Accessibility / Report Error

Mulheres honestas e perniciosas, homens refolhados e homicidas hirozos na "lista do vigário": um censo sui generis no século XIX

Honourable and pernicious women, releaf and furious homicides in the "vicar list": a sui generis census at century XIX

Resumos

O presente artigo tem como principal objetivo levar a público uma Lista Populacional elaborada em 1819 pelo vigário da Freguesia de Franca/SP, o padre Joaquim Martins Rodrigues. Dispostos em 370 fogos, a Lista apresenta características qualitativas sobre a população, o que torna a "Lista do Vigário" um documento sui generis.

Lista populacional; século XIX; cotidiano


This article has the purpose to publish a population list did at 1819 by Vicar of the Freguesia de Franca/SP, the priest Joaquim Martins Rodrigues. They are dispose in 370 "fires", the list presents qualities characters about the populations, that become the "Vicar List" a sui generis document.

population list; century XIX; dialy


DOCUMENTOS

Mulheres honestas e perniciosas, homens refolhados e homicidas hirozos na "lista do vigário": um censo sui generis no século XIX

Honourable and pernicious women, releaf and furious homicides in the "vicar list": a sui generis census at century XIX

Regina Célia Lima CaleiroI,II; Alysson Luiz Freitas de JesusI,III

IProfessores do Departamento de História da Universidade Estadual de Montes Claros/UNIMONTES. Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro - 39401-089 - Montes Claros/MG - CP 126

IIDoutora em História pela Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. regina.caleiro@ig.com.br IIIMestre em História pela Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. alfluiz@yahoo.com.br

RESUMO

O presente artigo tem como principal objetivo levar a público uma Lista Populacional elaborada em 1819 pelo vigário da Freguesia de Franca/SP, o padre Joaquim Martins Rodrigues. Dispostos em 370 fogos, a Lista apresenta características qualitativas sobre a população, o que torna a "Lista do Vigário" um documento sui generis.

Palavras-chave: Lista populacional, século XIX, cotidiano

ABSTRACT

This article has the purpose to publish a population list did at 1819 by Vicar of the Freguesia de Franca/SP, the priest Joaquim Martins Rodrigues. They are dispose in 370 "fires", the list presents qualities characters about the populations, that become the "Vicar List" a sui generis document.

Key words: population list, century XIX, dialy

A prática de contar a população remonta à Antiguidade. Entretanto, somente em meados do século XVIII é que o trabalho censitário torna-se um mecanismo de administração do Estado. No caso do Brasil, somente as reformas iniciadas na máquina administrativa portuguesa, fruto da era pombalina, é que vão produzir as primeiras estimativas seguras da população colonial. Por determinação do marquês de Pombal foram elaboradas "listas nominativas de habitantes", distribuídos em "fogos". Todavia, "apesar da insistência da metrópole, poucas foram as capitanias, a exemplo de São Paulo, que de fato realizaram as listagens".1 1 FARIA, Sheila de Castro. Censo de 1872. In: VAINFAS, Ronaldo (org.). Dicionário do Brasil Imperial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002, p.131. Os dados, que deveriam ser organizados nos chamados "mapas de população" e remetidos à secretaria- geral da capitania, acabaram não sendo organizados em listagens nominativas e sim baseados "nos dados que os vigários das paróquias enviavam anualmente ao seu bispado, informando o número de batizados, casamentos e óbitos de seus fregueses".2 2 FARIA, Sheila de Castro. Censo de 1872. In: VAINFAS, Ronaldo (org.). Dicionário do Brasil Imperial, p.131.

Segundo Tarcísio Rodrigues Botelho, em geral os capitães-generaisreportavam-se aos capitães-mores e aos vigários das paróquias para a elaboração das listas locais. Todavia, muitos dados apresentavam falhas, ou por receio do próprio vigário em ocultar a população total — no sentido de evitar alguma futura divisão da Freguesia — ou, ainda, devido "a associação entre os temores da população e os conflitos entre instâncias administrativas". 3 3 BOTELHO, Tarcísio Rodrigues. População e nação no Brasil do século XIX. São Paulo: USP, 1999, p.18-9. (Tese de Doutorado) O autor demonstra como, a partir da conjuntura de Independência, a postura do Estado vai se alterar.

Após a independência do Brasil aumentou a preocupação com a organizaçãodo Estado e, por conseguinte, com as estatísticas sobre a população. A contagem populacional serviria não apenas para cobrar impostos ou convocar os cidadãos para o efetivo militar: a questão eleitoral também se fazia presente, na medida em que era necessário contar o número de votos nas províncias e, com isso, definir o número de deputados que cada uma teria. Mesmo com contagens parciais e muitas vezes tendenciosas, é notável a inserção da questão nas pautas políticas, o que, inegavelmente, permitiu uma evolução da "questão censitária" nacional.4 4 Para uma discussão sobre os censos no Brasil, ver: MARCÍLIO, Maria Luiza. Crescimento demográfico e questão agrária paulista. São Paulo: Hucitec, 2000.; PAIVA, Clotilde. & MARTINS, Roberto. Um estudo crítico do recenseamento de 1872. Belo Horizonte: Cedeplar, 1983.; BOTELHO, Tarcísio Rodrigues. População e nação no Brasil do século XIX.; SILVA, J. Investigação sobre os recenseamentos da população geral do Império e de cada província de per si tentados desde os tempos coloniais até hoje. São Paulo: IPE/USP, 1986. Em um contexto de ordenamento do Estado fazia-se necessário um longo processo de organização, afinal, segundo José Murilo de Carvalho, "o Estado e a nação não nasceram prontos do grito parturiense da Independência".5 5 CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ; Relume- Dumará, 1996.

As Listas populacionais ao longo do Oitocentos vão passar por umacrescente evolução. Os anos de 1850 e 1860 demonstram uma sistematização na elaboração e contagem dos dados. Para Botelho, as experiências advindas do Censo de 1852 revelam que

muitas das províncias buscaram levar adiante trabalhos estatísticos que as munissemde instrumentos para a ação administrativa. Neste esforço, acumularam-se experiências que tinham como referência não mais as antigas solicitações de ' mapas de população' a serem elaboradas por vigários ou capitães-mores, mas o novo paradigma que a legislação de 1850 colocara: listas de famílias, data de referência, legislação etc.6 6 BOTELHO, Tarcísio Rodrigues. População e nação no Brasil do século XIX, p.48. Essa crescente sistematização na elaboração desses dados vai culminar no Recenseamento de 1872, conhecido como o maior instrumento de contagem da população do Brasil monárquico e o "primeiro censo propriamente dito do país". Mesmo com todos os problemas que alguns demógrafos encontram nele, o Censo de 1872 apresentam dados fundamentais sobre a demografia nacional em um processo gradual de fim do Império. Sheila de Castro Faria ressalta a lei regulamentada em 30 de dezembro de 1871 que previa a execução do censo "com base em boletins ou listas de famílias dos habitantes, fossem nacionais ou estrangeiros, livres ou escravos, declarando-se nome, sexo, idade, cor, estado civil, naturalidade, nacionalidade, residência, grau de instrução, religião, enfermidades aparentes a grau de parentesco ou de convivência de cada pessoa com o chefe de família". FARIA, Sheila de Castro. Censo de 1872. In: VAINFAS, Ronaldo (org.). Dicionário do Brasil Imperial, p.132.

Entretanto, uma Lista sui generis foi elaborada na região de Franca/SP.Muito antes da sistematização na elaboração dos censos ou mesmo do próprio processo de emancipação nacional.

A cidade de Franca, localizada no nordeste do estado de São Paulofoi fruto do povoamento da "Estrada dos Goyazes", caminho aberto pelo primeiro Anhanguera, que acompanhou antigas trilhas dos índios caiapós, sendo retomada pelo segundo em 1725. Essa estrada ligava a atual região de Campinas até a localidade de Vila Boa de Goiás. No século XVIII os pousos dos tropeiros se multiplicaram ao longo da estrada. No século XIX foram fundadas freguesias e vilas pelos paulistas e "intrantes mineiros". Até meados da década de 1870 a economia da região de Franca foi baseada principalmente na pecuária e posteriormente enriquecida pelo cultivo intensivo do café. Em substituição ao trabalho escravo no trato das lavouras chegaram à região os europeus, especialmente os italianos. Essas correntes de migrantes e imigrantes povoaram a princípio as velhas fazendas, os bairros rurais e posteriormente a cidade, que após a segunda metade do século XX tornou-se conhecida nacionalmente como a "capital do calçado".

1. A população do arraial e a "Lista do Vigário"

Em novembro de 1805, o padre Joaquim Martins Rodrigues, primeirovigário da recém criada Freguesia, benzia nas terras doadas pelos irmãos Antunes de Almeida o local onde se ergueria a "Casa de Orações".

Preocupado com a segurança da província e atemorizado com a máfama dos habitantes da freguesia, o governador da capitania de São Paulo, Carlos Augusto Oeyenhausen, solicitou a ajuda do vigário para que fossem elaboradas informações sobre a população, com o intuito de que o governo de São Paulo pudesse tomar as medidas necessárias para conter as possíveis desordens e os prováveis crimes dos "facinorosos" locais como os designaria D' Alincourt duas décadas após.7 7 CHIACHIRI FILHO, José. Do sertão do Rio Pardo à Vila Franca do Imperador. Ribeirão Preto: Ribeira, 1986. Prontamente o clérigo desincumbiu-se de sua missão e elaborou um rol que além de citar nominalmente os moradores, registra o conceito do vigário sobre a conduta de grande parte dos habitantes do arraial.

A Lista, elaborada em 1819, contém a população agrupada em 370fogos, como segue anexa. Constando o nome das pessoas que residiam nos fogos, bem como o número de escravos, estado civil e ofício exercido, o vigário Joaquim Martins Rodrigues teve o "cuidado" de incluir em sua lista algumas informações peculiares sobre os moradores da região. Os dados reproduzem, assim, uma pretensa imagem cristalizada sobre determinados indivíduos, como é o caso do morador do fogo 12, solteiro e carpinteiro de "notável procedimento", que vivia junto com o alferes Manueo Joaquim, também solteiro, "homem pacífico mas de pouco conceito".

Entre um bom número de moradores que viviam pacificamente e eramde "notáveis procedimentos", existiam outros, que não escapavam ao olhar e ao julgamento implacável do vigário. José Joaquim da Silva (fogo 18), que vivia ausente da mulher, era visto como um "ferreiro de língua mentirosa". O morador do fogo 58 também não foi esquecido por Joaquim Martins Rodrigues, que o expunha como um "homicida hirozo, de perversa e escandalosa vida". Mulheres de "má nota", "meretrizes escandalozas" e de "honesta fama" mereciam um olhar atento do vigário. Os que não se mostravam tão próximos do mundo religioso também foram lembrados. Cidadãos de "boa índole e custumes" bem como homens "de probidade e religião" dividiam o cotidiano com homens "de língua perversa especialmente contra o clero", como era o caso de Silvério Antonio de Freitas (fogo 95), ou mesmo o caso do Sargento-Mor Jose de Bastos Oliveira (fogo 148), que vivia sem sua mulher e era considerado "de língua perversa e escandalozamente conceituado e consta não confessar há muitos anos". Outros eram olhados com receio pelo vigário, por terem "gênio altivo" apesar de boa conduta, como os alferes Manoel Caetano (fogo 172) e Heitor Ferreira de Barcelos (fogo 173).

Dados e impressões que nos auxiliam a pensar no cotidiano de pequenasregiões rurais do Brasil. A Lista abaixo nos apresenta mais um exemplo das imagens cotidianas reproduzidas desde a colônia. Imagens expostas por um vigário que, mais do que condizente verdadeiramente com o papel e a posição desempenhada pelos moradores na região, são exemplos de como os representantes do Estado enxergavam esses indivíduos. Além da qualidade da documentação para o uso dos historiadores e de futuras pesquisas —, fica o registro de que esses cidadãos, mais que hoje, não eram apenas números.

BIBLIOGRAFIA

Artigo recebido em 13/03/2006. Aprovado em 17/04/2006.

Obs.: A lista foi transcrita e digitada (tal como abaixo segue) pelo professor José Chiachiri Filho. Esta Lista Populacional foi elaborada em 1819 pelo vigário d Freguesiada Franca, pe. Joaquim Martins Rodrigues, à pedido de Carlos Augusto Oeyenhausen, Capitão General e Governador da Capitania de São Paulo, ao passar por Franca em direção a Goiás.

[...] A Lista do Vigário contém 370 fogos agrupados dentro das seguintes regiões ou bairros rurais: Arraial da Franca, Suburbios do Arraial, Pouso Alto, Pouso Alegre, Ribeurão da Pinguela, Bom Jesus, Taquara, Chapadão, Ribeirão, Posse, Olaria, Macaúbas, Fortaleza, Esmeríl, Ressaca, Santa Bárbara, Santo Antonio, Salgadi, Areias, Ressaca(?), Monjolinho, Corregos, Capivari, Barra ou Barca, Soledade.

Lista da Freguesia de Franca em 1819 elaborada pelo Vigário Joaquim Martins Rodrigues

Fg.1: Joaquim Miz. Roiz.escro.7 - escra.2 Agr: Pedro Miz. Roiz., s.,. escro.1 Luiza Maria de S. Joze, b, s. escro.3 - escra. 1 Josefa Jiaquina , b,s. escro.6 - famu. 6 - fama. 3 Jõao F..., forro e s/mer., carpinteiro - vive pacificamente Matheos de Souza Campos, p., s/mer., - vive pacificamente de seu jornal

Fg.2: O rev. Francisco Ferrª da RochaAgr: Camillo Ferrª , s. O Rev. Antonio P. Moreira escro. 2

Fg.3:Rev. Mel. Glz. Cintra,v. fa.1 - famº.1 / escro.1 - escra.1

Fg.4: Jõao Glz. da Costa, b, s/mer. - homem de probids. fª.1 - escro.7 - escra.4

Fg.5: Zeferina Maria, p, c.- auzente o marido - vive pacifucamente fº.1 Agreg: Anna Maria, v., p., - pacífuca

Fg.6:Leandro Joze Dutra, b.,s/mer.- v? de pouco conceito, vive pacífico fª.1 sogro: Aleixo Lemos,b.,v. - pacífico fº.1

Fg.7:Anna Rz., p., c., auzente o marido - mulher pernicioza, vive com geral escandalo. fº. 1 - fª.1( viúva e meretriz )

Fg.8:.Josefa Soares, p.,v.,c - honesta fº.1 - fª.1

Fg.9:Barbara Mª. Antes. (?), p., c., auze. o marido - meretriz, pernicioza e escandalosa fº.2

Fg.10:Anna Mª. , v., - honesta e pacífuca fºs.3

Fg.11:Marno. Lima? , b, s/mer., - honesto e pacífico fª1 escra.1

Fg.12:Ge. da Sª Rosa, b,s/mer., carpinteiri de notávek procedimento escro.1 Alfs. Manueo Joaquim ? , b., s/mer., homem pacífico mas de pouco conceito

Fg.13:Dos. Tavares, p., s/mer., carpinteiro - vive pacificamente

Fg.14:Francisca de Paula,s.,p., vive honestamente. Agreg.: Maria Sª, p.,c., doente e pacífica

Fg.15:Hõao Bptª Maciel,p,s/mer., - pacífico. fº.1

Fg.16:Valentim Rg., p., s/mer. - pacífico, jornaleiro. fº2

Fg.17:Margarida Grª, v., - honesta. famº 2

Fg. 18:Joze Joaquim da Sª, b, s/mer. - ferreiro de língua mentiroza, auz. da mulher fº2 genro: Joze Miz. , b., s/mer., - alfaiate, pacífico

Fg.19:Mª Antª, p., v., - honesta. may: Anna de Godoy, p., v.

Fg.20:João Antº de Faria, b., s/mer. - toneleiro e ferreiro, pacífico escrº. 2

Fg.21: Mel. do Esptº Stº, ?., s/mer. - alfaiate e toneleiro, pacífico fº 1 - fª 3 escrº.2

Fg.22: Mel. Glz., p., s/mer., - negociante,pacífico. fº 1 - fª 1 fam.º. 1

Fg.23:Theodozio de Sª Coelho, b, s/mer., carpinteiro de ntável procedimento. escrº 2

SUBURBIOS DO ARRAIAL

Fg.24:Alfs. Felix Soares da Fonca., b, s/mer. - homem de probidade. escrº 1 - escrª 3 famº 2

Fg.25:Mel. Rafael?da Sª, b,s/mer. - intrigante e de pouco conceito fª 2 escrº 1 - escrª 4

Fg.26:Joaquim da Costa Perª, b., s/mer. - de bons custumes escrº 1

Fg.27: Mel. da Costa Ramos, p?, s/mer. - carpinteiro escandalozo pelo ( ...)

Fg.28: Antonio de Szª,m(...) ,b, s/mer. - pacífico Fg.29: Victoria Maria, b., v., - honesta. fª 1 fenri: Miguel Grancº, - pacífico

Fg30: Mel. Ribrº da Sª, b., s/mer. - de bons custumes. genro: Antº de Freitas , pacífico.

Fg.31: Antonio da Sª Moraes, b., s/mer., - pacífico. fª 1

Fg.32: Joae Rz. de Oliveira, p., s/mer. - de boa conducta. fº 2 - fª 2 agreg.: Dos. Rz. , p, s/mer. - pacífico

Fg.33: Mel. Borges Quintº, b., s/mer. - pacífico. escrº 2 famº 2

Fg34: Guilherme Joaquim, b., s/mer. - pacífico. f 1 - fª 1

Fg.35: Mel. Joaquim Bezerra, p., s/mer. - pedreiro de boa conducta fº 1

Fg.36: Mel. Glz. se Szª, b., s/mer. - cirurguão de bom procedimento. fº 1 - fª 2

Fg 37: João Glz.Campos, b., s/mer. - pacífico escrº 3 escrª 2

Fg.38: João Luiz de Moura, b., s/mer. - de boa conducta.

Fg39: Mel. Domingos, p., v., - pacífico fº 1

Fg.40: Mel. Frcº Fuz.?, p., v., - pacífico. fº 1

Fg.41: Mel. Prª? da Sª, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 42: Hilario da Sª, p., s/mer.,- carpinteiro de boa conducta. escrº 1

Fg.43: Joáo Teixra., b., s/mer., - pacífico.

Fg.44: Antº de Sampaio da Sª, b., s/mer., - homem de boa índole fº 3 - fª 1 escrº 3 famª 1

Fg.45: Dos. de Sam Paio Sª, - de boa conducta. escrº 2

Fg.46: João Barreto Lima, b, s/mer. - homem pacífico. agreg. Luiza Lemes, v., - honesta.

Fg.47: Rosaura Mª, b., c., - honesta. fª 1 escrº 3 - escrª 1 famª 1 genro: Rafael Dos. , b., v., - de pouco conceito.

Fg.48: Mel. Joaquim da Sª, b., s/mer., - pacífoco.

Fg.49: Mª Bárbara , b., v., - honesta. fº 2 - fª 1 escrº 1 - escrª 2 agreg.: Joze Joaquim teixeira, b., s/mer., - pacifico. escrª 1

Fg.50: Antº dos Stos. Costo. , p., s/mer., - jornaleiro pacífico.

Fg.51: 'Antº do Coutº Parras. , b., s/mer., - de bons custumes. fº 3 - fª 7 escrº 2 - escrª 2

Fg.52: Migueo Rz., b., s/mer., - de boa conducta.

Fg. 53: Antº Luiz , p., s/mer., - pacífico.

Fg.54: Antº Francº LOPES , b., s/ver., - homem de boa índole e custules. , fº 3 - fª 1 escrº 10 - escrª 6 famª5

Fg.55: Mel. Correia Moço , b., s/mer., - pacífico. escrº 2 - escrª 1 agreg.: Antonio da Sª, p., v., - intrigante.

Fg.56: Jerõnimo Soares da Cª, b., s/mer. - pacífico. fº 1 - fª 1

Fg.57: Mnnº de Szª, b., s/mer., - pacífico. fº 1

Fg.58: Mel. Marques de Carvalho - homem de probidade e religião. fº 4 - fª 3 escrª 2 fmº 2 genros: Joze Ribrº dos Santos, b., v., - pacífico. escrª 1 Mel. Francº de Faria, b., s/mer., - homicida hirozo , de perversa e escandalosa vida. fº 2

Fg.59: Antº Antunes de Almeida, p., s/mer., - vive pacificamente. fª 1

Fg.60: Joaquim Lemes da Costa, p., s/mer., - pacífico.

Fg.61: Ignª Mª Ants., p., v., - honesta. Joaquim, - homicida, auze. agreg.: Joze Antonio, p., v., - pacífico.

Fg.62: Fructuozo Alz. da Silvrª, b., s/mer., - carpinteiro de boa conducta e custumes.

Fg. 63: Vicente Alvz. da Silvrª - pacífico. fº 2

Fg.64: Mel. Correa, - trabalhador, pacífico.

Fg.65: Catharina Boena, p., v., - de má nota. fª 3 - meretrizes escandalozas. famª1

Fg. 66: Mel. Alz. Pinto, p., s/mer. - de más intençoins e escandalozo pelo...

Fg. 67: Serafim Francisco, p., s/mer., - ferreiro de lingua mentiroza, enganadora. - João de Brito, p., s/mer.- da mmª quale.

Fg.68: Anna Lemes, - de má nota. fº Mel. - de más entranhas. genro: Je. Antº da Sª,p., s/mer.,

Fg. 69: Joanna Lemes, p, c, - de má nota. fª 3 agreg.: 2 prostututas.

Fg.70: Severino antº da Sª, - pacífico.

Fg. 71: João Cabral, p., s/mer., - de más intençoins e inclinado ao vício do furto.

Fg.72: Geraldo Alz. da Sª - de genio altivo e hirozo. Sapateiro. sogro: Joaquim Gurgel, alfaiate, p., s/mer. - pacífico. fª 2

Fg.73: Anna Joaquina de Senne, b., - honesta. º 6 - fª3 netos: 2 famº 1 escrº 1

Fg. 74: Antº Duarte , b., s/mer., - sapatrº , pacífico. fº 1 escrº 4

Fg. 75: Mel. Carlos Alarcão, b., s/mer., - carptº pacífico. fº 3 - fª 1 escrº 1

Fg.76: Joze Jm. do Encarnm., p,, s/mer. jornº- fº 1 - fª 3

Fg.78: Je. Rz. Barros, b., s/mer., - homem de bem.. fº 1 fª 3 escrº5 - escrª 1 genro: Thomaz Francisco,b., s/mer., - pacífico. fº: Je. Rz., pacífico.

Fg. 79:João P? , forro, s/mer., - jornaleiro

Fg.80: Frcº Barboza Sandoval, b., s/mer., - pacífico. escrº 2

POUZO ALTO

Fg.81: Alfs. Matheus Coelho da Fonseca,b., s/mer. - vive pacificamente. fº7 - fª 3 escrº 5 - escrª 3 famº 2

Fg. 82: Frcº Marc? do Spº Stº - de boa conducta. fº 6 - fª 4 edcrº 3 fº : Antº Jm. b., s/mer. - pacífico.

Fg.83: Felis Je, Ramos,b., s/mer., - alfaiate, pacífico.

Fg.84: Ignº Je. da Sª , p., s/mer., - jornaleiro pacífico. fº 2

POUZO ALEGRE

Fg.85: Mel. Morª da Sª, p., s/mer. - de maz intençoens fº 2 - fª 2 escrª 1 - famº 1

Fg.86: Je. Rz. sa Costa, b., s/mer. - pacífico.

Fg.87: Mel. Bernardo de Oliveira, b., s/mer., pacífico. fº 2 escrª2

Fg.88: João Frcº Malta,b., s/mer., - pacífico. fº 2 0 fª 3 escrº 1 famº 1

Fg.89: Francisco da Cunha. b., v., - pacífico. escrª 1

Fg.90: Mel. Nunes da Sªb., v., - pac'ífico. fº 4 - fª 1 escrº 5 - escrª 1 famº 5

Fg.91: Braz Ribrº Malta, p?, s/mer., - pacífico.

Fg.92: Je. Albano, p., s/mer., - pacífico.

Fg.93: Antº Borges de Gouveia, b., s/mer. - de probidade. fº 1 - fª 1 escrº 7 - edcrª 1

Fg.94: Alexe. Fz.?, p., s/mer., - vive pacificamente. escrº 10 - escrª 5

Fg.95: Silverio Antonio de Freitas, b., s/mer., - homem de lingua perversa especialmente contra o clero. fº 2 p fª 1 escrº 2 - escrª 1 genro: Jm. Correa, b. s/mer. - pacífico. escrª 1

Fg.96:Btº Je. das Neves, b., s/mer., - pacífico.

Fg.97: Jm. Maxado ,b., s/mer., - pacífico.

Fg.98: Antº de Arantes , b., s/mer., - vive em paz.

Fg.99: Pedro Francisco , p., s/mer., - jornaleiro, pacífico.

Fg.100: Manuel Antº de Mirdª, p., s/mer., - pacífico.

Fg.101: Feliciano Carlos , p., s/mer. - pacífico. escrº 1

Fg. 102: Joze de Freitas,- refolhado e dado ao jogo s/mer. escrº 1 - escrª 1

Fg. 103: Antº Borges, Moço, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 104: Je. Prª Rz., b, s/mer. - pacífico.

Fg. 105: fº 1Je. Jm. Rz., b., s/mer., - sapatº , pacífico.

Fg. 106: Mel. da Costa Lima, b., s/mer., - de pouco conceito escandalozo e pelo jogo. fº 2 - fª 1 escrº 1 genro: Felisberto Rz., b, s/mer., - pacífico.

Fg. 107: Mnª Glz., b., c., - pouco honesta. fº 1

Fg.108: Clara Maria de Jesus, v., - escandaloza. fº 1 - fª 1

Fg. 109: João Francisco Paiva, p., s/mer.,- pacífico. fº 1 - fª 3 netos: 2

Fg.110: Je. Maxado de Andrade, b., s/mer., - de probidade. fª 2 escr 3 - escravª 2 famº 1

Fg. 111: Jm. Frrª , p., s/mer., - de pouco conceito.

Fg. 112: João Gomes Alz., b., s/mer., - pacífico. fº 1 ntº: 1 - ntª: 1

Fg. 113: Luiz Je. Fradique, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 114: Jm. da Rocha Neiva, b., s/mer., - de boa índole.

RIBEIRÃO DA PINGUELLA

Fg. 115: Antº Jose Barboza, p., s/mer., - vive pacificamente. fº 2 escrº 2 - escrª 1 genro: Vicente Miz. de Morrs., b., s/mer., - pacífico.

Fg. 116: Antº dos Reis Prata, b., s/mer., - pacífico. escrº 2 - escrª 3

Fg. 117: Januário Je. Pedrozo, p.,s/mer., - homicida de má nota. fº 1 escrº 2 genro: Mnuel Morª ,p., s/mer., - de pouco conceito.

Fg. 118: Jerônimo Antº , p., s/mer., - pacífico. escrº 1

Fg. 119: Jose Rz. Cyriolo?, p., s/mer., - homem...?

Fg.120: Manuel Rz. , Moço, p., s/mer., - da más untençoens.

Fg. 121: Manuel Teixrª , p., s/mer., - vive em paz.

Fg. 122: Manuel Rz. Soares, p., s/mer., - rebelde de más intençoens. fº 1 - fª 3

Fg. 123: Ignº Rz. Soares, p., s/mer., - perverso.

Fg. 124: Anacleto da Sª Barboza, b., s/mer., - de probidade. fº 2 - fª 1 escrº 2 - escrª 1

Fg. 125: Manoel Borges , b., s/mer., - vive pacificamente. escrº 1

Fg. 126: Je. Frrª da Sª, b., s/mer., - de pouco crédito. fº 2 - fª 1 famº 1 escrº 3 genro: Joaquim Rz. b.,s/mer., - pacífico. Salvador Antº , p., s/mer., - de boa conducta.

Fg. 127: may: Ignª M. , p., v., - honesta.

Fg.128: Luiz Perª de Macedo, p., s/mer., - pacífico.

Fg. 129: Julião da Sª Cardozo, p., s/mer., - pacífico. fº 2 - fª 1

Fg. 130: Je. Ribrº Malta , b., s/mer.,- de boa conducta.fº 6 - fª 3 escrº 4 - escrª 2

Fg.131: Claudino Leal da Fonseca, b., s/mer., - homem refolhado. fº 2 escrº 1 - escrª 1

Fg.132: Jm. Borges dlo Rego, b., s/mer., - pacífico. fº 2 - fª 1 escrº 1

Fg. 133: Mel. Marques da Assumpm., p., s/mer., - pacífico. fº1 - fª1 escrº 1 - escrª 1 famª 1

Fg. 134: Jm. Alz. Duroins, p., s/mer., - pacífico.

Fg. 135: Je. Teicrª Mendes, p?, s/mer., - pacífico.

BORDA DA MATTA

Fg. 136: Appullonio da Sª , p., v., ª 1 ntª: 1

FG. 137: Rosa Buena, p., s., famº 3

Fg. 138: Bento da Sª, p., s/mer., - pacífico.

Fg. 140: Manuel Rz. da Concom..p., s/mer., - pacífico

Fg. 141: Jm. Je. de Andrade, b., s/mer., - pacífico. fº 3 - fª 1 escrº 2

Fg.142: Francisco Teixeira de Mors., b.,s/mer., - deboa conducta. fº 1

Fg. 143: Constantº Raphael , p., s/mer., - pacífico.

Fg.144: Ignº Antº da Conçam., p., s/mer., - de boa conducta. escrº 1 famº 2

Fg. 145: Francisco Rz. da Sª , p., s/mer., - pacífico.

Fg.146: João Alvez , p., s/mer., - pacífico

Fg. 147: Francisco Miz. Parras. , b., v., - pacífico. escrº 1

Fg. 148: Sargento-Mor Jose de Bastos Oliveira, b., s/mer., - de lingua perversa e escandalozamente conceituado e consta não confessar há muitos anos. oº 1- fª 2 escr 17 - escrª 3

Fg. 149: Antº da Sª , b., s/mer., - de boa conducta. fº 1 escrº 4 - escrª 2

Fg. 150: Francisco da Sª Santos, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 151: Manoel da Sª Santos, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 152: Bonifácio da Sª Santos, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 153: Jm. Mnnº de Senne, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 154: João da Sª Santos, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 155: Antº Glz. da Sª., p., v., - pacífico. fº 1

Fg. 156: Jacinto Ferrª de Aguiar, b., s/mer., - de probidade. fº 3 - fª 2 escrº 5 - escrª 3

Fg. 156 Pedro Jose Voçozo, b., s/mer., - de boa índole. fº 1 escrª 1

Fg. 157: Severino Antº, b., s/mer., - de bons custumes. fº 3 - fª 1 escrº 1 famº 1

BOM JS.

Fg. 158: Ritta Glz., p., v., - honesta. famª 1 agreg. AppoliNario da Sª , p., s/mer. - pacifico.

Fg. 159: Jose Manol de Freitas, p., s/mer., - pacifico.l de fº 2 - fª 1 agreg. Jose Miz, p., s/mer., - pacífico

Fg. 160: Antº Galvão de má nota.( s/m.) fº 1 - fª 4

Fg. 161: João Antº de Oliveira, p., s/mer., - pacífico.

Fg. 162: Mnoel Antº de oliveira, p., s/mer. - pacífico.

TAUQUARA

Fg. 163: Duarte Alz. Ribrº, B., s/mer.- pacífico Fº 7 - Fª 10 Fª 10

FG. 164: Jose Jm. de almdª. b., s/mer., - pacífico.

Fg. 165: Vicente Borges Falleiros, b., s/mer., - homem de probidade. fº 3 - fª 2 escrº 13 - escrª 6 famº 2

Fg. 166: Pedro Pinhrº, p., s/mer. - de bom procedimento. fº 2 - fª 2

Fg.167: Je. Glz. Messias, p., s/mer., - carpinteiro pacífico. fº 1 - fª 2 CHAPADÃO

Fg. 168: Antª Mª Glz., p., v., - de honesta fama. fº 2 - fª 3 escrª 1 agreg. Je. Duarte, p., s/mer., - pacífico. Antº Diniz, p?., s/mer.,- pacífico. fº 1

Fg.169: Jose Frrª Mens., b., s/mer., - homem de probidade. fº 6 - fª 4 escrº 5 - escrª 5

Fg. 170: Jose Maxado Diniz, b., s/mer., - homem de bem. fº 2 - fª 2 escrº 6 - escrª 2

Fg.171: Antº Maxado Diniz, b., s/mer. - de boa conducta. escrº 1 - escrª 1

Fg. 172: Alfs. Manoel Caetano Mens., b., s/mer. - de gênio altivo , mas de boa conduct.

Fg. 173:Alfs. Heitor Frrª de Barcellos, b., s/mer.- de gênio altivo, mas de bem. fº 3 - fª 3 famª 1 escrº 6 - escrª 6

Fg. 174: Manoel de Mends. Ribrº, b., s/mer.- de boa conducta. escrº 1 - escrª 1

Fg. 175: Francisco de Paula Silveira, b., s/mer., - homem de bem. fº 2 - fª 1 escrº 2 - escrª 1

Fg. 176: Anselmo Ferreira de Barcelos, b,s/mer., - de más entranhas.

Fg.177: Antº Ferrª de Mattos, p.s/mer., - vuve pacìficamente. Fº 3 -

Fg.178: Jose Rz. Maxado, p?, s/mer., - pacífico

Fg. 179: Capm. Hippolyto Antº Pinheiro, b., s/ mer. - homem pacífico e de probidade. fº 1 - fª 1 escrº 7 - escrª 4

Fg.180: Jose Jm. de Oliveira, b., s/mer.- vive pacificamente. escrº 3 - escrª 2

Fg. 181: João Je. Szª , b., s/mer. - doente de boa conducta. escrº 4 escrª 3

Fg. 182: Julio Je. Frcº , p., s/mer. - pacífico.

Fg.183: Vicente Gomes Pinheiri, b., s/mser., - da más untenloens. escr 1 - escrª 1

Fg. 184: Jose Glz da Costa, b., s/mer., - de boa conducta.

Fg. 185: Joaquim Gomes Pinheiro, b., s/mer. - homem perverso e de má nota. fº 1 escrº 1 - escrª 1

Fg. 186: Ambrózio Gomes Pinheiro, b., s/mer., - de pouci cinceito. escrº 1 - escrª 1

Fg. 187: Januário Je, de Souza, b., s/mer. - homem de probidade. fº 1 - fª 1 escrº 17 - escrª 12

Fg. 188: Eufrázia Mª , b., c., - pouci honesta. fº 2 - fª 1 escrº 1 - escrª 1

Fg. 189: Antº Miz. Rz., b., s/mer. - de boa conducta. fº 2 escrº 2 - escrª 3 famª 3

Fg. 190: Jose de Souza Teixeira, b, s/mer. - pacífico. fª 1 escrº 2 - escrª 3 famº 2

Fg. 191: Maria da Comceição, n., b. , - honesta. fº 1 - fª 1 gento: Jose G?, n., s/mer. - de boa conducta. Joaquim Lopes, n., s/mer. , - pacífico.

Fg. 192: Manuel Joaquim da Motta, p., s/mer. - vive em paz. fº 1 - fª 1

Fg. 193 Joze Btº, b., s/mer., - pacífico. fº 1 gento: Theidoro Gomes, p., s/mer. - pacífico.

Fg. 194: Antº Frcº , p. s/mer.,- pacífico.

Fg. 195: Mnoel Maxado..., p., s/mer. - com nota de homicida.

Fg. 196: Antº Mendes Morª, p., s/mer., - pacífico.

Fg. 197: Philippe Jose Pires, p., s/mer. - de boa conducta. fº 1

Fg. 198: Joaquim Frrª? Lopes, b., s/ mer.- homem de bem. escrº 1 - escrª 2

Fg. 199: Theodozio de Mendonça, b., s/mer., - de boa conlducta. fº 1 - escrº 6 - escrª 1

Fg. 200: André de Mendonça, b., s/mer., - pacífico escrª 1

Fg. 201: Joaquim Jose Frrª, b., s/mer., - homem de probidade. fº 3 - fª 3 escrº 3 - escrª 3

Fg. 202: Ignácio Jose Rabello, b., s/mer., - de boa conducta. fº 4 - fª 3 escrº 6 - escrª 1

RIBEIRÃO

Fg. 203: Mª Francisca , b., v., - de probidadefª 1 ntª: 1 escr 4 - escrª 2

Fg. 204: Antº Jose de Faria, b., s/mer., - homicida. escrª 1

Fg. 205: Lucia Barbza , b., c., - de boa conducta.

Fg. 206: Vicente Frrª de Faria, s/mer., - de boa conducta. escrº 1 - escrª 1

Fg. 207: Bento de Mags. , b., s/mer. - pacífico, mas de língua enganadora. º 7 - fª 2f escrº 5 - escrª 11

Fg. 208: Jose Antº de Souza, b., s/mer.- de boa índole.

POSSE

Fg. 209: Antº Jose de Barcellos, , b., s/mer., - homem refolhado de má condução?. fº 1 escrº 4 - escrª 2

Fg.210: Manoel de Souza Cardozo, b., s/mer., - pacófico fº 1 - fª 1 escrº 1 - escrª 2

Fg. 211: Antº Marqs. da Sª, b., s/mer., - de boa conducta.

Fg. 212: Manoel Pinto Perª , b., s/mer., - não tem boa nota. fº 1 - fª 1 escrº 2 sogra: Angelica Mª, b., v., - honesta. escrº 1 - escrª 1

Fg. 213: Manoel Mz. Parreras , b., s/mer., - pacífico. fº 2 escrº 1 agreg.: Egidio da Sª, p., s/mer., - pacífico.

Fg. 214: Jose Maxado da Sª, b, s/mer., - de probidade. fº 2 - fª 4 escrº 3 - escrª 4

Fg. 215: Manoel de Paula, b., s/mer., - de boa conducta. escrº 2- escrª 1

Fg. 216: Antº Frrª de Barcellos, b., v., - de gênio altivo escrº 5 - escrª 2 famº 2

Fg. 217: Joaquim Pedro, p., s/mer., - carpinteiro pacífico. fº 5 - fª 3 escrº 1 genro: Mathias Veríssimo, p., s/mer., - pacídico.

Fg. 218: Capm. Jose Gonçalves de Mello, b., s/mer., - homem refolhado. fº 2 - fª 3 escrº 6 - escrª 2 famº 1 genro: João Mendes, b., s/mer., - pacífico. escrª 1

Fg. 219: Joze Thomas de Mello, b., s/mer., - perverso. escrº 1 - escrª 1

Fg. 220: Antº de Souza Sims., p., s/mer., - sapateiro pacífico.

OLARIA

Fg. 221:Manoel Manso , b., s/mer., - homem pacífico. famº 3 escrº 1

Fg. 222: Philippe Jose de Souza, p., s/mer., - vive em paz. fº 1 - fª 2 genro: Manoel Jose . p, s/mer., - homem mentirozo.

Fg. 223: Antº Vieira Veho, b., s/mer., - homem de probidades. fº 6 - fª 1 escrº 10 - escrª 8

Fg. 224: João Caetano de Souza, b., v., - homem de bem. fº 2 escrº 1 - escrª 3

Fg.225: Joaquim Vieira Velho, b., s/mer., - de boa conducta. escrº 2 camarada: 1

Fg.226: Veríssimo Glz. da Costa, b., s/mer., - de probidade. fº 6 - fª 2 escrº 2

Fg. 227: Afão Glz., p., v., - pacífico. fº 3

Fg. 228: Joaquim Correa, b., s/mer., - de más intençoin. escrª 1 - escrª 1 famº 1

Fg. 229: Antº Correa, b., s/mer., - de boa conducta.

MACAÚBAS

Fg. 230:Antº Alz. Guims., b., s/mer., - homem de bem. fº 1 escrº 7 - escrª 4

Fg. 231: Joze Falleoros, b., s/mer., - de boa conducta.

Fg. 232: Ignácio de Freitas, b., s/mer., - homem refolhado. escrº 1

Fg. 233: Alexs. Perª da Sª, b., s/mer., - de boa conducta. escrª 1

Fg. 234: Jacinto Antº Felizardo. b., s/mer., - ferreiro de gênio altivo. fº 2 escrº 1 - escrª 1 famº 3

Fg. 235: Joaquina Custódia , b., v., - honesta. escrº 2 - escrª 1

Fg. 236: Verríssimo Plácido de , b., s/mer., - de probidade. escrº 2 - escrª 2

Fg. 237: Germano Quirino, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 238: Lourenço Boeno da Sª, b., s/mer., - vive em paz. fº 6 - fª 2

Fg.239: Antonio Garcia, b., s/mer., - pacífico. escº 1

FORTALEZA

Fg. 240: Mª Nunes, p., v., - honesta. fº 3 escrº 6 - escrª 1

LAGOA RICA

Fg. 241: Antº Perª Neves, b., s/mer., - pacífico. fº 4 - fª 1 escrº 3 - escrª 1

Fg.242: Venâncio Prª Neves, b., s/mer., - boa conducta. escrª 1

Fg. 243: Manoel da Cruz, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 244: Domingos Marques, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 245: Manoel Alz da Sª, p., s/mer., - carpinteiro pacífico.

Fg. 246: Jose da Costa Coutº, b., s/mer., - pacífico. fº 1 escrº 2 famª 1

Fg. 247: Francisco da Costa Coutº, p., s/mer., - pacífico.

Fg. 248: Antº de Moraes, b., s/mer., - cim má nota. fº 3 - fª 2

Fg. 249: Joaquim Borges de Carvalho, b., s/mer., - pacífico. fº 1

Fg. 250: João da Costa Maldonado, b., s/mer., - fº 2 - fª 2 escrº 2 - escrª 1

ESMERIL

Fg. 251: Diogo Garcia Lopes, b., s/mer., - homem de bem. fº 2 - fª 2escrº 2 - escrª 2 filho: Manoel Diogo, b., s/mer., - de boa conducta. genro: Antº Jose de Souza, b., s/mer., -

RESSACA

Fg. 252: Manoel Alzs. Perª, b., s/mer., - carpinteiro pacífico. fº 1 - fª 2 escrº 2 - escrª 3 genro: Antº Jose, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 253: Antº Lopes da Sª, b., s/mer., - de boa conducta. fº 1 - fª 1 escrº 3 - escrª 2 famº 4

Fg. 254: Antº forro, n., s/mer., - pacífico. famº 1

Fg. 255: Estevão forro, n., s/mer., - pacífico.

fg. 256: Jose Maxaso Pacheco, b., s/mer., - pacífico.

SANTA BÁRBARA

Fg. 257: Pedro Jose Teixeira, b., s/mer., - de boa conducta. fº 1 escrº 2 - escrª 1

Fg. 258: Francisco Carlos Frz? Brabo, b., s/mer., - homem de má conducta e nota. escrº 5 - escrª 2

Fg.259: Jose Ribrº da Sª, b., s/mer., - de boaa conducta. fº 1 - fª 1

Fg. 260: Joaquim Ribeiro da Sª, b.s/mer., - de bonscustumes. fº 1 - fª 2

Fg. 261: Jose Joaquim da Sª, b., s/mer., - de boa conducta.

Fg. 262: Antº Frz. Laguaça, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 263: Diogo da Silveira, b., s/mer., - pacífico.

Fg. 264: Jose Glz. Dutra, b., s/mer, - de pouco conceito.

Fg. 265: Ignácio Rz. da Sª, b., s/mer., - de má condição.

Fg. 266: Joaquim Jose Rz., p., s/mer., - de boa conducta.

Fg. 267: Manel Morª dos Santos, p., s/mer., - de boa índole.

Fg. 268: Jião de Souza de Moraes, p., s/mer., - de bons custumes. fº 3 - fª 3

Fg. 269: Vicente Ferreira Antunes, b., s/mer., - homem de bem. fº 1 escrº 9 - escrª 8 famª 1

Fg. 270: João Francisco França, p., c., - pacífico. fº 1 - fª 2

SANTO ANTONIO

Fg. 271: Capm. Francisco Antonio Diniz Junqueira, b., c., - de probidade. escrº 13 - escrª 8genro: Jose Ferrª de Morais, b., c., - de boa conducta.

Fg. 272: Joaquim Rz. da Costa, b.,c., - pacífico. fº 1 - fª 1 escrº 1 - escrª 1 agreg. Luiz Correa, b., c., - pacífico. Antº Rz. ,b., c., - homem preguiçoso.

Fg. 273: Venancio Frz., b., c., - de boa conducta. escrª 1

Fg. 274: Januário Garcia Leal, b.,c., - pacífico. escrº 1

Fg. 275: Joaquim Garcia, b., c., - pacífico.

Fg. 276: Jião Pedro Garcia, b., c., - pacífico. famº 1

Fg. 277: Joaquim Frrª dos Santos, b., c., - de boa conducta. fº 1 escrº 3 - escrª 2

Fg. 278: Jose Glz de Faria, b., c., - pacífico. fª 3

Fg. 279: Ignácio Rz. Nunes, p., c., - pacífico.

Fg. 280: Joaquim Glz. Dutra, b., c., - de má nota. genro: Manoel Perª, b.,c., - pacífico.

SALGADO

Fg. 281: Jose de Almeida Pires, p., c., - pacífico. fº 2 - fª 4 famª 1

Fg. 282: Manoel Mendes da Sª, p., c., - pacífico.

Fg. 283: Manoel Francisco Ribeiro, p., c., - pacífico.

Fg. 284: Felisberto de Almeida, p., c.,- pacífico.

Fg. 285: Vicente Pires,p., c., - de pouco conceito. fº 1 - fª 1 famº 1

AREAS

Fg. 286: Jose Figueira de Azevedo,b., s., - homem perverso e de má nota e concubinado. fº 1 escrº 1 genro: Jião Gomes, b., c., - de boa conducta.

Fg. 287: Jose Macedo, b., c., - homicida.

Fg.288: Ignácio Alz., p., c., - pacífico.

Fg. 289: Pedro Figueira, b., c., - pacífico.

LAGOAS

Fg. 290: Alfs. João Alz. de Figueiredo, b., v., - homem de probidade. fº 2 - fª 2 ntª: 1 famª 3 escrº 15 - escrª 12

Fg. 291: Jose Glz. Leitão, p., c., - de boa conducta. fº 2 - fª 2 escrº 1

Fg. 292: Manoel Joaquim Rz., p., c., - de bons custumes. fª 1

Fg. 293: João Baptª , p., c., - homem intrigante. fº 1 - fª 4

Fg. 294: Jião Rz. da Costa, b., s., - pacífico. escrª 3

Fg. 295: Mª Chª, p.,c., - de má língua.

Fg. 296: Anna Joaquina, b., v., - honesta. fº 2 - fª 2 escrº 1 - escrª 1

Fg. 297: Jose Garcia Leal, b., c., - homem de bem. escrº 3 - escrª 2

Fg. 298: Alfs. Mnoek Alz. de Figueiredo, b., c., - de probidade. escrº 1 - escrª 3 famº 3

RESSACA ?

Fg. 299: Maria Angélica , b., v., - pouco honesta. fº 2 - fª1 escrº 1

Fg. 300: Jose Barboza da Sª, p., c., - pacífico. fº 2 genro: Calaudio Rz. , p., c., - pacífico.

MONJOLINHO

Fg. 301: Anna Mª , b., b., - honesta. fº 3 - fª 2 netos: 2

Fg. 302: Jose Ribrº de Mattos. b., c., - perverso.

CÓRREGOS

Fg. 303: Este sítio pertence ao Capm. João Figrª de Azevedo, morador em Mogi-Guassu agregados: Antº Garcia. p., s., - de má conducta. Anita Rz., p., s., - prostituta. fº 1Anna Mª. p., s., - orostituta. fº 1 urmans prostitutas:3 famª:1 q

Fg. 304: Francisco Xer. de Barros, p., c., - pacifico.

Fg. 305 Manoel Luiz Moreira, p., c., - de boa conducta. fº 2

Fg.306: Manoel Correa da Sª, p., c., - pacífico. fª 1 famª 1

CAPIVARY

Fg. 307: Mª Joanna, b., v., - honeste e de probidade. fº 3 - fª 3 escrº 2 - escrª 5

Fg. 308: Aleixo Francisco, n., c., - de boa conducta

Fg. 309: Joaquim de Paula Sª, b., c., - de boa conducta. Edcrº 2 - escrª 2

CALÇÃO DE COURO, digo. POUZO ALTO

Fg. 310: Anna Rosa de Jesus, b., v., - honesta. fº 2 - fª 3 escrº 1

Fg. 311: Luiz Antº da Costa, b., c., - homem intrigante.

Fg. 312: João Rz. Barros, b., c., - pacífico.

CALÇÃO DE COURO

Fg. 313: Francisco Alz. de Vasconcellos, p., c., - depouco conceito. escrª 1

Fg.314: Trustão da Cª, p., c., - pacífico.

Fg. 315: Pauli Ribrº , p., c., - pacífico. fº 2 - fª 1 famª 1

Fg. 316: Vicente Ferrª. p., v., - pacífico. fª 2

Fg. 317: Manoel Figrº de Azevedo, b., c., - de gênio arrogante. fª 1 famª 1 gentos pacíficos, brancos: 2

Fg. 318: Francisco Figrª de Azevedo, b., c., - pacífico. fª 2 escrº 5 - escrª 1 genro: Manoel Fifueira. b., c., - pacífico.

Fg. 319: Felizardo Frrª, p., v., - honesto. fº 3 - fª 2 escrº 2 - escrª 3

RIO DAS PEDRAS

Fg. 320: Vicente Pires, p., c., - de boa conducta. escrº 1 ir: Lázaro Pires, p., s., - o mesmo, escrº 1 Antº Pires, p., v., - o mesmo, camarada:1

Fg. 321: Januário Cintra, p., c., - de boa conducta. fº 3 escrº 2 genro Regynaldo Paes, p., c., - paccífico.

Fg. 322: Migueo Ribrº , p., c., - pacífico.

Fg. 323: Matheus, n, c., forro, - pacífico.

Fg.324: Manoel Prª de Arº., p., c., - de pouco conceito.

Fg. 325: Jose Leite de Arº, p., c., - de pouco conceito.

Fg. 326: Manoel Joaquim de Arº. b., c., - pacífico. fº 1 - fª 1

Fg. 327: João dos Santos, p., v., - pacífico. fº : Pedro dos Santos

Fg. 328: Mª Chaves, p., v., - honesta. fº 4 escrº 1

Fg. 329: Jannuário Antº , p., c., - de mao procedimento.

Fg. 330: Domingos Rz. Teixera, p., c., - pacífico. fº 1

Fg. 331: Felicia Teirª, - honesta. famª 1

Fg. 332: Jose Pacheco de Souza, p., c., - de boa conducta. famº 3

Fg. 333: Antonio de Paiva Lima, p., c., - homem refolhado. fº 4 - fª 3 escrº 4 - escrª 2 ir....: Firmiano Paiva, p., s., - de boa conducta. BARRA/ou BARCA

Fg. 334: Manoel Pedro Forquim, b., c., - de boa conducta. escrº 1 famº 4

SOLEDADE

Fg.335: Ignácio Glz. Barbª, p., c., - de loubável procedimento. fº 3 - fª 2 escrª 1 agreg: Francisco Correa, p., c., - pacífico.

Fg. 336: Antº Glz. Barboza, p., c., - de gênio áspero.

Fg.337: João Barboza, p., c., - pacífico.

Fg. 338: Francisco de Paula Igrª, p., c., - pacífico.

FG. 339: Manoel Perª Ptº, p., c., - pacífico. fº 1fª 1 famª 1

Fg. 340: Jose da Sª Rêgo, p., c., - de boa conducta. fº 2 - fª 1 escrº 1

Fg. 341: Manoel Antº Soares, p., c., - de bom procedimento. fº 1

Fg. 342: Ignácio Perª, p., c., - homem áspero e intrigante. fº 1 famª 2

Fg. 343: Januário Jose Pedrozo, p., c., - pacífico.

Fg. 344: Jose Felizardo Correa, p., c., - de boa conducta. fº 1 - fª 1 famª 1

Fg. 345: Bartholomeu Lemes, p., c., - pacífico.famº 1

Fg. 346: João Antes. Maciel, p.,c., - homicida perverso fº 2 todos de má conducta.

Fg. 347: Luiz Rodrigues de Siqrª, b., c., - perverso e há muito concubinado com Mª Baptª fº 1 - fª 1

NOVOS ENTRANTES

Fg. 348: Revdº Manoel Ribrº dos Santos escrº 4 - escrª 1 famº 1 May: d. Mª Joanna de Vasconcellos, b., v., escrº 6 escrª 2 thias: Antª Delfina,b., s., escrº 3 - escrª 1 Catharina de Leme, b., s., escrº 1 - escrª 1

Fg. 349: Jose Ribrº dos Santos, b., c., - de probidade. fº 1 famª 1 escrº 6 - escrª 3

Fg. 350: Antº Nunes da Sª, b., s., famº 4 escrº 2 - escrª 3

Fg. 351: João Glz. Gomes, b., c., escrº 4 - escrª 7

Fg. 352: Manoel Faustino Marques, b., c., escrº 2 - escrª 1

Fg. 353: João Alvz. Correa, b., c., fº 2 - fª 1 escrº 1

Fg. 354: PlácidoAntº dos Santos, p., c.,escrº 1

Fg.355: Philadelfio Jose Rz., b., c., fº 1 escrª 1

Fg. 356: João Manoel da Cª, p.,c., fº 4

Fg. 357: Bernardo Jose de Souza, p.,c.,

Fg.358: Jose Luciano dos Santos, b., c., fº 2 - fª 2 genro: Joaquim Perª da Sª, b., c.,

Fg. 359: Manoel da Costa Cabral, p., c.,

Fg. 360: Francisco Leonardo de Brito. p., c., - perverso. agreg. Mª Maxado

Fg. 361: Mnº Dias de Olivrª, p., v., fº 1 - fª 3 agreg. Joaquim Prª, p., c.,

Fg.362: Joaquim Lopes, p., c., fº 2 - fª 2

Fg. 363: Bárbara Mª Rz., b.,v., fº 2

Fg. 364: Simplício Lopes, p., c.,

Fg. 365: Antº Jose Prª, p., c.,

Fg. 366: Mª Frrª, p., v., fº 2 famª 1

Fg. 367: Antº Marqs. de Assumpção, p., c.,

Fg. 368: Manoel Frz. do Espirito Santo, p., c.,

Fg. 369: Antº Glz. Barreto, p., c., fº 2 famª 1

Fg. 370: João da Costa , b., s., carpinteiro. escrº 1 jornaleiros solteiros: 16

Consta esta lista de 370 fogos e de 2.300 pessoas de confissão. Franca, 22 de Abril de 1819. O Vigº Joaquim Miz. Roiz.

RESUMO DEMOGRÁFICO DA LISTA DO VIGÁRIO.

ARRAIAL DA FRANCA

Número de fogos: 23 Média de moradores por fogos: Total dos habitantes di Arraial:133

SUBÚRBIOS DO ARRAIAL

Número de fogos: 57 Média de moradores por fogos: 5,3 Total dos habitantes dos Subúrbios do Arraial: 303

POUSO ALTO

Número de fogos: 4 Média de moradores por fogo: 10,0 Total dos habitantes do Pouso Alto: 43

POUSO ALEGRE

Número de fogos: 30 Média de moradores por fogo: 5,2 Total dos habitantes di Pouso Alegre: 156

RIBEIRÃO DA PINGUELA

Número de fogos: 21 Média de moradores por fogo: 5,0 Total dos habitantes do Ribeirão da Pinguela: 113

BORDA DA MATA

Número de fogos: 22 Média de moradores por fogo: 5,3Total dos habitantes da Borda da Mata: 116T

BOM JESUS

Número de fogos: 5 Média de moradores por fogo: 4,8 Total dos habitantes do Bom Jesus: 24

TAQUARA

Número de fogos: 4 Média de moradores pir fogo: 15,7 Total dos habitantes da Taquara: 63

CHAPADÃO

Número de fogos: 35 Média de moradores por fogo: 8,3 Total dos habitantes di Chapadão: 292

RIBEIRÃO

Número de fogos: 6 Média de moradores por fogos: 12,5 Total dos habitantes do Ribeirão: 75

POSSE

Numero de fogos: 12 Média de moradores por fogos: 8,6 Total dos habitantes da Posse: 104

OLARIA

Numero de fogos: 9 Média de moradorespor fogo: 8,5 Total dos habitantes do Olaria: 77

MACAÚBAS

Numero de fogos: 10 Média de moradores por fogo: 8,5 Total dos habitantes das Macaúbas: 77

FORTALEZA

Numero de fogos:1 Média de moradores por fogo: 10 Total dos habitantes da Frtaleza: 10

LAGOAS

Numero de fogos:11 Média de moradores por fogo: 5,9 Total dos habitantes das Lagoas: 65

ESMERÍL

Numero de fogos: 1 Média de moradores por fogos: 14 Total dos habutantes di Esmeríl: 14

RESSACA

Numero de fogos: 5 Média de moradores pir fogo: 6,8 Total de habitantes da Ressaca: 34

SANTA BÁRBARA

Numero de fogos: 14 Média de moradores por fogo: 5,5 Total de habitantes da Santa Bárbara: 77

SANTO ANTONIO

Numero de fogos: 10 Média de moradores por fogo: 7,1 Total de habitantes do Santo Antonio: 71

SALGADO

Numero de fogos: 5 Média de moradores por fogo: 4,4 Total dos habitantes do Salgado: 22

AREIAS

Numero de fogos: 4 Média de moradores por fogo: 3,5 Total dos habitantes das Areias: 14

LAGOAS (novamente)

Numero de fogos: 9 Média de moradores por fogo: 9,4 Total dos habitantes ds Lagoas: 85

RESSACA (novamente)

Numero de fogos: 2 Média de moradores por fogo: 5,5 Total dos habitantes da Ressaca: 11

MONJOLINHO

Numero de fogos: 2 Média de moradores por fogo: 5,0 Total de habitantes do Monjolinho:10

CÓRREGOS

Numero de fogos: 4 Média de moradores por fogo: 4,2 Total dos habitantes dos Corregos:17

CAPIVARI

Numero de fogos: 3 Média de moradores por fogo: 7,3 Total dos habitantes do Capivri: 22

POUSO ALTO ( novamente )

Numero de fogos: 3Média de moradodres por fogo: 3,6 Total dos habitantes do Pouso Alto: 11

CALÇÃO DE COURO

Numero de fogos: 7 Média de moradores por fogo: 8,0 Total dos habitantes do Calção de Couro: 56

RIO DAS PEDRAS

Numero de fogos: 13 Média de moradores por fogo: 6,0 Total dos habitantes do Rio das Pedras: 78

BARRA ou BARCA

Numero de fogos: 1 Média de moradores por fogo: 7,0 Total dos habitantes da Barra ou Barca: 7

SOLEDADE

Numero de fogos: 13 Média de moradores por fogo: 4,4 Total dos habitantes da Soledade: 58

NOVOS ENTRANTES

Numero de fogos: 23 Média de moradores por fogo: 7,0 Total dos novos entrantes: 162

POPULAÇÃO LIVRE RELACIONADA PELA COR DE SUA PELE

Brancos: 212

Pardos: 159

Negros: 6

  • BOTELHO, Tarcísio Rodrigues. População e nação no Brasil do século XIX São Paulo: USP,1999. (Tese de Doutorado)
  • BOTELHO, Tarcísio Rodrigues. Contando os milhões. Revista Nossa História, nş 4, p.76-9,fevereiro de 2004.
  • CALEIRO, Regina Célia Lima. Mulheres e cotidiano na ordem escravocrata: a violência quese adivinha. Belo Horizonte: UFMG, 2004. . (Tese de Doutorado[
  • CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial. Rio de Janeiro:Ed. da UFRJ; Relume-Dumará,1996.
  • CHIACHIRI FILHO, José. Do sertão do Rio Pardo à Vila Franca do Imperador Ribeirão Preto:Ribeira, 1986.
  • FARIA, Sheila de Castro. Censo de 1872. In: VAINFAS, Ronaldo (org.). Dicionário do Brasil Imperial Rio de Janeiro: Objetiva, 2002, p.131-132.
  • MARCÍLIO, Maria Luiza. Crescimento demográfico e questão agrária paulista São Paulo:Hucitec, 2000.
  • PAIVA, Clotilde. & MARTINS, Roberto. Um estudo crítico do recenseamento de 1872 BeloHorizonte: Cedeplar, 1983.
  • SILVA, J. Investigação sobre os recenseamentos da população geral do Império e de cadaprovíncia de per si tentados desde os tempos coloniais até hoje São Paulo: IPE/USP, 1986.
  • 1
    FARIA, Sheila de Castro. Censo de 1872. In: VAINFAS, Ronaldo (org.).
    Dicionário do Brasil Imperial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002, p.131.
  • 2
    FARIA, Sheila de Castro. Censo de 1872. In: VAINFAS, Ronaldo (org.).
    Dicionário do Brasil Imperial, p.131.
  • 3
    BOTELHO, Tarcísio Rodrigues.
    População e nação no Brasil do século XIX. São Paulo: USP, 1999, p.18-9. (Tese de Doutorado)
  • 4
    Para uma discussão sobre os censos no Brasil, ver: MARCÍLIO, Maria Luiza.
    Crescimento demográfico e questão agrária paulista. São Paulo: Hucitec, 2000.; PAIVA, Clotilde. & MARTINS, Roberto.
    Um estudo crítico do recenseamento de 1872. Belo Horizonte: Cedeplar, 1983.; BOTELHO, Tarcísio Rodrigues.
    População e nação no Brasil do século XIX.; SILVA, J.
    Investigação sobre os recenseamentos da população geral do Império e de cada província de per si tentados desde os tempos coloniais até hoje. São Paulo: IPE/USP, 1986.
  • 5
    CARVALHO, José Murilo de.
    A construção da ordem: a elite política imperial. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ; Relume- Dumará, 1996.
  • 6
    BOTELHO, Tarcísio Rodrigues.
    População e nação no Brasil do século XIX, p.48. Essa crescente sistematização na elaboração desses dados vai culminar no Recenseamento de 1872, conhecido como o maior instrumento de contagem da população do Brasil monárquico e o "primeiro censo propriamente dito do país". Mesmo com todos os problemas que alguns demógrafos encontram nele, o Censo de 1872 apresentam dados fundamentais sobre a demografia nacional em um processo gradual de fim do Império. Sheila de Castro Faria ressalta a lei regulamentada em 30 de dezembro de 1871 que previa a execução do censo "com base em boletins ou listas de famílias dos habitantes, fossem nacionais ou estrangeiros, livres ou escravos, declarando-se nome, sexo, idade, cor, estado civil, naturalidade, nacionalidade, residência, grau de instrução, religião, enfermidades aparentes a grau de parentesco ou de convivência de cada pessoa com o chefe de família". FARIA, Sheila de Castro. Censo de 1872. In: VAINFAS, Ronaldo (org.).
    Dicionário do Brasil Imperial, p.132.
  • 7
    CHIACHIRI FILHO, José.
    Do sertão do Rio Pardo à Vila Franca do Imperador. Ribeirão Preto: Ribeira, 1986.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      04 Jan 2008
    • Data do Fascículo
      Dez 2006

    Histórico

    • Aceito
      17 Abr 2006
    • Recebido
      13 Mar 2006
    Pós-Graduação em História, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos, 6627 , Pampulha, Cidade Universitária, Caixa Postal 253 - CEP 31270-901, Tel./Fax: (55 31) 3409-5045, Belo Horizonte - MG, Brasil - Belo Horizonte - MG - Brazil
    E-mail: variahis@gmail.com