• Intercâmbio Científico Editorial

    Laurindo, Iêda M. M.; Lage, Lais; Levy, Roger A.
  • A prática clínica baseada em evidências: parte I - questões clínicas bem construídas Artigos Especiais

    Nobre, Moacyr Roberto Cuce; Bernardo, Wanderley Marques; Jatene, Fábio Biscegli

    Abstract in Portuguese:

    Na prática diária as decisões tomadas para resolver o problema do paciente são usualmente baseadas na aplicação consciente da informação avaliável por regras explicitamente definidas. A prática clínica baseada em evidências leva em consideração o reconhecimento dos conhecimentos explícitos e tácitos, entendendo que é impossível tornar explícito todos os aspectos da competência profissional. A dúvida passa a fazer parte do processo de decisão, inicialmente na identificação dos componentes inconscientes envolvidos, e em seguida na análise do conhecimento explícito utilizado nesse processo. Ao elaborarmos uma questão clínica estruturada e que possa ser respondida, devemos lembrar que essa dúvida pode estar relacionada a aspectos básicos e de definição da doença ou relacionada ao atendimento do paciente, como em diagnóstico, terapêutica ou prognóstico. Ao longo de nossa vida médica, ambos os tipos de questões estão presentes, variando na proporção em que nossa experiência aumenta à medida do tempo de prática clínica. O processo de encontrar resposta apropriada à dúvida surgida no atendimento depende da forma como estruturamos as partes deste processo. A forma preconizada é conhecida pela sigla PICO. formada por P de paciente ou população, I de intervenção ou indicador, C de comparação ou controle e O de "outcome", que na língua inglesa significa desfecho clínico, resultado, ou por fim, a resposta que se espera encontrar nas fontes de informação científica. Esta é a primeira condição básica para que a nossa busca possa ser bem sucedida, a segunda é encontrar as palavras-chaves que melhor descrevem cada uma destas quatro características da questão. Sem estes cuidados as pesquisas em bases de dados informatizadas costuma resultar em ausência de informação ou em quantidade muito grande de informação que não está relacionada com o nosso interesse.

    Abstract in English:

    Clinical decisions in daily practice, to resolve patient's problem, are usually based at the conscious use of the available information, through explicit determined rules. Evidence based clinical practice recognize the explicit and tacit knowledge, understanding that it is impossible all the aspects of professional competence become explicit. The doubt becomes part of the decision process, identifying initialy the inconcious component envolved and after the explicit knowledge used. When we make a stuctured clinical question with a possible answer, it is necessary to remember that the doubt can be relationned to basics and of definition aspects of the disease or relationned to the patient's mananger, like diagnose, treatment and prognose. Along our medical life, both types of question are present, with proportional change as the experience increase along the clinical practice. The process to find an appropriate answer to the doubt, came out at patient's care, depends on how the parts of this process will be structured. The recommended form is known by PICO abreviature, that means: P: patient or population, I: intervention or indicator, C: comparison or controle and O: outcome, or the answer expected found at the cientific information bases. This is the first basic need to a successfull search, and the second need is to find the key words that better describe each of the four components of the questions. Without this caution, the search at compute databases results in absence of information or in a lot of information that it is not related to our interest. [Rev Assoc Med Bras 2003; 49(4): 445-9].
  • A prática clínica baseada em evidências: parte II - buscando as Evidências em Fontes de Informação Artigos Especiais

    Bernardo, Wanderley Marques; Nobre, Moacyr Roberto Cuce; Jatene, Fábio Biscegli

    Abstract in Portuguese:

    A busca da resposta a uma questão clínica bem construída pode ser realizada em inúmeras fontes de informação científica. Na dependência de onde obtemos a informação, a decisão clínica não será sustentada pelas melhores evidências disponíveis na atualidade, expondo o paciente a um risco desnecessário. A busca pode ser realizada em bases primárias, que disponibilizam os trabalhos originais, cabendo ao leitor o ônus de selecionar e analisar criticamente a validade de seus resultados. A busca pode também ser realizada em bases secundárias, que economizam o tempo do leitor na seleção metodológica e avaliação crítica. Entre as bases primárias, recomendamos o Medline e o SciELO, onde a busca pode ter início com a utilização das palavras-chaves, obtidas na construção da pergunta estruturada segundo o acrônimo P.I.C.O., em seguida, organizadas com a adição dos booleanos AND, OR ou NOT. Entre as bases secundárias que acrescem qualidade científica na seleção das evidências apresentadas, algumas fornecem respostas fundamentadas em trabalhos inviduais, como o ACPJournal Club, o Evidence Based Medicine e o InfoPoems, outras abordam questões clínicas organizadas em forma de livro, como o Clinical Evidence e o UpToDate. A Cochrane Review apresenta evidências de boa qualidade a partir de revisões sistemáticas de ensaios clínicos preferencialmente aleatorizados. A obtenção de estudos que respondem a uma questão clínica faz parte do atendimento que procura integrar a melhor evidência científica às necessidades de atendimento do paciente. Para tanto, conta com recursos tecnológicos, como os PDAs, Palmtops e Notebooks, cada vez mais adaptados para trazer a última informação divulgada pela Internet que auxilia na tomada de decisão clínica à beira do leito.

    Abstract in English:

    The inadequacy of most of traditional sources for medical information, like textbook and review article, do not sustained the clinical decision based on the best evidence current available, exposing the patient to a unnecessary risk. Although not integrated around clinical problem areas in the convenient way of textbooks, current best evidence from specific studies of clinical problems can be found in an increasing number of Internet and electronic databases. The sources that have already undergone rigorous critical appraisal are classified as secondary information sources, others that provide access to original article or abstract, as primary information source, where the quality assessment of the article rely on the clinician oneself. The most useful primary information source are SciELO, the online collection of Brazilian scientific journals, and Medline, the most comprehensive database of the USA National Library of Medicine, where the search may start with use of keywords, that were obtained at the structured answer construction (P.I.CO), with the addition of boolean operators «AND», «OR», «NOT». Between the secondary information sources, some of them provide critically appraised articles, like ACP Journal Club, Evidence Based Medicine and InfoPOEMs, others provide evidences organized as online texts, such as «Clinical Evidence» and «UpToDate», and finally, Cochrane Library are composed by systematic reviews of randomized controlled trials. To get studies that could answer the clinical question is part of a mindful practice, that is, becoming quicker and quicker and dynamic with the use of PDAs, Palmtops and Notebooks.
  • A prática clínica baseada em evidências: parte III - avaliação crítica das informações de pesquisas clínicas Artigos Especiais

    Nobre, Moacyr Roberto Cuce; Bernardo, Wanderley Marques; Jatene, Fábio Biscegli

    Abstract in Portuguese:

    No presente artigo discutiremos como avaliar criticamente as informações obtidas. Para tanto, serão revistos conceitos que a epidemiologia clínica tem colocado à disposição da prática clínica baseada em evidências. A pesquisa clínica busca desenvolver meios diagnósticos e terapêuticos medindo associações, ou relações de causa/efeito, entre um fator em estudo e um desfecho clínico. Onde o fator em estudo é o sintoma, sinal propedêutico, teste laboratorial, exame de imagem, ou tratamento. E o desfecho clínico é o reconhecimento da doença, cura, morte ou limitação. É um erro básico de interpretação tomar os marcadores intermediários como desfechos clínicos. Os desenhos de estudo na área clínica apresentam quatro enfoques principais: diagnóstico, prognóstico, terapêutico, dano/ etiológico. Experimentos animais, estudos anatômicos, fisiológicos, genéticos, farmacológicos, análises econômicas são necessários à formação básica do médico, no entanto, não colaboram diretamente para a tomada de decisão clínica. Os desenhos de estudo são classificados de acordo com a presença de grupo controle, seguimento dos pacientes ao longo do tempo e presença de intervenção dos pesquisadores no sentido de modificar a evolução dos pacientes. A hierarquia da força de evidência científica está fundamentada nestas características e na susceptibilidade aos vícios decorrentes do tipo desenho de estudo. Revisões sistemáticas são consideradas de maior força do que os estudos primários que lhe deram origem, e quando envolvem ensaios clínicos randomizados são colocadas no topo da hierarquia. Desde 1998 é crescente a proporção de "diretrizes clínicas baseadas em evidências" quando comparada às revisões sistemáticas, ou às publicações sobre diretrizes em geral, embora as primeiras sejam ainda em número reduzido. A avaliação crítica do artigo deve responder uma questão clínica, e ser consistente quanto à adequação do desenho de estudo e ao controle dos vícios. Concluímos que se deve oferecer atualização metodológica aos profissionais interessados, e colocar a informação já avaliada à disposição de todos, elaborando e divulgando diretrizes baseadas em evidências.

    Abstract in English:

    Evidence based health care begins with a clinical question and the search on data bases to retrieve the relevant information, that was the issue of two preceding articles of this series. At present it will be discussed how to critically appraise the medical literature using the clinical epidemiological methodology. Clinical research aims to develop diagnostic and therapeutic procedures measuring association and causality between the exposure and outcome. In this case the exposures are signs, symptoms, laboratorial or image exam, and therapy intervention. It is a mistake to take surrogate end-points instead of clinical outcomes. The main types of clinical study design are diagnostic, prognostic, therapeutic and harm/etiology. Experimental, physiologic and animal studies are useful for the medical undergraduate education, but do not contribute with clinical decisions. The study designs are classified according with the presence of a control group, patient's follow-up, and therapy interventions. The evidence hierarchy was done by the previous characteristics and the presence of systematic bias. Systematic reviews are stronger than the primary observational studies and are on the top when they revised randomized clinical trial. Since 1998 the proportion of evidence based practice guidelines was increasing compared with systematic reviews or other types of practice guidelines, although the former still are in a few numbers. The article critical appraisal must answer the clinical question, and need to have consistent study design and bias under control. In conclusion we ought to offer methodological actualization to interested physicians and put the information already critically assessed on evidence-based practice guidelines.
  • Diagnóstico e tratamento das lombalgias e lombociatalgias Artigos Especiais

    Brazil, AV; Ximenes, AC; Radu, AS; Fernades, AR; Appel, C; Maçaneiro, CH; Ribeiro, CH; Gomes, C; Meirelles, ES; Puertas, EB; Landin, E; Egypto, EJP; Appel, F; Dantas, FLR; Façanha, F° FAM; Furtado, GE; Carneiro, F° GS; Cecin, HA; Defino, HL; Carrete, Jr. H; Natour, J; Marques Neto, JF; Amaral, F° JC; Provenza, JR; Vasconcelos, JTS; Amaral, LLF; Vialle, LRG; Masini, M; Taricco, MA; Brotto, MWI; Daniel, MM; Sposito, M; Morais, OJS; Botelho, RV; Xavier, RM; Radominski, SC; Daher, S; Lianza, S; Amaral, SR; Antonio, SF; Barros, F° TE; Viana, U; Vieira, VP; Ferreira, WHR; Stump, XMG

    Abstract in Portuguese:

    DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE COLETA DE EVIDÊNCIAS: Reunião consensual e multidisciplinar para elaboração do texto com inclusão das citações bibliográficas, numa colaboração das especialidades de reumatologia, ortopedia e traumatologia, neurocirurgia, radiologia, medicina física e reabilitação e patologia da coluna vertebral. A partir de um texto básico referencial elaborado pelo editor médico, os participantes, divididos em cinco grupos de trabalho, geraram, por acréscimos e subtrações ao texto básico, recomendações aprovadas, posteriormente, em plenária, que permitiram a edição de um texto preliminar. O documento do consenso foi veiculado pela Internet, para consulta pública, tendo recebido várias sugestões e comentários de especialistas no assunto. As propostas foram devidamente avaliadas por uma comissão julgadora e revisora, que selecionou as que foram incorporadas ao texto preliminar. O editor médico, a partir da versão revisada, chegou ao texto final publicado, que recebeu da Biblioteca Nacional o ISBN n° 85-901548-1-5. Uma versão resumida do referido consenso, com algumas adequações, foi elaborada em trabalho colaborativo entre o editor médico e a comissão técnica do projeto diretrizes AMB/CFM. GRAU DE RECOMENDAÇÃO E FORÇA DE EVIDÊNCIA: A: Grandes ensaios clínicos aleatorizados e meta-análises. B: Estudos clínicos e observacionais bem desenhados. C: Relatos e séries de casos clínicos. D: Publicações baseadas em consensos ou opiniões de especialistas. OBJETIVOS: Oferecer informações sobre o diagnóstico e tratamento das lombalgias e lombociatalgias. PROCEDIMENTOS: Diagnósticos e terapêuticos para as lombalgias e lombociatalgias.
  • Osteoporose em mulheres na pós-menopausa Artigos Especiais

    Radominski, SC; Pinto-Neto, AM; Marinho, RM; Costa-Paiva, LHS; Pereira, F° AS; Urbanetz, AA; Ferrari, AEM; Baracat, EC

    Abstract in Portuguese:

    DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE COLETA DE EVIDÊNCIAS: Foi feita uma pesquisa de referências bibliográficas na Biblioteca Cochrane e na base de dados do MEDLINE, utilizando os seguintes termos: osteoporosis, bone density, postmenopausal women. Selecionados os artigos mais relevantes publicados nos últimos cinco anos. A partir da lista de referências bibliográficas foi feita consulta a citações de artigos anteriores. GRAU DE RECOMENDAÇÃO E FORÇA DE EVIDÊNCIA: A: Estudos experimentais e observacionais de melhor consistência. B: Estudos experimentais e observacionais de menor consistência. C: Relatos ou séries de casos. D: Publicações baseadas em consensos ou opiniões de especialistas. OBJETIVOS: 1. Rever os fundamentos da osteoporose pós-menopausa; 2. Estabelecer os principais procedimentos para diagnóstico da osteoporose e de fraturas osteoporóticas em mulheres na pós-menopausa; 3. Estabelecer as terapêuticas para prevenção e tratamento da osteoporose e de fraturas osteoporóticas em mulheres na pós-menopausa. PROCEDIMENTOS: 1. História clínica; 2. Medidas da massa óssea; 3. Prevenção e tratamento. EVOLUÇÃO E DESFECHOS: 1. Identificação das mulheres de risco para osteoporose pósmenopáusica; 2. Prevenção da osteoropose e fraturas; 3. Eficácia dos tratamentos e redução de fraturas.
  • Artrite reumatóide: diagnóstico e tratamento Artigos Especiais

    Laurindo, IMM; Ximenes, AC; Lima, FAC; Pinheiro, GRC; Batistella, LR; Bertolo, MB; Alencar, P; Xavier, RM; Giorgi, RDN; Ciconelli, RM; Radominski, SC

    Abstract in Portuguese:

    DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE COLETA DE EVIDÊNCIAS: Reunião consensual e multidisciplinar com a participação de médicos reumatologistas, fisiatra e ortopedista para elaboração do texto final. O texto inicial tomou por base o documento do Colégio Americano de Reumatologia "Guidelines for the management of rheumatoid arthritis" e também o texto das "Diretrizes do Ministério da Saúde para o Diagnóstico e Tratamento da Artrite Reumatóide", acrescido da experiência de reumatologistas, e complementado por extensa revisão bibliográfica, com prioridade para meta-análises. Os participantes, divididos em três grupos, produziram o texto básico, cujas recomendações foram submetidas à revisão e à aprovação pelo conjunto dos participantes. Depois, disponibilizados na internet, foi objeto de novas sugestões por parte de outros especialistas, até alcançar a forma final. GRAU DE RECOMENDAÇÃO E FORÇA DE EVIDÊNCIA: A: Estudos experimentais e observacionais de melhor consistência. B: Estudos experimentais e observacionais de menor consistência. C: Relatos de casos (estudos não controlados). D: Opinião desprovida de avaliação crítica, baseada em consensos, estudos fisiológicos ou modelos animais. OBJETIVOS: Estabelecer diretrizes claras e sucintas para o diagnóstico e tratamento da artrite reumatóide. CONFLITO DE INTERESSE: Os autores Laurindo IMM, Ximenes AC, Lima FAC, Pinheiro GRC, Bertolo MB, Xavier RM, Ciconelli RM e Radominski SC declararam vínculo com a Indústria Farmacêutica.
  • Fibromialgia Artigos Especiais

    Provenza, JR; Pollak, DF; Martinez, JE; Paiva, ES; Helfenstein, M; Heymann, R; Matos, JMC; Souza, EJR

    Abstract in Portuguese:

    DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE COLETA DE EVIDÊNCIAS: Foram feitos levantamentos bibliográficos nas bases de dados da Medline, Scielo e Lilacs. Os trabalhos foram discutidos em grupo e avaliados segundo a força de evidência científica. GRAU DE RECOMENDAÇÃO E FORÇA DE EVIDÊNCIA: A: Estudos experimentais e observacionais de melhor consistência. B: Estudos experimentais e observacionais de menor consistência. C: Relatos de casos, estudos não controlados. D: Opinião desprovida de avaliação crítica, baseada em consensos, estudos fisiológicos ou modelos animais. OBJETIVOS: Apresentar as recomendações para o diagnóstico, tratamento, seguimento clínico e avaliação da qualidade de vida nos pacientes com fibromialgia. CONFLITO DE INTERESSE: Nenhum conflito de interesse declarado.
  • Osteoartrite (artrose): tratamento Artigos Especiais

    Coimbra, IB; Pastor, EH; Greve, JMD; Puccinelli, MLC; Fuller, R; Cavalcanti, FS; Maciel, FMB; Honda, E

    Abstract in Portuguese:

    DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE COLETA DE EVIDÊNCIAS: Foram utilizados os estudos disponíveis na literatura médica presentes nas seguintes bases de dados, acessíveis através da internet: OVID (EBM-Reviews, incluindo-se as bases de dados da Cochrane) e o Medline, de 1966 até o presente, através do Pubmed. Foram selecionados trabalhos de meta-análise e estudos duplo-cegos randomizados, quando presentes. Relatos ou série de casos foram utilizados quando publicados em jornaisde reconhecida idoneidade. As opiniões dos especialistas presentes foram utilizadas em relação a terapias não disponíveis na literatura e que fossem consideradas pela unanimidade dos presentes como importante para o manejo dos pacientes com osteoartrite. Envio prévio da bibliografia principal aos participantes. Reunião para elaboração do documento. Colocação do rascunho na internet por dez dias para mudanças. Elaboração final do documento. GRAU DE RECOMENDAÇÃO E FORÇA DE EVIDÊNCIA: A: Estudos experimentais e observacionais de melhor consistência. B: Estudos experimentais e observacionais de menor consistência. C: Relatos de casos (estudos não controlados). D: Opinião desprovida de avaliação crítica, baseada em consensos, estudos fisiológicos ou modelos animais. OBJETIVOS: Conciliar informações e condutas referentes ao tratamento da osteoartrite pelas três principais especialidades envolvidas, reumatologia, fisiatria e ortopedia. As condutas consensuais para a maioria dos participantes foram então agrupadas e constam nas recomendações deste documento. CONFLITO DE INTERESSE: Os autores Coimbra IB, Pucinelli MLC, Cavalcanti FS e Maciel FMB, declararam vínculo com a Indústria Farmacêutica.
  • Lúpus eritematoso sistêmico: tratamento do acometimento cutâneo/articular Artigos Especiais

    Sato, EI; Bonfá, ED; Costallat, LTL; Silva, NA; Brenol, JCT; Santiago, MB; Szajubok, JCM; Rachid-Filho, A; Barros, RT; Vasconcelos, M

    Abstract in Portuguese:

    DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE COLETA DE EVIDÊNCIAS: Oito reumatologistas que trabalham em serviços que atendem grande número de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico, alguns dos quais têm pesquisa e publicações científicas nesta área, foram convidados a participar do grupo de trabalho. Também foram convidados um nefrologista e uma dermatologista que atuam em grandes centros universitários, com grande experiência no atendimento destes pacientes. Todos se reuniram para discutir o tratamento das diferentes manifestações da doença, subdivididos em quatro grupos de trabalho, cada qual ficando responsável por buscar a melhor evidência para o tratamento de um ou mais comprometimentos da doença. a última edição de Dubois's lupus erythematosus, editado por Wallace D e Hahn B, em 2001, foi utilizada como base da discussão. Trabalhos publicados nos últimos cinco anos foram pesquisados no banco de dados do Medline. Devido à freqüência e à heterogeneidade de manifestações da doença, a maioria dos trabalhos terapêuticos não contempla grande casuística, e nem são randômicos e controlados. Como as manifestações e a gravidade da doença variam em diferentes grupos populacionais, devemos avaliar com cuidado os estudos realizados em grupos populacionais distintos. GRAU DE RECOMENDAÇÃO E FORÇA DE EVIDÊNCIA: A: Estudos experimentais e observacionais de melhor consistência. B: Estudos experimentais e observacionais de menor consistência. C: Relatos de casos (estudos não controlados). D: Opinião desprovida de avaliação crítica, baseada em consensos, estudos fisiológicos ou modelos animais. OBJETIVOS: Elaborar recomendação baseada na melhor evidência científica para o tratamento das manifestações cutâneo-articulares do lúpus eritematoso sistêmico. CONFLITO DE INTERESSE: Nenhum conflito de interesse declarado.
  • Lúpus eritematoso sistêmico: tratamento do acometimento sistêmico Artigos Especiais

    Sato, EI; Bonfá, ED; Costallat, LTL; Silva, NA; Brenol, JCT; Santiago, MB; Szajubok, JCM; Rachid-Filho, A; Barros, RT; Vasconcelos, M

    Abstract in Portuguese:

    DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE COLETA DE EVIDÊNCIAS: Oito reumatologistas que trabalham em serviços que atendem grande número de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico, alguns dos quais têm pesquisa e publicações científicas nesta área, foram convidados a participar do grupo de trabalho. Também foram convidados um nefrologista e uma dermatologista que atuam em grandes centros universitários, com grande experiência no atendimento destes pacientes. Todos se reuniram para discutir o tratamento das diferentes manifestações da doença, subdivididos em quatro grupos de trabalho, cada qual ficando responsável por buscar a melhor evidência para o tratamento de um ou mais comprometimentos da doença. A última edição de Dubois's lupus erythematosus, editado por Wallace D e Hahn B, em 2001, foi utilizada como base da discussão. Trabalhos publicados nos últimos cinco anos foram pesquisados no banco de dados do Medline. Devido à freqüência e à heterogeneidade de manifestações da doença, a maioria dos trabalhos terapêuticos não contempla grande casuística, e nem são randômicos e controlados. Como as manifestações e a gravidade da doença variam em diferentes grupos populacionais, devemos avaliar com cuidado os estudos realizados em grupos populacionais distintos. GRAU DE RECOMENDAÇÃO E FORÇA DE EVIDÊNCIA: A: Estudos experimentais e observacionais de melhor consistência. B: Estudos experimentais e observacionais de menor consistência. C: Relatos de casos (estudos não controlados). D: Opinião desprovida de avaliação crítica, baseada em consensos, estudos fisiológicos ou modelos animais. OBJETIVOS: Elaborar recomendação baseada na melhor evidência científica para o tratamento das diversas manifestações sistêmicas do lúpus eritematoso sistêmico. CONFLITO DE INTERESSE: Nenhum conflito de interesse declarado.
  • Espondiloartropatias: espondilite anquilosante e artrite psoriásica Artigos Especiais

    Sampaio-Barros, PD; Carvalho, MAP; Azevedo, VF; Campos, WR; Carneiro, SCS; Giorgi, RDN; Gonçalves, CR; Hilário, MOE; Keiserman, MW; Leite, NH; Pereira, IA; Vieira, WP; Vilela, EG; Xavier, RM; Ximenes, AC

    Abstract in Portuguese:

    DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE COLETA DE EVIDÊNCIAS: Reunião consensual para elaboração do texto com inclusão das citações bibliográficas, numa colaboração de reumatologistas com as especialidades de reumatologia pediátrica, dermatologia, gastroenterologia e oftalmologia. Foram convidados 12 reumatologistas responsáveis pelo ambulatório de espondiloartropatias em suas instituições (ou seus representantes); cada participante foi convidado a fazer uma análise crítica, utilizando o conceito da medicina baseada em evidências, de um aspecto diferente dentro do espectro do tratamento das espondiloartropatias. Foi convidado um especialista de cada área para fazer a mesma análise crítica nos tópicos espondiloartropatias juvenis (reuma-tologista pediátrico), psoríase (dermatologista), doenças inflamatórias intestinais (gastroenterologista) e uveíte anterior (oftalmologista). Após a elaboração de um texto-base de apoio para as discussões, todos os especialistas se reuniram, no período entre 22 e 24 de abril de 2004, a fim de discutir individualmente cada um dos 16 tópicos elaborados e estabelecer um consenso baseado em evidências, a partir do qual os coordenadores redigiram o texto do consenso, submetido à apreciação de todos os participantes para a realização dos ajustes finais. GRAU DE RECOMENDAÇÃO E FORÇA DE EVIDÊNCIA A: Estudos experimentais e observacionais de melhor consistência B: Estudos experimentais e observacionais de menor consistência C: Relatos de casos, estudos não controlados D: Opinião desprovida de avaliação crítica, baseada em consensos, estudos fisiológicos ou modelos animais. OBJETIVOS: Oferecer informações sobre a otimização do tratamento das diferentes espondiloartropatias. CONFLITO DE INTERESSE: Os autores Sampaio-Barros PD, Carneiro SCS, Hilário MOE, Xavier RM e Ximenes AC declararam vínculo com a Indústria Farmacêutica.
  • Espondiloartropatias: outras artropatias Artigos Especiais

    Sampaio-Barros, PD; Carvalho, MAP; Azevedo, VF; Campos, WR; Carneiro, SCS; Giorgi, RDN; Gonçalves, CR; Hilário, MOE; Keiserman, MW; Leite, NH; Pereira, IA; Vieira, WP; Vilela, EG; Xavier, RM; Ximenes, AC

    Abstract in Portuguese:

    DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE COLETA DE EVIDÊNCIAS: Reunião consensual para elaboração do texto com inclusão das citações bibliográficas, numa colaboração de reumatologistas com as especialidades de reumatologia pediátrica, dermatologia, gastroenterologia e oftalmologia. Foram convidados 12 reumatologistas responsáveis pelo ambulatório de espondiloartropatias em suas instituições (ou seus representantes); cada participante foi convidado a fazer uma análise crítica, utilizando o conceito da medicina baseada em evidências, de um aspecto diferente dentro do espectro do tratamento das espondiloartropatias. Foi convidado um especialista de cada área para fazer a mesma análise crítica nos tópicos espondiloartropatias juvenis (reumatologista pediátrico), psoríase (dermatologista), doenças inflamatórias intestinais (gastroenterologista) e uveíte anterior (oftalmologista). Após a elaboração de um texto-base de apoio para as discussões, todos os especialistas se reuniram, no período entre 22 e 24 de abril de 2004, a fim de discutir individualmente cada um dos 16 tópicos elaborados e estabelecer um consenso baseado em evidências, a partir do qual os coordenadores redigiram o texto do consenso, submetido à apreciação de todos os participantes para a realização dos ajustes finais. GRAU DE RECOMENDAÇÃO E FORÇA DE EVIDÊNCIA: A: Estudos experimentais e observacionais de melhor consistência. B: Estudos experimentais e observacionais de menor consistência. C: Relatos de casos, estudos não controlados. D: Opinião desprovida de avaliação crítica, baseada em consensos, estudos fisiológicos ou modelos animais. OBJETIVOS: Oferecer informações sobre a otimização do tratamento das diferentes espondiloartropatias. CONFLITO DE INTERESSE: Os autores Sampaio-Barros PD, Carneiro SCS, Hilário MOE, Xavier RM e Ximenes AC declararam vínculo com a Indústria Farmacêutica.
  • Processos não neoplásicos do tipo "não toque" Vinheta Imagenológica

    Aihara, André Yui; Yamaguchi, Claudia Kazue; Natour, Jamil; Fernandes, Artur da Rocha Corrêa
  • Resumos dos trabalhos brasileiros apresentados no Congresso do Colégio Americano de Reumatologia (ACR) 2004 Atualização em Reumatologia

    Pereira, Ivânio Alves
  • Untitled document Espaço Imagem

Sociedade Brasileira de Reumatologia Av Brigadeiro Luiz Antonio, 2466 - Cj 93., 01402-000 São Paulo - SP, Tel./Fax: 55 11 3289 7165 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sbre@terra.com.br