SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.43 special issue 2Quality indicators and evaluation of human resources management in healthReviewing health needs assessment approaches in the Family Health strategy author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

  • text in English
  • English (pdf) | Portuguese (pdf)
  • Article in xml format
  • How to cite this article
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Automatic translation

Indicators

Related links

Share


Revista da Escola de Enfermagem da USP

Print version ISSN 0080-6234On-line version ISSN 1980-220X

Rev. esc. enferm. USP vol.43 no.spe2 São Paulo Dec. 2009

http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342009000600005 

ARTIGO ORIGINAL

 

Indicadores de avaliação do processamento de artigos odonto-médico-hospitalares: elaboração e validação*

 

Indicadores para la evaluación del reprocesamiento del productos medicos del hospital: construcción y validación

 

 

Kazuko Uchikawa GrazianoI; Rúbia Aparecida LacerdaII; Ruth Teresa Natália TurriniIII; Camila Quartim de Moraes BrunaIV; Cristiane Pavanello Rodrigues SilvaV; Cristiane SchmittVI; Giovana Abrahão de Araújo MoriyaVII; Lílian Machado TorresVIII

IProfessora Titular do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. kugrazia@usp
IIProfessora Associada do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. rlacerda@usp.br
IIIProfessora Doutora do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. rturrini@usp.br
IVMestranda do Programa de Pós Graduação PROESA da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. caquartim@yahoo.com.br
VDoutoranda do Programa de Pós Graduação PROESA da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. Cris_pr_silva@hotmail.com
VIMestranda do Programa Pós Graduação PROESA da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. cristianeschmmitt@yahoo.com.br
VIIDoutoranda do Programa de Pós Graduação PROESA da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. gioaraujo@yahoo.com.br
VIIIMestranda do Programa de Pós Graduação PROESA da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. lílian.torres@superig.com.br

Correspondência

 

 


RESUMO

Estudo de desenvolvimento metodológico de elaboração e validação de medidas de avaliação em saúde, com a finalidade de contribuir com sistemas de avaliação de práticas de controle e prevenção de infecção hospitalar, pela elaboração e validação de oito indicadores para avaliação do processamento de artigos odonto-médico-hospitalares. A partir de fundamentação teórico-científica e contemplando avaliações de estrutura, processo e resultado, tais indicadores permitem elaboração de índices de conformidade com relação às melhores práticas esperadas (padrão-ouro). A validação referiu-se à validade de conteúdo, pela técnica de consenso de especialistas para julgamento de representatividade e aplicabilidade. Todos os indicadores foram aprovados. Os julgamentos efetuados, incluindo comentários e sugestões, demonstraram a importância de se realizar validação de processos de avaliação, independentemente da existência de critérios padrão-ouro e/ou relevância na prática assistencial.

Descritores: Avaliação em saúde. Almoxarifado Central Hospitalar. Controle de infecção.


RESUMEN

Estudio de desenvolvimiento metodológico para la elaboración y validación de medidas de evaluación en salud, con la finalidad de contribuir con los sistemas de evaluación de prácticas para el control y prevención de las infecciones hospitalarias, por la elaboración y validación de ocho indicadores de evaluación del procesamiento de instrumentos odonto-médico-hospitalarios. A partir de la fundamentación teórico científico, tales indicadores contemplan evaluaciones de estructura, proceso y resultado así como permiten la elaboración de índices de conformidad con relación a las mejores prácticas esperadas (padrón-oro). La evaluación se refirió a la validez del contenido, por la técnica de consenso de especialistas para el juzgamiento de representatividad y aplicabilidad. Todos los indicadores fueron aprobados. Los juzgamientos efectuados, incluyendo comentarios y sugestiones, demostraron la importancia de realizar la validación de procesos de evaluación, independiente da existencia de criterios padrón-oro y/o a la relevancia de su repercusión en la práctica asistencial.

Descriptores: Evaluación en salud. Central de Suministros en Hospital. Control de infecciones.


 

 

INTRODUÇÃO

Os órgãos estaduais de saúde reconhecem a problemática das infecções adquiridas em serviços de saúde (IASS) e vêem desenvolvendo políticas tanto para orientar quanto para inspecionar seu controle e prevenção(1). A demanda crescente por sistemas de avaliação de práticas de controle e prevenção de IASS requer a utilização de indicadores, definidos como medidas de variáveis ou atributos, que identificam resultados desejáveis ou indesejáveis de determinada prática e estabelecem índices de conformidade(2-6). Eles podem incorporar três dimensões de avaliação de qualidade(7): estrutura, processo e resultado e a vantagem de uma avaliação sobre a outra está na adequação do uso.

Estrutura se refere à capacidade de recursos humanos e materiais efetuarem assistência à saúde de qualidade. Os processos referem-se à maneira como a prática é realizada, e objetiva a sua dinâmica. Os resultados medem quão freqüentemente um evento acontece, identificando efeitos desejáveis ou não decorrentes de ações, eficiência e eficácia nos limites aceitáveis, fatores de risco que determinam boa ou má qualidade, entre outros(7).

A qualidade do processamento de artigos odonto-médico-hospitalares (OMH) representa um dos pilares do controle e prevenção de IASS e relaciona-se tanto à garantia de sua submissão a processos de redução ou destruição microbiana, quanto a sua funcionalidade e integridade, a fim de evitar danos ao organismo na sua utilização. A preocupação com práticas apropriadas é tema de pesquisa, eventos científicos, assim como consultas públicas e legislações pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil(8).

Avaliações de estrutura, processo e resultado vêm sendo desenvolvidas na área da saúde, desde o final do Século XX, mas ainda são incipientes tanto no controle e prevenção de IASS quanto nos métodos para sua validação. O sistema elaborado e validado neste estudo é inédito, não sendo encontrado, ainda, na literatura científica, nacional e internacional, produção similar que favoreça comparação dos resultados, assim como sua discussão.

 

OBJETIVO

Elaboração e validação de indicadores de avaliação do processamento de artigos OMH.

 

MÉTODO

Estudo metodológico de elaboração e validação de medidas de avaliação em saúde(9), por meio de indicadores. A partir de fundamentação teórico-científica foram elaborados oito indicadores que contemplam as etapas do processamento de artigos OMH (limpeza, preparo/acondicionamento, esterilização/guarda/distribuição) e abrangem avaliações de estrutura, processo e resultado. Cada indicador apresenta os componentes a serem avaliados, a forma de obtenção das informações e a fórmula de cálculo da medida de conformidade. A validação referiu-se à validade de conteúdo(10), por meio de julgamento dos atributos de representatividade (capacidade de acessar o fenômeno) e aplicabilidade (se é aplicável e mensurável). Utilizou-se a técnica de consenso(10-11) pela escala psicométrica: (1) não contempla o atributo; (2) incapaz de contemplar o atributo sem revisão; (3) contempla o atributo, mas precisa alteração mínima; (4) contempla o atributo. O instrumento contemplava também comentários e sugestões. Para o consenso, considerou-se média mínima de Índice de Validade de Conteúdo (IVC) de 0,75 dos valores de escala 3 e ou 4, próximo do Índice verificado na literatura que varia de 0,50 a 0,80(10-12). De acordo com a literatura para composição dos especialistas(10-12), o instrumento foi julgado por seis enfermeiros com experiência na área de Centro de Material e Esterilização (CME).

A fórmula para o indicador de conformidade de cada etapa de processamento é:

 

RESULTADOS

Para a fundamentação teórico-científica dos componentes utilizou-se a seguinte bibliografia: (1) Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública nº 34, de 03 de junho de 2009. Regulamento técnico que estabelece os requisitos para o processamento de produtos para saúde, inclusive instrumental cirúrgico. D.O.U. - Diário Oficial da União; 2009. Disponível em: http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/CP/CP%5B26720-1 -0%5D.PDF; (2) Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC 50 online. Disponível na Internet no site: httpp//www.anvisa.gov.br/legis/resol200250-02rdc.pdf; (3) American National Standard. Sterilization of health care products – chemical indicators. Part 1: general requirements. Arlington (US): Association for the Advancement for Medical Instrumentation (AAMI); 2005; (4) Association of Operating Room Nurses. Standards, Recommended Practices, and Guidelines. AORN Inc, Denver, 2004; (5) Graziano KU et al. Limpeza, desinfecção, esterilização de artigos e anti-sepsia. In: Fernandes AT. Infecção Hospitalar e suas interfaces na área da saúde. São Paulo: Atheneu, 2000; (6) Rutala WA et al. Guideline for Disinfection and Sterilization in Healthcare Facilities. CDC/HICPAC. 2008. Disponível: www.cdc.gov/ncidod/hip/dsguide.htm; (7) Guia elaborado por enfermeiras brasileiras. Recomendações práticas para processos de esterilização em Estabelecimentos de Saúde-parte I: Esterilização a calor. Campinas: Komedi, 2000; (8) Rodrigues E. Reutilização de campos duplos de tecido de algodão padronizado pela ABNT utilizados para embalagem de artigos médico-hospitalares na esterilização por calor úmido. [Dissertação] São Paulo: Escola de Enfermagem/USP; 2000; (9) Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 14028: Roupa hospitalar – confecção de campos duplos. Rio de Janeiro; 1997; (10) Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 11134: Esterilização de produtos hospitalares para validação e controle de rotina de esterilização por calor úmido. Rio de Janeiro; 2001.

No processo de julgamento, todos os indicadores obtiveram consenso favorável (IVC mínimo = a 0,75) para representatividade e aplicabilidade (Tabela 1). O indicador mais problemático foi o de Resultado de Limpeza de Artigos Odonto-Médico-Hospitalares (7L); os julgadores não concordaram com a avaliação apenas de instrumental, considerando que outros artigos são tão ou mais importantes. A média dos valores de IVC obtidos nos julgamentos são apresentados na Tabela 1.

 

 

Os indicadores aprovados e revisados a partir de sugestões dos julgadores são apresentados a seguir. Para cada componente foi descrito a forma de obtenção da informação (E) entrevista, (I) inspeção e (R) registro. Também foram enumerados da seguinte maneira: 1L, 2L e 7L são indicadores relativos à limpeza dos artigos, 3P, 4P e 8P aqueles relacionados ao preparo e acondicionamento dos artigos, 5E e 6E os voltados para o processo de esterilização.

 


 

DISCUSSÃO

Sistemas de avaliação de práticas assistenciais precisam considerar: 1) existência prévia de padrão-ouro; 2) relevância de sua repercussão na assistência; 3) validade de sua realização(2-6,13). Os dois primeiros estão contemplados no objeto deste estudo; o conhecimento científico produzido permite reconhecer as melhores práticas e há evidências de sua importância na prevenção e no controle de IASS(8).

Para alguns autores(2), práticas com padrão-ouro já têm validade e para outros(10), há necessidade de um processo de validação científica. Este estudo optou pela segunda opinião e submeteu os indicadores a uma técnica de consenso sugerida na literatura(10). Não obstante a aprovação de todos os indicadores e seu ajuste a partir de sugestões dos juízes, houve comentários sobre a dificuldade em aplicar uma avaliação objetiva, a impossibilidade de realizar comparações entre instituições, a necessidade de considerar previamente características de assistência e de testes de aferição de precisão dos indicadores.

Ressalte-se, todavia, que são vantagens do sistema construído a possibilidade de estabelecer índices de conformidade com relação à melhor prática esperada, assim como identificar e definir políticas imediatas de melhorias especificamente dirigidas aos aspectos mais problemáticos, buscando continuamente o alcance de melhores índices de conformidade. Estes indicadores oferecem a vantagem de permitir o acompanhamento da evolução da conformidade em cada instituição com vistas a melhoria contínua da qualidade. Uma vez alcançado o padrão aceitável de conformidade, será possível realizar avaliações comparativas inter-institucionais.

 

CONCLUSÃO

Todos os indicadores elaborados obtiveram validade de conteúdo, independentemente da existência de padrão-ouro e relevância da repercussão de práticas assistenciais, na prática assistencial. O processo de validação utilizado demonstra a importância de se realizar validação prévia de processos de avaliação.

 

REFERÊNCIAS

1. Giunta APN, Lacerda RA. Inspeção dos Programas de Controle de Infecção Hospitalar dos serviços de saúde pela Vigilância Sanitária: diagnóstico de situação. Rev Esc Enferm USP. 1996;40(1):60-74.         [ Links ]

2. McGlynn EA, Steven MA. Developing a clinical performance measure. Am J Prev Med. 1998; 14(3S):14-21.         [ Links ]

3. Pringle M, Wilson T, Grol. R. Measuring "goodness" in individuals and healthcare systems. BMJ. 2002;325(28):704-7.         [ Links ]

4. Campbell SM, Braspenning J, Hutchinson A, Marshall MN. Research methods used in developing and applying quality indicators in primary care. Educ Debate. 2003;326:816-19.         [ Links ]

5. SHEA Position Paper. An approach to the evaluation of quality indicators of the outcome of care in hospitalized patients, with a focus on nosocomial infection indicators. Infect Control Hosp Epidemiol. 1995;16(5):308-15.         [ Links ]

6. Nathwani D, Gray K, Borland H. Quality indicators for antibiotic control programs. J Hosp Infect. 2002;50(3):165-9.         [ Links ]

7. Donabedian A. Explorations in quality assessment and monitoring. The definition of quality and approaches to its assessment. Ann Arbor:Health Administration Press; 1985. v.1.         [ Links ]

8. Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Consulta Pública n. 34, de 3 de junho de 2009. Regulamento técnico que estabelece os requisitos para o processamento de produtos para saúde, inclusive instrumental cirúrgico [legislação na Internet]. Brasília; 2009. [citado 2009 set. 14]. Disponível em: http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/CP/CP%5B2 6720-1-0%5D.PDF         [ Links ]

9. Polit DF, Hungler BP. Fundamentos de pesquisa em enfermagem. 3ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas;1995.         [ Links ]

10. Lynn MR. Determination and quantification of content validity. Nur Res. 1986;35(6):382-5.         [ Links ]

11. Westmoreland D, Wesorick B, Hanson D, Wyngarden K. Consensual validation of clinical practice model practice guidelines. J Care Qual. 2000;14(4):16-27.         [ Links ]

12. Salmond SW. Orthopedic nursing research priorities: a Delphi study. Orthop Nurs. 1994; 13(2):31-45.         [ Links ]

13. Duffield C. The Delphi Technique: a comparison of results obtained using two expert panels. Int J Nurs Stud. 1993;30(3):277-37.         [ Links ]

 

 

Correspondência:
Kazuko Uchikawa Graziano
Av. Dr. Enéas de Carvalho de Aguiar, 419 - Cerqueira César
CEP 05403-000 - São Paulo, SP, Brasil

Recebido: 15/09/2009
Aprovado: 27/10/2009

 

 

Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP
* Extraído do Projeto "Indicadores de Avaliação de Práticas de Controle de Infecção Hospitalar", 2006.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License