SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número2REGENERAÇÃO IN VITRO DE LOURO-PARDO (Cordia trichotoma (Vellozo) Arrabida ex Steudel)INFLUÊNCIA DO VERMICOMPOSTO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE Eucalyptus grandis Hill ex Maiden índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência Florestal

versão impressa ISSN 0103-9954versão On-line ISSN 1980-5098

Ciênc. Florest. vol.11 no.2 Santa Maria jul./dez. 2001

https://doi.org/10.5902/198050981659 

Artigos

CRESCIMENTO DE ESPÉCIES NATIVAS DE UMA FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL/OMBRÓFILA MISTA DO RIO GRANDE DO SUL

GROWTH OF NATIVE SPECIES OF THE DECIDUOUS/DENSE TROPICAL FOREST OF RIO GRANDE DO SUL

Peter Spathelf1 

Rute Berger2 

Sandro Vaccaro2 

Helio Tonini2 

Geedre Adriano Borsoi2 

1 Engenheiro Florestal, Dr., Professor Visitante (Programa de Intercâmbio DAAD/CAPES), Departamento de Ciências Florestais, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, CEP 97105-900, Santa Maria (RS). peter.spathelf@fdtue.bwl.de

2 Engenheiro Florestal, MSc.; Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, CEP 97105-900, Santa Maria (RS)


RESUMO

Com uma abordagem retrospectiva, foi estudado o crescimento da caúna-da-serra (Ilex brevicuspis Reissek.), cocão (Erythroxilum deciduum), tarumã-de-espinho (Cytharexylum montevidense Sprenger) e capororoca (Rapanea ferruginea (Ruiz & Pavon) Mez), nativas da Floresta Estacional Decidual/Floresta Ombrófila Mista de Santa Maria - RS. Foi feita a análise de tronco e a medição de anéis anuais de cada espécie estudada. Com esses dados foi avaliada a tendência de crescimento em volume comercial, o incremento do volume comercial em porcentagem e o fator de forma comercial em função do diâmetro à altura de 1,3 m (DAP). Para o ajuste dos dados obtidos, foram testados cinco modelos diferentes. Revelou-se que, com todas espécies, um polinômio de segundo grau mostrou o melhor ajuste no caso do volume comercial e do fator de forma comercial. O incremento em volume comercial anual percentual foi melhor ajustado por um modelo exponencial, também para cada espécie analisada. Observou-se uma acumulação significativamente diferente do volume sobre o diâmetro das espécies. O tarumã e o cocão mostram uma acumulação rápida em volume, enquanto que a caúna e a capororoca crescem menos rapidamente. Isso é correlacionado com os fatores de forma, nos troncos mais cilíndricos, no caso do tarumã e do cocão. O incremento em volume comercial anual percentual varia entre a faixa de mais de 100% no início do processo de crescimento e abaixo de 10% no final do crescimento estudado.

Palavras-chave: Análise de tronco; espécies nativas; Rio Grande do Sul

ABSTRACT

The tree species caúna-da-serra (Ilex brevicuspis Reissek.), cocão (Erythroxilum deciduum), tarumã-de-espinho (Cytharexylum montevidense Sprenger) e capororoca (Rapanea ferruginea (Ruiz & Pavon) Mez), native in the deciduous seasonal forest / dense tropical forest of Santa Maria were studied using a retrospective analysis. A stem analysis was performed of each species, measuring annual growth rings. Volume growth, commercial form factor and the annual percentual increment of commercial volume were analyzed according to growth at diameter at breast height. For modelling purposes 5 different equations were tested. It could be shown that a polynome of second degree was best adjusted to the growth of commercial volume and commercial form factor while annual percentual increment of commercial volume showed best fit with an exponential function. A significantly different accumulation of volume could be found concerning the different species which were studied. While tarumã and cocão show a rapid accumulation in growth, caúna and capororoca grow more slowly. This is correlated with more cylindric stems in the case of tarumã and cocão. The annual percentual increment of commercial volume moves between the range of more than 100% at the beginning of the growth process and below 10% at the end of the studied growth period.

Key words: Stem analysis; native species; Rio Grande do Sul

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AMARAL JUNIOR, A. Flora ilustrada catarinense: Eritroxiláceas. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues, 1980. 64 p. [ Links ]

CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras, recomendações silviculturais, potencialidades e uso da madeira. Brasilia: Embrapa/CNPF, 1994. 640 p. [ Links ]

EDWIN, G., REITZ, R. Flora ilustrada catarinense: aquifoliáceas. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues , 1967. [ Links ]

FINGER, C.A.G. Fundamentos da biometria florestal. Santa Maria: UFSM/CEPEF/FATEC, 1992. 269 p. [ Links ]

LAMPRECHT, H. Silvicultura nos trópicos. Eschbom: GTZ, 1990, 343p. [ Links ]

LONGHI, S.J. et al. Análise fitosociológica de um remanescente de floresta ombrófila mista em Itaára, Santa Maria - RS: SIMPÓSIO SOBRE ECOSSISTEMAS NATURAIS DO MERCOSUL, 1., 1996, Santa Maria. Anais... Santa Maria, 1996. p. 79-89. [ Links ]

MAIXNER, A.E., FERREIRA, L.A.B. Contribuição ao estudo das essências florestais e frutíferas nativas no Rio Grande do Sul. Trigo e Soja, v. 28, p. 2-27, 1978. [ Links ]

MITSCHERLICH, G. Der Fichten-Tannen-(Buchen)-Plenterwald. Schriftenr. Bad. Forstl. Versuchsanstalt, Freiburg i. Br., v. 8, p. 3-42, 1952. [ Links ]

MORENO, J.A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura-RS, 1961. 41 p. [ Links ]

REITZ, R.; KLEIN, R.M.; REIS, A. Projeto madeira do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: CORAG, 1988. 525 p. [ Links ]

SANCHOTENE, M. Frutíferas nativas úteis à fauna na arborização urbana. Porto Alegre: FEPLAM, 1985. 311 p. [ Links ]

SOBRAL, M. Erythroxylum no Rio Grande do Sul, Brasil. Porto Alegre: UFRGS, 1990. 41 p. [ Links ]

SCHULZ, O.E. Erythroxylaceae. In: Engler. Das Pflanzenreich, 1907. p. 1-176. [ Links ]

VACCARO, S.; LONGHI, S.J. Análise fitossociológica de algumas áreas remanescentes da floresta do Alto Uruguay, entre os rios de Ijuí e Turvo, no Rio Grande do Sul. Ciência Florestal, v. 5, p. 33-54, 1995. [ Links ]

ZEIDE, B. Analysis of growth equations. Forest Science, v. 39, n. 3, p. 594-616, 1993. [ Links ]

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons