Accessibility / Report Error

Weevils associated with Pistia stratiotes L. (Araceae) in the Central Amazon Region, with new records for Argentinorhynchus Brèthes (Coleoptera, Curculionidae)

Curculionídeos associados à Pistia stratiotes L. (Araceae) na Amazônia Central, com novos registros para Argentinorhynchus Brèthes (Coleoptera, Curculionidae)

Abstracts

Data on the occurrence of ten weevils species associated with Pistia stratiotes L. (Araceae), from Ilha de Marchantaria, Manaus (Amazonas, Brazil) are presented for the first time. During the period from March to August 2005, 809 weevils specimens were sampled on P. stratiotes, distributed across nine species allocated in five genera of Stenopelmini, in addition to one unidentified species in the Cryptorhynchinae. Among the Stenopelmini, Argentinorhynchus breyeri Brèthes, 1910 (N = 665) was the dominant species, with the highest abundance in July (N = 189) and the lowest in August (N = 11), while Ochetina uniformis Pascoe, 1881 (N = 63), Neochetina bruchi Hustache, 1926 (N = 45), Neohydronomus pulchellus Hustache, 1926 (N = 15), Neohydronomus affinis Hustache, 1926 (N = 10), A. squamosus (Hustache, 1926) (N = 5), Neochetina eichhorniae Warner, 1970 (N = 4), A. minimus O'Brien & Wibmer, 1989b (N = 1), and Tanysphiroideus sp. (N = 1) had lower abundances. In addition, the co-occurrences of A. breyeri, A. minimus, and A. squamosus on P. stratiotes were recorded for Brazil and the first records of A. minimus and A. squamosus were observed for the State of Amazonas.

aquatic weevils; Erirhininae; sympatric species; water lettuce; biological control


São apresentados, pela primeira vez para o Brasil, dados sobre a ocorrência de dez espécies de curculionídeos associadas à Pistia stratiotes L. (Araceae), provenientes da Ilha de Marchantaria, Manaus (Amazonas, Brasil). Durante o período de março a agosto de 2005 foram amostrados 809 espécimens de curculionídeos sobre P. stratiotes, distribuídos em nove espécies alocadas em cinco gêneros de Stenopelmini, e uma espécie não identificada pertencente à Cryptorhynchinae. Dentre os Stenopelmini, Argentinorhynchus breyeri Brèthes, 1910 (N = 665) foi a espécie dominante, com a maior abundância em julho (N = 189), e a menor em agosto (N = 11); Ochetina uniformis Pascoe, 1881 (N = 63), Neochetina bruchi Hustache, 1926 (N = 45), Neohydronomus pulchellus Hustache, 1926 (N = 15), Neohydronomus affinis Hustache, 1926 (N = 10), A. squamosus (Hustache, 1926) (N = 5), Neochetina eichhorniae Warner, 1970 (N = 4), A. minimus O'Brien & Wibmer, 1989b (N = 1) e Tanysphiroideus sp. (N = 1) apresentaram abundância inferior. Além disto, registra-se para o Brasil a co-ocorrência de A. breyeri, A. minimus e A. squamosus sobre P. stratiotes, e para o estado do Amazonas, o primeiro registro de A. minimus e A. squamosus.

alface d'água; controle biológico; espécies simpátricas; Erirhininae; gorgulhos aquáticos


SHORT COMMUNICATIONS

Curculionídeos associados à Pistia stratiotes L. (Araceae) na Amazônia Central, com novos registros para Argentinorhynchus Brèthes (Coleoptera, Curculionidae)

Weevils associated with Pistia stratiotes L. (Araceae) in the Central Amazon Region, with new records for Argentinorhynchus Brèthes (Coleoptera, Curculionidae)

Wesley Oliveira de SousaI,* * Autor para correspondência: Wesley Oliveira de Sousa, e-mail: entomoi@hotmail.com ; Germano Henrique Rosado-NetoII; Marinêz Isaac MarquesIII,IV; Joachim Adis††Homenagem póstuma ao Prof. Dr. Joachim Adis em reconhecimento a contribuição e ensinamentos sobre os Arthropodes do Pantanal e Amazônia Central, bem como pela sua participação na elaboração deste artigo.

IBolsista DCR/CNPq, Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conservação da Biodiversidade, Instituto de Biociências, Universidade Federal de Mato Grosso UFMT, CEP 78060-900 Cuiabá, MT, Brasil, entomoi@hotmail.com

IIDepartamento de Zoologia, Universidade Federal do Paraná - UFPR, CP 19020, CEP 81531-980, Curitiba, PR, Brasil, e-mail: rosadoneto@ufpr.br

IIIPrograma de Pós-graduação em Ecologia e Conservação da Biodiversidade, Instituto de Biociências, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT, CEP 78060-900, Cuiabá, MT, Brasil, e-mail: m.marque@terra.com.br

IVBolsista Produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq

RESUMO

São apresentados, pela primeira vez para o Brasil, dados sobre a ocorrência de dez espécies de curculionídeos associadas à Pistia stratiotes L. (Araceae), provenientes da Ilha de Marchantaria, Manaus (Amazonas, Brasil). Durante o período de março a agosto de 2005 foram amostrados 809 espécimens de curculionídeos sobre P. stratiotes, distribuídos em nove espécies alocadas em cinco gêneros de Stenopelmini, e uma espécie não identificada pertencente à Cryptorhynchinae. Dentre os Stenopelmini, Argentinorhynchus breyeri Brèthes, 1910 (N = 665) foi a espécie dominante, com a maior abundância em julho (N = 189), e a menor em agosto (N = 11); Ochetina uniformis Pascoe, 1881 (N = 63), Neochetina bruchi Hustache, 1926 (N = 45), Neohydronomus pulchellus Hustache, 1926 (N = 15), Neohydronomus affinis Hustache, 1926 (N = 10), A. squamosus (Hustache, 1926) (N = 5), Neochetina eichhorniae Warner, 1970 (N = 4), A. minimus O'Brien & Wibmer, 1989b (N = 1) e Tanysphiroideus sp. (N = 1) apresentaram abundância inferior. Além disto, registra-se para o Brasil a co-ocorrência de A. breyeri, A. minimus e A. squamosus sobre P. stratiotes, e para o estado do Amazonas, o primeiro registro de A. minimus e A. squamosus.

Palavras-chave: alface d'água, controle biológico, espécies simpátricas, Erirhininae, gorgulhos aquáticos.

ABSTRACT

Data on the occurrence of ten weevils species associated with Pistia stratiotes L. (Araceae), from Ilha de Marchantaria, Manaus (Amazonas, Brazil) are presented for the first time. During the period from March to August 2005, 809 weevils specimens were sampled on P. stratiotes, distributed across nine species allocated in five genera of Stenopelmini, in addition to one unidentified species in the Cryptorhynchinae. Among the Stenopelmini, Argentinorhynchus breyeri Brèthes, 1910 (N = 665) was the dominant species, with the highest abundance in July (N = 189) and the lowest in August (N = 11), while Ochetina uniformis Pascoe, 1881 (N = 63), Neochetina bruchi Hustache, 1926 (N = 45), Neohydronomus pulchellus Hustache, 1926 (N = 15), Neohydronomus affinis Hustache, 1926 (N = 10), A. squamosus (Hustache, 1926) (N = 5), Neochetina eichhorniae Warner, 1970 (N = 4), A. minimus O'Brien & Wibmer, 1989b (N = 1), and Tanysphiroideus sp. (N = 1) had lower abundances. In addition, the co-occurrences of A. breyeri, A. minimus, and A. squamosus on P. stratiotes were recorded for Brazil and the first records of A. minimus and A. squamosus were observed for the State of Amazonas.

Keywords: aquatic weevils, Erirhininae, sympatric species, water lettuce, biological control.

Introdução

Na região amazônica foram registradas cerca de 380 espécies de plantas herbáceas, a grande maioria ocorrendo em pequena abundância e apenas 16 espécies consideradas dominantes, incluindo Pistia stratiotes L. (Araceae) (Junk & Piedade 1993, 1997).

Pistia stratiotes, conhecida também como alface d'água, é uma macrófita aquática de grande importância econômica em outras regiões biogeográficas, infestando muitos corpos d'água no sudoeste dos Estados Unidos e algumas regiões tropicais e subtropicais do mundo (Mbati & Neuenschwander 2005, Renner & Zhang 2004, Sajna et al. 2007, Wang et al. 2006, Wheeler & Halpern 1999). Muitos foram os esforços para o controle biológico desta planta, inclusive por meio da introdução de organismos como Neohydronomus affinis Hustache, 1926, com resultados positivos na Austrália, Papua Nova Guiné, África do Sul, Zimbábue e Botsuana. Por outro lado, na Flórida (USA), apesar da liberação deste curculionídeo, nenhum resultado foi alcançado nesse sentido (Barreto et al. 1999, Cordo & Sosa 2000).

Cordo & Sosa (2000) relacionaram uma grande variedade de organismos, a maioria insetos, que atacam a alface d'água na América do Sul e outras regiões biogeográficas, indicando prováveis níveis de especificidade hospedeira para esses organismos. Alguns destes grupos têm esta planta como única hospedeira, a exemplo das espécies de Argentinorhynchus Brèthes, 1910. Este gênero está composto por seis espécies distribuídas desde o México até Argentina: Argentinorhynchus breyeri Brèthes, 1910, A. squamosus (Hustache, 1926), A. bruchi (Hustache, 1926), A. bennetti O'Brien & Wibmer, 1989a e A. minimus O'Brien & Wibmer, 1989b e A. kuscheli O'Brien & Wibmer, 1989b; algumas delas, dependendo da localidade, ocorrem em simpatria e sincronismo e freqüentemente, pelo menos duas delas são encontradas na mesma planta (O'Brien & Wibmer 1989a, b).

Estudos relacionados à biologia e especificidade alimentar de adultos e larvas das espécies de Argentinorhynchus são escassos e restritos às população da Argentina (Cordo et al. 1978, Cordo & Sosa 2000). Apesar disso, as espécies do gênero são considerada como potenciais agentes controladores de P. stratiotes (O'Brien & Wibmer 1989a).

Dentre as espécies do gênero, A. breyeri é a mais amplamente distribuída, com registro para 64 localidades e oito países. Esta espécie foi selecionada para estudos biológicos na Argentina como a mais promissora no controle biológico de P. stratiotes devido a vários fatores como alta capacidade reprodutiva, grandes danos na planta hospedeira e baixa mortalidade em estudos laboratoriais (Cordo & Sosa 2000). No Brasil, está registrada apenas para os estados do Amazonas, Pará e Mato Grosso (O'Brien & Wibmer 1989a). Em Mato Grosso foi coletada em bancos com predomínio de P. stratiotes na baía do Coqueiro, Pirizal, Pantanal de Poconé (W. O. Sousa, dados não publicados).

Dentro deste contexto e, devido à escassez de informações a respeito da fauna de curculionídeos associada às macrófitas aquáticas do Brasil, apresentam-se dados inéditos sobre as espécies de Curculionidae associadas a P. stratiotes. Estas informações são de grande relevância para o conhecimento da biodiversidade de insetos da região amazônica, com vista ao manejo e conservação dos recursos naturais e subsídio à manutenção dos ecossistemas inundáveis, e incentivo ao desenvolvimento de pesquisas sobre o uso potencial da população local de curculionídeos na implementação de programas de controle biológico de P. stratiotes, considerada praga em várias localidades.

Material e Métodos

Durante o período de março a agosto de 2005 foram coletados sobre P. stratiotes distribuída nas várzeas da Ilha de Marchantaria, Amazonas, Brasil (03º 15' S e 59º 58' W), espécies de curculionídeos adultos pertencentes a diferentes gêneros de Stenopelmini, e um gênero não identificado de Cryptorhynchinae.

Para a localização de P. stratiotes, seguida de coleta manual dos adultos de Curculionidae localizados sobre esta planta, foi adotado um procedimento em campo que consistiu na localização visual de bancos de vegetação macrofítica bem desenvolvidos, distribuídos ao longo da área de estudo, desde a entrada da Ilha de Marchantaria até o lago Camaleão, com um esforço amostral de seis horas/homem em barco a motor, a cada 15 dias. Os curculionídeos capturados foram acondicionados em potes de plástico de 500 mL contendo uma folha de P. stratiotes, e posteriormente, transportados em caixa isotérmica de isopropileno até o laboratório de Entomologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazonia (INPA/Max-Planck), para sua identificação taxonômica.

Resultados e Discussão

Durante os cinco meses de estudo foram coletados 809 indivíduos sobre P. stratiotes, distribuídos entre nove espécies de curculionídeos adultos pertencentes a cinco gêneros de Stenopelmini, além de uma espécie não identificada pertencente a Cryptorhynchinae (N = 2).

Dentre os Stenopelmini, A. breyeri foi a espécie dominante (N = 668). Estes resultados diferem do padrão registrado para a Argentina. Nesta região A. breyeri foi menos abundante que outras espécies encontradas sobre P. stratiotes tais como A. squamosus, N. affinis, Pistiacola cretatus (Champion, 1902) e Ochetina bruchi Hustache, 1926 (Cordo & Sosa 2000). Desta maneira registra-se pela primeira vez para o Brasil e Amazônia Central a dominância de A. breyeri sobre os indivíduos de P. stratiotes distribuídos nesta área.

A maior abundância de A. breyeri foi obtida durante o período de água alta (julho) e as menores durante o período de água baixa (março e agosto) (Figura 1). A flutuação na abundância das espécies de macrófitas ocorre em função do regime pluviométrico e de inundação característicos da Amazônia Central (e.g. Vieira & Adis 1992), podendo interferir na dinâmica populacional dos insetos fitófagos associados aos diferentes grupo de plantas destribuídos nesta área (Junk & Piedade 1997). Com base nestes pressupostos, é possível inferir que a variação temporal da abundância de adultos de A. breyeri registrada na Amazônia Central pode estar relacionado diretamente ao ciclo de vida de P. stratiotes, e indiretamente ao regime pluviométrico e de inundação característico desta região.


As espécies Ochetina uniformis Pascoe, 1881 (N = 63), Neochetina bruchi Hustache, 1926 (N = 45), Neohydronomus pulchellus Hustache, 1926 (N = 15) e N. affinis (N = 10), A. squamosus (Hustache, 1926) (N = 5), Neochetina eichhorniae Warner, 1970 (N = 4), A. minimus O'Brien & Wibmer, 1989b (N = 1) e Tanysphiroideus sp. (N = 1), apresentaram abundância inferior. Muitos desses táxons foram registrados por Cordo & Sosa (2000) como espécies associadas a P. stratiotes. Por outro lado, a ocorrência das duas espécies de Neochetina Hustache, 1926 sobre esta macrófita pode ser considerada acidental (Morrone & O'Brien 1999), pois suas plantas hospedeiras estão bem relatadas na literatura (e.g. Deloach & Cordo 1976, 1983, Cordo et al. 1978, Center 1987, 1994, Center & Dray 1992, Center et al. 1999, Cordo & Sosa 2000). Informações sobre as plantas hospedeiras de O. uniformis, Tanysphiroideus sp., bem como da espécie de Curculionidae não identificada pertencente a Cryptorhynchinae, permanecem inexistentes.

A variação na composição e abundância das espécies de curculionídeo associada à P. stratiotes entre a Argentina (e.g. Cordo & Sosa 2000) e Amazônia Central, ocorre, provavelmente, em resposta às diferentes condições hidrológicas e climáticas típicas de cada uma dessas regiões, afetando as características físicas do ambiente, interferindo na abundância e estrutura dos bancos de macrófitas dessas áreas, e consequentemente na estrutura da fauna de insetos associados à estas plantas.

Com base nos resultados obtidos neste estudo, bem como na distribuição das espécies de Argentinorhynchus conhecidas para o Brasil (e.g. O'Brien & Wibmer 1989a, b), registra-se pela primeira vez a co-ocorrência de A. breyeri, A. minimus e A. squamosus em bancos de macrófitas compostos por P. stratiotes, bem como o primeiro registro das duas últimas espécies para o estado do Amazonas.

Agradecimentos

Às Profas. Dra. Maria Tereza Piedade, Dra. Suzana Ketelhut e equipe técnica do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA/Max-Planck) pelo apoio científico e logístico, especialmente ao estudante Michael Rayner Domingos Nunes pelo auxílio nas coletas em campo. Ao Conselho Nacional do Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq) pela concessão de bolsa de estudos.

Recebido em 12/08/09

Versão reformulada recebida em 29/09/09

Publicado em 23/11/09

  • BARRETO, R.W., HEVANS, H.C. & HANADA, R.E. 1999. First record of Cercospora pistiae causing leaf spot of water lettuce (Pistia stratiotes) in Brazil, with particular reference to weed biocontrol. Mycopathologia. 144:81-85.
  • CENTER, T.D. 1987. Do waterhyacinth leaf age and ontogeny affect intra-plant dispersion of Neochetina eichhorniae (Coleoptera: Curculionidae) eggs and larvae? Environ. Entomol. 16:699-707.
  • CENTER, T.D. 1994. Biological control of weeds: Waterhyacinth and waterlettuce. In Pest management in the subtropics, biological control: a Florida perspective (D. Rosen, F.D. Bennett & J.L. Capinera, eds.). Intercept Publishing Company, Andover, p. 481-251.
  • CENTER, T.D. & DRAY, F.A. 1992. Associations between waterhyacinth weevils (Neochetina eichhorniae and N. bruchi) and phenological stages of Eichhorniae crassipes in southern Florida. Fla. Entomol. 75:196-211.
  • CENTER, T.D., DRAY, F.A., JUBINSKY, G.P. & LESLIE, A.J. 1999. Waterhyacinth weevils (Neochetina eichhorniae and N. bruchi) inhibit waterhyacinth (Eichhorniae crassipes) colony development. Biol. Control. 15:39-50.
  • CORDO, H.A., DELOACH, C.J., RUNNACLES, J. & FERRER, R. 1978. Argentinorhynchus bruchi, a weevil from Pistia stratiotes in Argentina: biological studies. Environ. Entomol. 7:329-333.
  • CORDO, H. & SOSA, A. 2000. The weevils Argentinorhynchus breyeri, A. bruchi and A. squamosus (Coleoptera: Curculionidae), candidates for the biological control of waterlettuce (Pistia stratiotes). In Proceedings of the X International Symposium on Biological Control of Weeds (N.R. Spencer, ed.). p. 325-335. http://www.invasive.org/publications/xsymposium/Session5.html (último acesso em 11/08/2009)
  • DELOACH, C.J. & CORDO, H.A. 1976. Life cycle and biology of Neochetina bruchi a weevil attaking waterhyacinth in Argentina, with notes on N. eichhorniae Ann. Entomol. Soc. Am. 69:643-652.
  • DELOACH, C.J. & CORDO, H.A. 1983. Control of waterhyacinth by Neochetina bruchi (Coleoptera: Curculionidae: Bagoini) in Argentina. Environ. Entomol. 12:19-23.
  • JUNK, W.J. & PIEDADE, M.T.F. 1993. Herbaceous plants of the Amazon floodplain near Manaus: species diversity and adaptations to the flood pulse. Amazoniana. 12: 467-484.
  • JUNK, W.J. & PIEDADE, M.T.F. 1997. Plant life in the floodplain with special reference to herbaceous plants. In The Central Amazon Floodplain: ecological studies (W.J. Junk, ed.). Springer, Berlin, p. 147-185.
  • MBATI, G. & NEUENSCHWANDER, P. 2005. Biological control of tree floating water weed, Eichhornia crassipes, Pistia stratiotes, and Salvinia molesta in the Republic of Congo. Biocontrol. 50:635-645.
  • MORRONE, J.J. & O'BRIEN, C.W. 1999. The aquatic and semiaquatic weevils (Coleoptera: Curculionoidea: Curculionidae, Dryophthoridae and Erirhinidae) of Argentina, with indication of their host plants. Physis: Secc. C. 57:25-37.
  • O'BRIEN, C.W. & WIBMER, G.J. 1989a. Revision of the Neotropical weevil genus Argentinorhynchus Brèthes (Coleoptera: Curculionidae). Ann. Entomol. Soc. Am. 82: 267-278.
  • O'BRIEN, C.W. & WIBMER, G.J. 1989b. Two new South American species of the weevil genus Argentinorhynchus Brèthes. Southwest. Entomol. 14:213-223.
  • RENNER, S. & ZHANG, L. 2004. Biogeography of the Pistia clade (Araceae): based on chloroplast and mitochondrial DNA sequences and Bayesian divergence times inference. Syst. Biol. 53:422-432.
  • SAJNA, N., HALER, M., SKORNIK, S. & KALIGARIC, M. 2007. Survival and expansion of Pistia stratiotes L. in a thermal stream in Slovenia. Aquat. Bot. 87:75-79.
  • VIEIRA, M.F. & ADIS, J. 1992. Abundância e biomassa de Paulinia acuminata (De Geer, 1773) (Orthoptera: Paulinidae) em um lago de várzea da Amazônia Central. Amazoniana. 12:337-352.
  • WANG, H.Y., HUANG, S.F., HE, C.G., FAN, H.N. & SHENG, L.X. 2006. Invasive species in wetland ecosystems, China. Wetl. Sci. 4:7-12.
  • WHEELER, G.S. & HALPERN, M.D. 1999. Compensatory responses of Samea multiplicalis larvae when fed leaves of different fertilization level of the aquatic weed Pistia stratiotes Entomol. Exp. Appl. 92:205-216.
  • †
    Homenagem póstuma ao Prof. Dr. Joachim Adis em reconhecimento a contribuição e ensinamentos sobre os Arthropodes do Pantanal e Amazônia Central, bem como pela sua participação na elaboração deste artigo.
  • *
    Autor para correspondência: Wesley Oliveira de Sousa, e-mail:
  • Publication Dates

    • Publication in this collection
      26 Mar 2010
    • Date of issue
      Dec 2009

    History

    • Accepted
      23 Nov 2009
    • Received
      12 Aug 2009
    • Reviewed
      29 Sept 2009
    Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP Departamento de Biologia Vegetal - Instituto de Biologia, UNICAMP CP 6109, 13083-970 - Campinas/SP, Tel.: (+55 19) 3521-6166, Fax: (+55 19) 3521-6168 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: contato@biotaneotropica.org.br