SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 issue4Type I collagen used to tamponade transfixing lesion of the kidneyA standard burn model using rats author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Cirurgica Brasileira

Print version ISSN 0102-8650On-line version ISSN 1678-2674

Acta Cir. Bras. vol.14 n.4 São Paulo Oct./Dec. 1999

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86501999000400008 

Erosão de corpo de vértebra lombar devido à aneurisma de aorta abdominal1

 

Eliane Alencar do Nascimento Feitosa2
Remy Faria Alves3
Rodrigo Simões Lemos Dias4
Rossi Murilo da Silva5

 

 

Feitosa EAN, Alves RF, Dias RSL, Silva RM. Erosão de corpo de vértebra lombar devido à aneurisma de aorta abdominal. Acta Cir Bras [serial online] 1999 Oct-Dec;14(4). Available from: URL: http://www.scielo.br/acb.

RESUMO: No presente trabalho é relatado um caso de paciente portador de erosão de vértebra lombar (L4) consequente a um aneurisma de aorta abdominal infrarenal, tratado no Hospital Municipal Souza Aguiar – Rio de Janeiro e é feita uma revisão da literatura. O paciente é do sexo masculino, 51 anos, funcionário público com queixas de dores lombares há ± 4 anos e uma tumoração pulsátil abdominal. Após o exame clínico foi realizado uma tomografia computadorizada (TC) abdominal a qual evidenciou uma aorta abdominal tortuosa com dilatação aneurismática de 8,5 cm, calcificações parietais difusas e trombos murais, com luz de ± 3,0 cm e erosão do corpo vertebral de L4. O tratamento consistiu de uma Aneurismectomia da Aorta Abdominal infrarenal com interposição de enxerto de Dacron (Uni-graft®) tubular 24 mm. A evolução pós-operatória foi satisfatória.
DESCRITORES: Vértebras lombares. Erosão. Aneurisma aórtico.

 

 

INTRODUÇÃO

Segundo a Society for Vascular Surgery (SVS) e The International Society for Cardiovascular Surgery (ISCVS) (North American Chapter) a definição de aneurisma é uma dilatação localizada e permanente de uma artéria com um aumento do diâmetro maior que 50% (1,5 x) do seu diâmetro normal³. O diâmetro normal de uma aorta abdominal infrarenal em homens com idade entre 65 e 74 anos é de 1.5 á 2.4 cm4 .

Cerca de 70 à 75% de todos os aneurismas de aorta abdominal infrarenal são assintomáticos quando descobertos7 .

Os aneurismas da aorta abdominal podem causar sintomas como um resultado de rutura ou expansão, pressão em estruturas adjacentes, embolização, dissecção ou trombose(6, 7) . Os aneurismas grandes podem causar erosão na coluna e causar uma severa dor lombar na ausência de ruptura2 .

 

3

Segundo Wang e col8. a erosão de uma vértebra é o resultado de traumatismos constantes devido aos batimentos arteriais que é cerca de 70 à 80 vezes por minuto por vários anos.

Mason e col5 . chamam a atenção para a associação de tumores, como o condrossarcoma, na presença de um paciente com dor lombar, aneurisma de aorta abdominal e erosão óssea.

 

RELATO DO CASO

C.S., 51 anos, masculino, pardo, casado, natural do Rio de Janeiro (RJ). Deu entrada no setor de Emergência do Hospital Municipal Souza Aguiar em janeiro de 1999 com dor lombar há + 4 anos, sem irradiação. Ao exame físico evidenciou-se tumoração pulsátil na porção média do abdomen com manobra de De Bakey positivo.

Realizado radiografia simples da coluna lombar, onde foi constatado erosão em face anterior na quarta vértebra lombar (L4).(Fig. 1).

Realizada tomografia computadorizada (CT) abdominal com cortes axiais de 16 mm, após administração de meio de contraste iodado por vias oral e venosa. Evidenciou-se uma aorta abdominal tortuosa com dilatação aneurismática de 8,5 cm, infrarenal, com calcificações parietais difusas e trombos murais, com luz de +3,0 cm e erosão do corpo vertebral (L4). (Fig. 2).

O paciente foi submetido a uma Aneurismectomia da Aorta Abdominal infrarenal com interposição de enxerto de Dacron (Uni-Graft®) tubular 24 mm. Não houve intercorrências durante e após o ato cirúrgico. O paciente encontra-se com 60 dias de evolução em bom estado.

 

4

 

4a08f1.gif (70415 bytes)

Figura 1 - Radiografia simples em perfil da coluna lombar. Observa-se erosão da 4a vértebra lombar (seta).

 

 

4a08f2.gif (95390 bytes)

Figura 2 - Tomografia computadorizada do abdomen. Nota-se a presença de aneurisma de aorta abdominal infrarenal e erosão de vértebra lombar (L4). 6

 

DISCUSSÃO

Em três casos estudados por Galessiere e col.1 a erosão de vértebra estava associada a aneurisma de aorta abdominal roto e contido.

No nosso caso apresentado não evidenciamos sinais de rutura do aneurisma.

Goldstone2 defende a teoria que a erosão de vértebra pode ser causado pelo simples contato dos batimentos arteriais dos grandes aneurismas, sem estes estarem rotos e contidos.

 

REFERÊNCIAS

1. Galessiere PF, Downs AR, Greenberg HM. Chronic, contained rupture of aneurysms associated with vertebral erosion. Can J Surg1994;37(1):23-8.        [ Links ]

2. Goldstone J. Aneurysms of the aorta and iliac arteries. In: Moore W. Vascular surgery a comprehensive review. Pennsylvania: W.B. Sauders Company; 1998. p. 435-52.        [ Links ]

3. Johnston KW, Rutherford RB, Tilson MD et al. Suggested standards for reporting on arterial aneurysms. J Vasc Surg 1991;13:452-8.        [ Links ]

4. Liddington MI, Heather BP. The relantionship between aortic diamenter and body habitus. Eur J Vasc Surg 1992; 6:89-92.        [ Links ]

5. Mason RJ, Cund RJ, Chung TS, Veller MG. An unsual cause of back pain in a patient with an abdominal aortic aneurysm: a case report. S Afr J Surg 1995;33(4):167-9.        [ Links ]

6. Sterpetti AV, Feldhaus RJ, Shultz RD, Blair EA. Identification of abdominal aortic aneurysm in patients with different clinical features and clinical outromes. Am J Surg 1988;156:466-73.        [ Links ]

7. Szilagyi DE. Clinical diagnoses of intact and ruptured abdominal aortic aneurysm. In: Berjan JJ, Yao J. Aneurysm: diagnoses and treatment. New York: Grune and Stratton; 1982. p.205-15.        [ Links ]

8. Wang K, Hodges M. Images in cardiovascular medicine: erosion of lumbar vertebral bodies due to abdominal aortic aneurysm. Circulation 1994;89(3):1317.        [ Links ]

 

 

Feitosa EAN, Alves RF, Dias RSL, Silva RM. Erosion of lombar vertebral body due to abdominal aortic aneurysm. Acta Cir Bras [serial online] 1999 Oct-Dec;14(4). Available from: URL: http://www.scielo.br/acb.

SUMMARY: In this case report there is a patient with erosion of the fourth lumbar (L4) vertebra due to an infrarenal abdominal aorta aneurysm, which was treated at the Souza Aguiar Municipal Hospital – Rio de Janeiro. The patient is a 51-year-old male, who has had back pain for about four years and a pulsating abdominal tumor. After the clinical examination, an abdominal computed tomography (CT) scan was carried out which showed a tortuous abdominal aorta with an infrarenal dilation of 8.5 cm in diameter and 3.0 cm of lumen. The CT scan also showed erosion of the fourth lumbar vertebra. The treatment consisted of aneurysmectomy of the abdominal aorta whith interposition of a tubular prosthetic graft (Dacron Uni-Graft® 24 mm). There were no complications in the postoperative follow-up.
SUBJECT HEADINGS: Lumbar vertebrae. Erosion. Aortic aneurysm.

 

 

 

Endereço para correspondência:
Eliane Alencar do Nascimento Feitosa
Rua José Linhares, 244/1001
22430-000 Rio de Janeiro - RJ
Tel: (021) 274 5607

Data do recebimento: 21/05/99
Data da revisão: 01/07/99
Data da aprovação: 15/08/99

 

 

 

1. Trabalho realizado no Serviço de  Cirurgia Vascular Periférica do Hospital Municipal Souza Aguiar - Rio de Janeiro.
2. Médica Cirurgiã Vascular do Serviço de Cirurgia Vascular Periférica do Hospital Municipal Souza Aguiar- Rio de Janeiro.
3. Médico, Residente (R3) do Serviço de Cirurgia Vascular Periférica do Hospital Municipal Souza Aguiar- Rio de Janeiro.
4. Médico, Residente (R2) do Serviço de Cirurgia Vascular Periférica do Hospital Municipal Souza Aguiar- Rio de Janeiro.
5. Médico, Cirurgião Vascular, Chefe do Serviço de Cirurgia Vascular Periférica do Hospital Municipal Souza Aguiar- Rio de Janeiro.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License