Brazilian Journal of Psychiatry, Volume: 25 Supplement 2, Published: 2003
  • Apresentação

    Mello, Luiz Eugênio A M
  • Comunicação simbólica em primatas não-humanos: uma análise baseada na semiótica de C. S. Peirce

    Queiroz, João

    Abstract in Portuguese:

    Existem (ou existiram) outras espécies de criaturas simbólicas? Essa questão tem sido abordada por pesquisadores de diversas áreas e é responsável por uma histórica controvérsia sobre a existência de um limiar entre "criaturas simbólicas" vs "criaturas capazes de produzir formas simples de linguagem". Conforme o mainstream em Etologia e Psicologia Comparada apenas o Homo sapiens está cognitivamente equipado para produzir e interpretar símbolos. Vou introduzir um modelo empiricamente testável de semiose simbólica ("ação simbólica do signo"), baseada na teoria das categorias lógico-fenomenológicas de C.S.Peirce. Vou sugerir que um padrão específico de comportamento do usuário do signo, observado na comunicação de primatas não-humanos, indica a transição de uma semiose indexical para uma simbólica.

    Abstract in English:

    Are (or were) there any other symbolic species? This question has been addressed by researchers from many different fields and is responsible for a historical controversy on the existence of a threshold between "symbolic creatures" vs "simple forms of language creatures". According to the mainstream ethology and comparative psychology only the Homo sapiens is cognitively equiped to produce and interpret symbols. Here, I introduce an empirically testable model of symbolic semiosis ("symbolic action of sign") supported by C.S.Peirce logical-phenomenological theory of categories. I suggest that a specific sign-user pattern of behavior, observed in non-human primate communication, indicate a transition from indexical to symbolic semiosis.
  • Ilusões: o olho mágico da percepção

    Baldo, Marcus Vinícius C; Haddad, Hamilton

    Abstract in Portuguese:

    A percepção é a construção ativa de um estado neural que se correlaciona a elementos biologicamente relevantes do ambiente. Esta correlação, longe de estabelecer uma representação fiel do mundo, guia nossas ações na elaboração de comportamentos adaptativos, sendo, portanto, condicionada por fatores evolutivos. Já que a construção de um percepto é um processo intrinsecamente ambíguo, discrepâncias perceptivas podem surgir a partir de condições idênticas de estimulação. Essas discrepâncias são denominadas ilusões, e se originam dos mesmos mecanismos fisiológicos que produzem a nossa percepção cotidiana. Derivando de diferentes fatores, tais como ópticos, sensoriais e cognitivos, as ilusões visuais são instrumentos úteis na exploração das bases fisiológicas da percepção e de sua interação com o planejamento e execução de ações motoras. Aqui, examinamos as origens biológicas das ilusões visuais e algumas de suas relações com aspectos neurobiológicos, filosóficos e estéticos.

    Abstract in English:

    Perception is the active construction of a neural state that correlates with biologically relevant elements present in the environment. This correlation, far from affording a one-to-one mapping, nonetheless guides our actions towards adaptive behaviors, thus being forged under evolutionary constraints. Since the construction of a percept is an intrinsically ambiguous process, perceptual discrepancies can arise from identical stimulation patterns. The recognition of these discrepancies is termed illusion, which originates, however, from the same physiological mechanisms that ordinarily lead to standard perception. Emanating from different sources, such as optical, sensory and cognitive factors, visual illusions are useful tools in accessing the physiological basis of perceptual processes and their interaction with motor planning and execution. Here we examine the biological roots of visual illusions and their interplay with some neurobiological, philosophical and esthetical issues.
  • A construção da atenção a partir da memória

    Helene, André Frazão; Xavier, Gilberto Fernando

    Abstract in Portuguese:

    Os processos que levam à seleção de certas categorias de informação para processamento preferencial, que caracterizam a atenção, dependem não apenas da história prévia do sistema selecionador, isto é, suas memórias, como também de expectativas geradas com base em memórias sobre regularidades passadas e planos de ação. Defende-se neste trabalho que a associação conceitual envolvendo memória e atenção é vantajosa pois permite oferecer explicações parcimoniosas sobre diversos fenômeros revelados em estudos sobre atenção, além de gerar previsões testáveis sobre os efeitos da experiência prévia no desempenho em testes de atenção. Apresenta-se aqui um modelo sobre a influência de memórias (representadas por vias facilitadas no sistema nervoso) na atividade da rede nervosa e nos processos atencionais durante o desempenho de determinados tipos de tarefas.

    Abstract in English:

    The processes that lead to the selection of information for additional processing, which characterizes attention, depend upon previous experiences and expectancies generated in the light of stored past experiences regularities and plans for action. It is proposed that conceptual association between memory and attention brings advantages for explaining a diversity of attentional phenomena and allow to generate testable predictions relating past experiences and performance in tests for attention. A model is presented relating the trained neural network (memories) and attention during performance of behavioral tasks.
  • Análise crítica dos sistemas neurais envolvidos nas respostas de medo inato

    Canteras, Newton Sabino

    Abstract in Portuguese:

    O nosso entendimento das bases neurofisiológicas da reação emocional do medo baseia-se em grande parte nos estudos que envolvem respostas condicionadas a estímulos fisicamente aversivos, como, por exemplo, o choque elétrico nas patas. Enquanto este paradigma parece ser útil para avaliarmos os sistemas neurais envolvidos na resposta do, assim chamado, medo condicionado (que tipicamente tem se limitado à observação da resposta de congelamento), este paradigma parece ter sérias limitações para investigarmos as bases neurais das respostas de medo em circunstancias naturais. Trabalhos recentes utilizando técnicas de lesões neurais bem como de mapeamento funcional em animais expostos a predadores naturais, ou somente ao odor destes predadores, revelam uma série de estruturas neurais como responsáveis pelas respostas de medo inato, bastante distintas daquelas previamente implicadas nas respostas de condicionamento aversivo. Como revisto no presente trabalho, entre estas estruturas temos distritos diferenciados da zona medial do hipotálamo; setores específicos da amídala e do sistema septo-hipocampal, envolvidos, respectivamente no processamento de pistas relacionadas à presença do predador e na análise contextual do ambiente; e setores da matéria cinzenta periaquedutal, já classicamente envolvidos na expressão de respostas de defesa. Estas informações podem ser potencialmente importantes para a análise e terapêutica de psicopatologias relacionadas aos distúrbios da reação emocional de medo.

    Abstract in English:

    Unconditioned emotional responses elicited by exposure to a predator have served as the prototypical exemplar for analyses of the behavioral biology of fear-related emotionality. However, the primary research model for the study of fear has involved shock-based cue and context conditioning. While these shock-based models have provided a good understanding of neural systems regulating specific conditioned fear-related behaviors (typically freezing), it is not known if the neural systems underlying an array of defensive responses to innate, unconditioned, painless threat stimuli, and conditioning to these stimuli, are the same as those involved in foot shock and its conditioning sequellae. Recent work involving lesions and c-Fos activation in conjunction with predator or predator odor exposure suggest specific neural systems for response to these, potentially different from the systems outlined in Pavlovian fear conditioning studies. As outlined in the present review, these systems include the medial hypothalamic defensive circuit; specific amygdalar and septo-hippocampal territories, involved in processing, respectively, cues related to the predator presence and environmental contextual analysis; and the periaqueductal gray, known to be critically involved in the expression of predator-induced responses. This information may be potentially important in analysis of defense-related psychopathologies and in the design of therapeutic interventions for them.
  • Representações gustativas no córtex humano, e o controle central do apetite

    Araújo, Ivan E de

    Abstract in Portuguese:

    Tem sido estabelecido que o controle da ingestão de nutrientes e o decorrente estado de equilíbrio homeostático dependem de uma série de sinais periféricos que atuam diretamente sobre o sistema nervoso central, levando a respostas adaptativas apropriadas. Entretanto, em humanos, a crescente incidência de patologias produzidas em grande medida por distúrbios da preferência alimentar, tais como obesidade e anorexia, implica no envolvimento do córtex no controle da ingestão de alimentos. Estudos recentes fazendo uso da neuroimagem funcional em voluntários humanos revelam que o processamento central da informação gustativa é implementado em humanos em áreas análogas a de outros primatas. As áreas corticais gustativas primárias, localizadas no complexo ínsulo-opercular, respondem eficientemente durante a decodificação de estímulos externos através do isolamento dos sinais que codificam o estado fisiológico do organismo. As áreas específicas do córtex pré-frontal em sua parte ventro-média parecem, por sua vez, integrar informações acerca dos aspectos sensoriais dos estímulos com os sinais de origem periférica que refletem o estado homeoestático do organismo.

    Abstract in English:

    The control of food intake and the mechanisms of energy homeostasis are now known to depend on a series of peripheral signals that act directly on the central nervous system leading to appropriate adaptive responses. However, in humans, the increasing occurrence of associated pathologies due to abnormal food-intake preferences such as obesity and anorexia implies that food intake control depend also on cortical processing. Recent functional neuroimaging studies on human volunteers reveal that the central processing of gustatory information in humans is performed in similar areas to those of other primates, with primary gustatory cortical areas in the frontal operculum/anterior insula complex responding efficiently to stimulus decoding by isolating peripheral signals on internal physiological states whereas regions of the ventromedial prefrontal cortex seem to integrate information on the sensory aspects of taste stimuli with the abovementioned peripheral signals on the current homeostatic state of the organism.
  • Estímulos emocionais: processamento sensorial e respostas motoras

    Volchan, Eliane; Pereira, Mirtes G; Oliveira, Letícia de; Vargas, Cláudia; Mourão-Miranda, Janaína; Azevedo, Tatiana Maia de; Machado-Pinheiro, Walter; Pessoa, Luiz

    Abstract in Portuguese:

    A emoção pode ser funcionalmente considerada como uma disposição à ação que prepara o organismo para comportamentos relacionados à aproximação e esquiva. Para preparar uma saída motora apropriada, o organismo tem que ser eficiente na codificação de estímulos relevantes. Neste trabalho, apresentamos evidências a partir de estudos de neuroimagem que revelam que a visualização de imagens emocionais promove uma maior ativação do córtex visual do que a observação de figuras neutras. Além desta facilitação do processamento sensorial, os estímulos emocionais desencadeiam reações somáticas e vegetativas. Registros da dinâmica postural e da freqüência cardíaca enquanto voluntários assistiam a um bloco de figuras desagradáveis revelou uma redução significativa na oscilação corporal e bradicardia. Uma investigação paralela mostrou que o tempo de reação também lentifica após a visualização de figuras negativas. Este conjunto de respostas - imobilidade, bradicardia e tempo de reação mais lento - pode refletir o engajamento do sistema defensivo, similar às reações defensivas desencadeadas em ambiente natural por estímulos ameaçadores distantes. Em resumo, o sistema afetivo influencia um nível precoce de codificação sensorial e a saída motora favorecendo, portanto, disposições para as ações apropriadas.

    Abstract in English:

    Emotion can be functionally considered as action dispositions preparing the organism for either avoidance- or approach- related behaviors. In order to prepare an appropriate behavioral output, the organism has to be efficient in the encoding of relevant stimuli. We herein present evidence from neuroimaging studies that seeing emotional and arousing pictures leads to greater activation in visual cortex than seeing neutral ones. In addition to this facilitation of sensory processing, emotional stimuli prompt somatic and vegetative reactions. Recordings of postural oscillations and heart rate while participants visualized a block of unpleasant pictures, revealed a significant reduction of body sway and bradycardia. A parallel investigation showed that reaction time also slows down after the visualization of negative pictures. Taken together, immobility, bradycardia and slower reaction time in the laboratory experimental set may reflect the engagement of the defensive system, resembling the defensive reactions to distant threatening stimuli in natural contexts. In summary, the affective system operates at an early level of sensory encoding and at the motor output favoring dispositions for appropriate actions.
  • Efeito da estratégia de simulação mental sobre o controle postural

    Rodrigues, Erika Carvalho; Imbiriba, Luís Aureliano; Leite, Gabriela Rego; Magalhães, José; Volchan, Eliane; Vargas, Cláudia D

    Abstract in Portuguese:

    A construção e manipulação espacial de imagens corporais têm origem basicamente visual e somato-motora. No entanto, a contribuição relativa de cada modalidade sensorial nos processos de simulação mental pode variar. Sirigu e Duhamel (2001) propuseram que a estratégia utilizada durante a simulação mental de movimentos produziria a ativação de circuitos neurais distintos. Neste estudo, investigamos o efeito da estratégia adotada na simulação mental de uma tarefa motora que envolve ajustes posturais utilizando as técnicas de cronometria mental e de estabilometria. Os voluntários, posicionados sobre uma plataforma de força vertical com os pés unidos e os olhos fechados, foram solicitados a realizar as seguintes tarefas: a) manter a postura ereta normal durante 20 segundos; b) contar mentalmente de um a 15; c) imaginar-se realizando o movimento de flexão plantar bilateral 15 vezes e d) executar o mesmo movimento por 15 vezes. Ao final do teste, relataram qual a estratégia utilizada para a realização da simulação mental. Com base no relato verbal foram então distinguidos em dois grupos: visuais e somato-motores. A análise da cronometria mental mostrou que o tempo utilizado para simular mentalmente os movimentos de flexão plantar não foi diferente daquele gasto durante a sua execução. Diferiu, porém, da condição contar para ambos os grupos. Para a análise estabilométrica, calculou-se um índice de simulação mental (ISM). Dos valores obtidos durante o imaginar, foram subtraídos os valores da condição contar, dividindo-se então a resultante pela soma dos dois. O grupo somato-motor apresentou índices positivos e significativamente diferentes do grupo visual para a área elíptica de deslocamento e amplitude de deslocamento no eixo ântero-posterior (y). Esses dados indicam um menor bloqueio da saída motora durante o imaginar de um movimento que envolve ajustes posturais no primeiro grupo. Essa diferença sugere que circuitos corticais e sub-corticais distintos serão ativados em função da estratégia adotada para simular mentalmente o movimento.

    Abstract in English:

    Recent studies have proposed that the mental rotation of body parts can be accomplished by calling upon visual and somatomotor resources which, at a functional level, would correspond to different routes toward a single solution [1]. In this study, we investigated the effect of somato-motor and visual strategies upon the mental simulation of a task that involved postural adjustments. Subjects were asked to stand up on a vertical force platform and instructed either to 1) rest during 20 s (ST), 2) count mentally from 1 to 15 (CO), 3) imagine themselves executing a bilateral plantar flexion 15 times (IM), and 4) execute the same movement 15 times (EX). They were further classified as visual or somato-motor dominant, according to the strategy reported as adopted to perform IM. Mental chronometry showed that mean time spent in IM matched that of EX, differing from CO for both groups. Index of stabilometric modulation during IM was computed by reference to CO. Higher index values for area and amplitude of displacement in the antero posterior (y) axis were found for the somato-motor as compared to the visual group. The stabilometric departure found for visual and somato-motor dominant subjects suggests that each imagery mode activates a distinct subset of cortical and subcortical brain networks.
  • Organização neural de diferentes tipos de medo e suas implicações na ansiedade

    Brandão, Marcus Lira; Vianna, Daniel Machado; Masson, Sueli; Santos, Júlia

    Abstract in Portuguese:

    A natureza das respostas de medo em animais expostos a situações ameaçadoras depende da intensidade e da distância do estímulo aversivo. Esses estímulos podem ser potencialmente perigosos, distais ou proximais ao animal. Esforços têm sido feitos no sentido de identificar os circuitos neurais recrutados na organização das reações defensivas a estas condições aversivas. Neste artigo, sumarizamos evidências que associam os sistemas cerebrais de defesa ao conceito de medo-stress-ansiedade. Respostas de orientação ao estímulo de perigo, à esquiva e à preparação para o enfrentamento do perigo parecem estar associados à ansiedade. O giro do cíngulo e o córtex pré-frontal de um lado; o núcleo mediano da rafe, septo e o hipocampo de outro fazem parte dos circuitos cerebrais que integram essas respostas emocionais. No outro extremo, estímulos de medo que induzem formas ativas de defesa, mas pouco elaboradas, determinam estados emocionais de natureza diferente e parecem associadas a manifestações elementares de medo. A substância cinzenta periaquedutal dorsal constitui o principal substrato neural para a integração desses estados aversivos no cérebro. Comportamentos defensivos desse tipo são produzidos pela estimulação elétrica e química desta estrutura. À medida que os estímulos ameaçadores, potenciais e distais dão lugar a estímulos de perigo muito intensos ou são substituídos por estímulos proximais de medo, ocorre uma comutação (switch) dos circuitos neurais usualmente responsáveis pela produção de respostas condicionadas de medo para reações defensivas com baixo nível de regulação e organização que se assemelham aos ataques de pânico. Portanto, dependendo da natureza do evento estressor ou do estímulo incondicionado, o padrão de respostas defensivas orientadas e organizadas cede lugar a respostas motoras incoordenadas e incompletas. A amígdala e o hipotálamo medial podem funcionar como uma espécie de interface comutando os estímulos para os substratos neurais apropriados para elaboração das respostas defensivas condicionadas ou incondicionadas.

    Abstract in English:

    The dangerous stimuli may be potentially dangerous, distal or proximal and the recognition by the animals of each one of these conditions is determinant for the nature of the fear responses. In the present article a parallel with this particular process is drawn taking into account that different fear responses are generated by light, tones and contexts used as conditioned stimuli and by unconditioned stimulation of the dorsal periaqueductal gray (dPAG). In this review we summarize the efforts that have been made to characterize the neural circuits recruited in the organization of defensive reactions to the conditioned and unconditioned aversive stimulations, particularly evidence linking the brain's defense response systems to the concept of fear-stress-anxiety. The dPAG constitute the main neural substrates for the integration of aversive states in response to proximal aversive stimuli. In fact, panic-like behaviors often result when this structure is electrically or chemically stimulated. On the other hand, successful preparatory processes of danger-orientation and preparedness to flee seem to be linked to anxiety. The pre-frontal and cingulate cortex, median raphe nucleus, septum and hippocampus seem to be implicated in the elaboration and organization of these responses. As a working hypothesis, it is advanced that increasing the intensity and proximity of the danger may lead to an emotional shift. When the animals are submitted to this gradual increase in aversiveness there is a switch from the neural circuits responsible for the production of the orientated and organized motor patterns of appropriate defensive response to a conditioned stimulus towards the incomplete and uncoordinated defense responses related to panic attacks. The circuits in the amygdala and the medial hypothalamus responsible for the organization of the defense reaction may well subserve to this switch process.
  • Serotonina, matéria cinzenta periaquedutal e transtorno do pânico

    Graeff, Frederico G

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo é uma revisão de evidências experimentais e construtos teóricos que implicam a modulação do comportamento de defesa pela serotonina (5-HT), atuando na matéria cinzenta periaquedutal do mesencéfalo (MCP) no transtorno do pânico. Resultados obtidos com testes de conflito em animais de laboratório indicam que a 5-HT aumenta a ansiedade, enquanto que a estimulação aversiva da MCP aponta para um papel ansiolítico. Para resolver esta contradição, sugeriu-se que os estados emocionais determinados pelos dois paradigmas são diferentes. Testes de conflito gerariam ansiedade antecipatória, enquanto que a estimulação da MCP produziria medo de perigo iminente. Clinicamente, o primeiro estado estaria relacionado com o transtorno de ansiedade generalizada e o segundo, com o transtorno do pânico. Assim sendo, supõe-se que a 5-HT facilita a ansiedade, porém inibe o pânico. Esta hipótese tem sido testada por meio de um modelo animal de ansiedade e pânico, denominado labirinto em T-elevado, e de dois procedimentos experimentais que geram ansiedade, aplicados tanto em voluntários sadios como em pacientes de pânico. Em geral, os resultados obtidos até agora mostram que drogas que aumentam a ação da 5-HT elevam diferentes índices de ansiedade, enquanto reduzem índices de pânico. Portanto, as predições baseadas na hipótese em questão têm se cumprido. As principais implicações clínicas são as de que um déficit de 5-HT na MCP possa participar da fisiopatogenia do transtorno de pânico e que a intensificação da 5-HT na mesma região medeie a ação antipânico dos medicamentos antidepressivos.

    Abstract in English:

    This article reviews experimental evidence and theoretical constructs that implicate serotonin (5-HT) modulation of defensive behavior within the midbrain periaqueductal gray matter(PAG) in panic disorder. Results obtained with conflict tests in experimental animals indicate that 5-HT enhances anxiety, whereas results with aversive stimulation of the dorsal PAG point to an anxiolytic role of 5-HT. To solve this contradiction, it has been suggested that the emotional states determined by the two paradigms are different. Conflict tests would generate anticipatory anxiety, whereas PAG stimulation would produce fear as evoked by proximal threat. Clinically, the former would be related to generalized anxiety while the latter to panic disorder. Thus, 5-HT is supposed to facilitate anxiety, but to inhibit panic. This hypothesis has been tested in the animal model of anxiety and panic named the elevated T-maze and in two procedures of human experimental anxiety applied to healthy volunteers or panic patients. Overall, the obtained results have shown that drugs that enhance 5-HT action increase different indexes of anxiety, but decrease indexes of panic. Drugs that impair 5-HT action had the opposite effects. Thus, so far the predictions derived from the above hypothesis have been fulfilled. The main clinical implications are that a 5-HT deficit in the PAG may participate in the pathophysiology of panic disorder and that an enhancement of 5-HT in the same region mediates the anti-panic action of antidepressant drugs.
  • Estresse, depressão e hipocampo

    Joca, Sâmia Regiane L; Padovan, Cláudia Maria; Guimarães, Francisco Silveira

    Abstract in Portuguese:

    A exposição a fatores estressantes tem papel importante no desenvolvimento de transtornos depressivos. Os mecanismos envolvidos nesta relação, no entanto, ainda são pouco conhecidos, mas algumas evidências sugerem a participação da formação hipocampal: 1. o estresse pode causar alterações plásticas no hipocampo, que incluem remodelação dendrítica e inibição de neurogênese. Drogas antidepressivas impendem estes efeitos, possivelmente por aumentarem a expressão de fatores neurotróficos; 2. a facilitação da neurotransmissão serotoninérgica no hipocampo atenua conseqüências comportamentais do estresse e produz efeitos antidepressivos em modelos animais; 3. o antagonismo do principal neurotransmissor excitatório no hipocampo, o glutamato, produz efeitos semelhantes; 4. o hipocampo parece estar "hiperativo" em animais mais sensíveis em modelos de depressão e em humanos resistentes à antidepressivos; 5. o hipocampo, em conjunto com o complexo amigdalar, parece ter papel fundamental na consolidação e evocação de memórias aversivas. Não obstante estas evidências, o desafio futuro será o de tentar integrar os resultados destes diferentes campos (farmacológico, molecular, eletrofisiológico, clínico) em uma teoria unificadora sobre o papel do hipocampo na regulação do humor e seus transtornos bem como nos efeitos de tratamentos antidepressivos.

    Abstract in English:

    Stress exposure is an important factor in the development of depressive disorders. Although the mechanisms of this relationship are largely unknown, several pieces of evidence point to an involvement of the hippocampal formation: 1. stressful stimuli cause remodeling of hipocampal pyramidal cells and inhibit neurogenesis in the dentate gyrus. Antidepressive drugs attenuate these effects, probably by increasing the expression of neurotrophic factors; 2. facilitation of serotonergic neurotransmission in the hippocampus attenuates behavioral consequences of stress and produce antidepressive-like effects in several animal models; 3. antagonism of glutamate, the main excitatory neurotransmitter of the hippocampus, also induce antidepressive-like effects; 4. increased hippocampal activity has been described in genetically selected rats that are more sensitive to depression models. Similar result was found in depressive patients that fail to respond to antidepressant drugs; 5. together with the amygdala, the hippocampus plays a key role on consolidation and evocation of aversive memories. The challenge for the future will be to integrate the results from these different fields (clinical, electrophysiological, pharmacological and molecular) in an unifying theory about the role of the hippocampus on mood regulation, depressive disorder and antidepressant effects.
  • Transmissão pelo glutamato como alvo molecular na ansiedade

    Carobrez, Antonio de Pádua

    Abstract in Portuguese:

    O glutamato (GLU) é o principal neurotransmissor excitatório do cérebro de mamíferos. Os receptores do GLU são classificados em ionotrópicos ou metabotrópicos. A interferência do GLU no desenvolvimento neural, na plasticidade sináptica, no aprendizado e na memória, na epilepsia, na isquemia neural, na tolerância e na dependência a drogas, na dor neuropática, na ansiedade e na depressão tem limitado o uso de compostos que agem nos receptores de GLU, quando existe a necessidade de ações mais seletivas dessas drogas. Dados pré-clínicos em roedores e humanos têm mostrado que compostos que reduzem a ativação do GLU, pelo bloqueio dos seus receptores ou através da redução da sua liberação dos terminais, produzem um perfil ansiolítico em modelos de ansiedade. A aplicação desses compostos em áreas específicas do cérebro, envolvidas na mediação do comportamento defensivo, tal como a substância cinzenta periaquedutal dorsal, também reproduzem o mesmo perfil ansiolítico de ação. O conhecimento crescente acerca da neurotransmissão pelo GLU e o desenvolvimento de compostos mais seletivos atuantes nesta neurotransmissão, renovaram a atenção para esse sistema neurotransmissor como alvo molecular possível para uma nova classe de drogas no tratamento de condições neuropsiquiátricas. Embora incompleta, esta revisão tenta atrair a atenção para a importância de estudos colaborativos entre clínicos e pesquisadores de ciências básicas na geração de idéias para alvos potenciais no desenvolvimento de novos compostos ansiolíticos. e desta maneira contribuir para a compreensão das bases biológicas da ansiedade.

    Abstract in English:

    Glutamate (GLU) is the main excitatory neurotransmitter in the mammalian brain. GLU receptors are classified as ionotropic (iGLUR) or metabotropic (mGLUR). The GLU interference with neural development, synaptic plasticity, learning and memory, epilepsy, neural ischemia, drug addiction, tolerance, neuropathic pain, anxiety and depression, has limited the use of compounds acting on GLU synapses, when there is a need for a selective effect for these drugs. Pre-clinical data in rodents and humans subjects has shown that compounds that reduce GLU activation either by blocking its receptors or by reducing its release from terminals elicit an anxiolytic profile of action in models of anxiety. When applied to specific brain areas involved in the mediation of defensive behavior, such as the periaqueductal gray matter, these compounds also replicate the same anxiolytic-like profile. The increasing knowledge about GLU neurotransmission and the development of more selective GLU-acting compounds have renewed attention towards this neurotransmismiting system as a possible target for new classes of drugs for the treatment of neuropsychiatric conditions. Although not complete this review tried to draw attention to collaborative studies between clinicians and basic researchers that have provided insight for potential targets in the development of new anxiolytic compounds thus contributing for the understanding of the biological basis of anxiety.
  • Sonho, memória e o reencontro de Freud com o cérebro

    Ribeiro, Sidarta

    Abstract in Portuguese:

    Para que serve sonhar? A vasta contribuição sobre a função dos sonhos dada por Freud e Jung foi em grande parte ignorada pela ciência, pela falta de um método quantitativo e de hipóteses testáveis. Não obstante, vários resultados experimentais corroboram dois importantes "insights" psicanalíticos: 1) que os sonhos freqüentemente contêm elementos da experiência do dia anterior, denominados de "restos do dia", e 2) que estes "restos" incluem atividades mnemônicas, levando portanto a uma facilitação do aprendizado. Em particular, dados recentes sugerem que os sonhos podem desempenhar um papel essencial na consolidação das memórias, levando aquelas recentemente adquiridas a migrar do hipocampo para o neocórtex. Tomados em conjunto, estes resultados indicam a necessidade de reavaliar cientificamente o legado psicanalítico.

    Abstract in English:

    What is the function of dreaming? The vast contribution on dreams made by Freud and Jung has been largely ignored by science, which harshly criticized their approach for the lack of a quantitative method and of testable hypotheses. Here I review a series of experimental results that corroborate two important psychoanalytical insights regarding dreams: 1) that dreams often contain a "day residue" of the preceding waking experience, and 2) that such "residue" includes cognitive and mnemonic activities, therefore leading to a facilitation of learning. In particular, recent data suggests that dreams may play an essential role in memory consolidation, allowing recently-acquired memories to exit the hippocampus and settle in the neocortex. Taken together, these results call for a comprehensive scientific reassessment of the psychoanalytical legacy.
Associação Brasileira de Psiquiatria Rua Pedro de Toledo, 967 - casa 1, 04039-032 São Paulo SP Brazil, Tel.: +55 11 5081-6799, Fax: +55 11 3384-6799, Fax: +55 11 5579-6210 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: editorial@abp.org.br