Coaching como estratégia para a promoção da saúde de indivíduos idosos: revisão sistemática

Graciele Reinert Casadei Eraldo Schunk Silva Leonardo Pestillo de Oliveira Rose Mari Bennemann Sobre os autores

Abstract

Objective:

To evaluate the effect of the application of coaching on the health promotion of the elderly.

Method:

A systematic review was performed in the PubMed, MEDLINE and SciELO databases. The selection of articles followed the PRISMA guidelines, and the articles were published from 2008 to July 2018. The following descriptors were used: aged (idoso, anciano), elderly (idoso, anciano), coaching (tutoria, tutoría), mentoring (tutoria, tutoría) and health promotion (promoção da saúde, promoción de la salud). Boolean operators were used for all databases: (coaching OR mentoring) AND (health promotion) AND (aged OR elderly); (idoso) AND (tutoria OR coaching) AND (promoção da saúde); (anciano) AND (tutoría OR coaching) AND (promoción de la salud).

Results:

The final analysis included three articles. These evaluated coaching tools for changes in lifestyle and the reduction of health risks for the elderly. The results were positive, with a significant improvement in the quality of life (mental and physical), health status, goal attainment, self-efficacy and increased immunization of the evaluated elderly persons.

Conclusion:

The use of coaching in health promotion in elderly is still incipient, however, based on the results, health coaching proved to be an effective strategy to enable the elderly to reach the maximum potential of self-management in health.

Keywords:
Health of the Elderly; Coaching; Health Promotion; Quality of Life

Resumo

Objetivo:

Avaliar o efeito da aplicação do coaching na promoção da saúde do idoso.

Método:

Trata-se de uma revisão sistemática, realizada nas bases de dados PubMed, MEDLINE e SciELO. A seleção dos artigos seguiu as diretrizes do PRISMA, publicados no período de 2008 a julho de 2018. Foram utilizados os seguintes descritores: aged (idoso, anciano); elderly (idoso, anciano); coaching (tutoria, tutoría); mentoring (tutoria, tutoría) e health promotion (promoção da saúde, promoción de la salud). Operadores booleanos foram aplicados para todas as bases de dados: (coaching OR mentoring) AND (health promotion) AND (aged OR elderly); (idoso) AND (tutoria OR coaching) AND (promoção da saúde); (anciano) AND (tutoría OR coaching) AND (promoción de la salud).

Resultados:

A análise final contou com três artigos, os quais buscaram avaliar ferramentas de coaching para mudanças no estilo de vida e redução de riscos à saúde dos idosos. Os resultados alcançados foram positivos, com melhora significativa da qualidade de vida (mental e física), do estado de saúde, da obtenção de metas, autoeficácia e aumento da imunização dos idosos avaliados.

Conclusão:

A utilização do coaching na promoção da saúde em indivíduos idosos ainda é incipiente, porém com base nos resultados encontrados, o coaching em saúde mostrou-se uma estratégia eficaz para capacitar idosos a atingir o potencial máximo de autogerenciamento em saúde.

Palavras-chave:
Saúde do Idoso; Coaching; Promoção da Saúde; Qualidade de vida

INTRODUÇÃO

O coaching é uma importante estratégia para incentivar o desenvolvimento pessoal, e é uma grande força impulsionadora da responsabilidade, organização, qualidade dos cuidados, do suporte e da afirmação do potencial humano. A sua essência é o desenvolvimento de competências para o alcance de metas. Assim, o coaching contribui para a sustentabilidade de uma organização e crescimento do indivíduo, induzindo os gestores a interiorizar que a mudança construtiva e proativa gera líderes emocionalmente inteligentes que buscam o aperfeiçoamento e a superação, promovendo a produtividade e, consequentemente, a qualidade de vida11 Barosa Pereira A. Coaching em Portugal: Teoria e Prática. Lisboa: Edições Sílabo; 2008..

O desenvolvimento do coaching tem sido exponencial em todo o mundo, com o surgimento de diversas escolas, várias linhas de pensamento, diferentes visões, abordagens e aplicações para variados mercados e públicos22 Ustá V. Coaching na gestão de enfermagem [Dissertação]. Lisboa: Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, Curso de Mestrado em Enfermagem; 2012.. Dentre as suas várias modalidades, há o coaching em saúde que é uma intervenção de saúde com o objetivo de auxiliar o indivíduo a estabelecer metas que promovam a saúde, como mudanças no comportamento e no estilo de vida para redução de riscos à saúde e melhora na qualidade de vida³. Em outras palavras, o coaching em saúde ajuda o paciente a encontrar motivação para iniciar e manter a mudança, oferecendo uma variedade de perspectivas e reconhecimento de que vários fatores contribuem para o alcance das metas44 Wolever RQ, Dreusicke M, Fikkan J, Hawkins TV, Yeung S, Wakefield J, et al. Integrative health coaching for patients with type 2 diabetes: a randomized clinical trial. Diabetes Educ. 2010;36(4):629-39..

Alguns estudos55 Cadmus-Bertram L, Nelson SH, Hartman S, Patterson RE, Parker BA, Pierce JP. Randomized trial of a phone and web based weight loss program for women at elevated breast cancer risk: the HELP study. J Behav Med. 2016;39(4):551-9.

6 Broekhuizen K, de Gelder J, Wijsman CA, Wijsman LW, Westendorp RG, Verhagen E, et al. An Internet based physical acivity intervention to improve quality of life of inactive older adults: a randomized controlled trial. J Med Internet Res [Internet]. 2016 [acesso em 06 jul. 2018];18(4):e74 [16p.]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4917725/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/article...
-77 Park YH, Moon SH, Ha JY, Lee MH. The long-term effects of the health coaching self-management program for nursing-homeresidents. Clin Interv Aging 2017;11:1079-88. que avaliaram o coaching em saúde mostraram resultados positivos em relação às mudanças de comportamento e do estilo de vida, como aumento da atividade física, melhora na nutrição e melhora no manejo de doenças crônicas.

A cada ano quase 58 milhões de indivíduos completam 60 anos de idade, portanto o envelhecimento da população mundial não pode ser ignorado, representando desafios à saúde pública, particularmente na promoção da saúde88 Fundo de População das Nações Unidas. Envelhecimento no século XXI: celebração e desafio: resumo executivo. Nova York: UNFPA; 2012.. O adiamento do adoecimento crônico e o gerenciamento efetivo das doenças e incapacidades existentes ao idoso são importantes para um impacto positivo na qualidade de vida desse grupo etário.

Tendo como base o exposto acima, o presente estudo teve por objetivo avaliar, por meio de uma revisão sistemática, o efeito da aplicação do coaching na promoção da saúde em indivíduos idosos.

MÉTODO

A seleção dos artigos incluídos nessa revisão sistemática seguiu as diretrizes do Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA)99 Galvão TF, Pansani TSA, Harrad D. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e Meta-análises: a recomendação PRISMA. Epidemiol Serv Saúde. 2015;24(2):335-42.. A questão norteadora para a busca foi: Que ou qual efeito o coaching exerce na promoção da saúde do idoso?

Para a busca de artigos foram consultados os bancos de dados PubMed da National Library of Medicine, Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE) e Scientific Electronic Library Online (SciELO) em julho de 2018, publicados nos idiomas português, espanhol e inglês, entre 2008 e julho 2018. Consideraram-se os descritores (Descritores em Ciências da Saúde - DeCS) e termos equivalentes em inglês com o índice Medical Subject Headings - MeSH: aged (idoso, anciano); elderly (idoso, anciano); coaching (tutoria, tutoría); mentoring (tutoria, tutoría) e health promotion (promoção da saúde, promoción de la salud). Operadores booleanos foram aplicados para todas as bases de dados: (coaching OR mentoring) AND (health promotion) AND (aged OR elderly); (idoso) AND (tutoria OR coaching) AND (promoção da saúde) e (anciano) AND (tutoría OR coaching) AND (promoción de la salud).

Como critérios de elegibilidade foram incluídos na revisão artigos gratuitos disponíveis na íntegra (free full text); que utilizassem o coaching em saúde, independente da ferramenta e forma de entrega (presencial, por telefone ou internet); realizados com idosos (idade ≥60 anos) e que avaliassem o efeito da aplicação do coaching na promoção da saúde do idoso. Foram excluídos artigos duplicados; indisponíveis na versão on-line; resumos e revisões.

Para a seleção e avaliação dos artigos, desenvolveu-se um instrumento contendo as seguintes variáveis: autoria; ano; país de publicação; tipo de estudo; número de participantes; faixa etária; estatística; período de intervenção; objetivos; forma de entrega de coaching; ferramenta de coaching utilizada e resultados alcançados.

Foram percorridas quatro fases para a seleção dos artigos: 1) identificação dos artigos nas bases de dados; 2) triagem para inclusão e exclusão de estudos por meio da leitura dos títulos e resumos; 3) leitura na íntegra dos artigos selecionados; 4) seleção final dos artigos que respondessem aos critérios de elegibilidade da revisão sistemática.

Os artigos identificados pela estratégia de busca foram avaliados por dois pesquisadores de forma independente.

RESULTADOS

A pesquisa resultou em 317 publicações, 178 (56,2%) no PubMED, 139 (43,8%) no MEDLINE e zero (0%) na SciELO. A partir dos títulos e resumos dos artigos, 42 artigos atenderam aos critérios de elegibilidade, dos quais 21 foram removidos por estarem duplicados, ou seja, artigos encontrados na base de dados MEDLINE também estavam indexados no PubMED (Figura 1).

Figura 1
Fluxograma de seleção dos artigos. Maringá, PR, 2018.

Após a leitura dos textos completos dos 21 artigos pré-selecionados, foram excluídos 18 estudos: 10 estudos por incluírem participantes com menos de 60 anos de idade, seis estudos por descreverem protocolos de pesquisas futuras ou em andamento e dois estudos que não contemplavam integralmente os objetivos da revisão (Quadro 1). Ao final, três estudos atingiram os critérios de elegibilidade e passaram a compor o resultado dessa revisão (Quadro 2).

Quadro 1
Descrição dos artigos pré-selecionados e excluídos da revisão. Maringá, PR, 2018.
Quadro 2
Descrição dos artigos selecionados e incluídos na revisão. Maringá, PR, 2018.

No Quadro 2 estão descritos os artigos selecionados e incluídos na revisão. Pode-se verificar que os artigos selecionados foram publicados nos anos de 2016 (n=1) e 2017 (n=2). Os países nos quais as pesquisas foram realizadas são: Países Baixos, Coréia do Sul e Estados Unidos. A média de idade dos idosos variou de 64,7 a 80,9 anos. Os estudos foram desenvolvidos como ensaios controlados e randomizados, com a presença de grupos intervenção e controle. O número de participantes variou de 90 a 18.107. Na análise estatística foram utilizados principalmente os testes t e qui-quadrado.

Dos três artigos selecionados, dois aplicaram o coaching presencial77 Park YH, Moon SH, Ha JY, Lee MH. The long-term effects of the health coaching self-management program for nursing-homeresidents. Clin Interv Aging 2017;11:1079-88.,2727 Zimmerman RK, Brown AE, Pavlik VN, Moehling KK, Raviotta JM, Lin CJ, et al. Using the 4 Pillars Practice Transformation Program to Increase Pneumococcal Immunizations for Older Adults: a Cluster-Randomized Trial. J Am Geriatr Soc. 2017;65(1):114-22., sendo que um desses associou o coaching presencial com o coaching por telefone2727 Zimmerman RK, Brown AE, Pavlik VN, Moehling KK, Raviotta JM, Lin CJ, et al. Using the 4 Pillars Practice Transformation Program to Increase Pneumococcal Immunizations for Older Adults: a Cluster-Randomized Trial. J Am Geriatr Soc. 2017;65(1):114-22., e um artigo aplicou apenas o coaching por internet66 Broekhuizen K, de Gelder J, Wijsman CA, Wijsman LW, Westendorp RG, Verhagen E, et al. An Internet based physical acivity intervention to improve quality of life of inactive older adults: a randomized controlled trial. J Med Internet Res [Internet]. 2016 [acesso em 06 jul. 2018];18(4):e74 [16p.]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4917725/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/article...
. O período de intervenção variou de dois a 24 meses. Em relação aos objetivos, os estudos buscavam avaliar ferramentas de coaching para mudanças no estilo de vida e redução de riscos à saúde.

Os resultados alcançados nos estudos foram positivos, com melhora significativa da qualidade de vida (mental e física)66 Broekhuizen K, de Gelder J, Wijsman CA, Wijsman LW, Westendorp RG, Verhagen E, et al. An Internet based physical acivity intervention to improve quality of life of inactive older adults: a randomized controlled trial. J Med Internet Res [Internet]. 2016 [acesso em 06 jul. 2018];18(4):e74 [16p.]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4917725/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/article...
,77 Park YH, Moon SH, Ha JY, Lee MH. The long-term effects of the health coaching self-management program for nursing-homeresidents. Clin Interv Aging 2017;11:1079-88.; do estado de saúde77 Park YH, Moon SH, Ha JY, Lee MH. The long-term effects of the health coaching self-management program for nursing-homeresidents. Clin Interv Aging 2017;11:1079-88.; da obtenção de metas77 Park YH, Moon SH, Ha JY, Lee MH. The long-term effects of the health coaching self-management program for nursing-homeresidents. Clin Interv Aging 2017;11:1079-88.; autoeficácia77 Park YH, Moon SH, Ha JY, Lee MH. The long-term effects of the health coaching self-management program for nursing-homeresidents. Clin Interv Aging 2017;11:1079-88. e aumento da imunização2727 Zimmerman RK, Brown AE, Pavlik VN, Moehling KK, Raviotta JM, Lin CJ, et al. Using the 4 Pillars Practice Transformation Program to Increase Pneumococcal Immunizations for Older Adults: a Cluster-Randomized Trial. J Am Geriatr Soc. 2017;65(1):114-22. dos indivíduos idosos avaliados.

DISCUSSÃO

A produção de artigos envolvendo a avaliação do efeito da aplicação do coaching na promoção da saúde mostra-se escassa, o que dificultou uma análise robusta em relação ao efeito da aplicação do coaching na promoção da saúde em indivíduos idosos. A maioria dos estudos analisados na íntegra (n=21), na etapa de elegibilidade, foi excluída (n=10) por apresentarem nos grupos avaliados (intervenção e controle) indivíduos idosos e de meia-idade, fato que pode não retratar de modo fidedigno os resultados, visto que os idosos apresentam características próprias decorrentes do processo de envelhecimento. Além disso, seis estudos eram de protocolos de estudos futuros ou em andamento.

Observou-se ainda que, embora os estudos relatem a utilização do coaching para a promoção da saúde, existe uma grande dificuldade por parte dos autores na compreensão do termo “coaching em saúde”. De forma geral, o entendimento de coaching observado é voltado para ação de um profissional da área que combina informação e educação em saúde, para estimular o indivíduo a iniciar e manter mudanças comportamentais associadas à saúde. Esse procedimento, no entanto, relaciona-se a aplicação do mentoring e não do coaching. O mentoring envolve a transmissão de instruções por parte de um indivíduo que possui o conhecimento de um domínio específico para um indivíduo com menos experiência, não exigindo do mentor habilidades de coaching2828 Grant AM. Towards a psychology of coaching: The impact of coaching on metacognition, mental health and goal attainment [Doctoral thesis]. Australia: Macquarie University, Departament of Psychology; 2001.. Já o coaching representa um processo no qual o coach (aquele que conduz o processo) facilita o aprendizado do indivíduo sem, no entanto, precisar ter conhecimento da área de aprendizado do coachee (aprendiz), ou seja, o coach apenas precisa ter experiência no processo de facilitação de aprendizagem e aprimoramento do desempenho2929 Oliveira-Silva LC, Werneck-Leite CDS, Carvalho PSF, Anjos AC, Brandão HIM. Desvendando o Coaching: uma Revisão sob a Ótica da Psicologia. Psicol Ciênc Prof. 2018;38(2):363-77.. O coaching é um processo de desenvolvimento humano que envolve o uso de interações estruturadas, focadas e de estratégias, além de ferramentas e técnicas apropriadas para promover as mudanças desejáveis, visando o benefício do indivíduo3030 Cox E, Bachkirova T, Clutterbuck D. The complete handbook of coaching. London: Sage; 2014..

A falta de compreensão e utilização inadequada da técnica pode estar relacionada à escassez na literatura em relação às especificações necessárias para formação do coach. Existem alguns requisitos básicos para a atuação na área, tais como: obtenção de um certificado de formação em desenvolvimento de coaching; ter passado por um processo de coaching nomeadamente; ter desenvolvido trabalho sobre si mesmo; apresentar formação profissional adequada; ficar sob supervisão constante de sua atividade como coach2929 Oliveira-Silva LC, Werneck-Leite CDS, Carvalho PSF, Anjos AC, Brandão HIM. Desvendando o Coaching: uma Revisão sob a Ótica da Psicologia. Psicol Ciênc Prof. 2018;38(2):363-77.. Outras limitações dos estudos referentes ao coaching em saúde estão associadas à falta de esclarecimento acerca das atribuições do coaching em saúde (estratégias, práticas, métodos de entrega); qual é o papel exato do coach (educador, facilitador, navegador, parceiro); qual a formação necessária para atuar como coach e que tipo de treinamento habilitaria esse profissional a atuar com competência no processo de coaching em saúde3131 Wolever RQ. Health & Wellness Coaching: evidence, challenges and opportunities. London: Vanderbilt University Medical Center; 2016..

A dificuldade em definir as atribuições do coach, assim como a formação ou metodologia de treinamento dos mesmos verificada nos estudos, dificultou e restringiu a seleção a poucos artigos. Foi uma tarefa desafiadora, em vista da variedade de conceitos utilizados, a diversidade de abordagens, bem como a escassez de estudos voltados para o tema.

As evidências dos artigos selecionados66 Broekhuizen K, de Gelder J, Wijsman CA, Wijsman LW, Westendorp RG, Verhagen E, et al. An Internet based physical acivity intervention to improve quality of life of inactive older adults: a randomized controlled trial. J Med Internet Res [Internet]. 2016 [acesso em 06 jul. 2018];18(4):e74 [16p.]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4917725/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/article...
,77 Park YH, Moon SH, Ha JY, Lee MH. The long-term effects of the health coaching self-management program for nursing-homeresidents. Clin Interv Aging 2017;11:1079-88.,2727 Zimmerman RK, Brown AE, Pavlik VN, Moehling KK, Raviotta JM, Lin CJ, et al. Using the 4 Pillars Practice Transformation Program to Increase Pneumococcal Immunizations for Older Adults: a Cluster-Randomized Trial. J Am Geriatr Soc. 2017;65(1):114-22. na presente revisão e que contemplaram os critérios de elegibilidade sugerem que o coaching é uma estratégia viável para melhorar a saúde, autogerenciamento, aderência a atividades de promoção da saúde e, consequentemente, melhora na qualidade de vida dos idosos. Programas que permitem aos idosos autogerenciarem seus sintomas e tratamentos com base em mudanças no estilo de vida são essenciais para uma vida saudável3232 Richard AA, Shea K. Delineation of self-care and associated concepts. J Nurs Scholarsh. 2011;43(3):255-64.. O autogerenciamento melhora as habilidades na resolução de problemas, manutenção de exercícios, uso de medicamentos e comunicação3333 Jordan JE, Briggs AM, Brand CA, Osborne RH. Enhancing patient engagement in chronic disease self-management support initiatives in Australia: the need for an integrated approach. Med J Aust. 2008;189(10 Suppl):9-13..

A metodologia coaching apresenta resultados benéficos que direcionam a mudanças de comportamento e do estilo de vida, como aumento da atividade física, melhora na nutrição e melhora da autoestima3434 Mendes FP, Garin NC, Timm EZ, Ribeiro J L. Aplicação da metodologia coaching para o tratamento da obesidade: uma visão multidisciplinar. Ciênc Mov. 2017;19(39):61-9.

35 Magalhães T, Neves L, Poínhos R. A metodologia de coaching aplicada às ciências da nutrição: usos, potencialidades e controvérsias em Portugal. Acta Port Nut. 2018;12:26-31.
-3636 Meya-Molina A, Giménez-Sánchez J. Coaching nutricional como herramienta para la adquisición de hábitos alimentarios preventivos del cáncer. Rev Esp Nutr Hum Diet. 2014;18(1):35-44., reforçando que essa técnica pode ser utilizada como estratégia para promoção da saúde, visando à melhora da qualidade de vida.

Desta forma, pesquisas que avaliam os efeitos do coaching na promoção da saúde em idosos necessitam ser mais exploradas, visto que a população idosa mundial encontra-se em franca expansão. Esse fato é um desafio em relação às necessidades de cuidados de saúde desses indivíduos, já que o envelhecimento é um processo multifatorial, que promove alterações anatômicas e funcionais do organismo. Alterações que geralmente resultam no surgimento de doenças crônicas; incapacidade funcional; necessidade de assistência; mobilidade reduzida; depressão; isolamento e solidão, que podem influenciar de maneira negativa a qualidade de vida do idoso3737 Ory MD, Cox DM. Forging ahead: Linking health and behavior to improve quality of life in older people. In: Romney DM, Brown RI, Fry PS, editors. Improving the Quality of Life. Dordrecht: Springer Publishing Company; 1994..

Nas condições crônicas o compromisso de autocuidado e a capacidade de aderir as recomendações a longo prazo é de extrema importância. Neste sentido, o coaching em saúde motiva os indivíduos a iniciarem e manterem a mudança, e a reconhecerem fatores que contribuem para alcançar seus objetivos44 Wolever RQ, Dreusicke M, Fikkan J, Hawkins TV, Yeung S, Wakefield J, et al. Integrative health coaching for patients with type 2 diabetes: a randomized clinical trial. Diabetes Educ. 2010;36(4):629-39.. O coaching em saúde é uma estratégia eficaz para os indivíduos idosos prevenirem o agravamento de doenças e melhorarem o estilo de vida3838 Huffman M. Health coaching: a new and exciting technique to enhance patient self-management and improve outcomes. Home Healthc Nurse. 2007;25(4):271-4..

Como fatores limitadores na presente pesquisa, pode-se considerar o desenho do estudo, ou seja, o critério de elegibilidade de avaliar somente estudos gratuitos disponíveis na íntegra (free full text) nas bases de dados pesquisadas, o tamanho da amostra obtida (três artigos contemplados) e a abordagem individualista, como observado em um dos estudos selecionados, em que a participação dos idosos foi voluntária, o que pode ter contribuído para a representação de participantes altamente motivados para mudanças relacionadas ao estilo de vida. Da mesma forma, a seleção restrita a idosos aptos para uso da internet levou a uma amostra com um nível educacional relativamente alto; como consequência, a generalização dos resultados para a população idosa desse estudo é limitada6.

CONCLUSÃO

Embora os estudos tenham apresentado resultados promissores, sugerindo que o coaching em saúde provoca mudanças no gerenciamento de doenças e estilo de vida dos idosos, a sua aplicação na promoção da saúde em indivíduos idosos ainda é incipiente. A parceria promovida por meio da metodologia coaching entre pacientes e profissionais de saúde, seja na forma presencial, virtual ou por telefone, pode ser uma ferramenta a ser utilizada na promoção da saúde de idosos.

Enfatiza-se a importância de novos estudos que avaliem a metodologia coaching para promoção da saúde dos idosos nas áreas envolvidas, como os relacionados aos aspectos físico, mental e social. Tais estudos são importantes para o planejamento de estratégias que visam implementar ações para promoção da saúde do idoso, contribuindo para a pesquisa e prática geriátrica e gerontológica.

Referências bibliográficas

  • 1
    Barosa Pereira A. Coaching em Portugal: Teoria e Prática. Lisboa: Edições Sílabo; 2008.
  • 2
    Ustá V. Coaching na gestão de enfermagem [Dissertação]. Lisboa: Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, Curso de Mestrado em Enfermagem; 2012.
  • 3
    Linden A, Butterworth SW, Prochaska JO. Motivational interwiewing-based health coaching as a cronic care intervantion. J Eval Clin Pract. 2010;16(1):166-74.
  • 4
    Wolever RQ, Dreusicke M, Fikkan J, Hawkins TV, Yeung S, Wakefield J, et al. Integrative health coaching for patients with type 2 diabetes: a randomized clinical trial. Diabetes Educ. 2010;36(4):629-39.
  • 5
    Cadmus-Bertram L, Nelson SH, Hartman S, Patterson RE, Parker BA, Pierce JP. Randomized trial of a phone and web based weight loss program for women at elevated breast cancer risk: the HELP study. J Behav Med. 2016;39(4):551-9.
  • 6
    Broekhuizen K, de Gelder J, Wijsman CA, Wijsman LW, Westendorp RG, Verhagen E, et al. An Internet based physical acivity intervention to improve quality of life of inactive older adults: a randomized controlled trial. J Med Internet Res [Internet]. 2016 [acesso em 06 jul. 2018];18(4):e74 [16p.]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4917725/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4917725
  • 7
    Park YH, Moon SH, Ha JY, Lee MH. The long-term effects of the health coaching self-management program for nursing-homeresidents. Clin Interv Aging 2017;11:1079-88.
  • 8
    Fundo de População das Nações Unidas. Envelhecimento no século XXI: celebração e desafio: resumo executivo. Nova York: UNFPA; 2012.
  • 9
    Galvão TF, Pansani TSA, Harrad D. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e Meta-análises: a recomendação PRISMA. Epidemiol Serv Saúde. 2015;24(2):335-42.
  • 10
    Clark PG, Blissmer BJ, Greene GW, Lees FD, Riebe DA, Stamm KE. Maintaining exercise and healthful eating in older adults: the SENIOR project II: study design and methodology. Contemp Clin Trials. 2011;32(1):129-39.
  • 11
    Long JA, Jahnle EC, Richardson DM, Loewenstein G, Volpp KG. Peer mentoring and financial incentives to improve glucose control in African American veterans: a randomized trial. Ann Intern Med. 2012;156(6):416-24.
  • 12
    Patja K, Absetz P, Auvinen A, Tokola K, Kytö J, Oksman E, et al. Health coaching by telephony to support self-care in chronic diseases: clinical outcomes from The TERVA randomized controlled trial. BMC Health Serv Res [Internet]. 2012 [acesso em 08 jul. 2018];12:1-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3502505/pdf/1472-6963-12-147.pdf
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3502505/pdf/1472-6963-12-147.pdf
  • 13
    Sahlen KG, Johansson H, Nyström L, Lindholm L. Health coaching to promote healthier lifestyle among older people at moderate risk for cardiovascular diseases, diabetes and depression: a study protocol for a randomized controlled trial in Sweden. BMC Public Health [Internet]. 2013 [acesso em 08 jul. 2018];13:1-9. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3599987/pdf/1471-2458-13-199.pdf
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3599987/pdf/1471-2458-13-199.pdf
  • 14
    van Nimwegen M, Speelman AD, Overeem S, van de Warrenburg BP, Smulders K, Dontje ML, et al. Promotion of physical activity and fitness in sedentary patients with Parkinson's disease: randomised controlled trial. BMJ [Internet]. 2013 [acesso em 08 jul. 2018];346:1-16. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3585777/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3585777
  • 15
    Veroff DR, Ochoa-Arvelo T, Venator B. A randomized study of telephonic care support in populations at risk for musculoskeletal preference-sensitive surgeries. BMC Med Inform Decis Mak [Internet]. 2013 [acesso em 08 jul. 2018];13:1-18. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3575312/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3575312
  • 16
    Tabak M, Brusse-Keizer M, van der Valk P, Hermens H, Vollenbroek-Hutten M. A telehealth program for self-management of COPD exacerbations and promotion of an active lifestyle: a pilot randomized controlled trial. Int J Chronic Obstruct Pulmon Dis. 2014;9:935-44.
  • 17
    Clare L, Nelis SM, Jones IR, Hindle JV, Thom JM, Nixon JA, et al. The Agewell trial: a pilot randomised controlled trial of a behaviour change intervention to promote healthy ageing and reduce risk of dementia in later life. BMC Psychiatry [Internet]. 2015 [acesso em 08 jul. 2018];15:1-28. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4337106/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4337106
  • 18
    Karhula T, Vuorinen AL, Rääpysjärvi K, Pakanen M, Itkonen P, Tepponen M, et al. Telemonitoring and Mobile Phone-Based Health Coaching Among Finnish Diabetic and Heart Disease Patients: randomized controlled trial. J Med Internet Res [Internet]. 2015 [acesso em 08 jul. 2018];17(6):e153 [20 p.]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4526947/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4526947
  • 19
    Pavel M, Jimison HB, Korhonen I, Gordon CM, Saranummi N. Behavioral Informatics and Computational Modeling in Support of Proactive Health Management and Care. IEEE Trans Biomed Eng. 2015;62(12):2763-75.
  • 20
    Tiedemann A, Paul S, Ramsay E, O'Rourke SD, Chamberlain K, Kirkham C, et al. What is the effect of a combined physical activity and fall prevention intervention enhanced with health coaching and pedometers on older adults' physical activity levels and mobility-related goals?: Study protocol for a randomised controlled trial. BMC Public Health [Internet]. 2015 [acesso em 08 jul. 2018];15:1-10. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4429838/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4429838
  • 21
    Young HJ, Erickson ML, Johnson KB, Johnson MA, McCully KK. A wellness program for individuals with disabilities: Using a student wellness coach approach. Disabil Health J. 2015;8(3):345-52
  • 22
    Thomson CA, Crane TE, Miller A, Garcia DO, Basen-Engquist K, Alberts DS. A randomized trial of diet and physical activity in women treated for stage II-IV ovarian cancer: Rationale and design of the Lifestyle Intervention for Ovarian Cancer Enhanced Survival (LIVES): An NRG Oncology/Gynecologic Oncology Group (GOG-225) Study. Contemp Clin Trials. 2016;49:181-9.
  • 23
    Tiedemann A, Rissel C, Howard K, Tong A, Merom D, Smith S, et al. Health coaching and pedometers to enhance physical activity and prevent falls in community-dwelling people aged 60 years and over: study protocol for the Coaching for Healthy AGEing (CHAnGE) cluster randomised controlled trial. BMJ Open [Internet]. 2016 [acesso em 09 jul. 2018];6(5):e012277 [14]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4874201/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4874201
  • 24
    Early F, Young JS, Robinshaw E, Mi EZ, Mi EZ, Fuld JP. A case series of an off-the-shelf online health resource with integrated nurse coaching to support self-management in COPD. Int J Chronic Obstr Pulmon Dis. 2017;12:2955-67.
  • 25
    Vanroy J, Seghers J, Bogaerts A, Devloo K, De Cock S, Boen F. Short- and long-term effects of a need-supportive physical activity intervention among patients with type 2 diabetes mellitus: A randomized controlled pilot trial. PLoS One [Internet]. 2017 [acesso em 09 jul. 2018];12(4):e0174805 [16p.]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5383224/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5383224
  • 26
    Rich P, Aarons GA, Takemoto M, Cardenas V, Crist K, Bolling K, et al. Implementation-effectiveness trial of an ecological intervention for physical activity in ethnically diverse low income senior centers. BMC Public Health [Internet]. 2017 [acesso em 8 jul. 2018];18(1):29. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5516364/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5516364
  • 27
    Zimmerman RK, Brown AE, Pavlik VN, Moehling KK, Raviotta JM, Lin CJ, et al. Using the 4 Pillars Practice Transformation Program to Increase Pneumococcal Immunizations for Older Adults: a Cluster-Randomized Trial. J Am Geriatr Soc. 2017;65(1):114-22.
  • 28
    Grant AM. Towards a psychology of coaching: The impact of coaching on metacognition, mental health and goal attainment [Doctoral thesis]. Australia: Macquarie University, Departament of Psychology; 2001.
  • 29
    Oliveira-Silva LC, Werneck-Leite CDS, Carvalho PSF, Anjos AC, Brandão HIM. Desvendando o Coaching: uma Revisão sob a Ótica da Psicologia. Psicol Ciênc Prof. 2018;38(2):363-77.
  • 30
    Cox E, Bachkirova T, Clutterbuck D. The complete handbook of coaching. London: Sage; 2014.
  • 31
    Wolever RQ. Health & Wellness Coaching: evidence, challenges and opportunities. London: Vanderbilt University Medical Center; 2016.
  • 32
    Richard AA, Shea K. Delineation of self-care and associated concepts. J Nurs Scholarsh. 2011;43(3):255-64.
  • 33
    Jordan JE, Briggs AM, Brand CA, Osborne RH. Enhancing patient engagement in chronic disease self-management support initiatives in Australia: the need for an integrated approach. Med J Aust. 2008;189(10 Suppl):9-13.
  • 34
    Mendes FP, Garin NC, Timm EZ, Ribeiro J L. Aplicação da metodologia coaching para o tratamento da obesidade: uma visão multidisciplinar. Ciênc Mov. 2017;19(39):61-9.
  • 35
    Magalhães T, Neves L, Poínhos R. A metodologia de coaching aplicada às ciências da nutrição: usos, potencialidades e controvérsias em Portugal. Acta Port Nut. 2018;12:26-31.
  • 36
    Meya-Molina A, Giménez-Sánchez J. Coaching nutricional como herramienta para la adquisición de hábitos alimentarios preventivos del cáncer. Rev Esp Nutr Hum Diet. 2014;18(1):35-44.
  • 37
    Ory MD, Cox DM. Forging ahead: Linking health and behavior to improve quality of life in older people. In: Romney DM, Brown RI, Fry PS, editors. Improving the Quality of Life. Dordrecht: Springer Publishing Company; 1994.
  • 38
    Huffman M. Health coaching: a new and exciting technique to enhance patient self-management and improve outcomes. Home Healthc Nurse. 2007;25(4):271-4.

  • Financiamento da pesquisa:

    Não houve financiamento na execução deste trabalho.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    04 Nov 2019
  • Data do Fascículo
    2019

Histórico

  • Recebido
    29 Mar 2019
  • Aceito
    09 Set 2019
Universidade do Estado do Rio Janeiro Rua São Francisco Xavier, 524 - Bloco F, 20559-900 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel.: (55 21) 2334-0168 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revistabgg@gmail.com