Palatabilizantes em dietas de leitões recém-desmamados

Flavors in diets for weanling pigs

J.F. Martinez A.B. Amorim D.E. Faria V.S Nakagi M.M.P. Sartori M.F. Marques Sobre os autores

Resumos

Com o intuito de verificar a eficácia do açúcar e do edulcorante à base de sacarina sódica e neoesperidina nas dietas de leitões, foram realizados dois experimentos, ambos com 42 leitões recém-desmamados aos 21 dias de idade. Foram oferecidas três dietas: dieta controle (DC), dieta com açúcar (DA) e dieta com edulcorante (DE). Os experimentos foram em blocos ao acaso, sendo o primeiro com sete repetições e dois animais por unidade experimental e o segundo com seis repetições, um animal por unidade experimental, e arranjo fatorial 3 x 2 + 1 (três dietas, duas épocas de abate: aos 28 e 35 dias de idade e um abate no dia do desmame). No primeiro experimento, os animais permaneceram nas instalações de creche até 63 dias de idade para avaliação do desempenho e da viabilidade econômica das dietas. No segundo experimento, os animais foram abatidos para se proceder à pesagem de órgãos, medição do comprimento do intestino delgado e coleta dos segmentos do duodeno e jejuno para realização da morfometria intestinal. Não houve diferenças entre as dietas para consumo diário de ração (CDR), ganho diário de peso (GDP) e conversão alimentar (CA) nos períodos 1 (21 aos 28 dias), 3 (21 aos 50 dias) e 4 (21 aos 63 dias de idade). No período 2 (21 aos 35 dias), os animais que consumiram a DE apresentaram maior (P<0,05) CDR e GDP, se comparados aos que consumiram a DA. Nos períodos 1, 2 e 3, foi observado menor custo da dieta por kg de peso vivo ganho e melhores índices econômico e de custo para os animais que consumiram DE. Ao se avaliar a morfometria intestinal e o peso de órgãos, não se observou diferença entre as dietas, com exceção para o peso do estômago, que foi maior nos animais que consumiram DE. A inclusão de edulcorante é eficaz em melhorar o desempenho no período 2, além de ser viável sob o ponto de vista econômico.

suíno; açúcar; desempenho; edulcorante; morfologia intestinal


In order to verify the effectiveness of sugar and sweeteners containing saccharin and neohesperidin in diets of piglets, two experiments were conducted, both with 42 newborn piglets weaned at 21 days old. Were offered three diets: control diet (DC), diet with sugar (DA) and diet with sweetener (DE). The experiments were done in randomized blocks, the first of which had seven replicates and two animals per experimental unit and the second, six replicates and one animal per experimental unit comprising a factorial 3 x 2 + 1 design (three diets, two slaughter ages: at 28 and 35 days of age and slaughter on the day of weaning). In the first experiment, the animals remained in the nursery facilities until 63 days of age to evaluate the performance and the economic viability of the diets. In the second experiment, the animals were slaughtered to weigh the organs, measure the length of the small intestine and collect segments of the duodenum and jejunum to determine intestinal morphology. There were no differences between diets for the average dairy feed intake (ADFI), average dairy gain (ADG) and gain:feed (G:F) in Periods 1 (21 to 28 days), 3 (21 to 50 days) and 4 (21 to 63 days old). In Period 2 (21 to 35 days), animals that consumed DE had higher (P<0.05) ADFI and ADG, compared to those fed the DA. In Periods 1, 2 and 3 a lower cost per kg of the diet of live weight gain and better economic indicators for the animals fed DE were observed. No differences were observed between the diets when evaluating intestinal morphology and organ weights, except for the weight of the stomach, which was higher in animals fed DE. The inclusion of sweetener is effective in improving performance in Period 2, and is viable under the economical point of view.

pig; intestinal morphology; performance; sugar; sweetener


INTRODUÇÃO

A produção de leitões, dentro da cadeia de produção, é uma fase extremamente importante, pois é a partir dela que se originarão os futuros reprodutores e animais para abate. É nesta etapa que se realiza o desmame, um dos grandes desafios da suinocultura, pois o estresse causado pela separação da porca, pela mudança da dieta, além da transferência para novas instalações, afeta o comportamento ingestivo dos leitões e, consequentemente, seu desenvolvimento fisiológico e ganho de peso. Para reverter esse quadro, algumas alternativas são propostas, e uma delas é a formulação de dietas mais atrativas, acrescidas de palatabilizantes, como o açúcar e os edulcorantes.

Vários experimentos vêm demonstrando a eficácia dos palatabilizantes na dieta de leitões. Diaz et al. (1956)DIAZ, F.; SPEER, V.C.; ASHTON, G.C. et al. Comparison of refined cane sugar, invert cane molasses and unrefined cane sugar in starter rations for early weaned pigs. J. Anim. Sci., v.15, p.315-319, 1956. observaram que leitões alimentados com dietas com açúcar apresentaram maior ganho de peso, melhor conversão alimentar (Munro et al., 2000MUNRO, P.J.; LIRETTE, A.; ANDERSON, D.M. et al. Effects of a new sweetener, Stevia, on performance of newly weaned pigs. Can. J. Anim. Sci., v.80, p.529-531, 2000.) e maior consumo em detrimento dos leitões que não receberam o aditivo. Os edulcorantes também são utilizados nas dietas de leitões e, por possuírem poder adoçante maior que do açúcar, são requeridos em baixas concentrações, o que pode diminuir o custo com alimentação e, por conseguinte, com a produção (Hellal, 2001HELLAL, H. Edulcorantes: comparación de productos naturales, artificiales y de alta intensidad, 2001. Disponível em: <http://www.engormix.com/ MAporcicultura/nutricion/articulos/edulcorantescomparacion-productos-naturales-t367/p0.htm>. Acessado em: 3 set. 2013.
http://www.engormix.com/ ...
).

Apesar do grande número de trabalhos testando palatabilizantes, ainda prevalece a dúvida de sua eficácia, devido ao fato de as diversas pesquisas serem realizadas há muitos anos com animais geneticamente inferiores, com manejo e nutrição diferenciados do preconizado atualmente. Assim, esses fatores podem influenciar a percepção sensitiva dos animais e, consequentemente, o consumo e a percepção da palatabilidade dos ingredientes (Forbes, 2010 FORBES, J.M. Ingestão alimentícia e seleção em suínos: uma verdade impalatável. In: SIMPÓSIO BRASIL SUL DE SUINOCULTURA, 3., 2010, Chapecó. Anais... Chapecó: [s.n.] 2010. p.15-22.).

Com base no exposto, o presente trabalho teve como objetivo verificar o desempenho, a morfometria intestinal, o peso de órgãos de leitões da fase de recria em diferentes idades e alimentados com dietas sem e com a inclusão de açúcar e de edulcorante comercial à base de sacarina sódica e neoesperidina, bem como a viabilidade econômica destas.

MATERIAL E MÉTODOS

Foram realizados dois experimentos na instalação de creche do Laboratório de Pesquisa em Suínos (LPS), da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ)/USP, Campus de Pirassununga. Os animais foram alojados em baias suspensas, parcialmente ripadas, com dimensão de 2,30m x 0,75m, providas de comedouro semiautomático e bebedouro tipo chupeta.

Ambos os experimentos foram aprovados pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal (Processo 111395741) da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA)/USP.

No primeiro experimento, foram evidenciados o desempenho dos animais e a viabilidade econômica das dietas, sendo utilizados 42 animais (21 machos castrados e 21 fêmeas) recém-desmamados, com idade média de 21 dias e peso médio inicial de 6,2±0,39kg. Para o segundo experimento, foram realizadas a morfometria intestinal e a pesagem dos órgãos dos animais, sendo utilizados 42 leitões machos castrados, recém-desmamados, com idade média de 21 dias e peso médio inicial de 5,6±0,56kg. Os animais utilizados nos experimentos foram oriundos de granja comercial.

As dietas foram compostas principalmente de milho e farelo de soja, suplementadas com minerais, vitaminas e aminoácidos sintéticos para apresentarem-se isoenergéticas e isoaminoacídicas, e formuladas para atender as exigências nutricionais mínimas dos leitões, de acordo com as recomendações de Rostagno et al. (2011)ROSTAGNO, H.S.; ALBINO, L.F.T.; DONZELE, J.L. et al. Tabelas Brasileiras para Aves e Suínos: composição dos alimentos e exigências nutricionais. Viçosa: UFV, 2011. 252p.. Elas foram divididas nas seguintes fases: Pré-inicial (21 aos 35 dias de idade); Inicial I (36 aos 50 dias de idade) e Inicial II (51 aos 63 dias de idade).

Todos os leitões receberam água e ração à vontade e foram submetidos às mesmas condições de manejo. Ao início do experimento, os animais foram pesados, identificados e distribuídos entre as seguintes dietas experimentais: dieta controle (DC), dieta com inclusão de açúcar (DA) e dieta com inclusão do edulcorante (DE). As composições nutricional, centesimal e os custos (R$/kg) das dietas Pré-inicial, Inicial I e Inicial II estão representadas na Tab. 1.

Tabela 1
Composições nutricional, centesimal e custo (R$/kg) da dieta controle (DC), dieta com açúcar (DA) e dieta com edulcorante (DE), oferecidas aos leitões dos 21 aos 35 dias de idade (Pré- Inicial), dos 36 aos 50 dias de idade (Inicial I) e dos 51 aos 63 dias de idade (Inicial II)

Os experimentos foram em delineamento em blocos ao acaso para eliminar efeito do peso inicial dos animais. O primeiro experimento consistiu de três dietas e sete repetições, e a unidade experimental foi composta por dois animais (um macho e uma fêmea). O segundo foi em arranjo fatorial 3 x 2 + 1 (três dietas, duas épocas de abate: aos 28 e 35 dias de idade e o abate no dia do desmame), com seis repetições, sendo cada unidade experimental constituída por um animal macho.

Para as características de desempenho, foram avaliados o consumo diário de ração (CDR), o ganho diário de peso (GDP) e a conversão alimentar (CA) nos períodos: 1 (21 aos 28 dias), 2 (21 aos 35 dias), 3 (21 aos 50 dias) e 4 (21 aos 63 dias de idade). Para essas determinações, os animais, as rações fornecidas, as sobras no comedouro e as rações desperdiçadas foram pesadas no início e ao final de cada período.

A viabilidade econômica foi determinada segundo o custo do kg de cada dieta, o custo das dietas por kg de peso vivo ganho, o índice de eficiência econômica (IEE) e o índice de custo médio (IC), proposto por Barbosa et al. (1992)BARBOSA, H.P.; FIALHO, E.T.; FERREIRA, A.S. et al. Triguilho para suínos nas fases inicial, de crescimento, crescimento e terminação. Rev. Bras. de Zootec., v.21, p.827-837, 1992., por meio das fórmulas abaixo:

em que: MCe = menor custo médio da dieta por kg de ganho observado entre as dietas; CTei = custo da dieta i considerada.

Para o cálculo do custo (R$) do kg da dieta (Tab. 1), foram considerados os preços dos ingredientes utilizados na formulação, praticados na região de Pirassununga-SP no mês de abril de 2011, que correspondeu ao período de aquisição deles.

Para a morfometria intestinal, os animais foram transportados para o Matadouro-Escola da Coordenadoria do Campus Administrativo da USP-Campus de Pirassununga, insensibilizados e abatidos. Seis leitões foram abatidos no dia do desmame, ou seja, aos 21 dias de idade; 18 leitões aos 28 dias de idade (seis animais por dieta experimental); e 18 leitões aos 35 dias de idade (seis animais por dieta experimental), totalizando 42 animais, a fim de realizar a coleta de segmentos do duodeno e do jejuno para realização das análises morfométricas. Também foi realizada a pesagem de órgãos.

Foram coletadas amostras, de aproximadamente 3cm, da porção média do duodeno e do jejuno de cada animal, sendo abertas pela borda mesentérica, lavadas com água destilada e acondicionadas em solução de formol tamponado 10%, para posterior processamento das lâminas histológicas. Para cada animal foram obtidos seis cortes de cada amostra de duodeno e jejuno, com 5μm de espessura.

Para avaliar a altura dos vilos (AV), a profundidade das criptas (PC) e a relação AV:PC, foram realizadas 30 leituras por amostra do segmento intestinal, para cada animal, em microscópio óptico acoplado a um sistema para captura de imagens e a um sistema analisador de imagens, por meio do software Axio Vision 4.6 da ZEISS.

Foram pesados estômago vazio, intestino delgado vazio, intestino grosso vazio, fígado, pâncreas, rins, baço, e mensurado o comprimento do intestino delgado. Os animais foram pesados previamente ao abate; foram obtidos os pesos absolutos dos órgãos, e, assim, determinados os pesos relativos, por meio do cálculo: peso relativo = peso absoluto/peso vivo do animal.

A análise estatística dos dados de desempenho, morfometria intestinal e peso de órgãos foi submetida à análise de variância, utilizando-se o procedimento GLM (General Linear Models) no programa estatístico SAS (1998).

RESULTADOS E DISCUSSÃO

As médias do consumo diário de ração (CDR), do ganho diário de peso (GDP) e da conversão alimentar (CA) dos animais nos períodos 1, 2, 3 e 4 estão apresentadas na Tab. 2. Não houve diferenças (P>0,05) entre as dietas para as variáveis avaliadas nos períodos 1, 3 e 4. Já no período 2, os animais que consumiram a DE apresentaram maior (P<0,05) CDR e GDP, comparados com os leitões que receberam a DA, entretanto não diferiram dos animais alimentados com a DC.

Tabela 2
Valores médios do consumo diário de ração (CDR), ganho diário de peso (GDP) e conversão alimentar (CA) de leitões alimentados com dieta controle (DC), dieta com açúcar (DA) e dieta com edulcorante (DE)

A inclusão de açúcar e de edulcorante nas dietas dos leitões na primeira semana pós-desmame (período 1 - 21 aos 28 dias de idade) não foi eficaz em tornar as dietas mais atrativas e, portanto, o consumo não foi aumentado.

O presente estudo corrobora com Silva et al. (2001)SILVA, C.A.; KRONKA, R.N.; THOMAZ, M.C. et al. Utilização de dietas úmidas e de rações e água de bebida com edulcorante para leitões desmamados aos 21 dias de idade e efeitos sobre o desenvolvimento histológico e enzimático intestinal. Rev. Bras. de Zootec., v.30, p.794-801, 2001., os quais não verificaram melhora no desempenho de leitões desmamados aos 21 dias que receberam dietas com e sem edulcorante à base de sacarina sódica até os 29 dias de idade. Seabolt et al. (2010)SEABOLT, B.S.; HEUGTEN, E.V.; KIM, S.W. et al. Feed preference and performance of nursery pigs feed diets containing various inclusion amounts and qualities of distillers coproducts and flavor. J. Anim. Sci., v.88, p.3725-3738, 2010., ao trabalharem com leitões em sistema de alimentação de livre escolha na fase de creche, também não obtiveram melhora no desempenho de suínos na primeira semana, quando fornecidas dietas com flavorizante de queijo e baunilha.

No período 2 (21 aos 35 dias de idade), o CDR e o GDP foram maiores (P<0,05) quando os leitões consumiram a dieta com edulcorante, comparados com os leitões que receberam a dieta com açúcar, porém não foram diferentes aos leitões alimentados com a dieta controle. Neste período, que também engloba o período 1, os leitões já estavam adaptados ao ambiente e às dietas, favorecendo, assim, um maior consumo, entretanto a CA não foi influenciada pelas dietas.

No período 3 (21 aos 50 dias de idade) e no período 4, que corresponde ao total de dias na creche (21 a 63 dias de idade), não houve diferenças (P>0,05) nas variáveis analisadas. Esses resultados concordam com os obtidos por Wahlstrom et al. (1974)WAHLSTROM, R.C.; HAUSER, L.A.; LIBAL, G.W. Effects of low lactose whey, skim milk and sugar on diet palatability and performance of early weaned pigs. J. Anim. Sci., v.38, p.1267-1271, 1974.; Kornegay et al. (1979)KORNEGAY, E.T.; TINSLEY, S.E.; BRYANT, K.L. Evaluation of rearing systems and feed flavors for pigs weaned at two to three weeks of age. J. Anim. Sci., v.48, p.999-1006, 1979. e Orban et al. (1996)ORBAN, J.I.; PATTERSON, J.A.; ADEOLA, A. et al. Growth Performance and intestinal microbial populations of growing pigs fed diets containing sucrose thermal oligosaccharide caramel. J. Anim. Sci., v.75, p.170-175, 1996., os quais também não observaram melhora no desempenho de leitões que consumiram dietas com açúcar, açúcar e compostos aromáticos e sacarose, respectivamente.

Munro et al. (2000)MUNRO, P.J.; LIRETTE, A.; ANDERSON, D.M. et al. Effects of a new sweetener, Stevia, on performance of newly weaned pigs. Can. J. Anim. Sci., v.80, p.529-531, 2000. não encontraram diferença estatística no ganho e peso de leitões recém-desmamados, alimentados com dieta contendo 5% de sacarose, dieta contendo diferentes níveis de extrato da folha de estévia (83,3; 167 e 334mg/kg da dieta) e dieta controle sem inclusão de palatabilizantes. Todavia, o consumo de ração e a conversão alimentar dos animais que consumiram a dieta com 5% de sacarose foram melhores em relação à dieta controle, apesar de os animais que receberam dieta com extrato da folha de estévia não diferirem dos demais.

Alguns autores estudaram o efeito da sacarina sódica como palatabilizante e não verificaram melhora no desempenho de leitões (Silva et al., 2002SILVA, C.A.; KRONKA, R.N.; THOMAZ, M.C. et al. Rações úmidas e água de consumo e ração com edulcorante para leitões desmamados aos 21 dias e efeitos sobre o desempenho até os 90kg de peso vivo. Cienc. Rural, v.32, p.681-686, 2002.; Costa et al., 2003COSTA, L.L.; LIMA, J.A.F.; FIALHO, E.T. et al. Palatabilizantes em Dietas para Leitões de 6 a 18 kg. Rev. Bras. de Zootec., v.32, p.1633-1638, 2003.; Sterk et al., 2008STERK, A.; SCHLEGEL, P.; MUL, A.J. et al. Effects of sweeteners on individual feed intake characteristics and performance in group-housed weanling pigs. J. Anim. Sci., v.86, p.2990-2997, 2008.). Ausência de efeito no desempenho também foi verificada quando se adicionou baunilha (Cabral et al., 2009 CABRAL, N.O.; PROCESSI, E.F.; VALE, P.A.C.B. et al. Utilização de baunilha em rações contendo sorgo para leitões, 2009. In: ENCONTRO LATINO AMERICANO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E ENCONTRO LATINO AMERICANO DE PÓS-GRADUAÇÃO, 13., 2009, São José dos Campos, Anais...São José dos Campos: [s.n.] 2009. CDROM. (Resumo).), aroma de baunilha e coco (Rocha, 2009ROCHA, L.O. Suínos na fase de creche alimentados com rações extrusadas com e sem flavorizantes: desempenho e digestibilidade. 2009. 59f. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) - Escola de Veterinária, Universidade Federal de Goiás, Goiânia.) e produto lácteo achocolatado (Naranjo et al., 2010NARANJO, V.D.; BIDNER, T.D.; SOUTHERN, L.L. Effect of milk chocolate product on week-1 feed intake and growth performance of weanling pigs. J. Anim. Sci., v.88, p.2779-2788, 2010.) nas rações de leitões.

A ineficiência do açúcar e do edulcorante em melhorar o desempenho dos animais no presente estudo pode ter ocorrido em razão de as dietas formuladas serem dietas complexas com grande quantidade de produto lácteo, que também conferiu melhor sabor às dietas. No entanto, em condições de criação intensiva, com maior número de fatores estressantes e dietas formuladas com alimentos de menor palatabilidade, os palatabilizantes podem se tornar importantes aliados na nutrição animal (Forbes, 2010 FORBES, J.M. Ingestão alimentícia e seleção em suínos: uma verdade impalatável. In: SIMPÓSIO BRASIL SUL DE SUINOCULTURA, 3., 2010, Chapecó. Anais... Chapecó: [s.n.] 2010. p.15-22.).

No período de recria, são encontrados os maiores custos das dietas durante os primeiros 14 dias pós-desmame (Tab. 1), devido às maiores inclusões de sucedâneos lácteos. Com o crescimento do animal, essa inclusão é reduzida, o que diminui o custo da dieta.

Ao se compararem os custos das dietas experimentais, as dietas acrescidas dos palatabilizantes açúcar e edulcorante tiveram custos superiores ao da dieta controle. O maior custo foi obtido com a DA devido à considerável inclusão de 3% de açúcar.

A dieta com edulcorante apresentou melhor custo por quilograma de peso vivo ganho em todos os períodos avaliados. Também obteve melhor índice de eficiência econômica e melhor índice de custo médio nos três primeiros períodos, no entanto, no período total, não diferiu da dieta controle (Tab. 4).

Tabela 4
Custo das dietas (CD R$) por quilograma de peso vivo ganho (kg PV), índice de eficiência econômica (IEE) e índice de custo médio (IC) de leitões alimentados com dieta controle (DC), dieta com açúcar (DA) e dieta com edulcorante (DE) nos períodos 1, 2, 3 e 4

No segundo experimento, os valores médios encontrados de altura de vilos (AV), profundidade de criptas (PC) e relação altura de vilos:profundidade de criptas (AV:PC) do duodeno e do jejuno de leitões abatidos aos 21, 28 e 35 dias de idade estão apresentados na Tab. 5. Devido à interação encontrada para a AV:PC duodeno, os fatores foram desdobrados e representados na Tab. 6.

Com relação à idade de abate, independentemente das dietas, verificou-se que animais abatidos aos 35 dias de idade apresentaram maior AV do duodeno e do jejuno comparados com animais abatidos aos 21 dias de idade. Isso se deve, provavelmente, ao maior tamanho e, consequentemente, maior desenvolvimento do trato gastrintestinal.

Tabela 5
Altura de vilos (AV), profundidade de criptas (PC) e relação altura de vilos:profundidade de criptas (AV:PC) do duodeno e do jejuno de leitões alimentados com dieta controle (DC), dieta com açúcar (DA) e dieta com edulcorante (DE) e abatidos aos 21, 28 e 35 dias de idade

Tabela 6
Desdobramentos dos fatores da variável relação altura de vilos:profundidade de criptas (AV:PC) do duodeno de leitões alimentados com dieta controle (DC), dieta com açúcar (DA) e dieta com edulcorante (DE), abatidos aos 28 e 35 dias de idade

Quanto à PC do duodeno, animais abatidos aos 35 dias de idade apresentaram valores superiores às outras duas épocas de abates, enquanto a PC do jejuno foi maior nos animais abatidos aos 35 dias de idade em comparação aos abatidos aos 21 dias de idade. A maior profundidade de criptas no abate aos 35 dias de idade se deve à maior atividade mitótica das células das criptas para renovar as células perdidas das vilosidades intestinais (Uni et al., 2000UNI, Z.; ZAIGER, G.; GAL-GARBER, O. et al. Vitamin A deficiency interferes with proliferation and maturation of cells in the chicken small intestine. Brit. Poult. Sci., v.41, p.410-415, 2000.) que se apresentaram com maior altura aos 35 dias idade.

De acordo com Santos et al. (2007) SANTOS, F.A.; DONZELE, J.L.; SILVA, F.C.O. et al. Plasma suíno em dietas para leitões no período pós-desmame. In: CONGRESSO DA ABRAVES, 13., 2007, Florianópolis. Anais...Florianópolis: ABRAVES 2007. CDROM. (Resumo). , a mudança da dieta líquida para a dieta sólida após o desmame causa redução no tamanho das vilosidades, devido à descamação dos enterócitos (Hampson, 1986HAMPSON, D.J. Alterations in piglet small intestinal structure at weaning. Vet. Sci. Res., v.40, p.32-40, 1986.), com posterior recuperação delas até o 14° dia após o desmame (Nabuurs, 1995NABUURS, M.J.A. Morphological, structural and functional changes of the small intestine of pigs at weaning. Pig News Inform., v.16, p.93-97, 1995.). No entanto, esse efeito não foi confirmado no presente experimento, uma vez que não se observou diminuição da altura dos vilos, e sim um aumento, se comparado do dia do desmame aos 35 dias de idade, em razão da maior proliferação das células dos enterócitos em relação à descamação. A relação AV:PC do jejuno não foi afetada pela idade de abate.

As características morfométricas não foram influenciadas pelas dietas, com exceção da relação AV:PC do duodeno, a qual foi maior nos animais que receberam a DC e a DE, abatidos aos 35 dias de idade. Kelly et al. (1991)KELLY, D.; SMYTH, J.A.; McCRAKEN, K.J. Digestive development of the early weaned pig. Effect of continuous nutrient supply on the development of the digestive tract and on changes in digestive anzyme activity during the first week post-weaning. Brit. J. Nutr., v.65, p.169-180, 1991. e Makkink et al. (1994)MAKKINK, C.A.; NEGULESCU, G.P.; GUIXIN, Q. Effect of dietary protein source on feed intake, growth, pancreatic enzyme activities and jejunal morphology in newly-weaned piglets. Brit. J. Nutr., v.72, p.353-368, 1994. concluíram que os palatabilizantes aumentam a ingestão de ração, melhorando a integridade de vilos e criptas. Silva et al. (2001)SILVA, C.A.; KRONKA, R.N.; THOMAZ, M.C. et al. Utilização de dietas úmidas e de rações e água de bebida com edulcorante para leitões desmamados aos 21 dias de idade e efeitos sobre o desenvolvimento histológico e enzimático intestinal. Rev. Bras. de Zootec., v.30, p.794-801, 2001. estudaram o efeito do edulcorante sacarina sódica sobre a morfometria intestinal de leitões alimentados com e sem inclusão do edulcorante até os 29 dias de idade e verificaram que a AV do duodeno e a relação AV:PC do duodeno foram maiores nos animais que receberam dieta com edulcorante, entretanto esses resultados não foram encontrados no presente estudo.

Nas Tab. 7 e 8, encontram-se os pesos médios absolutos e relativos de órgãos e o comprimento do intestino delgado de leitões abatidos alimentados com diferentes dietas.

Tabela 7
Peso absoluto de órgãos (g) e comprimento (m) absoluto do intestino delgado de leitões alimentados com dieta controle (DC), dieta com açúcar (DC) e dieta com edulcorante (DC)
Tabela 8
Peso relativo de órgãos (g) e comprimento (m) relativo do intestino delgado de leitões alimentados com dieta controle (DC), dieta com açúcar (DA) e dieta com edulcorante (DE)

Não houve efeito das dietas (P>0,05) sobre o desenvolvimento dos órgãos. Como não houve diferença no desempenho, independentemente da dieta, esses resultados já eram esperados.

As dietas não influenciaram os pesos relativos de órgãos e o comprimento relativo do intestino delgado, com exceção do estômago, pois foi verificado maior peso relativo quando os animais receberam a dieta com edulcorante comparados com aqueles alimentados com dieta com açúcar, contudo o peso relativo do estômago não diferiu da dieta controle.

A ineficácia verificada pelos palatabilizantes em aumentar o peso e o comprimento relativo dos órgãos se deve ao fato de que os animais não apresentavam maior consumo e melhor desempenho em função da adição de palatabilizantes nas dietas, e, assim, o desenvolvimento dos órgãos dos animais que consumiram dietas com palatabilizantes foi igual ao dos que consumiram dieta controle.

CONCLUS ÃO

O uso do palatabilizante edulcorante à base de sacarina e neoesperidina em dietas para leitões recém-desmamados se justifica nas duas primeiras semanas pós-desmame por melhorar o desempenho dos animais e a viabilidade econômica da dieta. A utilização do açúcar, entretanto, não se justifica em nenhum dos períodos estudados.

REFERÊNCIAS

  • BARBOSA, H.P.; FIALHO, E.T.; FERREIRA, A.S. et al. Triguilho para suínos nas fases inicial, de crescimento, crescimento e terminação. Rev. Bras. de Zootec., v.21, p.827-837, 1992.
  • CABRAL, N.O.; PROCESSI, E.F.; VALE, P.A.C.B. et al. Utilização de baunilha em rações contendo sorgo para leitões, 2009. In: ENCONTRO LATINO AMERICANO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E ENCONTRO LATINO AMERICANO DE PÓS-GRADUAÇÃO, 13., 2009, São José dos Campos, Anais...São José dos Campos: [s.n.] 2009. CDROM. (Resumo).
  • COSTA, L.L.; LIMA, J.A.F.; FIALHO, E.T. et al. Palatabilizantes em Dietas para Leitões de 6 a 18 kg. Rev. Bras. de Zootec., v.32, p.1633-1638, 2003.
  • DIAZ, F.; SPEER, V.C.; ASHTON, G.C. et al. Comparison of refined cane sugar, invert cane molasses and unrefined cane sugar in starter rations for early weaned pigs. J. Anim. Sci., v.15, p.315-319, 1956.
  • FORBES, J.M. Ingestão alimentícia e seleção em suínos: uma verdade impalatável. In: SIMPÓSIO BRASIL SUL DE SUINOCULTURA, 3., 2010, Chapecó. Anais... Chapecó: [s.n.] 2010. p.15-22.
  • HAMPSON, D.J. Alterations in piglet small intestinal structure at weaning. Vet. Sci. Res., v.40, p.32-40, 1986.
  • HELLAL, H. Edulcorantes: comparación de productos naturales, artificiales y de alta intensidad, 2001. Disponível em: <http://www.engormix.com/ MAporcicultura/nutricion/articulos/edulcorantescomparacion-productos-naturales-t367/p0.htm>. Acessado em: 3 set. 2013.
    » http://www.engormix.com/ MAporcicultura/nutricion/articulos/edulcorantescomparacion-productos-naturales-t367/p0.htm
  • KELLY, D.; SMYTH, J.A.; McCRAKEN, K.J. Digestive development of the early weaned pig. Effect of continuous nutrient supply on the development of the digestive tract and on changes in digestive anzyme activity during the first week post-weaning. Brit. J. Nutr., v.65, p.169-180, 1991.
  • KORNEGAY, E.T.; TINSLEY, S.E.; BRYANT, K.L. Evaluation of rearing systems and feed flavors for pigs weaned at two to three weeks of age. J. Anim. Sci., v.48, p.999-1006, 1979.
  • MAKKINK, C.A.; NEGULESCU, G.P.; GUIXIN, Q. Effect of dietary protein source on feed intake, growth, pancreatic enzyme activities and jejunal morphology in newly-weaned piglets. Brit. J. Nutr., v.72, p.353-368, 1994.
  • MUNRO, P.J.; LIRETTE, A.; ANDERSON, D.M. et al. Effects of a new sweetener, Stevia, on performance of newly weaned pigs. Can. J. Anim. Sci., v.80, p.529-531, 2000.
  • NABUURS, M.J.A. Morphological, structural and functional changes of the small intestine of pigs at weaning. Pig News Inform., v.16, p.93-97, 1995.
  • NARANJO, V.D.; BIDNER, T.D.; SOUTHERN, L.L. Effect of milk chocolate product on week-1 feed intake and growth performance of weanling pigs. J. Anim. Sci., v.88, p.2779-2788, 2010.
  • ORBAN, J.I.; PATTERSON, J.A.; ADEOLA, A. et al. Growth Performance and intestinal microbial populations of growing pigs fed diets containing sucrose thermal oligosaccharide caramel. J. Anim. Sci., v.75, p.170-175, 1996.
  • ROCHA, L.O. Suínos na fase de creche alimentados com rações extrusadas com e sem flavorizantes: desempenho e digestibilidade. 2009. 59f. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) - Escola de Veterinária, Universidade Federal de Goiás, Goiânia.
  • ROSTAGNO, H.S.; ALBINO, L.F.T.; DONZELE, J.L. et al. Tabelas Brasileiras para Aves e Suínos: composição dos alimentos e exigências nutricionais. Viçosa: UFV, 2011. 252p.
  • SANTOS, F.A.; DONZELE, J.L.; SILVA, F.C.O. et al. Plasma suíno em dietas para leitões no período pós-desmame. In: CONGRESSO DA ABRAVES, 13., 2007, Florianópolis. Anais...Florianópolis: ABRAVES 2007. CDROM. (Resumo).
  • STATISTICAL Analysis Sistem - SAS INSTITUTE. SAS user's guide: statistic - Cary: Institute, 1998.
  • SEABOLT, B.S.; HEUGTEN, E.V.; KIM, S.W. et al. Feed preference and performance of nursery pigs feed diets containing various inclusion amounts and qualities of distillers coproducts and flavor. J. Anim. Sci., v.88, p.3725-3738, 2010.
  • SILVA, C.A.; KRONKA, R.N.; THOMAZ, M.C. et al. Rações úmidas e água de consumo e ração com edulcorante para leitões desmamados aos 21 dias e efeitos sobre o desempenho até os 90kg de peso vivo. Cienc. Rural, v.32, p.681-686, 2002.
  • SILVA, C.A.; KRONKA, R.N.; THOMAZ, M.C. et al. Utilização de dietas úmidas e de rações e água de bebida com edulcorante para leitões desmamados aos 21 dias de idade e efeitos sobre o desenvolvimento histológico e enzimático intestinal. Rev. Bras. de Zootec., v.30, p.794-801, 2001.
  • STERK, A.; SCHLEGEL, P.; MUL, A.J. et al. Effects of sweeteners on individual feed intake characteristics and performance in group-housed weanling pigs. J. Anim. Sci., v.86, p.2990-2997, 2008.
  • UNI, Z.; ZAIGER, G.; GAL-GARBER, O. et al. Vitamin A deficiency interferes with proliferation and maturation of cells in the chicken small intestine. Brit. Poult. Sci., v.41, p.410-415, 2000.
  • WAHLSTROM, R.C.; HAUSER, L.A.; LIBAL, G.W. Effects of low lactose whey, skim milk and sugar on diet palatability and performance of early weaned pigs. J. Anim. Sci., v.38, p.1267-1271, 1974.
  • ZEISS. AXIO VISION(r). Version 4.8. 2009.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    Ago 2014

Histórico

  • Recebido
    24 Out 2012
  • Aceito
    14 Dez 2013
Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br