Fatores de risco para morte materna em pacientes com pré-eclâmpsia grave/ eclâmpsia

OBJETIVOS: determinar as principais causas de óbito em pacientes com pré-eclâmpsia grave/eclâmpsia e identificar os fatores de risco associados. MÉTODOS: realizou-se um estudo de caso-controle, com todos os casos de morte materna (n = 20) em pacientes com pré-eclâmpsia grave ou eclâmpsia (n = 2.541). Selecionaram-se aleatoriamente 80 controles (sobreviventes). Determinou-se o odds ratio como estimativa do risco relativo de morte materna, realizando-se análise de regressão logística múltipla para determinação do odds ratio ajustado. RESULTADOS: as causas básicas de óbito foram: edema agudo de pulmão, coagulopatia intravascular disseminada, choque hemorrágico, embolia pulmonar, insuficiência renal aguda, e septicemia e três casos por causas indeterminadas. Os principais fatores de risco foram: idade > 25 anos, multiparidade, idade gestacional < 32 semanas, falta de pré-natal, pressão diastólica > 110mmHg, convulsões, hipertensão arterial sistêmica crônica, síndrome HELLP, edema agudo de pulmão, descolamento prematuro de placenta, coagulopatia intravascular disseminada e insuficiência renal aguda. As variáveis que persistiram associadas com morte materna foram: síndrome HELLP, eclâmpsia, edema agudo de pulmão, hipertensão crônica e falta de pré-natal. CONCLUSÕES: os principais fatores de risco para morte em mulheres com pré-eclâmpsia/eclâmpsia são falta de pré-natal associados com hipertensão crônica e complicações como síndrome HELLP, eclâmpsia e edema agudo de pulmão.

Eclâmpsia; Hipertensão; Morte; Fatores de risco


Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira Rua dos Coelhos, 300. Boa Vista, 50070-550 Recife PE Brasil, Tel./Fax: +55 81 2122-4141 - Recife - PR - Brazil
E-mail: revista@imip.org.br