Accessibility / Report Error

EFICIÊNCIA DE METARHIZIUM ANISOPLIAE (METSCH.) SOROKIN NO CONTROLE DE DEOIS FLAVOPICTA (STAL., 1854), EM PASTAGEM DE CAPIM-BRAQUIÁRIA (BRACHIARIA DECUMBENS)

EFFICIENCY OF METARHIZIUM ANISOPLIAE (METSCH.) SOROKIN ON THE CONTROL OF DEOIS FLAVOPICTA (STAL., 1854), IN BRACHIARIA DECUMBENS PASTURE

RESUMO

Com o objetivo de avaliar a eficiência da aplicação de doses do fungo Metarhizium anisopliae (isolado IBCB 425) no controle da cigarrinha-das-pastagens Deois flavopicta, foi conduzido um ensaio de campo em pastagem de capim-braquiária (Brachiaria decumbens), no Município de Itatinga, SP, no período de fevereiro a maio de 2006. Arroz contendo M. anisopliae esporulado foi lavado em água, coado e aplicado a partir das 17h, sob temperatura média de 18° C e umidade relativa de 69%. O volume de calda utilizado foi de 300 L ha-1. As avaliações procederam-se aos 14, 29 e 44 dias após a aplicação do entomopatógeno, contando-se as cigarrinhas (ninfas) por ponto de 0,0625 m2 (quadrado de 0,25 m x 0,25 m). Pelos resultados obtidos, conclui-se que M. anisopliae (IBCB 425), nas doses de 16x1012 e 20x1012 conídios viáveis ha-1, é eficiente no controle de D. flavopicta em pastagem de capim-braquiária (B. decumbens).

PALAVRAS-CHAVE
Cigarrinha-das-pastagens; fungo entomopatogênico; controle biológico; controle microbiano; manejo integrado de pragas

ABSTRACT

This study was carried out to evalute the efficiency of the entomopathogenic fungiMetarhizium anisopliae (isolate IBCB 425) for control of spittlebug Deois flavopicta. The test was carried out under field conditions, in Brachiaria decumbens pasture, in Itatinga, São Paulo State, Brazil, from February to May 2006. Grain rice containing sporulated M. anisopliae was washed in water, strained and applied in 5 doses, after 17h, under average temperature and relative air humidity of 18º C and 69%, respectively, at the volume of 300 L ha-1. Evaluations were performed 14, 29 and 44 days after applications, counting the spittlebugs (nymphs) per 0.0625 m2 (0.25 m x 0.25 m square). The results showed thatM. anisopliae (IBCB 425), at doses of 16 x 1012 and 20 x 1012 viable conidias ha-1, is effective for the control of D. flavopicta, in B. decumbens pasture.

KEY WORDS
Spittlebug; entomopathogenic fungi; biological control; microbial control; integrated pest management

INTRODUÇÃO

A adaptação de gramíneas do gênero Brachiaria (Poaceae) às condições de baixa fertilidade e alta acidez de solos do cerrado brasileiro resultou no cultivo extensivo de capins-braquiária. Com o passar do tempo, verificou-se a suscetibilidade de Brachiaria decumbens. B. ruziziensis. B. dyctioneura e B. humidicola às cigarrinhas-das-pastagens, consideradas principais pragas de gramíneas forrageiras na América Tropical (COSENZA, 1981COSENZA, G.W. Resistência de gramíneas forrageiras à cigarrinha-das-pastagens Deois flavopicta (Stal., 1854). Planaltina: EMBRAPA–CPAC, 1981. 16p. (Boletim de Pesquisa, 7).; VALÉRIO; NAKANO, 1988VALÉRIO, J.R.; NAKANO, O. Danos causados pelo adulto da cigarrinha Zulia entreriana na produção e qualidade de Brachiaria decumbens. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.23, n.5, p.447-453, 1988.; FONTES et al., 1995FONTES, E.G.; PIRES, C.S.S.; SUJII, E.R. Mixed riskspreading strategies and the population dynamics of a Brazilian pasture pest, Deois flavopicta (Homoptera: Cercopidae). Journal of Economic Entomology, v.88, n.5, p.1256-1262, 1995., DUARTE et al., 2007DUARTE, M. de L.R.; ALBUQUERQUE, F.C.; SANHUEZA, R.M.V.; VERZIGNASSI, J.R.; KONDO, N. Etiologia da podridão do coleto de Brachiaria brizantha em pastagens da amazônia. Fitopatologia Brasileira, v.32, n.3, p.261-265, 2007.) e, a partir da década de 60, estes insetos-praga passaram a ser relatados em todo o Brasil (EMBRAPA, 1977EMBRAPA. Programa nacional de controle às cigarrinhasdas-pastagens. Brasília: EMBRAPA, 1977. 17p.; SANTOS et al., 1982SANTOS, P.J.; BOTELHO, W.; CRUZ, I. Avaliação de dano e controle da cigarrinha-das-psatagens em plantas de milho com diferentes idades. Sete Lagoas: EMBRAPA – CNPMS, 1982. 8p.).

Das espécies de cigarrinhas que atacam pastagens, Deois flavopicta (Hemiptera: Cercopidae) ocorre com maior freqüência nas regiões Sudeste e CentroOeste do Brasil (FONTES et al., 1995FONTES, E.G.; PIRES, C.S.S.; SUJII, E.R. Mixed riskspreading strategies and the population dynamics of a Brazilian pasture pest, Deois flavopicta (Homoptera: Cercopidae). Journal of Economic Entomology, v.88, n.5, p.1256-1262, 1995.; VALÉRIO et al., 2000VALÉRIO, J.R.; SOUZA, O.C. de.; VIEIRA, J.M.; CORRÊA, E.S. Diagnóstico de morte de pastagens nas regiões central e norte do Estado de Mato Grosso. Campo Grande: EMBRAPA CNPGC, 2000. 10p. (Documentos, 98).).

O adulto deste cercopídeo possui asas pretas com duas faixas transversais amarelas e uma faixa longitudinal também amarelada em cada asa anterior, além de abdome e pernas avermelhados. As fêmeas ovipositam no solo ou em restos de vegetação e, após a eclosão, as ninfas se fixam na base do capim e ficam protegidas por espuma característica (PEREIRA; PEREIRA, 1985PEREIRA, J.R.; PEREIRA, J.C.R. Cigarrinha das pastagens: importância e métodos de controle para a Zona da Mata de Minas Gerais. Coronel Pacheco: EMBRAPA– CNPGL, 1985. 23p. (Circular Técnica, 25).; ZUCCHI et al., 1993ZUCCHI, R.A.; SILVEIRA NETO, S.; NAK ANO, O. Guia de identificação de pragas agrícolas . Piracicaba: Fealq, 1993. 193p.). A cigarrinha requer calor e umidade para se desenvolver e proliferar. Portanto, sua ocorrência se dá durante o período chuvoso, podendo ocorrer de três a cinco gerações anuais, dependendo das condições climáticas (COSENZA, 1989COSENZA, G.W. Biologia e ecologia de pragas das pastagens. In: SIMPÓSIO SOBRE ECOSSISTEMA DE PASTAGENS, 1989, Jaboticabal, SP. Anais. Jaboticabal: FUNEP, 1989. p.87-96.; FONTES et al., 1995FONTES, E.G.; PIRES, C.S.S.; SUJII, E.R. Mixed riskspreading strategies and the population dynamics of a Brazilian pasture pest, Deois flavopicta (Homoptera: Cercopidae). Journal of Economic Entomology, v.88, n.5, p.1256-1262, 1995.).

A ação das cigarrinhas nas pastagens tem início na fase de ninfa, quando sugam a seiva de raízes e caules próximos à superfície do solo. Os adultos, ao sugarem as folhas, injetam secreções salivares que causam fitotoxemia, provocando amarelecimento das folhas com posterior secamento e morte. Reduzem o crescimento da planta, diminuindo a produção de forragem e, conseqüentemente, a capacidade de suporte. Além dos prejuízos quantitativos, a cigarrinha reduz os teores de proteína bruta, gordura e minerais essenciais e aumenta matéria seca, tornando a gramínea menos palatável. Com isso, o animal come menos, deixando de produzir leite e carne (PEREIRA et al., 1982PEREIRA, J.C.R.; NAZAR, R.A.; ARMOUND, W.B. Interrelacionamento de macro e micronutrientes com diferentes densidades de cigarrinhas-das-pastagens. Belo Horizonte: Divisão de Defesa Sanitária Vegetal, 1982. 15p.; HEWITT, 1988HEWITT, G.B. Grazing management as a means of regulating spittlebug (Homoptera: Cercopidae) numbers in Central Brazil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.23, n.7, p.697-707, 1988.; VALÉRIO; NAKANO, 1988VALÉRIO, J.R.; NAKANO, O. Danos causados pelo adulto da cigarrinha Zulia entreriana na produção e qualidade de Brachiaria decumbens. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.23, n.5, p.447-453, 1988.; TÔNUS, 1999TÔNUS, M. Manejo integrado controla cigarrinhas em pastagens. Balde Branco, n.421, p.38-45, 1999.). No Brasil, SILVEIRA NETO et al. (1992)SILVEIRA NETO, S.; MARCHINI, L.C.; ALVES, S.B. Pragas das pastagens. In: CURSO DE ENTOMOLOGIA APLICADA À AGRICULTURA, 1992, Piracicaba, SP. Anais. Piracicaba: Fealq, 1992. p.335-353. citaram a ocorrência de cigarrinhas em cerca de 10 milhões de hectares de pastagens, provocando prejuízos variáveis entre 10 e 100%, dependendo da espécie, tipo de gramínea, condições climáticas e manejo.

O uso de táticas de manejo visando a diminuição e/ou equilíbrio populacional da cigarrinha-das-pastagens torna-se indispensável, principalmente em variedades de capins suscetíveis. Assim, o controle biológico se destaca entre os métodos disponíveis para o manejo de pastagens atacadas pelo insetopraga (PEREIRA; PEREIRA, 1985PEREIRA, J.R.; PEREIRA, J.C.R. Cigarrinha das pastagens: importância e métodos de controle para a Zona da Mata de Minas Gerais. Coronel Pacheco: EMBRAPA– CNPGL, 1985. 23p. (Circular Técnica, 25).; MELO; AZEVEDO, 1998MELO, I.S.; AZEVEDO, J.L. Controle biológico. Jaguariúna: EMBRAPA–CNPMA, 1998. 264p.). Dentre os agentes de controle biológico, o fungo entomopatogênico Metarhizium anisopliae, de ocorrência natural no Brasil, vem sendo cada vez mais utilizado no controle de pragas (ALVES, 1998ALVES, S.B. Patologia e controle microbiano: vantagens e desvantagens. In: ALVES, S.B. (Ed.). Controle microbiano de insetos. 2.ed. Piracicaba: FEALQ, 1998. p.21-37.). A ação do patógeno sobre cigarrinha-das-pastagens foi constatada naturalmente e comprovada em laboratório (VENTURA; MATIOLI, 1980VENTURA, J.A.; MATIOLI, J.C. Ocorrência de epizootias naturais causadas por Metarhizium anisopliae (Metsch) Sorok. em populações de Zulia entreriana (Berg., 1879) e Deois sp. no Estado do Espírito Santo. Ecossistema, v.5, n.1, p.92-95. 1980.; VILLACORTA, 1980VILLACORTA, A. Susceptibilidade de ninfas de Deois flavopicta (Stal, 1854) (Homoptera: Cercopidae) a diferentes isolamentos de Metarhizium anisopliae (Metsh.) Sorokin. Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.9, n.1, p.33-38, 1980.) e sua recomendação para o manejo da praga em pastagens é comum entre autores. Todavia, vale ressaltar que a inconsistência de resultados em relação à eficácia do fungo também tem sido reportada e, segundo SILVEIRA NETO et al. (1992)SILVEIRA NETO, S.; MARCHINI, L.C.; ALVES, S.B. Pragas das pastagens. In: CURSO DE ENTOMOLOGIA APLICADA À AGRICULTURA, 1992, Piracicaba, SP. Anais. Piracicaba: Fealq, 1992. p.335-353. e FRANCO (2002)FRANCO, M. Cigarrinha: a praga que volta com as chuvas. DBO rURAL, n.264, p.86-90, 2002., isto pode estar relacionado à qualidade e tipo de isolado utilizado, quantidade do fungo aplicada por unidade de área, problemas de formulação e armazenamento, método de aplicação, descumprimento das recomendações de uso e variações ambientais inesperadas.

Entretanto, apesar do potencial de M. anisopliae para o manejo de D. flavopicta em pastagens, a principal limitação ao uso mais generalizado dessa tecnologia diz respeito à inconsistência de resultados a campo. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência da aplicação de doses do bioinseticida M. anisopliae (isolado IBCB 425) no controle de D. flavopicta, em pastagem de capim-brachiária (B. decumbens).

MATERIAL E MÉTODOS

Para avaliar o controle da cigarrinhaD.flavopicta, mediante aplicação de doses do fungo M. anisopliae (isolado IBCB 425), foi conduzido um ensaio de campo em pastagem de capim-braquiária (B. decumbens), no Município de Itatinga, SP, no período de fevereiro a maio de 2006.

O modelo experimental utilizado foi em faixas (8 m x 50 m), com sete tratamentos e 16 repetições constituídas por pontos de amostragem de 0,0625 m2 (quadrado de 0,25 m x 0,25 m), distribuídos ao acaso em cada tratamento. O número de pontos de amostragem foi adotado de acordo com MENEZES et al. (1983)MENEZES, M. de.; EL-KADI, M.K.; PEREIRA, J.M.; RUIZ, M.A.M. Bases para o controle integrado das cigarrinhas-das-pastagens na região Sudeste da Bahia. Ilhéus: CEPLAC-CEPEC, 1983. p.1-36. (Boletim Avulso da Ceplac). e, a área do ponto amostral conforme NILAKHE (1982)NILAKHE, S.S. Amostragem de ninfas de cigarrinhas em pastagens de Brachiaria decumbens Stapf. Campo Grande: EMBRAPA–CNPGC, 1982. 67p. (Boletim de Pesquisa, 2).. Os tratamentos consistiram de doses do fungo M. anisopliae em calda (4 x 1012, 8 x 1012, 12 x 1012, 16 x 1012 e 20 x 1012 conídios viáveis por hectare), do inseticida clorpirifós a 0,480 kg ha-1 e testemunha (sem aplicação de defensivo).

O isolado IBCB 425 de M. anisopliae foi obtido de solo de Mata Atlântica, de Iporanga, SP, e analisado quanto à virulência sobre a cigarrinha da cana-de-açúcar e pastagens Mahanarva fimbriolata, junto ao Laboratório de Controle Biológico, do Centro Experimental Central do Instituto Biológico, Campinas, SP. Posteriormente, foi produzido em arroz pré-cozido e autoclavado, na concentração de 4,0 x 109 conídios g-1 e viabilidade de 96,7%, por empresa que comercializa o produto. No dia da aplicação, o bioinseticida foi transportado em caixa de isopor.

Para aplicação, o fungo esporulado em arroz foi lavado em água, coado em peneiras de arroz e, em seguida, verteu-se a calda no tanque de pulverizador costal, equipado com pontas de pulverização do tipo LPBD 8002, aplicando-se 300 L de calda por hectare. A técnica de aplicação se fez em função do hábito das ninfas da cigarrinha e, conforme ALVES (1998)ALVES, S.B. Patologia e controle microbiano: vantagens e desvantagens. In: ALVES, S.B. (Ed.). Controle microbiano de insetos. 2.ed. Piracicaba: FEALQ, 1998. p.21-37., da ação de contato do inseticida microbiano. Ainda, considerando a ação prejudicial dos raios solares ao fungo entomopatogênico, o bioinseticida foi aplicado a partir das 17h, sob temperatura média de 18º C e umidade relativa de 69%. O inseticida clorpirifós foi aplicado na manhã do dia seguinte.

Na instalação do experimento, a pastagem encontrava-se com infestação média de 65,86 insetos por m2, acima do nível de 20 a 25 insetos por m2 recomendado para o controle de cigarrinhas em pastagens de capim-brachiária (MENEZES et al., 1983MENEZES, M. de.; EL-KADI, M.K.; PEREIRA, J.M.; RUIZ, M.A.M. Bases para o controle integrado das cigarrinhas-das-pastagens na região Sudeste da Bahia. Ilhéus: CEPLAC-CEPEC, 1983. p.1-36. (Boletim Avulso da Ceplac).; CAMPANHOLA; BETTIOL, 2003CAMPANHOLA, C.; BETTIOL, W. Controle biológico de pragas e técnicas alternativas. In: CAMPANHOLA, C.; BETTIOL, W. (Ed.). Métodos alternativos de controle fitossanitário. Jaguariúna: EMBRAPA-CNPMA, 2003. p.97-163.).

As avaliações procederam-se previamente (3/3/ 2006), aos 14 (18/3/2006), 29 (2/4/2006) e 44 (17/4/2006) dias após a aplicação de M. anisopliae, contando-se as ninfas de cigarrinhas por ponto de 0,0625 m2. Para facilitar a contagem, os insetos foram retirados da região radicular com auxílio de palito de madeira.

Os dados foram extrapolados para número de cigarrinhas por m2 e, após serem transformados em log de (x + 10,00), efetuou-se a análise de variância pelo teste F e comparação de médias pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. A eficiência dos defensivos foi calculada por meio da fórmula proposta por ABBOTT (1925)ABBOTT, W.S. A method of computing the effectiveness of an insecticide. Journal of Economic Entomology, v.18, n.1, p.265-267, 1925..

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Previamente à aplicação dos defensivos, em 3/3/2006, não foi constatada diferença significativa quanto ao número médio de cigarrinhas na área experimental (Tabela 1), observando-se uma uniformidade na distribuição do inseto-praga.

M. anisopliae em calda, na dose de 20 x 1012 conídios viáveis por hectare, reduziu a população de D. flavopicta em relação à pastagem sem aplicação de defensivo (testemunha), logo aos 14 dias após a aplicação (DAA) (Tabela 1), com 62,03% de mortalidade (Fig. 1), igualando, significativamente, ao inseticida clorpirifós, que se destacou no controle do insetopraga, com eficácia de 70,89%.

Aos 29 DAA, foi constatada menor infestação de cigarrinhas em pastagens pulverizadas com 8, 16 e 20 x 1012 conídios viáveis de M. anisopliae por hectare, assim como na área submetida à aplicação de clorpirifós, em relação à área sem aplicação de defensivo. O bioinseticida, nas doses de 16 e 20 x 1012 conídios viáveis ha-1, apresentou eficácia de 83,33 e 77,08% de controle do inseto-praga, respectivamente, assemelhando-se ao inseticida químico.

Apesar de o inseticida microbiano, nas doses de 8, 16 e 20 x 1012 conídios viáveis ha-1, ter apresentado porcentagem de mortalidade superior a 85%, aos 17/ 4/2006 (44 DAA), não foi constatada diminuição significativa quanto ao número médio de ninfas de D. flavopicta em relação à população verificada na pastagem sem aplicação de defensivo. Isto ocorreu, provavelmente, devido à pequena população do inseto no capim-braquiária no início da época “seca”, considerada, conforme SILVEIRA NETO et al. (1992)SILVEIRA NETO, S.; MARCHINI, L.C.; ALVES, S.B. Pragas das pastagens. In: CURSO DE ENTOMOLOGIA APLICADA À AGRICULTURA, 1992, Piracicaba, SP. Anais. Piracicaba: Fealq, 1992. p.335-353.; FONTES et al. (1995)FONTES, E.G.; PIRES, C.S.S.; SUJII, E.R. Mixed riskspreading strategies and the population dynamics of a Brazilian pasture pest, Deois flavopicta (Homoptera: Cercopidae). Journal of Economic Entomology, v.88, n.5, p.1256-1262, 1995. e PIRES et al. (2000)PIRES, C.S.S.; SUJII, E.R.; FONTES, E.M.G.; TAUBER, C.A.; TAUBER, M.J. Dry-season embryonic dormancy in Deois flavopicta (Homoptera: Cercopidae): Roles of temperature and moisture in nature. Enviromental Entomology, v.29, n.4, p.714-720, 2000., desfavorável à reprodução e desenvolvimento de cercopídeos.

Considerando o total de cigarrinhas após aplicação dos defensivos, evidencia-se a ação do fungo M. anisopliae, nas doses de 16 e 20 x 1012 conídios viáveis ha-1 sobre o inseto-praga, semelhantemente ao inseticida químico. Em geral, o entomopatógeno foi eficiente no controle de D. flavopicta, nas respectivas doses, com média superior a 71% de mortalidade, corroborando com a eficácia de controle de 60 a 80% do agente microbiano, citada em FRANCO (2002)FRANCO, M. Cigarrinha: a praga que volta com as chuvas. DBO rURAL, n.264, p.86-90, 2002..

Tabela 1
Número médio de ninfas de Deois flavopicta por metro quadrado de pastagem de Brachiaria decumbens submetida à aplicação de Metarhizium anisopliae. Itatinga, SP, 2006.
Fig. 1
Mortalidade de ninfas deDeois flavopicta em pastagem de Brachiariadecumbens submetida à aplicação deMetarhizium anisopliae, em dias após aplicação (DAA). Itatinga, SP, 2006.

Assim, M. anisopliae (isolado IBCB 425) apresenta-se como alternativa para o manejo de D. flavopicta em pastagens. Ainda, de acordo com CROCOMO (1990)CROCOMO, W.B. Manejo integrado de pragas. São Paulo: Unesp, 1990. 358p., por se tratar de um método biológico, vale ressaltar a importância da supressão populacional do insetopraga de forma econômica e harmoniosa com o meio ambiente. Para tanto, embora neste estudo a aplicação do bioinseticida tenha sido efetuada no último pico populacional da praga, cumpre mencionar a importância da utilização do agente microbiano nos primeiros picos populacionais da cigarrinha-das-pastagens, considerando o nível de controle recomendado.

CONCLUSÃO

Nas condições climáticas e de infestação em que o ensaio de campo foi conduzido, pode-se concluir que: M. anisopliae (isolado IBCB 425), nas doses 16 x 1012 e 20 x 1012 conídios viáveis por hectare, é eficiente no controle de D. flavopicta, em pastagem de capimbraquiária (B. decumbens).

AGRADECIMENTO

À Empresa Toyobo do Brasil, pelo fornecimento do fungo M. anisopliae para o estudo.

REFERÊNCIAS

  • ABBOTT, W.S. A method of computing the effectiveness of an insecticide. Journal of Economic Entomology, v.18, n.1, p.265-267, 1925.
  • ALVES, S.B. Patologia e controle microbiano: vantagens e desvantagens. In: ALVES, S.B. (Ed.). Controle microbiano de insetos 2.ed. Piracicaba: FEALQ, 1998. p.21-37.
  • CAMPANHOLA, C.; BETTIOL, W. Controle biológico de pragas e técnicas alternativas. In: CAMPANHOLA, C.; BETTIOL, W. (Ed.). Métodos alternativos de controle fitossanitário Jaguariúna: EMBRAPA-CNPMA, 2003. p.97-163.
  • COSENZA, G.W. Resistência de gramíneas forrageiras à cigarrinha-das-pastagens Deois flavopicta (Stal., 1854). Planaltina: EMBRAPA–CPAC, 1981. 16p. (Boletim de Pesquisa, 7).
  • COSENZA, G.W. Biologia e ecologia de pragas das pastagens. In: SIMPÓSIO SOBRE ECOSSISTEMA DE PASTAGENS, 1989, Jaboticabal, SP. Anais Jaboticabal: FUNEP, 1989. p.87-96.
  • CROCOMO, W.B. Manejo integrado de pragas São Paulo: Unesp, 1990. 358p.
  • DUARTE, M. de L.R.; ALBUQUERQUE, F.C.; SANHUEZA, R.M.V.; VERZIGNASSI, J.R.; KONDO, N. Etiologia da podridão do coleto de Brachiaria brizantha em pastagens da amazônia. Fitopatologia Brasileira, v.32, n.3, p.261-265, 2007.
  • EMBRAPA. Programa nacional de controle às cigarrinhasdas-pastagens Brasília: EMBRAPA, 1977. 17p.
  • FONTES, E.G.; PIRES, C.S.S.; SUJII, E.R. Mixed riskspreading strategies and the population dynamics of a Brazilian pasture pest, Deois flavopicta (Homoptera: Cercopidae). Journal of Economic Entomology, v.88, n.5, p.1256-1262, 1995.
  • FRANCO, M. Cigarrinha: a praga que volta com as chuvas. DBO rURAL, n.264, p.86-90, 2002.
  • HEWITT, G.B. Grazing management as a means of regulating spittlebug (Homoptera: Cercopidae) numbers in Central Brazil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.23, n.7, p.697-707, 1988.
  • MELO, I.S.; AZEVEDO, J.L. Controle biológico Jaguariúna: EMBRAPA–CNPMA, 1998. 264p.
  • MENEZES, M. de.; EL-KADI, M.K.; PEREIRA, J.M.; RUIZ, M.A.M. Bases para o controle integrado das cigarrinhas-das-pastagens na região Sudeste da Bahia Ilhéus: CEPLAC-CEPEC, 1983. p.1-36. (Boletim Avulso da Ceplac).
  • NILAKHE, S.S. Amostragem de ninfas de cigarrinhas em pastagens de Brachiaria decumbens Stapf Campo Grande: EMBRAPA–CNPGC, 1982. 67p. (Boletim de Pesquisa, 2).
  • PEREIRA, J.C.R.; NAZAR, R.A.; ARMOUND, W.B. Interrelacionamento de macro e micronutrientes com diferentes densidades de cigarrinhas-das-pastagens Belo Horizonte: Divisão de Defesa Sanitária Vegetal, 1982. 15p.
  • PEREIRA, J.R.; PEREIRA, J.C.R. Cigarrinha das pastagens: importância e métodos de controle para a Zona da Mata de Minas Gerais. Coronel Pacheco: EMBRAPA– CNPGL, 1985. 23p. (Circular Técnica, 25).
  • PIRES, C.S.S.; SUJII, E.R.; FONTES, E.M.G.; TAUBER, C.A.; TAUBER, M.J. Dry-season embryonic dormancy in Deois flavopicta (Homoptera: Cercopidae): Roles of temperature and moisture in nature. Enviromental Entomology, v.29, n.4, p.714-720, 2000.
  • SANTOS, P.J.; BOTELHO, W.; CRUZ, I. Avaliação de dano e controle da cigarrinha-das-psatagens em plantas de milho com diferentes idades Sete Lagoas: EMBRAPA – CNPMS, 1982. 8p.
  • SILVEIRA NETO, S.; MARCHINI, L.C.; ALVES, S.B. Pragas das pastagens. In: CURSO DE ENTOMOLOGIA APLICADA À AGRICULTURA, 1992, Piracicaba, SP. Anais Piracicaba: Fealq, 1992. p.335-353.
  • TÔNUS, M. Manejo integrado controla cigarrinhas em pastagens. Balde Branco, n.421, p.38-45, 1999.
  • VALÉRIO, J.R.; NAKANO, O. Danos causados pelo adulto da cigarrinha Zulia entreriana na produção e qualidade de Brachiaria decumbens Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.23, n.5, p.447-453, 1988.
  • VALÉRIO, J.R.; SOUZA, O.C. de.; VIEIRA, J.M.; CORRÊA, E.S. Diagnóstico de morte de pastagens nas regiões central e norte do Estado de Mato Grosso Campo Grande: EMBRAPA CNPGC, 2000. 10p. (Documentos, 98).
  • VENTURA, J.A.; MATIOLI, J.C. Ocorrência de epizootias naturais causadas por Metarhizium anisopliae (Metsch) Sorok. em populações de Zulia entreriana (Berg., 1879) e Deois sp. no Estado do Espírito Santo. Ecossistema, v.5, n.1, p.92-95. 1980.
  • VILLACORTA, A. Susceptibilidade de ninfas de Deois flavopicta (Stal, 1854) (Homoptera: Cercopidae) a diferentes isolamentos de Metarhizium anisopliae (Metsh.) Sorokin. Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.9, n.1, p.33-38, 1980.
  • ZUCCHI, R.A.; SILVEIRA NETO, S.; NAK ANO, O. Guia de identificação de pragas agrícolas . Piracicaba: Fealq, 1993. 193p.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    10 Jan 2022
  • Data do Fascículo
    Oct-Dec 2008

Histórico

  • Recebido
    14 Mar 2007
  • Aceito
    07 Nov 2008
Instituto Biológico Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 - Vila Mariana - São Paulo - SP, 04014-002 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: arquivos@biologico.sp.gov.br