Accessibility / Report Error

Viscosidade do Sangue como Parâmetro de Diagnóstico da Síndrome Ascítica em Linhagens de Frangos de Corte com Diferentes Suscetibilidade

Blood Viscosity as Diagnostic Parameter for Ascites in Broiler Chickens Strains of Different Susceptibility

Resumos

O objetivo deste trabalho foi investigar o desenvolvimento de ascites em duas linhagens diferentes de frangos de corte, Hubbard e Pescoço-pelado, através da variação da viscosidade do sangue. As aves foram criadas até 45 dias de idade em duas temperaturas ambiente diferentes (termoneutra e fria) e com dieta de ração à base de milho e farelo de soja, peletizada e de alta energia. Aos 28 e 45 dias de idade, amostras de 8 mL de sangue foram obtidas para determinação da viscosidade aparente em um viscosímetro de cilindros concêntricos da marca Brookfield, modelo LVDII+ e para determinação do hematócrito. Aos 28 dias de idade foram verificadas algumas ocorrências de ascite nas aves da linhagem Hubbard criadas à temperatura ambiente fria, e aos 45 dias de idade, todos os frangos de corte dessa linhagem criados no ambiente frio apresentaram ascite. A linhagem Pescoço-pelado foi resistente ao desenvolvimento de ascite em todas as idades e temperaturas ambiente. A análise dos resultados da viscosidade aparente do sangue indicaram que aves com valores similares ou maiores que 4 cP (centipoise) apresentaram ascite. Podemos concluir que na linhagem comercial o valor de 4 cP para a viscosidade aparente parece identificar o desenvolvimento de ascite.

ascites; sangue; viscosidade; Hubbard; Pescoço-pelado


The objective of this work was to investigate the development of ascites in broilers from Hubbard and Naked-neck strains based on the change in blood viscosity. The broilers were reared up to 45 days of age at different environmental temperatures (thermoneutral or cold) and fed pelleted diets with high energy content. At 28 and 45 days, blood samples were obtained to measure the apparent blood viscosity, using a viscosimeter of concentric cylinders, and hematocrit. The results showed that at 28 days of age, some occurrence of ascites was verified in Hubbard birds living in the cold environment, but at 45 days of age all the birds reared at cold temperature had developed ascites. The Naked-neck broilers were resistant to the development of ascites at all ages and environmental temperatures. The analysis of blood apparent viscosity revealed that in birds having values similar or higher than 4 cP (centipoise) were ascitics. In conclusion, the findings of this work suggest that 4 cP of blood apparent viscosity seems to be a threshold for detecting ascites development in commercial broiler strain.

ascites; blood; viscosity; Hubbard; Naked-neck


Viscosidade do Sangue como Parâmetro de Diagnóstico da Síndrome Ascítica em Linhagens de Frangos de Corte com Diferentes Suscetibilidade

Blood Viscosity as Diagnostic Parameter for Ascites in Broiler Chickens Strains of Different Susceptibility

Autor(es) / Author(s)

Fontes SF1

Hernandes R2

Macari M1

Bernal FM2

1 - Docentes - FAC Ciência Agromicas e Veterinárias, UNESP Campus Jaboticabal

2 - Alunos de Pós-Graduação - UNESP - Jaboticabal

Correspondência / Mail Address

Marcos Macari

FCAV/UNESP

Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castelane, S/N

14870-000 - Jaboticabal - SP - Brasil

E-mail: macari@fcav.unesp.br

Unitermos / Keywords

ascites, sangue, viscosidade, Hubbard, Pescoço-pelado

ascites, blood, viscosity, Hubbard, Naked-neck

Observações / Notes

Parte deste trabalho foi apresentado em forma de painel na conferência APINCO/1999 (FACTA) e publicado nos Anais na forma de resumo.

RESUMO

O objetivo deste trabalho foi investigar o desenvolvimento de ascites em duas linhagens diferentes de frangos de corte, Hubbard e Pescoço-pelado, através da variação da viscosidade do sangue. As aves foram criadas até 45 dias de idade em duas temperaturas ambiente diferentes (termoneutra e fria) e com dieta de ração à base de milho e farelo de soja, peletizada e de alta energia. Aos 28 e 45 dias de idade, amostras de 8 mL de sangue foram obtidas para determinação da viscosidade aparente em um viscosímetro de cilindros concêntricos da marca Brookfield, modelo LVDII+ e para determinação do hematócrito. Aos 28 dias de idade foram verificadas algumas ocorrências de ascite nas aves da linhagem Hubbard criadas à temperatura ambiente fria, e aos 45 dias de idade, todos os frangos de corte dessa linhagem criados no ambiente frio apresentaram ascite. A linhagem Pescoço-pelado foi resistente ao desenvolvimento de ascite em todas as idades e temperaturas ambiente. A análise dos resultados da viscosidade aparente do sangue indicaram que aves com valores similares ou maiores que 4 cP (centipoise) apresentaram ascite. Podemos concluir que na linhagem comercial o valor de 4 cP para a viscosidade aparente parece identificar o desenvolvimento de ascite.

ABSTRACT

The objective of this work was to investigate the development of ascites in broilers from Hubbard and Naked-neck strains based on the change in blood viscosity. The broilers were reared up to 45 days of age at different environmental temperatures (thermoneutral or cold) and fed pelleted diets with high energy content. At 28 and 45 days, blood samples were obtained to measure the apparent blood viscosity, using a viscosimeter of concentric cylinders, and hematocrit. The results showed that at 28 days of age, some occurrence of ascites was verified in Hubbard birds living in the cold environment, but at 45 days of age all the birds reared at cold temperature had developed ascites. The Naked-neck broilers were resistant to the development of ascites at all ages and environmental temperatures. The analysis of blood apparent viscosity revealed that in birds having values similar or higher than 4 cP (centipoise) were ascitics. In conclusion, the findings of this work suggest that 4 cP of blood apparent viscosity seems to be a threshold for detecting ascites development in commercial broiler strain.

INTRODUÇÃO

A ascite é um distúrbio metabólico do frango de corte associado ao rápido desenvolvimento corporal (Julian, 1993). Essa patologia não está relacionada ao peso corporal final das aves, mas sim, à grande velocidade de ganho de peso (Silva, 1991), que tem sido aumentada continuamente, em resposta à eficiente seleção aplicada pelas indústrias de melhoramento (Cahaner et al., 1998).

O mecanismo de indução da ascite centraliza-se nas condições de hipóxia tecidual e na descompensação metabólica entre o desenvolvimento dos sistemas músculo-esquelético versus cárdio-respiratório. Assim, fatores que levam o frango de corte à hipóxia podem induzir à síndrome ascítica (Coello et al., 1993). No frango de corte, a predisposição à ascite é ainda maior, pois o pulmão é rígido e fixo na cavidade torácica, e o peso relativo do mesmo diminui em função da idade (Macari et al., 1994).

Características do sangue como hematócrito e viscosidade são importantes fatores que determinam padrões de transporte de gases (Maxwell et al., 1992). O aumento da viscosidade do sangue, induzido pela policitemia em frangos de corte, pode representar um importante sinal clínico em casos de ascite (Julian, 1987; Mirsalimi & Julian, 1991). Estudos hematológicos realizados em aves ascíticas mantidas em baixas altitudes (Maxwell et al., 1986) e também em aves normais submetidas experimentalmente à hipóxia (Maxwell et al., 1987) mostraram que as características das células vermelhas, isto é, hemoglobina, hematócrito e número de células, estavam significativamente aumentadas nessas aves.

Neste trabalho, foi investigada a viabilidade de utilização de um viscosímetro de cilindros concêntricos (Brookfield, modelo – LVDII+) para detecção do limite de viscosidade aparente do sangue de duas linhagens de frangos de corte (Hubbard - susceptível à ascite e Pescoço-pelado - não susceptível à ascite) como indicativo de ascite.

MATERIAL E MÉTODOS

Animais

Foram utilizados 400 frangos de corte de duas linhagens, sendo uma suscetível, Hubbard, e outra não-suscetível, Pescoço-pelado, à ascite. A linhagem Pescoço-pelado (gene Na) foi obtida de progênie não-isogênica, selecionada para ganho de peso através do cruzamento de machos Na/na com fêmeas Na/na Pescoço-pelado. As aves foram criadas desde o primeiro dia de idade em duas temperaturas ambiente: termoneutralidade (de acordo com a idade da ave) e frio (15º C). O arraçoamento foi feito com ração à base de milho e farelo de soja, peletizada e de alta energia (3.200kcal energia metabolizável (EM)/kg), sendo o conteúdo de proteína bruta de 22% e 20% para as fases inicial (1 a 28 dias de idade) e final (29 a 49 dias de idade), respectivamente.

Aos 28 e 45 dias de idade, amostras de sangue (8mL) foram obtidas através de punção cardíaca, sendo utilizadas para determinação da viscosidade aparente em um viscosímetro de cilindros concêntricos (Brookfield, modelo – LVDII+) e para determinação do hematócrito pelo método do microhematócrito. Após a obtenção das amostras de sangue, as aves foram sacrificadas a fim de certificar-se da presença ou não de ascite.

O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso, segundo um esquema fatorial 2 x 2 (duas linhagens, Hubbard e Pescoço-pelado e duas temperaturas, termoneutra e frio).

Medida da viscosidade do sangue

A reologia do sangue animal é muito complexa, sendo dependente de muito fatores, como: taxa de cisalhamento, temperatura, viscosidade do plasma, viscosidade das hemácias, propriedades da membrana das hemácias e capacidade de agregação. Assim, o conhecimento dos princípios físicos e a instrumentação básica para a determinação da viscosidade do sangue tornam-se relevantes a fim de se entender as alterações nas propriedades físicas do sangue quando do aparecimento da ascite.

Neste estudo, foi utilizado o viscosímetro de cilindros concêntricos, sendo que a amostra foi mantida à temperatura de 41º C, a qual corresponde a temperatura interna das aves. A medida da viscosidade de um fluido com um viscosímetro rotacional baseia-se na determinação do torque necessário para manter constante a velocidade de rotação de um corpo que se encontra imerso no fluido. O viscosímetro rotacional permite analisar uma ampla taxa de deformação do fluido e pode ser de cilindros concêntricos, cone e placa, e placas paralelas. O de cilindro concêntricos consta de dois cilindros, sendo que apenas um gira a uma determinada velocidade angular, enquanto o outro permanece imóvel. Esse instrumento mantém uma velocidade de rotação constante, que corresponde a uma certa taxa de deformação do fluido.

A tensão de cisalhamento é obtida através da medida do torque no cilindro rotacional. Nas análises, são estabelecidas várias velocidades angulares para o cilindro rotacional, detectando-se o torque correspondente. Para cada valor do torque ou tensão de cisalhamento, tem-se uma taxa de deformação correspondente. O comportamento reológico é obtido graficamente plotando-se a tensão de cisalhamento em função da taxa de deformação. Dependendo do comportamento, linear ou não, das curvas obtidas, os fluidos podem ser classificados em newtonianos ou não-newtonianos, respectivamente. Os modelos de comportamento de fluidos biológicos são objeto de estudos de muitos problemas aplicados (Barnes et al., 1989; Probstein, 1994).

Para muitas soluções contendo proteínas e outros fluidos biológicos, a relação entre a tensão de cisalhamento aplicada (torque) e a taxa de deformação é não-linear. Esses fluidos chamados de não-newtonianos são caracterizados pela viscosidade aparente (ha), através da relação:

ha = t / g (Equação 1)

onde, t é a tensão de cisalhamento (N/m2), g é a taxa de deformação (l / s) e ha é a viscosidade aparente (N.s/m2 = Pa.s = Poise). A unidade comumente usada para a viscosidade é o centiPoise (cP), equivalente ao valor 10-3 Pa.s no sistema internacional (SI).

Na Figura 1.a, são apresentadas as curvas características dos comportamentos reológicos mais comuns de fluidos, independentes do tempo. Em cada curva é indicada a respectiva denominação do fluido. Na Figura 1.b, é apresentado um desenho esquemático do viscosímetro rotacional de cilindros concêntricos.



A descrição do comportamento reológico é feita através de modelos empíricos, com o objetivo de relacionar a tensão de cisalhamento com a taxa de deformação, facilitando a análise dos resultados.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

A Tabela 1 mostra os valores de hematócrito das duas linhagens criadas em ambiente termoneutro ou frio aos 28 e 45 dias de idade. Os achados mostram que as aves da linhagem Pescoço-pelado tiveram valores de hematócrito que não foram diferentes (p>0,05) em função da temperatura de criação. Entretanto, as aves da linhagem comercial Hubbard, tanto aos 28 como 45 dias de idade, tiveram valores de hematócrito significativamente (p<0,05) maiores à temperatura fria, do que quando criados em temperatura de conforto térmico. A viscosidade não mostrou diferença entre as linhagens quando criadas à temperatura termoneutra, mas em temperatura fria, as aves da linhagem Hubbard apresentaram viscosidade maior em relação às aves da linhagem Pescoço-pelado.

Esses achados evidenciam a susceptibilidade dessa linhagem à hemoconcentração e conseqüentemente, ao desenvolvimento da ascite em temperaturas abaixo da zona de conforto térmico, quando arraçoadas com rações peletizadas e alto nível de energia. Achados similares foram descritos por Buys et al. (1999) que, trabalhando com 5 diferentes linhagens de frangos de corte, mostraram aumentos dos valores de hematócrito para as aves das linhagens susceptíveis à ascite, quando comparadas às não-suscetíveis em baixas temperaturas ambientais.

Durante a criação, foi verificado que as aves Hubbard, à temperatura fria (15ºC), apresentaram maior mortalidade devido à ascite (41%), do que quando criadas em temperatura termoneutra (4%) (Tabela 2), sendo o mesmo observado por Kranen et al. (1998). A linhagem Pescoço-pelado não apresentou mortes devido à ascite, corroborando com Gonzales et al. (1998), que mostraram a relação direta entre alta produtividade e mortalidade devido às doenças metabólicas.

A Figura 2 mostra os valores de viscosidade (expressos em cP) em função da velocidade de rotação por minuto (rpm) para o sangue de frangos de corte aos 28 dias de idade. Os achados mostraram que as aves que tiveram valores de viscosidade do sangue similares ou maiores do que 4 cP apresentavam ascite, sendo esta confirmada através da necrópsia.


Os dados mostrados na Figura 2 evidenciam que para esta idade (28 dias), a maioria das aves da linhagem Hubbard, criadas à temperatura ambiente de 15o C, tiveram o desenvolvimento da ascite. As demais aves (Hubbard criadas em temperatura de conforto e Pescoço-pelado) apresentaram valores de viscosidade do sangue menores do que 4 cP e não mostraram quadro ascítico. Aos 45 dias de idade, todos os frangos de corte da linhagem Hubbard criados no ambiente frio apresentaram ascite, sendo que para os demais tratamentos, os valores da viscosidade do sangue ficaram abaixo de 4 cP.

A Figura 3 mostra os valores de viscosidade (expressos em cP) em função da velocidade de rotação por minuto (rpm) para o sangue de frangos de corte aos 45 dias de idade. As aves que apresentaram valores de viscosidade do sangue maiores que 4 cP mostraram quadro ascítico. Na mesma figura, observa-se que todos os frangos da espécie Hubbard, criados no ambiente frio, desenvolveram ascite. Por outro lado, as aves da linhagem Pescoço-pelado foram resistentes ao ambiente frio e não desenvolveram quadro ascítico.


A análise do comportamento reológico do sangue (tensão de cisalhamento versus taxa de deformação) é mostrada na Figura 4. As curvas representam o ajuste linear aos resultados experimentais e possuem índice de correlação maiores do que 0,95. Há forte tendência de comportamento newtoniano para as amostras de sangue não ascítico (Hubbard e Pescoço-pelado). Para o sangue ascítico da linhagem Hubbard, observa-se na Figura 4, um valor para tensão inicial próximo à 0,2 N/m2, indicando tendência ao comportamento plástico de Binghan.


CONCLUSÃO

Os resultados desta investigação indicam o viscosímetro de cilindros concêntricos como um instrumento adequado para determinação da ascite em frangos de corte. O valor de 4 cP para a viscosidade aparente é o limite observado para evidenciar a síndrome ascitica.

  • Barnes HA, Hutton JF,Walters K. An introduction to rheology. New York: Elsevier, 1989.
  • Berrong SL, Washburn KW. Effects of genetic variation on total plasma protein, body weight gains, and body temperature responses to heat stress. Poultry Science 1998; 77: 379-85.
  • Buys N, Scheele CW, Kwakernaak C, Decuypčre E. Performace and physiological variables in broiler chickens lines differing in susceptibility to the ascites syndrome: 1. Changes in blood gases as a function of ambient temperature. British Poultry Science 1999; 40: 135-39.
  • Cahaner A, Deeb N, Yunis R, Lavi Y. Reduced stress tolerance in fast growing broilers. In: 10th European Poultry Conference; 1998; Jerusalem. Israel. p.113-16.
  • Gonzales E, Buyse J, Takita TS, Sartori JR, Decuypere E. Metabolic disturbances in male broilers of different strains. 1. Performance, mortality and right ventricular hypertrophy. Poultry Science 1998; 77:1646-1653.
  • Macari M, CL, Furlan RL, Gonzales E. Fisiologia Aplicada a Frangos de Corte. Jaboticabal: Funep, 1994.
  • Julian RJ. Ascites in poultry. Avian Pathology 1993; 22: 419-54.
  • Kranen RW, Veerkamp CH, Lambooy E, Veerkamp CH, Lambooy E, van Kuppevelt TH, Veerkamp JH. The effect of thermal pre-slaughter stress on the susceptibility of broiler chickens differing with respect to growth rate, age at slaughter, blood parameters, and ascites mortality, to hemorrhages in muscles. Poultry Science 1998; 77: 737-44.
  • Maxwell MH, Robertson GW, McCorquodale CC. Whole blood and plasma viscosity in normal and ascitic broiler chickens. British Poultry Science 1992; 33:.871-77.
  • Mirsalimi MH, Julian RL. Reduced erythrocyte deformability as a possible contributing factor to pulmonary hypertension and ascites in broiler chickens. Avian Diseases 1991;.35: 374-79.
  • Probstein RF. Physicochemical hydrodinamics. New York: John Wiley & Sons, 1994.
  • Rosentrater KA, Flores RA. Physical and rheological properties of slaughterhouse swine blood and blood components. Transactions of the ASAE 1997; 40(3): 683-89.
  • Silversides FG, Lefrançois MR, Villeneuve P. The effect of strain of broiler on physiological parameters associated with the ascites syndrome. Poultry Science 1997; 76: 663-67.
  • Touchburn SP, Guillaume J, Leclerq B, Blum JC. Lipid and energy metabolism in chicks affected by dwarfism (dw) and naked neck (Na). Poultry Science 1980; 59:2189-97.
  • Yahav S, Straschnow A, Plavnik I, Hurwitz S. Blood system response of chickens to changes in environmental temperature. Poultry Science 1997; 76:.627-33.
  • Zhou WT, Fujita M, Yamamoto S. Effects of food and water withdrawal and high temperature exposure on diurnal variation in blood viscosity of broiler chickens. British Poultry Science 1998; 39:156-60.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    06 Jun 2003
  • Data do Fascículo
    Abr 2000
Fundação de Apoio à Ciência e Tecnologia Avicolas Rua Barão de Paranapanema, 146 - Sala 72, Bloco A, Bosque, Campinas, SP - 13026-010. Tel.: 19 3255-8500 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: revista@facta.org.br