Melhoramento do trigo: XXII. Comportamento de linhagens originárias de trigos de inverno e de primavera no Estado de São Paulo

Wheat breeding: XXII. Evaluation of inbred lines originated from winter x spring crosses for the State of São Paulo, Brazil

Resumos

Compararam-se entre si vinte e quatro linhagens e um cultivar comercial de trigo quanto à produção de grãos, componentes da produção e resistência às doenças, através de ensaios instalados em diferentes localidades paulistas, em condição de irrigação por aspersão e de sequeiro. Em casa de vegetação, efetuaram-se estudos de resistência às misturas de raças prevalecentes dos agentes causais da ferrugem-do-colmo e da folha e, em condições de laboratório, estudos da tolerância ao alumínio, em soluções nutritivas. As linhagens IAC-156 e IAC-141 salientaram-se quanto à produção de grãos em condição de irrigação por aspersão e as linhagens IAC-139, IAC-143, IAC-152 e IAC-157 em condição de sequeiro. Em relação à ferrugem-do-colmo (Puccinia graminis f. sp. tritici), as linhagens IAC-142, IAC-144, IAC-145, IAC-146, IAC-148, IAC-149, IAC-150, IAC-152, IAC-153, IAC-157 e IAC-158 e o 'Alondra-S-46' exibiram resistência às duas misturas de raças prevalecentes, em estádio de plântula. As linhagens IAC-143 e IAC-150 apresentaram resistência em estádio de plântula às três misturas de raças prevalecentes de ferrugem-da-folha (P. recondita) em casa de vegetação. Esses genótipos também foram resistentes a essa ferrugem em condição de infecção natural no campo, no estádio de planta adulta. As linhagens IAC-140, IAC-143, IAC-145, IAC-150 e IAC-153 mostraram-se resistentes ao oídio, em condição de campo. As linhagens IAC-139, IAC-143, IAC-145, IAC-146, IAC-152, IAC-154, IAC-155 e IAC-158 e o cultivar Alondra-S-46 exibiram plantas de porte baixo. A IAC-147 mostrou ser fonte genética do caráter espiga comprida; a IAC-142, de maior número de espiguetas por espiga; IAC-146 e IAC-147, de maior número de grãos por espiga; IAC-146, IAC-147 e IAC-148, de maior número de grãos por espigueta, e IAC-157, de grãos mais pesados. As linhagens IAC-143, IAC-149, IAC-150 e IAC-156 foram as mais tolerantes à toxicidade de Al3+, porém num grau significativamente menor em relação ao 'BH-1146'.

trigo; melhoramento genético; cultivares; linhagens; produção de grãos; ferrugem-do-colmo e da-folha; toxicidade de alumínio


Twenty four inbred lines and the cultivars Alondra-S-46 were compared in trials carried out at different locations of the State of São Paulo, Brazil, on upland and with sprinkler irrigation, taking into account grain yield, yield components and disease resistance. The response of the genotypes for two race mixtures of stem rust and for three race mixtures of leaf rust was studied in the greenhouse. In the laboratory, the germplasms were evaluated under Al toxicity using nutrient solutions. The lines IAC-156 and IAC-141 exhibited high yield under sprinkler irrigation and the lines IAC-139, IAC-143, IAC-152 and IAC-157 on upland conditions. In relation to stem rust (Puccinia graminis f. sp. tritici) the lines IAC-142, IAC-144, IAC-145, IAC-146, IAC-148, IAC-149, IAC-150, IAC-152, IAC-153, IAC-157 and IAC-158 and the cultivars Alondra-S-46 showed resistance to two race mixtures, at seedling stage. The lines IAC-143 and IAC-150 were resistant at seedling stage to three race mixtures of leaf rust (P. recondita), and also at the stage of adult plant under natural infection out in the field. The lines IAC-140, IAC-143, IAC-145, IAC-150 and IAC-153 showed to be good genetic sources for resistance to powdery mildew. The lines IAC-139, IAC-143, IAC-145, IAC-146, IAC-152, IAC-154, IAC-155, and IAC-158 and the cultivars Alondra-S-46 exhibited short plants. The line IAC-147 showed as a good genetic source for head length; IAC-142 for high number of spikelets per spike; IAC-146 and IAC-147 for number of grains per head; IAC-146; IAC-147 and IAC-148 for high number of grains per spikelet, and IAC-157 for high grain weight. The lines IAC-143, IAC-149, IAC-150 and IAC-156 were the most tolerant in relation to AI toxicity but significantly less tolerant than the cultivars BH-1146 used as control.

wheat; plant breeding; cultivar; inbred lines; grain yield; stem and leaf rusts; aluminum toxicity


II. GENÉTICA E MELHORAMENTOS DE PLANTAS

Melhoramento do trigo: XXII. Comportamento de linhagens originárias de trigos de inverno e de primavera no Estado de São Paulo1 1 Com verba suplementar do Acordo do Trigo entre as Cooperativas de Produtores Rurais do Vale do Paranapanema e a Secretaria da Agricultura, por intermédio do Instituto Agronômico.

Wheat breeding: XXII. Evaluation of inbred lines originated from winter x spring crosses for the State of São Paulo, Brazil

Carlos Eduardo de Oliveira CamargoI, 2 2 Com bolsa de pesquisa do CNPq. ; João Carlos FelícioI, 2 2 Com bolsa de pesquisa do CNPq. ; Antonio Wilson Penteado Ferreira FilhoI, 2 2 Com bolsa de pesquisa do CNPq. ; José Guilherme de FreitasI, 2 2 Com bolsa de pesquisa do CNPq. ; Rui Ribeiro dos SantosII; José Carlos SabinoIII, 2 2 Com bolsa de pesquisa do CNPq.

ISeção de Arroz e Cereais de Inverno, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13.001 Campinas (SP)

IIEstação Experimental de Monte Alegre do Sul, IAC

IIIEstação Experimental de Tietê, IAC

RESUMO

Compararam-se entre si vinte e quatro linhagens e um cultivar comercial de trigo quanto à produção de grãos, componentes da produção e resistência às doenças, através de ensaios instalados em diferentes localidades paulistas, em condição de irrigação por aspersão e de sequeiro. Em casa de vegetação, efetuaram-se estudos de resistência às misturas de raças prevalecentes dos agentes causais da ferrugem-do-colmo e da folha e, em condições de laboratório, estudos da tolerância ao alumínio, em soluções nutritivas. As linhagens IAC-156 e IAC-141 salientaram-se quanto à produção de grãos em condição de irrigação por aspersão e as linhagens IAC-139, IAC-143, IAC-152 e IAC-157 em condição de sequeiro. Em relação à ferrugem-do-colmo (Puccinia graminis f. sp. tritici), as linhagens IAC-142, IAC-144, IAC-145, IAC-146, IAC-148, IAC-149, IAC-150, IAC-152, IAC-153, IAC-157 e IAC-158 e o 'Alondra-S-46' exibiram resistência às duas misturas de raças prevalecentes, em estádio de plântula. As linhagens IAC-143 e IAC-150 apresentaram resistência em estádio de plântula às três misturas de raças prevalecentes de ferrugem-da-folha (P. recondita) em casa de vegetação. Esses genótipos também foram resistentes a essa ferrugem em condição de infecção natural no campo, no estádio de planta adulta. As linhagens IAC-140, IAC-143, IAC-145, IAC-150 e IAC-153 mostraram-se resistentes ao oídio, em condição de campo. As linhagens IAC-139, IAC-143, IAC-145, IAC-146, IAC-152, IAC-154, IAC-155 e IAC-158 e o cultivar Alondra-S-46 exibiram plantas de porte baixo. A IAC-147 mostrou ser fonte genética do caráter espiga comprida; a IAC-142, de maior número de espiguetas por espiga; IAC-146 e IAC-147, de maior número de grãos por espiga; IAC-146, IAC-147 e IAC-148, de maior número de grãos por espigueta, e IAC-157, de grãos mais pesados. As linhagens IAC-143, IAC-149, IAC-150 e IAC-156 foram as mais tolerantes à toxicidade de Al3+, porém num grau significativamente menor em relação ao 'BH-1146'.

Termos de indexação: trigo, melhoramento genético, cultivares, linhagens, produção de grãos, ferrugem-do-colmo e da-folha, toxicidade de alumínio.

SUMMARY

Twenty four inbred lines and the cultivars Alondra-S-46 were compared in trials carried out at different locations of the State of São Paulo, Brazil, on upland and with sprinkler irrigation, taking into account grain yield, yield components and disease resistance. The response of the genotypes for two race mixtures of stem rust and for three race mixtures of leaf rust was studied in the greenhouse. In the laboratory, the germplasms were evaluated under Al toxicity using nutrient solutions. The lines IAC-156 and IAC-141 exhibited high yield under sprinkler irrigation and the lines IAC-139, IAC-143, IAC-152 and IAC-157 on upland conditions. In relation to stem rust (Puccinia graminis f. sp. tritici) the lines IAC-142, IAC-144, IAC-145, IAC-146, IAC-148, IAC-149, IAC-150, IAC-152, IAC-153, IAC-157 and IAC-158 and the cultivars Alondra-S-46 showed resistance to two race mixtures, at seedling stage. The lines IAC-143 and IAC-150 were resistant at seedling stage to three race mixtures of leaf rust (P. recondita), and also at the stage of adult plant under natural infection out in the field. The lines IAC-140, IAC-143, IAC-145, IAC-150 and IAC-153 showed to be good genetic sources for resistance to powdery mildew. The lines IAC-139, IAC-143, IAC-145, IAC-146, IAC-152, IAC-154, IAC-155, and IAC-158 and the cultivars Alondra-S-46 exhibited short plants. The line IAC-147 showed as a good genetic source for head length; IAC-142 for high number of spikelets per spike; IAC-146 and IAC-147 for number of grains per head; IAC-146; IAC-147 and IAC-148 for high number of grains per spikelet, and IAC-157 for high grain weight. The lines IAC-143, IAC-149, IAC-150 and IAC-156 were the most tolerant in relation to AI toxicity but significantly less tolerant than the cultivars BH-1146 used as control.

Index terms: wheat, plant breeding, cultivar, inbred lines, grain yield, stem and leaf rusts, aluminum toxicity.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 29 de março e aceito em 11 de setembro de 1989

  • BARCELLOS, A.L. Ferrugem da folha do trigo no Brasil, em 1984 e 1985: ocorrência e virulência. In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE TRIGO, 14., Londrina, 1986. Resultados de pesquisa do Centro Nacional de Pesquisa de Trigo apresentados na XIV Reunião Nacional de Pesquisa de Trigo. Passo Fundo, EMBRAPA-CNPT, 1986. p.117-131.
  • CAMARGO, C.E.O. Melhoramento genético do trigo para irrigação de inverno nas condições do Estado de São Paulo. In: SIMPÓSIO SOBRE O MANEJO DE ÁGUA NA AGRICULTURA, Campinas, 1987. Campinas, Fundação Cargill, 1987. p.134-174.
  • __________; FELÍCIO, J.C.; FREITAS, J.G.; BARROS, B.C.; CASTRO, J.L. & SABINO, J.C. Melhoramento do trigo. XII. Comportamento de novas linhagens e cultivares de trigo no Estado de São Paulo. Bragantia, Campinas, 44(2):669-685, 1985.
  • __________ & OLIVEIRA, O.F. Tolerância de cultivares de trigo a diferentes níveis de alumínio em solução nutritiva e no solo. Bragantia, Campinas, 40:21-31, 1981.
  • COELHO, E.T. Avaliação de resistência à ferrugem do colmo das cultivares dos ensaios regionais de rendimento de variedades de trigo do Cone Sul (ERCOS). In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE TRIGO, 14., Londrina, 1986. Resultados de pesquisa do Centro Nacional de Pesquisa de Trigo apresentados na XIV Reunião Nacional de Pesquisa de Trigo. Passo Fundo, EMBRAPA-CNPT, 1986. p.101 -110.
  • HANSON, H.; BORLAUG, N.E. & ANDERSON, R.G. Wheat in the third world. México, International Maize and Wheat Improvement Center, Westview Press, 1982. 174p.
  • MEHTA, Y.R. Doenças do trigo e seu controle. São Paulo, Ceres, 1978. 190p.
  • MOORE, D.P.; KRONSTAD, W.E. & METZGER , R.J. Screening wheat for aluminum tolerance. In: WORKSHOP ON PLANT ADAPTATIONS TO MINERAL STRESS IN PROBLEM SOILS, Beltsville, Maryland, 1976. Proceedings, p.287-295.
  • POEHLMAN, J.M. Breeding wheat. In:__________ Breeding field crops. New York, Holt, Rinehart and Winston, 1959. p.100-127.
  • SÃO PAULO, Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Relatórios do acordo entre a S.A.A., através do Instituto Agronômico, e as Cooperativas Rurais do Vale do Paranapanema. Campinas, 1979-1987.
  • SCHRAM, W.; FULCO, W.S.; SOARES, M.H.G. & ALMEIDA, A.M.P. Resistência de cultivares de trigo em experimentação ou cultivo no Rio Grande do Sul às principais doenças fúngicas. Agronomia Sulriograndense, Porto Alegre, 10:31-39, 1974.

  • 1
    Com verba suplementar do Acordo do Trigo entre as Cooperativas de Produtores Rurais do Vale do Paranapanema e a Secretaria da Agricultura, por intermédio do Instituto Agronômico.
  • 2
    Com bolsa de pesquisa do CNPq.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    23 Nov 2007
  • Data do Fascículo
    1989

Histórico

  • Aceito
    11 Set 1989
  • Recebido
    29 Mar 1989
Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902 Campinas SP - Brazil, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br