Relíquias da casa velha: literatura e ditadura militar, 50 anos depois

Relics of the old house: literature and military dictatorship, 50 years after

Tânia Pellegrini Sobre o autor

Resumos

Este ensaio, amparado em consulta a jornais e revistas de várias décadas, além de revisitar parte da produção crítica sobre o tema e de retomar minhas próprias pesquisas anteriores, procura relacionar as ações específicas do regime militar para o campo da cultura com a efetiva consolidação da indústria cultural brasileira. O pressuposto é que essa consolidação engendrou, de forma tensionada, modificações significativas nas matrizes preexistentes na nossa ficção, sobretudo temáticas, que foram traduzindo o mal-estar e a perplexidade geradas naqueles anos difíceis, bem como suas derivações até os dias de hoje.

ditadura militar; indústria cultural; matrizes literárias


This essay tries to relate specific actions of the military regime in the field of culture to the effective consolidation of a cultural industry in Brazil. It is based on a more or less alleatory search in newspapers and magazines of the period. It also revisits the critical literature about the subject and retakes my own previous researches. The assumption is that the cultural industry consolidation has produced in a tensioned way, significant modifications in the preexistent matrixes of Brazilian fiction, mainly in its themes, which translated the mallaise and perplexity of those difficult years, as well as their derivations to this day.

military dictatorship; cultural industry; literary matrices


  • CACASO (1981). A democracia passa pela discussão do pluralismo cultural. Folha de S. Paulo, São Paulo, Folhetim Brasil, p. 6-9, 5 abr.
  • CALABRE, Lia (Org.) (2005). Políticas culturais: diálogo indispensável. Rio de Janeiro: Casa de Rui Barbosa.
  • CARPEAUX, Otto M. (1973). Arte e sobrevivência. Opinião, Rio de Janeiro, n. 9, p. 6, 1 a 8 jan.
  • COHN, Gabriel (1984). A concepção oficial da política cultural nos anos 70. In: MICELLI, Sergio (org.). Estado e cultura no Brasil. São Paulo: Difel.
  • DEBORD, Guy (1997). A sociedade do espetáculo Rio de Janeiro: Contraponto.
  • DURÃO, Fábio Akcelrud (2013). Crítica da multiplicidade. Cult, São Paulo, n. 182, ago. Disponível em: <http://revistacult.uol.com.br/home/2013/09/critica-da-multiplicidade>. Acesso em: 10 mar. 2013.
  • ESCREVER vale a pena (1990). Leia Livros, n. 138, p. 2, abr.
  • FERNANDES, Millôr (1983). Os intelectuais e a política. Folha de S. Paulo, São Paulo, Folhetim, p. 7-8, 23 out.
  • FERNANDES, Natália A. Morato (2013). A política cultural à época da ditadura militar. Contemporânea: revista de sociologia da UFSCar, São Carlos, v. 3, n. 1, p. 173-192.
  • GALVÃO, Walnice Nogueira (1999). Musa sob assédio. In: Desconversa. São Paulo: Companhia das Letras.
  • HOLANDA, Heloísa B.; GONÇALVES, Marcos A. (1980). Política e literatura: a ficção da realidade brasileira - anos 70. Rio de Janeiro: Europa.
  • JABOR, Arnaldo (1973). Dez anos de cinema nacional. Opinião, Rio de Janeiro, n. 32, p. 6-8, 11 a 18 jun.
  • JAMESON, Fredric (1985). Pós-modernidade e sociedade de consumo. Novos estudos CEBRAP, n. 12, p. 16-26.
  • LUSVARGHI, Luiza (1990). Feminino plural. Leia, n. 135, p. 28-29, jan.
  • MICELLI, Sérgio (1984a). Teoria e prática da política cultural oficial no Brasil. Revista de administração de empresas, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 27-31.
  • ______ (1984b). O processo de construção institucional na área cultural federal (anos 70). In: MICELLI, Sergio (org.). Estado e cultura no Brasil. São Paulo: Difel.
  • ORTIZ, Renato (1988). A moderna tradição brasileira: Cultura brasileira e indústria cultural. São Paulo: Brasiliense.
  • PELLEGRINI, Tânia (1996). Gavetas vazias: Ficção e política nos anos 70. Campinas: Mercado de Letras; São Carlos: Ed. UFSCar.
  • ______ (1999). A imagem e a letra: aspectos da ficção brasileira contemporânea. São Paulo: Mercado de Letras; Fapesp.
  • ______ (2007). Realismo: postura e método. Letras de hoje, Porto Alegre, n. 42, p. 135-155.
  • ______ (2008). Despropósitos: estudos de ficção brasileira contemporânea. São Paulo: Annablume; Fapesp.
  • PERRONE-MOISÉS, Leyla (2012). A literatura exigente. Folha de S. Paulo, São Paulo, Ilustríssima, p. 4-5, 25 mar.
  • RAMOS, Fernão P. (1986). Uma forma histórica de cinema alternativa e seus dilemas na atualidade. In: Vinte anos de resistência: Alternativas da cultura no regime militar. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo.
  • REIMÃO, Sandra (2011). Repressão e resistência: censura a livros na ditadura militar. São Paulo: EDUSP, Fapesp.
  • RIDENTI, Marcelo (2010). Brasilidade revolucionária São Paulo: Editora UNESP.
  • ROSENBAUM, Yudith (1990). Filhos do terceiro sexo. Leia, n. 136, p. 28-29, fev.
  • SCHWARZ, Roberto (1978). Cultura e política, 1964-69. In: O pai de família e outros ensaios Rio de Janeiro: Paz e Terra.
  • ________ (1981). A democracia passa pela discussão do pluralismo cultural. Folha de S. Paulo, São Paulo, Folhetim, p. 6-9, 5 abr.
  • SÜSSEKIND, Flora (1985). Literatura e vida literária: polêmicas, diários & retratos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.
  • ________ (2000). Escalas e ventríloquos. Folha de S. Paulo, São Paulo, Caderno Mais!, p. 8, 23 jul.
  • TELLES, Lygia Fagundes (1981). O editor, na versão do autor. Folha de S. Paulo, São Paulo, Folhetim, p. 8, 22 fev.
  • VIANA, Zelito (1973). Dez anos de cinema nacional. Opinião, Rio de Janeiro, n. 32, p. 6-8, 11 a 18 jun.
  • WILLIAMS, Raymond (1979). Marxismo e literatura Rio de Janeiro: J. Zahar.
  • ______ (2001). The long revolution Canada: Broadview Press.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    02 Jun 2014
  • Data do Fascículo
    Jun 2014

Histórico

  • Aceito
    Jan 2014
  • Recebido
    Dez 2013
Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea, Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade de Brasília (UnB) Programa de Pós-Graduação em Literatura, Departamento de Teoria Literária e Literaturas, Universidade de Brasília , ICC Sul, Ala B, Sobreloja, sala B1-8, Campus Universitário Darcy Ribeiro , CEP 70910-900 – Brasília/DF – Brasil, Tel.: 55 61 3107-7213 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: revistaestudos@gmail.com
Accessibility / Report Error