as hipóteses alternativas ou nem todos os efeitos tenham sido compreendidos totalmente.

Máximo de 1.500 palavras, excluindo resumo, referências. Máximo de 10 referências e uma tabela/figura.

Carta ao editor: Trata-se a manifestação de opinião de uma pessoa sobre determinado artigo.

Máximo de 600 palavras, excluindo resumo, referências. Máximo de referências: 08.

Mais informações em: www.rbgg.com.br
 

 

 

Preparação de manuscritos

 

Aceitam-se manuscritos nos idiomas português, espanhol e inglês.

Devem ser digitados em extensão .doc, .txt ou .rtf, fonte arial,corpo 12, espaçamento entre linhas 1,5; alinhamento à esquerda, página em tamanho A-4.

As páginas não devem ser numeradas.

Título e Título Curto:

a) Deve conter o Título completo e título curto do artigo, em português ou espanhol e em inglês.

Resumo: Os artigos deverão ser acompanhados de resumo com um mínimo de 150 e máximo de 250 palavras. Os artigos submetidos em inglês deverão ter resumo em português, além do abstract em inglês.

Para os artigos originais, os resumos devem ser estruturados destacando objetivos, métodos, resultados e conclusões mais relevantes. Para as demais categorias, o formato dos resumos pode ser o narrativo, mas com as mesmas informações. Não deve conter citações.

Palavras-chave: Indicar, no campo específico, de três e a seis termos que identifiquem o conteúdo do trabalho, utilizando descritores em Ciência da Saúde - DeCS - da Bireme disponível em https://decs.bvsalud.org/.

Corpo do artigo: A quantidade de palavras no artigo é de até 4 mil, englobando Introdução; Método; Resultado; Discussão; Conclusão e Agradecimento (este ultimo não é obrigatório).

Introdução: Deve conter o objetivo e a justificativa do trabalho; sua importância, abrangência, lacunas, controvérsias e outros dados considerados relevantes pelo autor.

Método: deve informar a procedência da amostra, o processo de amostragem, dados do instrumento de investigação e estratégia de análise utilizada.  Nos estudos envolvendo seres humanos, deve haver referência à existência de um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido apresentado aos participantes após aprovação do Comitê de Ética da instituição onde o projeto foi desenvolvido. 

Resultado: devem ser apresentados de forma sintética e clara, e apresentar tabelas ou figuras elaboradas de forma a serem autoexplicativas, informando a significância estatística, quando couber. Evitar repetir dados do texto.O número máximo de tabelas e/ou figuras é 5 (cinco).

Discussão: deve explorar os resultados, apresentar a interpretação / reflexão do autor fundamentada em observações registradas na literatura atual e as implicações/desdobramentos para o conhecimento sobre o tema. As dificuldades e limitações do estudo podem ser registradas neste item. 

Conclusão: apresentar as conclusões relevantes face aos objetivos do trabalho, e indicar formas de continuidade do estudo .

Agradecimentos: podem ser registrados agradecimentos a instituições ou indivíduos que prestaram efetiva colaboração para o trabalho, em parágrafo com até cinco linhas.

Referências: devem ser normalizadas de acordo com o estilo Vancouver. A identificação das referências no texto, nas tabelas e nas figuras deve ser feita por número arábico, correspondendo à respectiva numeração na lista de referências. As referências devem ser listadas pela ordem em que forem mencionadas pela primeira vez no texto (e não em ordem alfabética). Todas as obras citadas no texto devem figurar nas referências.

Solicitamos que 50% das referências devam ser publicações datadas dos últimos 5 anos.

Os autores são responsáveis pela exatidão das referências, assim como por sua correta citação no texto.

Notas de rodapé: deverão ser restritas ao necessário; não incluir nota de fim.

Imagens, figuras, tabelas, quadrosoudesenhos devem ser encaminhados e produzidos no formato Excel ou Word pórem de forma editável, em tons de cinza ou preto.

Gráficos devem ter fonte: 11, centralizados, com informação do local do evento/coleta e Ano do evento.

Trabalhos feitos em softwares de estatística (como SPSS, BioStat, Stata, Statistica, R, Mplus etc.), serão aceitos, porém, deverão ser editados posteriormente de acordo com as solicitações do parecer final e, traduzidos para o inglês.

Pesquisas envolvendo seres humanos: deverão incluir a informação referente à aprovação por comitê de éticaem pesquisa com seres humanos, conforme a Resolução nº 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde. Na parte “Método”, constituir o último parágrafo com clara afirmação deste cumprimento. O manuscrito deve ser acompanhado de cópia de aprovação do parecer do Comitê de Ética.

Ensaios clínicos:Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia apoia as políticas para registro de ensaios clínicos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE), reconhecendo a importância dessas iniciativas para o registro e divulgação internacional de informação sobre estudos clínicos, em acesso aberto. Sendo assim, a partir de 2007, somente serão aceitos para publicação os artigos de pesquisas clínicas que tenham recebido um número de identificação em um dos Registros de Ensaios Clínicos validados pelos critérios estabelecidos pela ICMJE e OMS cujos endereços estão disponíveis no site do ICMJE. O número de identificação deverá ser registrado ao final do resumo.

Recomenda-se ao autor observar os seguintes Checklists e acordo com o tipo de estudo feito:

  •  CONSORT - para ensaios clínicos controlados e randomizados
  •  CONSORT CLUSTER - extensão para ensaios clínicos com conglomerados
  •  TREND -  avaliação não aleatorizada e sobre saúde pública
  •  STARD - para estudos de precisão diagnóstica
  •  REMARK - para estudos de precisão prognóstica
  •  STROBE - para estudos epidemiológícos observacionais (estudo de coorte, caso controle ou transversal)
  •  MOOSE - para metanálise de estudos epidemiológicos observacionais
  •  PRISMA - para revisões sistemáticas e meta-análises
  •  CASP - para revisões integrativas
  •  COREQ - para estudos qualitativos

Pesquisas envolvendo seres humanos: deverão seguir os princípios éticos para as pesquisas médicas em seres humanos, adotados pela Assembleia Médica Mundial de Helsinque e emendada nas Assembleias subsequentes (https://www.wma.net/policies-post/wma-declaration-of-helsinki-ethical-principles-for-medical-research-involving-human-subjects/ ), e a legislação vigente no país em que a pesquisa foi desenvolvida. As pesquisas desenvolvidas no Brasil devem incluir a informação referente à aprovação por comitê de ética em pesquisa com seres humanos, conforme as Resoluções nº 466/2012 e 510/2016 do Conselho Nacional de Saúde. Na parte “Método”, constituir o último parágrafo com clara afirmação deste cumprimento. O manuscrito deve ser acompanhado de cópia de aprovação do parecer do Comitê de Ética.

Ensaios clínicos: a RBGG apoia as políticas para registro de ensaios clínicos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE), reconhecendo a importância dessas iniciativas para o registro e divulgação internacional de informação sobre estudos clínicos, em acesso aberto. Sendo assim, somente serão aceitos para publicação os artigos de pesquisas clínicas que tenham recebido um número de identificação em um dos Registros de Ensaios Clínicos validados pelos critérios estabelecidos pela OMS (WHO) e ICMJE. O número de identificação deverá ser registrado ao final do resumo.
 

 

 

Submissão de artigos e documentos necessários

 

As submissões devem ser realizadas pelo site da Revista, acessando o link "submissão de artigos".

Após a submissão, a Comissão Editorial da Revista irá averiguar se todas as orientações da submissão foram atendidas, e inicializará o processo de publicação do artigo.

A RBGG estimula a adesão ao movimento da Ciência Aberta, por isso sugerimos que os autores participem ativamente, incluindo seus manuscritos em repositórios de preprints;

Temos um perfil no site Publons que favorece a divulgação tanto de periódicos quanto de autores e revisores. Para endossar a RBGG acesse: www.publons.com/journal/35543/revista-brasileira-de-geriatria-e-gerontologia/;

Os manuscritos devem ser originais, destinar-se exclusivamente à Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia e não serem submetidos para avaliação simultânea em outros periódicos.

O texto não deve incluir qualquer informação que permita a identificação de autoria; os dados dos autores deverão ser informados apenas nos campos específicos do formulário de submissão.

Itens exigidos na submissão: Termo de aceite, página de identificação, direitos autorais, agradecimento, Formulário sobre conformidade com a Ciência Aberta, Checklist preenchido (guias de relato científico) de acordo com o desenho do estudo, Comprovante de aprovação da pesquisa por comissão de ética (nos casos em que se aplica). Em nosso site (www.rbgg.com.br) os autores encontram o modelo padrão de cada documento. Além do documento atestando a aprovação da pesquisa por comissão de ética.

Mais informações em: www.rbgg.com.br

 

 

 

Avaliação de manuscritos

 

Os manuscritos que atendem à normalização, conforme orientações, são encaminhados para as fases de avaliação. Para ser publicado, o manuscrito deve ser aprovado nas seguintes fases:

  1.  Pré-análise: a avaliação do manuscrito é feita pelos Editores Científicos, tendo como base a originalidade, pertinência, qualidade acadêmica e relevância do manuscrito para as áreas de Geriatria e Gerontologia.
  2.  Avaliação por pares externos: os manuscritos selecionados na pré-análise são submetidos à avaliação de especialistas na temática abordada. Os pareceres são analisados pelos editores, para a aprovação ou não do manuscrito. A decisão final sobre a publicação ou não do manuscrito é dos editores.
  3.  Análise final: fase em que o autor faz os ajustes necessários à publicação do artigo. Nesse processo de editoração e normalização, a Revista se reserva o direito de proceder a alterações no texto de caráter formal, ortográfico ou gramatical antes de encaminhá-lo para publicação.

O anonimato é garantido durante todo o processo de julgamento.

A decisão final sobre a publicação ou não do manuscrito é sempre dos Editores da RBGG.

Open Review

Em todos os artigos constará o nome do editor responsável pelo manuscrito.

Conflito de Interesse

Possíveis conflitos de interesse por parte dos autores também deverão ser mencionados e descritos no “Termo de Responsabilidade”, documento exigido pela RBGG na submissão do artigo.

 

 

Taxa de Processamento de artigos (Article Processing Charge – APC)

 

Publicação

A cobrança tem como objetivo garantir recursos exclusivamente para a produção editorial da RBGG. Para tanto, solicitamos ao autor uma taxa de publicação, que é dividida em duas etapas:

  • uma parte, a ser paga somente se o manuscrito for aprovado na triagem no valor de R$200,00 (duzentos reais);
  • e outra, a ser paga somente após a aprovação final, se o artigo for aceito para publicação, no valor de R$780,00 (setecentos e oitenta reais).

Os manuscritos poderão ser submetidos nos seguintes idiomas:

Português, Inglês ou Espanhol. Sendo submetido em Inglês ou Espanhol, os autores se comprometem a custear a revisão profissional por empresas autorizadas e indicadas pela RBGG.

Uma vez publicados os artigos em ambas as versões, qualquer leitor poderá ter acesso livre e sem custo à revista on-line completa em nosso site (inclusive na versão mobile) e no site SciELO, tanto na versão em português ou espanhol quanto em inglês, com a possibilidade de ler em ambiente virtual ou baixar os artigos da RBGG em PDF.

Errata do Manuscrito

Para a realização de qualquer alteração no artigo publicado ou nas informações extratexto que compõem o artigo (como nomes, filiação e dados dos coautores, autor de correspondência...) será cobrada uma taxa de R$ 450,00 por errata. Essa cobrança iniciará a partir da aprovação final do PDF pelos autores.

 

 

Universidade do Estado do Rio Janeiro Rua São Francisco Xavier, 524 - Bloco F, 20559-900 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel.: (55 21) 2334-0168 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revistabgg@gmail.com