Accessibility / Report Error

Fatores que Afetam a Trombose da Falsa Luz na Dissecção Aórtica Tipo B

Resumo

Fundamento

A trombose completa da falsa luz facilita a remodelação da dissecção aórtica tipo B (DATB). As características morfológicas afetam a trombose na falsa luz.

Objetivos

Discutir os fatores pré-admissão presentes, que influenciam a trombose da falsa luz em pacientes com DATB.

Metodologia

Ao todo, 282 pacientes diagnosticados com DATB em nosso hospital foram estudados, no período entre janeiro de 2008 e dezembro de 2017. Os indivíduos foram divididos em um grupo trombótico e um grupo não trombótico, com base na detecção de qualquer trombo na falsa luz. Analisamos as diferenças entre os dois grupos com relação aos dados clínicos, o comprimento vertical da dissecção e o diâmetro da aorta. Valores de p < 0,05 foram considerados estatisticamente diferentes de modo significativo.

Resultados

Diferenças significativas entre o grupo trombótico e o grupo não trombótico foram encontradas com relação à idade (53,92 ± 11,40 vs. 50,36 ± 10,71, p = 0,009) e proporção de pacientes com insuficiência renal (7,83% vs. 16,38%, p = 0,026). Nas zonas 3–9, o diâmetro da luz verdadeira do grupo trombótico foi significativamente maior do que no grupo não trombótico (p < 0,05). A análise de regressão logística binária mostrou que o diâmetro da luz verdadeira na zona 5 e a insuficiência renal foram preditores independentes de trombose da falsa luz.

Conclusões

A idade e a função renal estiveram associadas à trombose na falsa luz. Potencialmente, a diferença entre o diâmetro da luz verdadeira e o da falsa luz pode influenciar na trombose da falsa luz.

Dissecção Aórtica; Trombose; Luz

Abstract

Background

Complete thrombosis of the false lumen facilitates remodeling of type B aortic dissection (TBAD). Morphological characteristics affect thrombosis in the false lumen.

Objectives

Discuss the factors present before admission that influence false lumen thrombosis in patients with TBAD.

Methods

We studied 282 patients diagnosed with TBAD in our hospital between January 2008 and December 2017. We divided the subjects into a thrombotic group and a non-thrombotic group based on whether any thrombus was detectable in the false lumen. We analyzed the differences between the two groups with respect to clinical data, the vertical length of the dissection, and the diameter of the aorta. P values < 0.05 were considered statistically significantly different.

Results

Significant differences between the thrombotic group and non-thrombotic group were found with respect to age (53.92 ± 11.40 vs. 50.36 ± 10.71, p = 0.009) and proportion of patients with renal insufficiency (7.83% vs. 16.38%, p = 0.026). In zones 3–9, the true lumen diameter of the thrombotic group was significantly larger than in the non-thrombotic group (p < 0.05). Binary logistic regression analysis showed that true lumen diameter in zone 5 and renal insufficiency were independent predictors of false lumen thrombosis.

Conclusions

Age and renal function were associated with thrombosis in the false lumen. Potentially, the difference between the diameter of the true lumen diameter and that of the false lumen may influence the thrombosis of the false lumen.

Aortic Dissection; Thrombosis; Light

Figura Central
: Fatores que Afetam a Trombose da Falsa Luz na Dissecção Aórtica Tipo B

Parâmetros com diferenças entre os dois grupos.


Introdução

A dissecção aórtica (DA) é um tipo de doença aórtica que se refere à separação da parede aórtica. Nesses casos, há uma ou mais rupturas na íntima aórtica, através das quais o sangue pode fluir para dentro ou para fora da falsa luz.11. Lombardi JV, Hughes GC, Appoo JJ, Bavaria JE, Beck AW, Cambria RP, et al. Society for Vascular Surgery (SVS) and Society of Thoracic Surgeons (STS) Reporting Standards for Type B Aortic Dissections. J Vasc Surg. 2020;71(3):723-47. doi: 10.1016/j.jvs.2019.11.013.
https://doi.org/10.1016/j.jvs.2019.11.01...
A dissecção aórtica pode causar complicações graves envolvendo isquemia do órgão, como paraplegia e derrames, e pode até levar à ruptura aórtica. Os principais sintomas clínicos da dissecção aórtica são dor torácica, dor nas costas e síncope, que são facilmente confundidos com síndrome coronariana aguda, acidente vascular cerebral e embolia pulmonar e, consequentemente, a taxa de diagnóstico incorreto é de 33,8%.22. Lovatt S, Wong CW, Schwarz K, Borovac JA, Lo T, Gunning M, et al. Misdiagnosis of Aortic Dissection: A Systematic Review of the Literature. Am J Emerg Med. 2022;53:16-22. doi: 10.1016/j.ajem.2021.11.047.
https://doi.org/10.1016/j.ajem.2021.11.0...

De acordo com a classificação de Stanford, a dissecção aórtica pode ser dividida em dissecção aórtica tipo A (DATA) e dissecção aórtica tipo B (DATB).11. Lombardi JV, Hughes GC, Appoo JJ, Bavaria JE, Beck AW, Cambria RP, et al. Society for Vascular Surgery (SVS) and Society of Thoracic Surgeons (STS) Reporting Standards for Type B Aortic Dissections. J Vasc Surg. 2020;71(3):723-47. doi: 10.1016/j.jvs.2019.11.013.
https://doi.org/10.1016/j.jvs.2019.11.01...
Pacientes com dissecção aórtica tipo B representam 37,7% de todas as dissecções aórticas.33. Hagan PG, Nienaber CA, Isselbacher EM, Bruckman D, Karavite DJ, Russman PL, et al. The International Registry of Acute Aortic Dissection (IRAD): New Insights Into an Old Disease. JAMA. 2000;283(7):897-903. doi: 10.1001/jama.283.7.897.
https://doi.org/10.1001/jama.283.7.897...
A correção endovascular da aorta torácica (TEVAR) é um tratamento importante para DATB. A TEVAR envolve a cobertura da ruptura primária da dissecção aórtica por meio da implantação de uma endoprótese aórtica, reduzindo assim a pressão e a velocidade do fluido na falsa luz e induzindo trombose, levando ao remodelamento positivo da dissecção aórtica. A pesquisa mostrou que 91,3% dos pacientes com DATB submetidos a TEVAR apresentam remodelamento positivo.44. Nienaber CA, Rousseau H, Eggebrecht H, Kische S, Fattori R, Rehders TC, et al. Randomized Comparison of Strategies for Type B Aortic Dissection: The INvestigation of STEnt Grafts in Aortic Dissection (INSTEAD) Trial. Circulation. 2009;120(25):2519-28. doi: 10.1161/CIRCULATIONAHA.109.886408.
https://doi.org/10.1161/CIRCULATIONAHA.1...
A trombose da falsa luz é um elo importante no remodelamento positivo da dissecção aórtica. A literatura também mostra que a trombose completa da falsa luz era um fator protetor para a dissecção aórtica55. Spinelli D, Benedetto F, Donato R, Piffaretti G, Marrocco-Trischitta MM, Patel HJ, et al. Current Evidence in Predictors of Aortic Growth and Events in Acute Type B Aortic Dissection. J Vasc Surg. 2018;68(6):1925-1935.e8. doi: 10.1016/j.jvs.2018.05.232.
https://doi.org/10.1016/j.jvs.2018.05.23...
e poderia beneficiar 90,6% dos pacientes.66. Nienaber CA, Kische S, Rousseau H, Eggebrecht H, Rehders TC, Kundt G, et al. Endovascular Repair of Type B Aortic Dissection: Long-Term Results of the Randomized Investigation of Stent Grafts in Aortic Dissection Trial. Circ Cardiovasc Interv. 2013;6(4):407-16. doi: 10.1161/CIRCINTERVENTIONS.113.000463.
https://doi.org/10.1161/CIRCINTERVENTION...
Isso mostra que a trombose completa da falsa luz é um excelente objetivo para a dissecção aórtica.

A relação entre a morfologia aórtica e o prognóstico permanece obscura. Kamman et al.77. Kamman AV, Jonker FHW, Sechtem U, Harris KM, Evangelista A, Montgomery DG, et al. Predictors of Stable Aortic Dimensions in Medically Managed Acute Aortic Syndromes. Ann Vasc Surg. 2017;42:143-149. doi: 10.1016/j.avsg.2017.01.012.
https://doi.org/10.1016/j.avsg.2017.01.0...
sugeriram que um diâmetro aórtico reduzido está associado a um prognóstico ruim em pacientes com dissecção aórtica. No entanto, Spinelli et al.55. Spinelli D, Benedetto F, Donato R, Piffaretti G, Marrocco-Trischitta MM, Patel HJ, et al. Current Evidence in Predictors of Aortic Growth and Events in Acute Type B Aortic Dissection. J Vasc Surg. 2018;68(6):1925-1935.e8. doi: 10.1016/j.jvs.2018.05.232.
https://doi.org/10.1016/j.jvs.2018.05.23...
observaram uma associação entre um diâmetro máximo da aorta superior ao limiar de 40 a 41 mm e a dilatação da dissecção aórtica. Este estudo explora o papel das características morfológicas da dissecção aórtica na trombose da falsa luz em pacientes com DATB antes de serem submetidos ao tratamento com TEVAR.

Método

População do estudo

Trata-se de um estudo de coorte retrospectivo unicêntrico. Incluímos pacientes consecutivos diagnosticados com dissecção aórtica tipo B em nosso centro, no período entre janeiro de 2008 a dezembro de 2017. Todos os pacientes foram confirmados por exame de angiotomografia computadorizada (ATC). Os indivíduos foram divididos em um grupo trombótico e um grupo não trombótico, com base na detecção de qualquer trombo na falsa luz. Qualquer luz observada sem agente de contraste durante o exame de ATC foi considerada uma falsa luz trombosada, e qualquer luz na qual o meio de contraste e o trombo foram detectados foi considerada uma falsa luz parcialmente trombosada. Qualquer falsa luz que não contivesse um trombo foi considerada uma falsa luz patente. As falsas luzes trombosadas e parcialmente trombosadas foram incluídas no grupo trombótico, e as falsas luzes patentes foram incluídas no grupo não trombótico. Pacientes com dissecção aórtica tipo A, úlceras aórticas e hematoma intramural e pacientes com imagens de ATC não obtidas foram excluídos. Dados clínicos e informações demográficas de pacientes com dissecção aórtica tipo B foram obtidos a partir do sistema de prontuários do nosso hospital. Imagens de ATC de pacientes com dissecção aórtica tipo B estão disponíveis na estação de trabalho de imagem em nosso centro. Todas as imagens de ATC coletadas foram salvas em formato DICOM (sigla, em inglês, para Comunicação de Imagens Digitais em Medicina). Imagens da fase arterial foram utilizadas para nossas medições.

Construção e medição de modelos tridimensionais

O modelo tridimensional da dissecção aórtica foi reconstruído com o software MIMICS (versão 21.0, Materialise HQ, Leuven, Bélgica). As imagens de ATC foram importadas para o software MIMICS para segmentação e suavização. Por fim, um modelo tridimensional da dissecção aórtica foi produzido a partir dos três ramos do arco aórtico superior até o final da artéria ilíaca comum. Medimos o diâmetro máximo da luz verdadeira e falsa no início das zonas 0–11 de acordo com a divisão padrão da aorta.11. Lombardi JV, Hughes GC, Appoo JJ, Bavaria JE, Beck AW, Cambria RP, et al. Society for Vascular Surgery (SVS) and Society of Thoracic Surgeons (STS) Reporting Standards for Type B Aortic Dissections. J Vasc Surg. 2020;71(3):723-47. doi: 10.1016/j.jvs.2019.11.013.
https://doi.org/10.1016/j.jvs.2019.11.01...
O comprimento vertical da dissecção aórtica foi medido e definido como a distância do ponto mais alto da dissecção até o ponto mais baixo, na direção vertical. As medições foram realizadas no modelo 3D. A abordagem de medição é mostrada na Figura 1.

Figura 1
Abordagem de medição aórtica. I) Modelo 3D de dissecação tipo B; II) Vista frontal; III) Vista superior. *: Corte transversal; ɸ: Comprimento vertical da dissecção aórtica; A: Diâmetro da luz verdadeira; B: Diâmetro da falsa luz; C: Diâmetro aórtico total.

Análise estatística

Os dados categóricos são apresentados como valores absolutos e porcentagens. Dados contínuos são apresentados como média e desvio padrão (DP) ou mediana e intervalo interquartil, de acordo com a normalidade dos dados. O teste de Kolmogorov-Smirnov foi utilizado para avaliar a normalidade dos dados. O teste t de Student não pareado foi usado quando as variáveis contínuas eram normalmente distribuídas. Caso contrário, o teste U de Mann-Whitney foi usado. O teste do qui-quadrado foi utilizado para variáveis categóricas. Variáveis com p < 0,05 no teste t de Student não pareado, teste U de Mann-Whitney e teste do qui-quadrado foram incluídas na análise de regressão logística binária para análise multivariada. Valores de p < 0,05 foram considerados estatisticamente significativos. As análises estatísticas foram realizadas no software SPSS (versão 25.0).

Resultados

No período selecionado de dez anos, 812 pacientes foram identificados com dissecção aórtica, 350 dos quais foram diagnosticados com dissecção aórtica tipo B. Informações clínicas e de imagem não estavam disponíveis para 68 pacientes, resultando em 282 pacientes que preencheram nossos critérios de inclusão. O processo de triagem é resumido na Figura 2. A média de idade dos pacientes foi de 52,45 ± 11,24, sendo 83,69% dos pacientes do sexo masculino. Os pacientes do grupo trombótico eram mais velhos do que os do grupo não trombótico, 53,92 ± 11,40 vs. 50,36 ± 10,71, respectivamente (p < 0,05). A insuficiência renal foi mais comum no grupo não trombótico do que no grupo trombótico (p < 0,05). As características demográficas e clínicas dos casos incluídos são apresentadas na Tabela 1.

Figura 2
Processo de triagem dos participantes.

Tabela 1
– Características clínicas e demográficas do paciente

Os resultados morfológicos são apresentados na Tabela 2. A taxa de envolvimento retrógrado do arco aórtico foi de 7,45%, com 4,96% atingindo a zona 1 e 1,77% atingindo a zona 0. Na zona 0, o diâmetro da luz verdadeira no grupo não trombótico foi significativamente maior que no grupo trombótico. Nas zonas 3-9, o diâmetro da luz verdadeira foi menor do que no grupo trombótico. Entretanto, o diâmetro da falsa luz foi maior no grupo não trombótico do que no grupo trombótico nas zonas 4 e 5. A figura central mostra os parâmetros que diferiram entre os dois grupos. De acordo com os resultados da análise de regressão logística binária, o diâmetro da luz verdadeira na zona 5 e a insuficiência renal foram preditores independentes de trombose da falsa luz. Os resultados são apresentados na Tabela 3.

Tabela 2
– Características morfológicas

Tabela 3
– Análise de regressão logística binária

No grupo trombótico, também focamos na distribuição do trombo em cada zona. A zona 5 foi o local mais comum do trombo (67,47%), seguida da zona 3 (57,23%), e a zona 11 foi a área com menor distribuição de trombo, com apenas 3,01%. A relação correspondente entre a distribuição do trombo e o diâmetro da luz verdadeira e falsa é mostrada na Figura 3.

Figura 3
Diâmetros da luz verdadeira e falsa e distribuição do trombo nas zonas 0-11.

Discussão

A dissecção aórtica tipo B é definida como a ruptura de entrada primária com origem na região esquerda do tronco braquiocefálico, incluindo o arco aórtico e a aorta descendente.11. Lombardi JV, Hughes GC, Appoo JJ, Bavaria JE, Beck AW, Cambria RP, et al. Society for Vascular Surgery (SVS) and Society of Thoracic Surgeons (STS) Reporting Standards for Type B Aortic Dissections. J Vasc Surg. 2020;71(3):723-47. doi: 10.1016/j.jvs.2019.11.013.
https://doi.org/10.1016/j.jvs.2019.11.01...
A incidência foi de 1,6 a cada 100.000 pessoas por ano.88. Melo RG, Mourão M, Caldeira D, Alves M, Lopes A, Duarte A, et al. A Systematic Review and Meta-Analysis of the Incidence of Acute Aortic Dissections in Population-Based Studies. J Vasc Surg. 2022;75(2):709-20. doi: 10.1016/j.jvs.2021.08.080.
https://doi.org/10.1016/j.jvs.2021.08.08...
A DATB pode causar síndrome de má perfusão e ruptura aórtica, que pode ser fatal. A mortalidade intra-hospitalar devido à dissecção aórtica tipo B é de 0,3 por 100.000 por ano.88. Melo RG, Mourão M, Caldeira D, Alves M, Lopes A, Duarte A, et al. A Systematic Review and Meta-Analysis of the Incidence of Acute Aortic Dissections in Population-Based Studies. J Vasc Surg. 2022;75(2):709-20. doi: 10.1016/j.jvs.2021.08.080.
https://doi.org/10.1016/j.jvs.2021.08.08...
A DA aumenta a taxa de mortalidade cardiovascular. A mortalidade cardiovascular em pacientes com DA é 2-3 vezes maior do que na população em geral.99. Weiss S, Sen I, Huang Y, Killian JM, Harmsen WS, Mandrekar J, et al. Cardiovascular Morbidity and Mortality after Aortic Dissection, Intramural Hematoma, and Penetrating Aortic Ulcer. J Vasc Surg. 2019;70(3):724-731.e1. doi: 10.1016/j.jvs.2018.12.031.
https://doi.org/10.1016/j.jvs.2018.12.03...

Durante os dez anos de nosso estudo, 282 pacientes preencheram nossos critérios de inclusão, dos quais 83,69% eram do sexo masculino. Esse número foi maior do que os 69,1% relatados na literatura.33. Hagan PG, Nienaber CA, Isselbacher EM, Bruckman D, Karavite DJ, Russman PL, et al. The International Registry of Acute Aortic Dissection (IRAD): New Insights Into an Old Disease. JAMA. 2000;283(7):897-903. doi: 10.1001/jama.283.7.897.
https://doi.org/10.1001/jama.283.7.897...
A razão pode ser o maior número de fumantes de tabaco na China do que em outros países. A OMS relatou que a porcentagem de fumantes na China é de 47,6%, em comparação com 19% nos Estados Unidos.1010. Brooks M. Review of Studies Reporting the Incidence of Acute Type B Aortic Dissection. Hearts. 2020;1(3):152-65.doi: 10.3390/hearts1030016.
https://doi.org/10.3390/hearts1030016...
Na China, descobriu-se que o número de homens que fumam é 22 vezes maior do que o número de mulheres que fumam.1111. Yang T, Barnett R, Jiang S, Yu L, Xian H, Ying J, et al. Gender Balance and its Impact on Male and Female Smoking Rates in Chinese Cities. Soc Sci Med. 2016;154:9-17. doi: 10.1016/j.socscimed.2016.02.035.
https://doi.org/10.1016/j.socscimed.2016...
Descobriu-se que fumar é um fator de alto risco para dissecção aórtica. O mecanismo subjacente a essa conexão é que o extrato da fumaça de cigarro causa a morte das células da musculatura lisa vascular por induzir a ferroptose.1212. Sampilvanjil A, Karasawa T, Yamada N, Komada T, Higashi T, Baatarjav C, et al. Cigarette Smoke Extract Induces Ferroptosis in Vascular Smooth Muscle Cells. Am J Physiol Heart Circ Physiol. 2020;318(3):H508-H518. doi: 10.1152/ajpheart.00559.2019.
https://doi.org/10.1152/ajpheart.00559.2...

O termo “insuficiência renal” aqui se refere a uma taxa de filtração glomerular estimada [eGFR] inferior a 89 mL/min/1,73 m22. Lovatt S, Wong CW, Schwarz K, Borovac JA, Lo T, Gunning M, et al. Misdiagnosis of Aortic Dissection: A Systematic Review of the Literature. Am J Emerg Med. 2022;53:16-22. doi: 10.1016/j.ajem.2021.11.047.
https://doi.org/10.1016/j.ajem.2021.11.0...
. A prevalência de insuficiência renal foi significativamente menor no grupo trombótico do que no grupo não trombótico (7,83% vs. 16,38%, p < 0,05). Essa diferença pode ocorrer porque a insuficiência renal pode causar um declínio na eficiência do sistema circulatório, e pacientes com doença renal em estágio terminal apresentam contagens de leucócitos e plaquetas mais baixas do que pacientes sem doença renal em estágio terminal.1313. Xie J, Zeng S, Xie L, Ding R, Hu J, Zeng H, et al. Differences in the Clinical Presentation, Management, and In-Hospital Outcomes of Acute Aortic Dissection in Patients with and without End-Stage Renal Disease. BMC Nephrol. 2021;22(1):257. doi: 10.1186/s12882-021-02432-9.
https://doi.org/10.1186/s12882-021-02432...
Sakakura et al.1414. Sakakura K, Kubo N, Ako J, Fujiwara N, Funayama H, Ikeda N, et al. Determinants of Long-Term Mortality in Patients with Type B Acute Aortic Dissection. Am J Hypertens. 2009;22(4):371-7. doi: 10.1038/ajh.2009.5.
https://doi.org/10.1038/ajh.2009.5...
também descobriram que a insuficiência renal é um preditor de resultados adversos a longo prazo em pacientes com DATB. No entanto, pacientes com DATB com insuficiência renal exibiram mais sintomas atípicos do que os pacientes com DATB.1313. Xie J, Zeng S, Xie L, Ding R, Hu J, Zeng H, et al. Differences in the Clinical Presentation, Management, and In-Hospital Outcomes of Acute Aortic Dissection in Patients with and without End-Stage Renal Disease. BMC Nephrol. 2021;22(1):257. doi: 10.1186/s12882-021-02432-9.
https://doi.org/10.1186/s12882-021-02432...
Recomenda-se aos médicos prestar mais atenção aos pacientes com insuficiência renal e dissecção aórtica.

Para avaliar a relação entre o diâmetro da aorta e a trombose da falsa luz, medimos o diâmetro da luz verdadeira, o diâmetro da falsa luz e o diâmetro total da aorta no início de cada zona. Nas zonas 3–9, o diâmetro da luz verdadeira do grupo trombótico foi maior em comparação com o grupo não trombótico. Além disso, o diâmetro da luz verdadeira é maior que o diâmetro da falsa luz, sendo mais comum no grupo trombótico. Especulamos que, quando o diâmetro da luz verdadeira é maior que o diâmetro da falsa luz, as condições favorecem a trombose da falsa luz. No entanto, quando o diâmetro da luz verdadeira é menor que o da falsa luz, seria mais provável a falsa luz estar em estado de patência. Este resultado coincide com pesquisas anteriores. Matsushita et al.1515. Matsushita A, Hattori T, Tsunoda Y, Sato Y, Mihara W. Impact of Initial Aortic Diameter and False-Lumen Area Ratio on Type B Aortic Dissection Prognosis. Interact Cardiovasc Thorac Surg. 2018;26(2):176-82. doi: 10.1093/icvts/ivx286.
https://doi.org/10.1093/icvts/ivx286...
mostraram que era mais comum a falsa luz ser maior do que a luz verdadeira em pacientes com falsa luz patente e que isso poderia ser um preditor de eventos adversos aórticos importantes. Os principais eventos adversos aórticos incluem morte relacionada à aorta, cirurgia de dissecção aórtica tardia e aumento rápido da falsa luz. Muitos fatores têm sido relacionados ao estado da falsa luz, e o monitoramento regular pode ter efeitos benéficos no prognóstico.1616. Clough RE, Barillà D, Delsart P, Ledieu G, Spear R, Crichton S, et al. Editor’s Choice - Long-term Survival and Risk Analysis in 136 Consecutive Patients with Type B Aortic Dissection Presenting to a Single Centre Over an 11 Year Period. Eur J Vasc Endovasc Surg. 2019;57(5):633-8. doi: 10.1016/j.ejvs.2018.08.042.
https://doi.org/10.1016/j.ejvs.2018.08.0...

As diretrizes atuais recomendam terapia médica ideal (OMT) para o controle da frequência cardíaca e hipertensão como tratamento de primeira linha para dissecção aórtica tipo B aguda não complicada sem evidência de ruptura ou má perfusão do órgão.1717. MacGillivray TE, Gleason TG, Patel HJ, Aldea GS, Bavaria JE, Beaver TM, et al. The Society of Thoracic Surgeons/American Association for Thoracic Surgery Clinical Practice Guidelines on the Management of Type B Aortic Dissection. Ann Thorac Surg. 2022;113(4):1073-92. doi: 10.1016/j.athoracsur.2021.11.002.
https://doi.org/10.1016/j.athoracsur.202...
No entanto, durante o acompanhamento, mais de 70% dos pacientes tratados com OMT apresentaram remodelamento negativo,33. Hagan PG, Nienaber CA, Isselbacher EM, Bruckman D, Karavite DJ, Russman PL, et al. The International Registry of Acute Aortic Dissection (IRAD): New Insights Into an Old Disease. JAMA. 2000;283(7):897-903. doi: 10.1001/jama.283.7.897.
https://doi.org/10.1001/jama.283.7.897...
e 26,2% dos pacientes necessitaram de reintervenção.1818. Garbade J, Jenniches M, Borger MA, Barten MJ, Scheinert D, Gutberlet M, et al. Outcome of Patients Suffering from Acute Type B Aortic Dissection: A Retrospective Single-Centre Analysis of 135 Consecutive Patients. Eur J Cardiothorac Surg. 2010;38(3):285-92. doi: 10.1016/j.ejcts.2010.02.038.
https://doi.org/10.1016/j.ejcts.2010.02....
Os médicos têm favorecido a TEVAR porque ela supera a OMT em termos de melhoria da remodelação da dissecção aórtica.44. Nienaber CA, Rousseau H, Eggebrecht H, Kische S, Fattori R, Rehders TC, et al. Randomized Comparison of Strategies for Type B Aortic Dissection: The INvestigation of STEnt Grafts in Aortic Dissection (INSTEAD) Trial. Circulation. 2009;120(25):2519-28. doi: 10.1161/CIRCULATIONAHA.109.886408.
https://doi.org/10.1161/CIRCULATIONAHA.1...
O principal mecanismo subjacente ao remodelamento positivo induzido pela TEVAR em lesões dissecantes é a indução de alterações na hemodinâmica das luzes verdadeira e falsa. Após a implantação da endoprótese, enquanto dilata mecanicamente a luz verdadeira, a falsa luz é comprimida, o que pode melhorar a perfusão sanguínea e aumentar a pressão na luz verdadeira. No entanto, uma vez que a ruptura primária fosse coberta, o fluxo sanguíneo e a velocidade na falsa luz seriam reduzidos, resultando em alterações nas características do fluxo sanguíneo na falsa luz e, assim, contribuindo para a formação de trombos.1919. Cosset B, Boussel L, Serrano ED, Millon A, Douek P, Farhat F, et al. Hemodynamic Changes Before and after Endovascular Treatment of Type B Aortic Dissection by 4D Flow MRI. Front Cardiovasc Med. 2022;9:873144. doi: 10.3389/fcvm.2022.873144.
https://doi.org/10.3389/fcvm.2022.873144...
No entanto, existem limitações quanto ao uso da TEVAR para dissecção envolvendo ramos importantes e, portanto, novas técnicas e dispositivos precisam ser desenvolvidos.

Limitações

O presente trabalho apresentou várias limitações. Trata-se de um estudo retrospectivo de centro único, com tamanho amostral limitado; estudos prospectivos de longo prazo e amostragem grande revelariam melhor o prognóstico da dissecção aórtica tipo B. Diversos fatores morfológicos afetam o estado da falsa luz e, portanto, mais características morfológicas devem ser analisadas. Além disso, as medições foram realizadas com base em imagens de ATC e, portanto, a qualidade de tais imagens pode afetar a precisão das medições.

Conclusões

Neste estudo, descobrimos que a incidência da falsa luz trombótica foi maior em pacientes idosos com função renal normal em comparação com pacientes mais jovens ou com função renal comprometida. O diâmetro da luz verdadeira da aorta descendente foi relacionado à trombose na falsa luz.

Agradecimentos

Este estudo foi patrocinado pela Fundação Nacional de Ciências Naturais da China (NO.81960091).

Referências

  • 1
    Lombardi JV, Hughes GC, Appoo JJ, Bavaria JE, Beck AW, Cambria RP, et al. Society for Vascular Surgery (SVS) and Society of Thoracic Surgeons (STS) Reporting Standards for Type B Aortic Dissections. J Vasc Surg. 2020;71(3):723-47. doi: 10.1016/j.jvs.2019.11.013.
    » https://doi.org/10.1016/j.jvs.2019.11.013
  • 2
    Lovatt S, Wong CW, Schwarz K, Borovac JA, Lo T, Gunning M, et al. Misdiagnosis of Aortic Dissection: A Systematic Review of the Literature. Am J Emerg Med. 2022;53:16-22. doi: 10.1016/j.ajem.2021.11.047.
    » https://doi.org/10.1016/j.ajem.2021.11.047
  • 3
    Hagan PG, Nienaber CA, Isselbacher EM, Bruckman D, Karavite DJ, Russman PL, et al. The International Registry of Acute Aortic Dissection (IRAD): New Insights Into an Old Disease. JAMA. 2000;283(7):897-903. doi: 10.1001/jama.283.7.897.
    » https://doi.org/10.1001/jama.283.7.897
  • 4
    Nienaber CA, Rousseau H, Eggebrecht H, Kische S, Fattori R, Rehders TC, et al. Randomized Comparison of Strategies for Type B Aortic Dissection: The INvestigation of STEnt Grafts in Aortic Dissection (INSTEAD) Trial. Circulation. 2009;120(25):2519-28. doi: 10.1161/CIRCULATIONAHA.109.886408.
    » https://doi.org/10.1161/CIRCULATIONAHA.109.886408
  • 5
    Spinelli D, Benedetto F, Donato R, Piffaretti G, Marrocco-Trischitta MM, Patel HJ, et al. Current Evidence in Predictors of Aortic Growth and Events in Acute Type B Aortic Dissection. J Vasc Surg. 2018;68(6):1925-1935.e8. doi: 10.1016/j.jvs.2018.05.232.
    » https://doi.org/10.1016/j.jvs.2018.05.232
  • 6
    Nienaber CA, Kische S, Rousseau H, Eggebrecht H, Rehders TC, Kundt G, et al. Endovascular Repair of Type B Aortic Dissection: Long-Term Results of the Randomized Investigation of Stent Grafts in Aortic Dissection Trial. Circ Cardiovasc Interv. 2013;6(4):407-16. doi: 10.1161/CIRCINTERVENTIONS.113.000463.
    » https://doi.org/10.1161/CIRCINTERVENTIONS.113.000463
  • 7
    Kamman AV, Jonker FHW, Sechtem U, Harris KM, Evangelista A, Montgomery DG, et al. Predictors of Stable Aortic Dimensions in Medically Managed Acute Aortic Syndromes. Ann Vasc Surg. 2017;42:143-149. doi: 10.1016/j.avsg.2017.01.012.
    » https://doi.org/10.1016/j.avsg.2017.01.012
  • 8
    Melo RG, Mourão M, Caldeira D, Alves M, Lopes A, Duarte A, et al. A Systematic Review and Meta-Analysis of the Incidence of Acute Aortic Dissections in Population-Based Studies. J Vasc Surg. 2022;75(2):709-20. doi: 10.1016/j.jvs.2021.08.080.
    » https://doi.org/10.1016/j.jvs.2021.08.080
  • 9
    Weiss S, Sen I, Huang Y, Killian JM, Harmsen WS, Mandrekar J, et al. Cardiovascular Morbidity and Mortality after Aortic Dissection, Intramural Hematoma, and Penetrating Aortic Ulcer. J Vasc Surg. 2019;70(3):724-731.e1. doi: 10.1016/j.jvs.2018.12.031.
    » https://doi.org/10.1016/j.jvs.2018.12.031
  • 10
    Brooks M. Review of Studies Reporting the Incidence of Acute Type B Aortic Dissection. Hearts. 2020;1(3):152-65.doi: 10.3390/hearts1030016.
    » https://doi.org/10.3390/hearts1030016
  • 11
    Yang T, Barnett R, Jiang S, Yu L, Xian H, Ying J, et al. Gender Balance and its Impact on Male and Female Smoking Rates in Chinese Cities. Soc Sci Med. 2016;154:9-17. doi: 10.1016/j.socscimed.2016.02.035.
    » https://doi.org/10.1016/j.socscimed.2016.02.035
  • 12
    Sampilvanjil A, Karasawa T, Yamada N, Komada T, Higashi T, Baatarjav C, et al. Cigarette Smoke Extract Induces Ferroptosis in Vascular Smooth Muscle Cells. Am J Physiol Heart Circ Physiol. 2020;318(3):H508-H518. doi: 10.1152/ajpheart.00559.2019.
    » https://doi.org/10.1152/ajpheart.00559.2019
  • 13
    Xie J, Zeng S, Xie L, Ding R, Hu J, Zeng H, et al. Differences in the Clinical Presentation, Management, and In-Hospital Outcomes of Acute Aortic Dissection in Patients with and without End-Stage Renal Disease. BMC Nephrol. 2021;22(1):257. doi: 10.1186/s12882-021-02432-9.
    » https://doi.org/10.1186/s12882-021-02432-9
  • 14
    Sakakura K, Kubo N, Ako J, Fujiwara N, Funayama H, Ikeda N, et al. Determinants of Long-Term Mortality in Patients with Type B Acute Aortic Dissection. Am J Hypertens. 2009;22(4):371-7. doi: 10.1038/ajh.2009.5.
    » https://doi.org/10.1038/ajh.2009.5
  • 15
    Matsushita A, Hattori T, Tsunoda Y, Sato Y, Mihara W. Impact of Initial Aortic Diameter and False-Lumen Area Ratio on Type B Aortic Dissection Prognosis. Interact Cardiovasc Thorac Surg. 2018;26(2):176-82. doi: 10.1093/icvts/ivx286.
    » https://doi.org/10.1093/icvts/ivx286
  • 16
    Clough RE, Barillà D, Delsart P, Ledieu G, Spear R, Crichton S, et al. Editor’s Choice - Long-term Survival and Risk Analysis in 136 Consecutive Patients with Type B Aortic Dissection Presenting to a Single Centre Over an 11 Year Period. Eur J Vasc Endovasc Surg. 2019;57(5):633-8. doi: 10.1016/j.ejvs.2018.08.042.
    » https://doi.org/10.1016/j.ejvs.2018.08.042
  • 17
    MacGillivray TE, Gleason TG, Patel HJ, Aldea GS, Bavaria JE, Beaver TM, et al. The Society of Thoracic Surgeons/American Association for Thoracic Surgery Clinical Practice Guidelines on the Management of Type B Aortic Dissection. Ann Thorac Surg. 2022;113(4):1073-92. doi: 10.1016/j.athoracsur.2021.11.002.
    » https://doi.org/10.1016/j.athoracsur.2021.11.002
  • 18
    Garbade J, Jenniches M, Borger MA, Barten MJ, Scheinert D, Gutberlet M, et al. Outcome of Patients Suffering from Acute Type B Aortic Dissection: A Retrospective Single-Centre Analysis of 135 Consecutive Patients. Eur J Cardiothorac Surg. 2010;38(3):285-92. doi: 10.1016/j.ejcts.2010.02.038.
    » https://doi.org/10.1016/j.ejcts.2010.02.038
  • 19
    Cosset B, Boussel L, Serrano ED, Millon A, Douek P, Farhat F, et al. Hemodynamic Changes Before and after Endovascular Treatment of Type B Aortic Dissection by 4D Flow MRI. Front Cardiovasc Med. 2022;9:873144. doi: 10.3389/fcvm.2022.873144.
    » https://doi.org/10.3389/fcvm.2022.873144
  • Vinculação acadêmica
    Não há vinculação deste estudo a programas de pós-graduação.
  • Aprovação ética e consentimento informado
    Este artigo não contém estudos com humanos ou animais realizados por nenhum dos autores.
  • Fontes de financiamento
    O presente estudo foi financiado pela The National Nature Science Foundation of China (Number 81960091).

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    28 Jul 2023
  • Data do Fascículo
    2023

Histórico

  • Recebido
    30 Dez 2022
  • Revisado
    22 Abr 2023
  • Aceito
    17 Maio 2023
Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Avenida Marechal Câmara, 160, sala: 330, Centro, CEP: 20020-907, (21) 3478-2700 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil, Fax: +55 21 3478-2770 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista@cardiol.br