Estudo comparativo do conhecimento e prática de atividade física de idosos diabéticos tipo 2 e não diabéticos

Comparative study of knowledge and practice of physical activity for elderly diabetics type 2 and non diabetics

Kristiane Mesquita Barros Franchia Luciana Zaranza Monteiro Alexandre Igor Araripe Medeiros Samuel Brito de Almeida Mônica Helena Neves Pereira Pinheiro Renan Magalhães Montenegro Renan Magalhães Montenegro JúniorSobre os autores

Resumo

Objetivo:

caracterizar o conhecimento e a prática de atividades físicas em idosos diabéticos tipo 2, assistidos em um ambulatório de referência da cidade de Fortaleza, comparando-os com idosos não-diabéticos.

Métodos :

O estudo, do tipo transversal, envolveu 44 idosos com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) e 44 sem DM2, avaliados por meio de um questionário sobre prática, recomendações, orientações e conhecimentos de atividades físicas. Os dados foram analisados por meio do teste Qui-quadrado. O nível de significância foi de p<0,05.

Resultados:

Em relação à prática e a freqüência semanal de alguma atividade física, verificou-se que aproximadamente metade dos participantes dos dois grupos não praticava nenhuma atividade física. Dentre as recomendações recebidas de profissionais da saúde sobre a prática de atividades físicas, 84,1% (N=37) dos idosos diabéticos responderam que as tinham recebido, enquanto que entre os idosos não-diabéticos apenas 58,7% (N=27) afirmaram que essas recomendações foram dadas. As orientações verbais predominaram em ambos os grupos. Em relação à opinião dos indivíduos a respeito dos benefícios da atividade física para os portadores de diabetes, a maioria dos idosos DM2 afirmou que a atividade física pode beneficiá-los.

Conclusão:

Os idosos DM2 mostraram melhor conhecimento e prática regular de atividade física do que os idosos não-diabéticos. É necessária a elaboração de ações em que o idoso adquira conhecimentos para a descoberta de seus limites físicos e motores.

Palavras-chave:
Idoso; Atividade Motora; Diabetes Mellitus Tipo 2; Estudo Comparativo; Epidemiologia Descritiva; Estudos Transversais; Análise Quantitativa; Fortaleza, CE

Abstract

Objective :

Methods:

The cross-sectional study comprised 44 elderly people with type 2 Diabetes Mellitus (DM2) and 44 without DM2, who were interviewed through a questionnaire regarding practice, recommendations, guidance and knowledge of physical activities. Data were analyzed using Chi-Squared test. The level of significance was p<0.05.

Results :

Regarding the practice and weekly frequency of a physical activity, it was verified that approximately half of participants in both groups did not practice any physical activity. Concerning the recommendation received from health professionals on physical activity, 84.1% (N=37) of dibetic elderly replied that they had received this advice, whereas only 58.7% (N=27) of the non-diabetic ones said they had been given these recommendations. Verbal advice predominated in both groups. As to the opinion of the individuals regarding the benefits of physical activity for diabetics, most of the DM2 elderly stated that physical activity could be beneficial.

Conclusion :

The DM2 elderly had better knowledge and practice of regular physical activity than non-diabetic elderly. Actions need to be elaborated for the elderly to acquire knowledge to discover their physical and motor limits.

Key words:
Aged.; Motor Activity; Diabetes Mellitus Type 2; Comparative Study; Epidemiology. Descriptive; Cross-Sectional Studies; Quantitative Analysis; Fortaleza City, CE

Texto completo disponível apenas em PDF. Full text available only in PDF format.

REFERÊNCIAS

  • 1
    Almeida DT, Leitão GCM, Silva LF. Qualidade de vida e percepção do envelhecimento sob a ótica do idoso. Revista do Centro de Ciências da Saúde Unifor 2000; 12 (12): 27-33.
  • 2
    World Health Organization - WHO. Noncommunicable Disease Prevention and Health Promotion. Physical Activity for various population groups - Ageing Population. [ acesso em:2004 fev. 26] Disponível em: URL: http://www.who.int/inf-fs/en/fact135.html
    » http://www.who.int/inf-fs/en/fact135.html
  • 3
    Torquato MTCG, Montenegro Jr. RM, Foss MC. Diabetes Mellitus: epidemiologia, conceito, classificação, diagnóstico, tratamento e complicações. Anais do Curso de Atualização em Diabetes para Profissionais de Saúde; 1999; Ribeirão Preto, SP. Ribeirão Preto; 1999. p.4-41.
  • 4
    Candeias NMF. Conceitos de educação e de promoção em saúde: mudanças individuais e mudanças organizacionais. Rev Saúde Pública 1997; 31(2): 209-13.
  • 5
    Steiner G, Lawrence PA. Educando o paciente diabético. São Paulo: Andrei; 1992.
  • 6
    American Diabetes Association. Atividade física / exercícios e diabetes. Diabetes Care 2004; 3: 127-31.
  • 7
    Sociedade Brasileira de Diabetes. Tratamento e acompanhamento do Diabetes Mellitus. Rio de Janeiro: Diagraphic; 2007. p.168.
  • 8
    American Diabetes Association. Clinical practice recommendations. report of the expert committee on the diagnosis and classification of Diabetes Mellitus. Diabetes Care 2003; 26 (suppl. 1): S5-20.
  • 9
    Sacks DB, et al. Guidelines and recommendations for laboratory analysis in the diagnosis and management of Diabetes Mellitus. Clin Chem 2002; 48: 436-72.
  • 10
    GraphPad Instat versão 3.0 para Windows 95, Copyright 1999. GraphPad Software Inc, San Diego California USA. Disponível em: URL: http:// www.graphpad.com
    » http:// www.graphpad.com
  • 11
    Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Normas de pesquisa envolvendo seres humanos. Res. CNS 196/96. Bioética, 1996; 4 (Suppl):15-25.
  • 12
    Coelho Filho JM, Ramos LR. Epidemiologia do envelhecimento no Nordeste do Brasil: resultados de inquérito domiciliar. Rev Saúde Pública 1999; 33 (5): 445-53.
  • 13
    American College of Sports Medicine. Position stand on exercise and physical activity for older adults. Med Sci Sports Exerc 1998; 30: 992-1008.
  • 14
    Freire Junior RC, Tavares MFL. A promoção de Saúde nas instituições de longa permanência: uma reflexão sobre o processo de envelhecimento no Brasil. Revista brasileira de geriatria e gerontologia 2006; 9 (1): 83-92.
  • 15
    Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2004). Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio no Brasil (PNAD) [acesso 2006 jul 20]. Disponível em URL: http://www.ibge.gov.br
    » http://www.ibge.gov.br
  • 16
    Chaimowicz F. A saúde dos idosos brasileiros às vésperas do século XXI: problemas, projeções e alternativas. Rev Saúde Pública 1997; 31 (1): 184-202.
  • 17
    Okuma SS. O idoso e a atividade física. 1. ed. Campinas: Papirus; 1998.
  • 18
    Mota J. Envelhecimento e exercício - atividade física e qualidade de vida na população idosa. In: Barbanti VJ, et al. Esporte e atividade física: interação entre rendimento e saúde. 1.ed. São Paulo: Manole; 2002.
  • 19
    Guimarães FPM, Takayanagui AMM. Orientações recebidas do serviço de saúde por pacientes para o tratamento do portador de Diabetes Mellitus tipo 2. Rev Nutr , 2002; 15 (1): 37-44.
  • 20
    Pollock ML. Exercise prescriptions for the elderly. American Academy of Physical Education papers 1989; 22: 163-74.
  • 21
    Guimarães RM. Os compromissos da Geriatria. In: Guimarães RM; Cunha UG. Sinais e sintomas em Geriatria. São Paulo: Atheneu; 2004.
  • 22
    Winett RA , Carpinelli RN. Potential Health - related benefits of resistance training. Prev Med 2001; 33: 503-13.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    Sep-Dec 2008

Histórico

  • Recebido
    12 Fev 2008
  • Revisado
    28 Maio 2008
  • Aceito
    30 Jul 2008
Universidade do Estado do Rio Janeiro Rua São Francisco Xavier, 524 - Bloco F, 20559-900 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel.: (55 21) 2334-0168 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revistabgg@gmail.com