(Atualizado: 14/06/2021)

Sobre o periódico

 

Informações básicas

 

A Revista Brasileira de Enfermagem (REBEn), criada em 1932, é o órgão oficial de publicação da Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn). É o mais antigo periódico da Enfermagem brasileira e sua missão é divulgar a produção científica das diferentes áreas do saber que sejam do interesse da Enfermagem, incluindo a que expresse o projeto político da Associação.

Seu primeiro título foi "Annaes de Enfermagem", de maio de 1932 a abril de 1941, modificado para "Anais de Enfermagem", de janeiro de 1946 a dezembro de 1954, quando passou a ter o título atual - Revista Brasileira de Enfermagem (REBEn). Em sua trajetória, teve uma única interrupção, no período de maio de 1941 a dezembro de 1945.

A REBEn é publicada na versão eletrônica, periodicidade bimestral e com acesso aberto.  A versão impressa foi descontinuada.

Política de Acesso Aberto -  A Revista Brasileira de Enfermagem adota o modelo de Acesso Aberto e desse modo é permitido a qualquer pessoa ler ou fazer download, e copiar e disseminar seu conteúdo para propósitos educacionais.

A abreviatura de seu título é Rev Bras Enferm, que deve ser usada em bibliografias, notas de rodapé e em referências e legendas bibliográficas.

 

 

Divulgação

 

http://reben.com.br/revista/
https://www.instagram.com/revistareben/
https://www.facebook.com/profile.php?id=100018057126270
https://twitter.com/en_reb

 

 

Indexação

 
  • BDENF (Base de Dados em Enfermagem)
  • CINAHL (Cumulative Index to Nursing & Allied Health Literature)
  • CUIDEN (Base de dados da Fundacíon Index - España)
  • DOAJ (Directory of Open Access Journals)
  • ESCI (Emerging Sources Citation Index)
  • EBSCO
  • ESCI (Emerging Sources Citation Index)
  • Google Scholar
  • LATINDEX (Sistema Regional de Informação em Linha para Revistas Científicas da América Latina, Caribe, Espanha e Portugal)
  • LILACS (Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde)
  • MEDLINE / International Nursing Index (Literatura Internacional em Ciências da Saúde)
  • OAJI (Open Academic Journals Index)
  • PERIÓDICA (Índice de Revistas Latino-americanas em Ciências)
  • ProQuest
  • PubMed (US National Library of Medicine)
  • Redalyc (Red de Revistas Científicas de América Latina y El Caribe, España y Portugal)
  • SciELO (Scientific Electronic Library Online)
  • SCOPUS
  • SJR (SCImago Journal & Country Rank)
  • SIIC Data Bases (Sociedad Iberoamericana de Información Cientifica)
  • Ulrich’s International Periodicals Directory
 

 

Propriedade intelectual

 

Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons do tipo atribuição CC-BY.

A Revista Brasileira de Enfermagem adotou até Jun/2015 a licença Creative Commons do tipo BY-NC. A partir de Jul/2015 a licença em uso é do tipo BY.

 

 

Associação

 

 

 

Patrocinadores

 

A REBEn recebe apoio financeiro de:

  • Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
  • Organização Pan-Americana da Saúde

 

 


Corpo editorial

 

Comissão de Publicações

 

Hugo Fernandes - Universidade Federal de São Paulo, São Paulo – SP, Brasil
hugoenf@yahoo.com.br

Márcia Cristina da Silva Magro Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil
marciamagro@unb.br

Marcos Antônio Gomes Brandão - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
marcosbrandao@ufrj.br

Margarida M Vieira - Universidade Católica do Porto, Porto, Portugal
mmvieira@porto.ucp.pt

Maria Elisabete Salvador GraziosiUniversidade Federal de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil.
betesalva@hotmail.com

Maria Isabel Catoni Salamanca - Pontifícia Universidad Católica de Chile, Santiago, Chile
mcatoni@uc.cl

Maria Itayra Padilha - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC, Brasil.
itayra.padilha@ufsc.br

Maria Saraiva - Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, Lisboa, Portugal
mariasaraiva5993@gmail.com

Mitzy Tannia Reichembach -  Universidade Federal do Paraná, Curitiba-PR, Brasil
profa.mitzy@ufpr.br

Priscilla BrocaUniversidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro - RJ, Brasil
priscillabroca@gmail.com

Rafael Silva - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro - RJ, Brasil
rafaenfer@yahoo.com.br

Renata Karina Reis - Universiade de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil
rkreis@eerp.usp.br

  • EDITOR DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

    Italo Rodolfo Silva - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Macaé – RJ, Brasil
    enf.italo@hotmail.com
 

 

Conselho Editorial

 

Alacoque Lorenzini ErdmannUniversidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC, Brasil
alacoque.erdmann@ufsc.br

Alba Lucia Bottura Leite de Barros – Universidade Federal de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil
barrosalba@denf.epm.br

  • Amy Coenen – University of Wisconsin, Milwaukee, Wisconsin, EUA
    coenena@uwm.edu

    Andreia Malucelli – Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba-PR, Brasil
    andreia.malucelli@pucpr.br

    Benevina Maria Vilar Teixeira Nunes – Universidade Federal do Piauí, Teresina-PI, Brasil
    benevina@ufpi.edu.br

    Bertha Cruz Enders – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal-RN, Brasil
    berthacruz.enders@gmail.com

    Célia Alves Rozendo – Universidade Federal de Alagoas, Maceió-AL, Brasil
    celia.rozendo@pq.cnpq.br

    Claudia Bartz – International Council of Nurses, Genebra, Switzerland
    cbartz@uwm.edu

    Cristina Maria Garcia de Lima Parada - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Botucatu-SP, Brasil
    cparada@fmb.unesp.br

    Danelia Gómez Torres – Universidad Autónoma del Estado de México, Toluca, México
    gomezdanelia@usa.net

    Danielle Groleau – McGill University, Montreal, Quebec, Canada
    danielle.groleau@mcgill.ca

    Denise Elvira Pires de Pires – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC, Brasil
    denise.pires@ufsc.br

    Denize Bouttelet Munari – Universidade Federal de Goiás, Goiânia-GO, Brasil
    boutteletmunari@gmail.com

    Denize Cristina de Oliveira – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
    dcouerj@gmail.com

    Diná de Almeida Lopes Monteiro da Cruz – Universidade de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil
    dinamcruz@usp.br

    Elizabeth Teixeira – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
    etfelipe@hotmail.com

    Emiko Yoshikawa Egry – Universidade de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil
    emiyegry@usp.br

    Emilia Campos de Carvalho – Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto-SP, Brasil
    ecdcava@eerp.usp.br

    Estela Maria Leite Meirelles Monteiro – Universidade de Pernambuco, Recife-PE, Brasil
    estelapf2003@yahoo.com.br

    Florentina Pina Roche - Universidad de Murcia, Espanha
    florpina@um.es

    Franco Carnevale – McGill University, Montreal, Quebec, Canada
    franco.carnevale@mcgill.ca

    Heather Beanlands - Ryerson University, Canada
    hbeanlan@ryerson.ca

    Inês Fronteira - Universidade Nova de Lisboa, Instituto de Higiene e Medicina Tropical, Portugal
    ifronteira@ihmt.unl.pt

    Ivone Evangelista Cabral - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
    icabral444@gmail.com

    Jasna Stiepovich Bertoni – Universidad de Concepción, Concepción, Chile
    jstiepov@udec.cl

    Joel Rolim Mancia- Universidade do Vale dos Sinos UNISINOS, Porto Alegre-RS, Brasil. 
    joelmancia@uol.com.br

    Josicelia Dumet Fernandes - Universidade Federal da Bahia, Salvador-BA, Brasil
    dumet@ufba.br

    Judith Shamian - International Council of Nurses, Genebra, Switzerland/ University of Toronto, Canada
    judith@judithshamian.com

    Jussara Gue Martini – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC, Brasil
    jussarague@gmail.com

    Lidia Aparecida Rossi – Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto-SP, Brasil
    rizzardo@eerp.usp.br

    Lucia Hisako Takase Gonçalves - Universidade Federal do Para, Belém-PA, Brasil
    lhtakase@gmail.com

    Manuel Alves Rodrigues - Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Portugal
    mrodrigues@esenfc.pt

    Manuel Amezcua - Cátedra Internacional Index de Investigación en Cuidados de Salud. Fundación Index. Granada, Andalucía, España
    secretaria@ciberindex.com

    Márcia de Assunção Ferreira – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
    marciadeaf@ibest.com.br

    Marcia Regina Cubas – Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba-PR, Brasil
    m.cubas@pucpr.br

    Marcia Regina Martins Alvarenga – Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Dourados-MS, Brasil
    marciaregina@uems.br

    Margarita Ana Rubin Unicovsky – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre-RS, Brasil
    mychelef@hotmail.com

    Maria Amélia de Campos Oliveira - Universidade de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil
    macampos@usp.br

    Maria Aparecida Munhoz Gaíva – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá-MT, Brasil
    mamgaiva@yahoo.com.br

    Maria Cristiane Barbosa Galvão – Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto-SP, Brasil
    mgalvao@usp.br

    Maria dos Anjos Dixe - Instituto Politecnico de Leiria, Portugal
    maria.dixe@ipleiria.pt

    Maria Gaby Rivero de Gutiérrez – Universidade Federal de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil
    gaby.gutierrez@unifesp.br

    Maria Jacirema Ferreira Gonçalves – Universidade Federal do Amazonas, Manaus-AM, Brasil
    jaciremagoncalves@gmail.com

    Maria Madalena Januário Leite – Universidade de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil
    marimada@usp.br

    Maria Miriam Lima da Nóbrega – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa-PB, Brasil
    miriam@ccs.ufpb.br

    Michel Maffesoli – Université Paris-Sorbonne, Paris, France
    ceaq@ceaq-sorbonne.org

    Nébia Maria Almeida de Figueiredo – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
    nebia43@gmail.com

    Neusa Collet - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa-PB, Brasil
    neucollet@gmail.com

    Nicola Thomas - London South Bank School of Nursing University, London, Ingland
    thoman11@lsbu.ac.uk

    Olivia Ines Sanhueza Alvarado – Universidad de Concepción, Concepción, Chile
    osanhue@udec.cl

    Pilar Espinosa – Pontificia Universidad Catolica de Chile, Santiago, Chile
    pilar.espinoza@uss.cl

    Raimunda Magalhães da Silva – Universidade de Fortaleza, Fortaleza-CE, Brasil
    rmsilva@unifor.br

    Raimunda Medeiros Germano – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal-RN, Brasil
    rgermano@natal.digi.com.br

    Silvana Sidney Costa Santos – Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande-RS, Brasil
    silvana.sidney@gmail.com

    Silvina Malvarez – Organización Panamericana de la Salud, Washington DC, EUA
    smalvarez@covad.net

    Sioban Nelson – University of Toronto, Toronto, Ontario, Canada
    sioban.nelson@utoronto.ca

    Tania Couto Machado Chianca - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte-MG, Brasil
    tchianca@enf.ufmg.br

    Thelma Leite de Araujo – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil
    thelmaaraujo2012@gmail.com

    Vilma de Carvalho – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
    decarvalho@gmail.com
 

 

Produção Editorial

   

 


Instruções aos autores

 

1. POLÍTICA EDITORIAL

 

REBEn é um periódico de acesso aberto (open access) revisado por pares que tem a missão de divulgar a Ciência da Enfermagem e da Saúde.

Aceita manuscritos nos idiomas português, inglês e espanhol. É publicada somente na versão eletrônica e em fluxo contínuo. Os conteúdos publicados na REBEn estão sob licença da Creative Commons (CC-BY) Atribuição 4.0 Internacional (https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt).

Manuscritos redigidos em português ou espanhol, deverão ser traduzidos para o inglês, em sua versão final, após o aceite do artigo.
Os manuscritos devem destinar-se exclusivamente à REBEn, não sendo permitida sua submissão simultânea a outro(s) periódico(s).

A REBEn endossa as práticas de ciência aberta que consistem no conhecimento transparente e acessível que é compartilhado e desenvolvido por meio de redes de trabalhos colaborativos (FOSTER Open Science Definition - https://www.fosteropenscience.eu/foster-taxonomy/open-science-definition).

Diante desta definição, e objetivando aumentar o rigor, a responsabilidade e a reprodutibilidade da pesquisa em prol da transparência, qualidade e rapidez, conforme as recomendações TOP - Transparency and Openess Promotion (https://osf.io/dngy3/), a REBEn aceita manuscritos provenientes de servidores preprints para o processo de avaliação pelos pares.

1.1 Declaração sobre Ética e Integridade em Pesquisa

A REBEn apoia as Recomendações para a Condução, Relatório, Edição e Publicação de Trabalhos Acadêmicos em Revistas Médicas (Recommendations for the Conduct, Reporting, Editing, and Publication of Scholarly Work in Medical Journals), do Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas (International Committee of Medical Journal Editors). Essas recomendações, relativas à integridade e padrões éticos na condução e no relatório de pesquisas, estão disponíveis na URL http://www.icmje.org/urm_main.html.

Apoia ainda os padrões internacionais para publicação de pesquisa responsável, desenvolvidos pelo COPE (Committee on Publication Ethics) e destinados a editores e autores (disponíveis em: https://publicationethics.org/resources/resources-and-further-reading/international-standards-editors-and-authors).

Conceitos, ideias ou opiniões emitidos nos manuscritos, bem como a procedência e a exatidão das citações neles contidas, são de inteira responsabilidade do(s) autor(es).

A REBEn adota o sistema Ithenticate para identificação de similaridade. Práticas que ferem a integridade científica como plágio, autoplágio, fabricação de dados, publicação redundante e conflitos de interesse não divulgados serão levadas para avaliação do Conselho Editorial que seguirá o fluxograma fornecido pelo COPE - http://publicationethics.org/resources/flowcharts. O Conselho Editorial da REBEN discutirá tais casos suspeitos e tomará as devidas decisões, tais como: embargos e suspensão de publicar no periódico por período determinado pelo Conselho Editorial. Os autores serão imediatamente comunicados de todas as etapas deste processo.

A REBEn não hesitará em publicar erratas, retificações, retratações e desculpas quando necessário.

1.2 Conflito de Interesse

A REBEn exige que todos os autores do manuscrito declarem quaisquer fontes potenciais de conflitos de interesse. Qualquer interesse ou relacionamento, financeiro ou outro, ou crenças pessoais, religiosas ou políticas que possam ser percebidas como influenciando a objetividade de um autor são considerados uma fonte potencial de conflito de interesses. Fontes potenciais de conflito de interesse incluem, mas não estão limitadas a: patente ou propriedade de ações, participação em um conselho de administração de uma empresa, participação em um conselho consultivo ou comitê de uma empresa e consultoria ou recebimento de honorários de palestrante de uma empresa. A existência de conflito de interesses não impede a publicação. Se os autores não tiverem conflito de interesses a declarar, deve m declarar na submissão do manuscrito, na carta ao editor. É responsabilidade do autor correspondente revisar esta política com todos os autores e, coletivamente, divulgar com a submissão TODAS as relações comerciais e outras pertinentes.

A declaração de conflito de interesse deve ser informada no momento de submissão do manuscrito pelo sistema ScholarOne

1.3 Pesquisas Experimentais e com seres humanos ou animais

A REBEn considera condição sine qua non para publicação que os manuscritos submetidos tenham cumprido as diretrizes ético-legais que envolvem a elaboração de trabalhos acadêmicos e/ou técnico-científicos e a pesquisa com seres humanos ou com animais.
Em se tratando de pesquisa envolvendo seres humanos, e atendendo o disposto na Resolução CNS nº 466/2012 (http://aplicacao.saude.gov.br/plataformabrasil/login.jsf ), o(s) autor(es) brasileiros deve(m) mencionar no manuscrito a aprovação do projeto por Comitê de Ética reconhecido pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, do Conselho Nacional de Saúde (CONEP-CNS), ou por órgão equivalente, quando a pesquisa tiver sido executada em outro país.

Na pesquisa experimental envolvendo animais deve ser respeitada a Lei nº 11.794, de 8 de outubro de 2008, que regulamenta o inciso VII do §1º do Art. 225 da Constituição Federal, estabelecendo procedimentos para o uso científico de animais, e as normas estabelecidas no Guide for the Care and Use of Laboratory Animals (Institute of Laboratory Animal Resources, National Academy of Sciences, Washington, D.C., EUA), de 1996, e nos Princípios Éticos na Experimentação Animal do Colégio Brasileiro de Experimentação Animal – COBEA, de 1991 (disponível em: www.cobea.org.br ). Essas informações devem constar no método de acordo com a recomendação do ARRIVE (https://www.nc3rs.org.uk/arrive-guidelines ).

 

 

2. CATEGORIAS DE MANUSCRITOS

 

A REBEn considera para publicação somente os artigos que atendem aos padrões de qualidade estabelecidos pelas diretrizes para produção de pesquisa em saúde – Enhancing the Quality and Transparency of Health Research Network (EQUATOR) (https://www.equator-network.org/ ). É obrigatório indicar no método em desenho do estudo qual instrumento do Equator foi utilizado para nortear a pesquisa (https://www.equator-network.org/toolkits/selecting-the-appropriate-reporting-guideline/ e as revisões sistemáticas devem seguir as orientações atualizadas no
guideline PRISMA, https://doi.org/10.1136/bmj.n711). O não cumprimento dessa norma levará ao arquivamento do manuscrito.
Tipos de artigos considerados:

  • Editorial: texto sobre assunto de interesse para o momento histórico ou a produção do conhecimento com repercussão para Enfermagem e Saúde. Pode conter até duas (2) páginas, incluindo até quatro referências, quando houver.
  • Artigos originais: estudos que agreguem informações novas para a área da Enfermagem e da Saúde. Estão incluídos nesta categoria: ensaios clínicos randomizados, estudos de caso-controle, coorte, prevalência, incidência, estudos de acurácia, estudo de caso e estudos qualitativos. Os artigos originais devem conter um máximo de quinze (15) páginas, incluindo os resumos, 50 referências e até oito autores.
  • Revisão: utiliza métodos sistemáticos e critérios explícitos para identificar, selecionar e avaliar criticamente pesquisas relevantes, e para coletar e analisar dados dos estudos incluídos na revisão. Estão incluídos nesta categoria: revisão sistemática com e sem meta- ou metassíntese e revisão de escopo. As revisões devem conter no máximo de vinte (20) páginas, incluindo os resumos, 50 referências e até seis autores.
  • Reflexão – Formulação discursiva aprofundada, focalizando um conceito ou constructo teórico da Enfermagem ou de área afim; ou discussão sobre um tema específico, estabelecendo analogias, apresentando e analisando diferentes pontos de vista, teóricos ou práticos. Deve conter no máximo dez (10) páginas, incluindo os resumos, dez referências e até quatro autores.
  • Relato de Experiência, Atualização e/ ou Inovação Tecnológica – Estudo que se descreve situações da prática e/ou inovação tecnológica (ensino, assistência, pesquisa ou gestão/gerenciamento), as estratégias de intervenção e a avaliação de sua eficácia, de interesse para a atuação profissional. Deve conter no máximo dez (10) páginas, incluindo os resumos, dez referências e até quatro autores.
  • Carta ao Editor - máximo uma página.
  • Resposta do autor - máximo 250 palavras.

 

 Categoria de Manuscritos – Checklist

Categoria

Manuscrito (n. de págs.)

Autores (n.)

Referências (n.)

Artigos Originais

15

8

50

Revisão

20

6

50

Reflexão

10

4

10

Relato de Experiência, Atualização e/ou Inovação Tecnológica

10

4

10

Carta ao Editor

1

-

-

Editorial

2

-

4

 

2.1 Registro de Estudos Clínicos, Revisões Sistemáticas e outras Revisões

  • A REBEn apoia as políticas para registro de ensaios clínicos da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do ICMJE, reconhecendo a importância dessas iniciativas para o registro e a divulgação internacional de informação sobre estudos clínicos, em acesso aberto. Dessa forma, somente serão aceitos para publicação os artigos de pesquisas clínicas que tenham recebido um número de identificação em um dos Registros de Ensaios Clínicos validados pelos critérios estabelecidos pela OMS e pelo ICMJE (Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos – REBEC (http://www.ensaiosclinicos.gov.br/ ou http://apps.who.int/trialsearch/default.aspx ). O número de identificação do registro deve ser inserido na seção “Métodos”
  • Os estudos randomizados devem seguir as diretrizes CONSORT (http://www.consort-statement.org). Esta declaração fornece uma abordagem baseada em evidências para melhorar a qualidade dos relatórios de ensaios clínicos. Todos os manuscritos que descreverem um estudo clínico devem incluir o Diagrama de Fluxo CONSORT mostrando o número de participantes de cada grupo de intervenção, bem como a descrição detalhada de quantos pacientes foram excluídos em cada passo da análise de dados. Todos os testes clínicos devem ser registrados e disponibilizados em um site de acesso livre. O protocolo do ensaio clínico (incluindo o plano de análise estatística completa) deve ser encaminhado juntamente com o manuscrito (https://trialsjournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/1745-6215-11-9)
  • REBEn encoraja o registro de estudos observacionais, tais como de coorte e caso controle nas Plataformas REBEC – http://www.ensaiosclinicos.gov.br/  ou similares com a Clinical Trial - https://clinicaltrials.gov/. Para maiores informações acesse: https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736%2810%2960148-1/fulltext
  • Revisões sistemáticas devem seguir o protocolo PRISMA (http://www.prisma-statement.org/Protocols/) e devem fornecer o número de registro de protocolo no banco de dados PROSPERO (https://www.crd.york.ac.uk/prospero/).
  • Artigos apresentando estudos clínicos ou revisões sistemáticas sem protocolos de registro serão prontamente rejeitados sem revisão por pares.
  • As revisões de escopo, devem seguir as diretrizes (http://www.prisma-statement.org/Extensions/ScopingReviews ) e incentiva que os protocolos sejam disponibilizados em repositórios de acesso e livre, como a OSF – Open Science Framework - https://osf.io/.

2.2 Dados de Pesquisa

A REBEn incentiva o depósito e o compartilhamento de dados de pesquisa que apoiam a publicação do artigo. Os dados de pesquisa referem-se aos resultados de observações ou experimentações que validam os resultados da pesquisa. Para possibilitar a reprodutibilidade e a reutilização de dados, a REBEn recomenda que partir de 2021 e obrigatoriamente a partir de 2022, o depósito e o compartilhamento do projeto de pesquisa, relatórios parciais da pesquisa, softwares, códigos, modelos, algoritmos, protocolos, procedimentos operacionais, metodologias de fluxo de trabalho, cadernos de campo, diários, questionários, fitas de áudio ou vídeo, métodos e outros materiais úteis relacionados ao projeto em um repositório público de dados. 

Repositório de Dados é um banco de dados onde são armazenados conteúdos digitais e recursos que podem ser pesquisados e recuperados para uso posterior. Há uma variedade de repositórios brasileiros na qual é possível depositar os dados de pesquisa. Um exemplo é o SCIELO Data - https://data.scielo.org/dataverse/brreben. As Universidade do Estado de São Paulo (USP, UNIFESP, UNICAMP. ITA, entre outras) desenvolveram um metabuscador no qual é possível realizar uma busca em uma diversidade de repositórios de dados:

https://metabuscador.uspdigital.usp.br/. Para encontrar o repositório mais apropriado, bem como informações sobre como depositar, compartilhar e usar dados de pesquisa e outros materiais relevantes, consulte: https://www.re3data.org/ e https://fairsharing.org.

Para os autores de manuscrito que estão compartilhando seus dados, a REBEn encoraja a citar e linkar os mesmos no manuscrito, no capítulo MATERIAL SUPLEMENTAR, APÓS A CONCLUSÃO OU CONSIDERAÇÕES FINAIS E ANTECEDENDO a seção de Referências).

2.3 Aceitação de publicações Preprints

A REBEn aceita manuscritos que foram previamente depositados em um servidor não comercial de preprints, desde que não tenham sido submetidos a revisão por pares em outro periódico simultaneamente.

O preprint consiste em uma versão completa do artigo científico que ainda não foi revisado por pares. Os preprints operam independentemente do periódico e a publicação de um preprint não afeta o processo de revisão por pares.

O autor responsável pela submissão deve informar se o manuscrito está depositado em um servidor de preprints e obrigatoriamente fornecer o DOI correspondente. O manuscrito deve obedecer a uma licença que permita compartilhar o material em qualquer suporte ou formato (Creative Commons - CC-BY).

São exemplos de servidores nacionais o SciELO Preprint - https://preprints.scielo.org/ o Emerging Researcher Information (EmeRI) https://preprints.ibict.br/) e internacionais o Medrxiv (https://www.medrxiv.org/ ).

A REBEn recomenda o preenchimento do Formulário sobre Conformidade com a Ciência Aberta que deve ser submetido como arquivo suplementar ao manuscrito e que ficará acessível aos revisores.

2.4 Responsabilidade da Autoria

A autoria confere crédito e tem importantes implicações acadêmicas, sociais e financeiras. A autoria implica responsabilidade pelo trabalho publicado. Para todos os autores que tiveram contribuições intelectuais e substanciais no manuscrito, a REBEn exige que cada autor especifique suas contribuições no trabalho. O autor correspondente ou autor que encaminhou o trabalho indicará, durante o processo de submissão, a garantia e a exatidão da integridade de todos os dados relatados no manuscrito (Modelo de Declaração – encaminhar como arquivo suplementar).
A REBEn segue a recomendação da ICMJE, que se baseia nos critérios descritos a seguir:

  1. concepção ou desenho do estudo/pesquisa;
  2. análise e/ou interpretação dos dados;
  3. revisão final com participação crítica e intelectual no manuscrito.

Todos os colaboradores que não atendam aos critérios de autoria devem ser listados na seção Agradecimentos, bem como o apoio financeiro das agências de fomento.

Para manuscritos publicados previamente em servidores preprints orienta-se que sejam mantidos os mesmos autores, com base nos critérios já descritos.

_______________________________________________________

1 Page MJ, McKenzie JE, Bossuyt PM, Boutron I, Hoffmann TC, Mulrow CD, et al. The
PRISMA 2020 statement: an updated guideline for reporting systematic reviews. BMJ.
2021;372(71). https://doi.org/10.1136/bmj.n71

 

 

3. PREPARO DOS MANUSCRITOS

 

Os manuscritos somente serão aceitos, para avaliação, se estiverem rigorosamente de acordo com o modelo disponível nos Templates e preparados da seguinte forma:

Arquivo do Microsoft Office Word, com configuração obrigatória das páginas em papel A4 (210x297mm) e margens de 2 cm em todos os lados, fonte Times New Roman tamanho 12, espaçamento de 1,5 pt entre linhas, parágrafos com recuo de 1,25 cm.

3.1 Página de Título (Template 1)

  • Título do artigo: até 15 palavras, no máximo, no idioma do manuscrito. Recomenda-se que o título seja composto utilizando pelo menos 3 descritores;
  • Autoria: Nome completo dos autores. A afiliação de cada autor deve conter as informações: universidade, cidade, país e ORCID (todos os autores devem ter o identificador ORCID – Open Researcher and Contributor IDhttps://orcid.org/signin);
    • Um autor correspondente deve ser indicado com o endereço do e-mail e foto.
  • Resumo: resumo limitado a 150 palavras no mesmo idioma do manuscrito. Deverá estar estruturado em Objetivo, Métodos, Resultados e Conclusões ou Considerações Finais;
  • Descritores: devem ser inseridos logo abaixo do resumo. Incluir cinco descritores nos três idiomas (português, inglês e espanhol). Descritores em português e espanhol devem ser extraídos do DeCS (http://decs.bvs.br) e em inglês do MeSH (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/mesh ou https://meshb.nlm.nih.gov/MeSHonDemand);
  • Fomento e Agradecimento: Informar a instituição de fomento. Agradecimentos são opcionais para participantes não considerados autores.

3. 2 Estrutura do texto

Não devem ser usadas abreviaturas no título e subtítulos do manuscrito e no resumo. Para tabelas e figuras com abreviações é obrigatório inserir em nota de rodapé da tabela ou figura. No texto, usar somente abreviações padronizadas. Na primeira citação, a abreviatura é apresentada entre parênteses após o termo por extenso.

  • O itálico será aplicado somente para destacar termos ou expressões relevantes para o objeto do estudo, e
  • Nas citações de autores, ipsis litteris:
    • Com até três linhas, usar aspas e inseri-las na sequência normal do texto;
    • No caso de fala de depoentes ou sujeitos de pesquisa, destacá-las em novo parágrafo, sem aspas, fonte Times New Roman tamanho 11, espaçamento simples entre as linhas e recuo de 3 cm da margem esquerda.
  • Nas citações de autores, ipsis litteris, com mais de três linhas, destacá-las em novo parágrafo, sem aspas, fonte Times New Roman tamanho 11, espaçamento simples entre as linhas, sem itálico e recuo de 3 cm da margem esquerda.
  • As citações de autores no texto devem ser numeradas de forma consecutiva, na ordem em que forem mencionadas pela primeira vez no texto;
    • Devem ser utilizados números arábicos, entre parênteses e sobrescritos, sem espaço entre o número da citação e a palavra anterior, antecedendo a pontuação da frase ou parágrafo [Exemplo: cuidado(5)].
    • Quando se tratar de citações sequenciais, os números serão separados por um traço [Exemplo: cuidado(1-5).], quando intercaladas, separados por vírgula [Exemplo: cuidado(1,3,5).].
  • As notas de rodapé deverão ser restritas ao mínimo indispensável.
  • Apêndices e anexos serão desconsiderados.

    
3.3 Documento Principal (Template 2)

O documento principal, sem identificação dos autores, deve conter:

  • Título do artigo: até 15 palavras, no máximo, no idioma do manuscrito. Componha seu título utilizando pelo menos 3 descritores;
  • Resumo e os descritores: resumo limitado a 150 palavras no mesmo idioma do manuscrito. Deverá estar estruturado (Objetivo, Métodos, Resultados e Conclusões ou Considerações Finais).
  • Descritores: devem ser inseridos logo abaixo do resumo. Incluir cinco descritores nos três idiomas (português, inglês e espanhol).Para descritores em português e espanhol devem ser extraídos do DeCS: http://decs.bvs.br e inglês do MeSH: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/mesh ou https://meshb.nlm.nih.gov/MeSHonDemand
  • Corpo do texto: consiste no corpo do manuscrito, propriamente dito. A estrutura do manuscrito nas categorias pesquisa e revisão é: Introdução, Objetivo, Métodos, Resultados, Discussão e Conclusões (para pesquisa quantitativa) ou considerações finais (pesquisa qualitativa); todos os subtítulos devem ser destacados em negrito no texto.
  • Ilustrações: tabelas, quadros e figuras, como fotografias, desenhos, gráficos, entre outros devem ser apresentadas no corpo do manuscrito e ser numeradas, consecutivamente, com algarismos arábicos, na ordem em que forem inseridas no texto, não podendo ultrapassar o número de cinco.
  • Figuras e Tabelas Figuras: Devem ter obrigatoriamente legendas, sendo para figura a legenda deve ser na parte inferior e a identificação de tabelas e quadros deve estar na parte superior, seguida do número de ordem de sua ocorrência no texto, em algarismos arábicos, travessão e do respectivo título (Ex.: Tabela 1 – título). A fonte consultada deverá ser incluída abaixo das imagens somente se for de dados secundários. As tabelas devem ser padronizadas conforme recomendações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Normas de apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993, disponíveis em http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv23907.pdf
  • As ilustrações devem ser enviadas em seus arquivos editáveis originais dos programas de origem, ou exportados vetorizados nos formatos EPS ou PDF.
  • Abreviações devem ser inseridas por extenso em nota de rodapé da tabela e/ou figura.
  • Subtítulos: os subtítulos do Método e Discussão devem ser destacados em negrito conforme recomendação do CHECKLIST.
  • Fomento e Agradecimentos deverão ser citados antes do capítulo das referências. Em Fomento é obrigatório citar fonte de fomento à pesquisa (se houver). Esta informação deve ser inserida na versão final após aceite. Em Agradecimentos são opcionais às pessoas que contribuíram para a realização do estudo, mas não se constituem autores e devem ser apresentados na versão final após aceite.
  • Referências: o número de referências é limitado conforme a categoria do manuscrito. As referências, apresentadas no final do trabalho, devem ser numeradas, consecutivamente, de acordo com a ordem em que foram incluídas no texto; e conforme o estilo indicado pelo Comitê Internacional de Editores Científicos de Revistas Biomédicas (ICMJE). Exemplos do estilo de Vancouver estão disponíveis por meio do site da National Library of Medicine (NLM) em Citing Medicine https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK7256/. No mínimo, 50% das referências devem ser preferencialmente produções publicadas nos últimos 5 anos e destas, 20% nos últimos 2 anos. A REBEn sugere que 40% das referências sejam de revistas brasileiras, da coleção SciELO e RevEnf.

Para os artigos disponibilizados em português e inglês, deve ser citada a versão em inglês, com a paginação correspondente.
Evitar citações de teses, dissertações, livros e capítulos, jornais ou revistas não científicas (Magazines) e no prelo, exceto quando se tratar de referencial teórico (Ex: Handbook Cochrane).

A REBEn incentiva o uso do DOI, pois garante um link permanente de acesso para o artigo eletrônico. Para artigos ou textos publicados na internet que não contenham o DOI, indicar o endereço da URL completa bem como a data de acesso em que foi consulta.

Serão aceitas até 3 referências de preprint (opcional).

Sugestão: A REBEn aceitas referências de preprint desde que extremamente necessária. Sugerimos fortemente que durante o processo de avaliação por pares e a prova de prelo os autores verifiquem se a versão citada já foi publicada e atualizem com a referência do periódico correspondente.

Exemplos mais comuns de referências:

Artigos com o identificador DOI:
Lavorato Neto G, Rodrigues L, Silva DARD, Turato ER, Campos CJG. Spirituality review on mental health and psychiatric nursing. Rev Bras Enferm. 2018;71(suppl 5):2323-33. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167- 2016-0429.

Artigos Eletrônicos:
Polgreen PM, Diekema DJ, Vandeberg J, Wiblin RT, Chen YY, David S, et al. Risk factors for groin wound infection after femoral artery catheterization: a case-control study. Infect Control Hosp Epidemiol [Internet]. 2006 [cited 2018 Jan 5];27(1):34-7. Available from: http://www.journals.uchicago.edu/ICHE/journal/issues/v27n1/2004069/2004069.web.pdf 

Artigos em outro idioma
Cruz MSD, Bernal RTI, Claro RM. [Trends in leisure-time physical activity in
Brazilian adults (2006-2016)]. Cad Saude Publica. 2018. 22;34(10):e00114817. https://doi.org/10.1590/0102-311X00114817 Portuguese.

Livro
Jenkins PF. Making sense of the chest x-ray: a hands-on guide. New York: Oxford University Press; 2005. 194 p.

Livro na Internet
Higgins JP, Green S, editors. Cochrane handbook for systematic reviews of interventions [Internet].Version 4.2.6.Chichester (UK): John Wiley & Sons, Ltd.; 2006 [cited 2018 Oct 15]. 257 p. Available from: http://www.cochrane.org/resources/handbook/handbook.pdf

Preprint
Lavorato Neto G, Rodrigues L, Silva DARD, Turato ER, Campos CJG. Spirituality review on mental health and psychiatric nursing. Medrxiv. 2018. Preprint(v.2) [cited 2019 Oct 12]. doi: 10.1590/0034-7167-2016-0429.

Vídeos
No Youtube: Viseu Now. Entrevista Marco Machado, enfermeiro em Londres [Internet]. Viseu Now; 2020 Mar 24. [cited 2020 Apr 12]. Video: 7 min 18 seg. Available from: https://youtu.be/bJ9fDzVWOz4

No figshare: Plessis-Faurie, Alida S. A Mother and Preterm Infant in a South African Informal Settlement [Internet]. Visualise Your Thesis. Presentation; 2019 [cited 2020 Nov 13]. Video: 1 min 13 seg. Available from: https://figshare.com/articles/presentation/A_Mother_and_Preterm_Infant_in_a_South_African_Informal_Settlement/9992606 doi: https://doi.org/10.6084/m9.figshare.9992606.v1

  • Citação e Referência de Dados de Pesquisa e Outros Conteúdos: a REBEn encoraja citar arquivos de dados, códigos de programas e outros conteúdos subjacentes ou relevantes em seu manuscrito, citando no texto e incluindo a referência dos dados em Referências. A REBEn endossa os Princípios de Citação de Dados da FORCE 11 (FORCE 11 Data Citation - https://www.force11.org/datacitationprinciples) que indica que todos os conjuntos de dados disponíveis publicamente sejam totalmente referenciados na lista de referência com um número de acesso ou identificador exclusivo, como um identificador de objeto digital (DOI). Para maiores informações, consulte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK7273/#A57722

Exemplo:

Dados de Pesquisa: Coin L. Genomics of development and disease [dataset]. 2014 Jun 1 [cited 2017 Jun 9]. The University of Queensland. Available from: https://doi.org/10.14264/uql.2016.583.

Dados de Repositório: Global Health Observatory Data Repository [Internet]. Geneva: WHO. [cited 2019 Jul 3]. Available from: http://www.who.int/gho/database/en/.

Dados depositados em Repositórios:  Zimmermann B, Tkalčec Z, Mešić A, Kohler A. Characterizing aeroallergens by infrared spectroscopy of fungal spores and pollen [dataset]. 2015 Apr 27 [cited 2019 Jul 3]. Dryad Digital Repository. Available from: https://datadryad.org/resource/doi:10.5061/dryad.f4v0s. Referenced in doi: 10.1371/journal.pone.0124240.

Dados descritos em artigos: Mann C, Kane L, Dai M, Jacobson K. Description of the 2012 NEMSIS public-release research dataset. Prehosp Emerg Care. 2015;19(2):232-40. https://doi.org/10.3109/10903127.2014.959219.

 

 

4. PROCESSO DE SUBMISSÃO DO MANUSCRITO

 

Os manuscritos devem ser submetidos à REBEn por meio da URL http://www.scielo.br/reben/, acessando o link Submissão Online.

Para iniciar o processo, o responsável pela submissão deverá cadastrar-se previamente no sistema como autor. O sistema é autoexplicativo e, ao concluir o processo, será gerada uma ID para o manuscrito, com código numérico (Exemplo: REBEn 2020-0001).

Tópicos do Checklist:

  • Página de Título (Template 1);
  • Documento Principal no Modelo Indicado (Template 2);
  • Declaração de Responsabilidade pela Autoria, Exclusividade e Transferência de Direitos Autorais e de Ciência das Instruções da REBEn aos autores Modelo de Declaração;
  • Carta ao Editor (cover letter);
  • Comprovante de aprovação do projeto de pesquisa pelo Comitê de Ética;
  • Comprovante de pagamento de taxa de conformidade com o nome do pagante e data de pagamento visíveis.
  • Formulário sobre Conformidade com a Ciência Aberta

O responsável pela submissão receberá uma mensagem informando a URL do manuscrito e um login, para que possa acompanhar, na interface de administração do sistema, o progresso do documento nas etapas do processo editorial.

Só serão verificados pelo escritório editorial quanto à adequação às normas, os manuscritos que estiverem formatados no modelo de submissão. Antes de submeter o manuscrito os autores devem verificar as normas da REBEn, seguir rigorosamente o CHECKLIST e ter todos os documentos necessários para submissão. É obrigatório o preenchimento completo dos metadados no formulário de submissão.
Cada documento deve ser anexado, separadamente, no campo indicado pelo sistema.

Para iniciar o processo, o responsável pela submissão deverá cadastrar-se previamente no sistema como autor criando/associando o cadastro do ORCID (Open Researcher and Contributor ID - https://orcid.org/signin). Todos os autores devem ter o cadastro associado ao ORCID atualizado.

Os autores devem indicar quatro possíveis pareceristas para avaliação do manuscrito. Estes indicados deverão ser obrigatoriamente doutores, não ter conflito de interesses e não pertencer a instituições de qualquer dos autores. Os pareceristas podem ser acatados ou não pelos editores associados. Possíveis revisores podem ser localizados na plataforma lattes de acordo com a temática do manuscrito.

Os manuscritos que não se adequarem às normas na segunda rodada do checklist serão arquivados sem devolução da taxa de conformidade.

 

 

5. PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE MANUSCRITOS

 

A REBEn adota, para manuscritos aprovados e que não tenham sido disponibilizados em servidores de preprints, a avaliação duplo-cega (double-blind review) que é constituído por dois ou mais árbitros designados para realizar a revisão do manuscrito. Os pareceres emitidos pelos avaliadores podem considerar o manuscrito aceito, rejeitado ou que requer revisões, seja de forma ou de conteúdo. Os pareceres emitidos pelos avaliadores são apreciados pelos Editores Chefes, e um parecer final é enviado aos autores. Para manuscritos previamente publicados em servidores de preprints a REBEn entende que não é possível garantir o anonimato dos autores, sendo garantido apenas dos revisores envolvidos no processo. Para os dois casos, o nome do Editor Associado (EA) envolvido com o processo de peer review é publicado junto com o manuscrito.

Com o objetivo de tornar o processo de revisão por pares mais transparente e apoiada nos preceitos da ciência aberta, a partir de 2021 a REBEn adotará o processo transparente de revisão por pares (Figura 1), que consiste em compartilhar o relatório de revisão emitido pelos revisores mas sem a identificação destes. A partir de 2022 a REBEn oferecerá aos autores e revisores a possibilidade de optar por exibir os relatórios dos revisores (e as respostas dos autores) junto com o artigo publicado. O conteúdo da revisão por pares só aparecerá quando todos aceitarem. Os revisores também poderão assinar seu relatório, se desejarem.
 
Figura 1 - Conceito de Revisão Por Pares Transparente/Aberta e Cega
 

 

6. REVISÃO TÉCNICA DE LÍNGUA PORTUGUESA E TRADUÇÃO DE MANUSCRITOS

 

Quando o artigo for aceito, o autor receberá um e-mail do escritório editorial com instruções sobre:

  • Tradutores e revisores certificados pela REBEn relacionados neste documento;
  • Os documentos a serem enviados no template final (disponibilizado apenas pelo escritório).

A devolutiva do manuscrito nas versões traduzidas, revisadas e certificadas bem como o comprovante de pagamento da taxa de editoração com o nome do pagante e data de pagamento visíveis, deverão ser encaminhados ao e-mail reben@abennacional.org.br no prazo de até 25 dias corridos. Este prazo não atendido e a não conformidade com o modelo (Template final enviado pelo escritório), ocasionará o arquivamento do manuscrito.

Nesta oportunidade, verifique cuidadosamente o envio do manuscrito de acordo com o template final (nome dos autores, instituição ORCID, ordem de autoria). O Conselho Editorial decidiu a cobrança no valor de R$ 200,00 em caso de errata por descuido dos autores.
 

 

7. TAXA DE CONFORMIDADE E DE EDITORAÇÃO

 
 

TAXA DE CONFORMIDADE

R$ 400,00 (quatrocentos reais)

Comprovante do pagamento da taxa de conformidade com o nome do pagante e data de pagamento visíveis

TAXA DE EDITORAÇÃO

R$ 1.600,00 (um mil e seiscentos reais).

Comprovante do pagamento após o aceite do manuscrito com o nome do pagante e data de pagamento visíveis

VALOR DE ERRATA

R$ 200,00 (duzentos reais)

Comprovante do pagamento com o nome do pagante e data de pagamento visíveis

 

*conformidade com as Normas do Periódico

Forma de pagamento: Exclusivamente pelo Pagseguro ou Paypal (http://reben.com.br/revista/).

PARA PAGAMENTOS INSTITUCIONAIS, ENTRAR EM CONTATO COM: tesouraria@abennacional.org.br
Sem a comprovação dos pagamentos pelo sistema, o artigo será arquivado definitivamente.

A taxa de conformidade não será devolvida caso o manuscrito não seja aceito para publicação.

ATENÇÃO

As dúvidas quanto as normas, submissão e ressubmissão serão atendidas exclusivamente pelo e-mail FALE CONOSCO (faleconosco.reben@abennacional.org.br).

Previamente ao uso do FALE CONOSCO reveja cuidadosamente as normas acima. Somente serão respondidas questões não contempladas nas Instruções aos Autores.

Ao iniciar a submissão do manuscrito o autor está ciente e em concordância com as normas da Revista.

 

 

 


Associação Brasileira de Enfermagem SGA Norte Quadra 603 Conj. "B" - Av. L2 Norte 70830-102 Brasília, DF, Brasil, Tel.: (55 61) 3226-0653, Fax: (55 61) 3225-4473 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: reben@abennacional.org.br