(Atualizado: 05/04/2022)

Sobre o periódico

 

Informações básicas

 

A Epidemiologia e Serviços de Saúde: revista do SUS (RESS) é um periódico científico de acesso aberto, publicado trimestralmente, gratuito e de fluxo contínuo, editado pela Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços, do Departamento de Articulação Estratégica de Vigilância em Saúde da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde do Brasil (CGDEP/DAEVS/SVS/MS).

A RESS é regida pela Portaria nº 14, de 13 de agosto de 2015, e pelo seu Estatuto – elaborado pelo Núcleo Editorial e o Comitê Editorial –, que podem ser acessados para mais informações.

A abreviatura de seu título é Epidemiol. Serv. Saúde, que deverá ser usada em bibliografias, notas de rodapé, em referências e legendas bibliográficas.

 

 

Missão

 

A missão da RESS é difundir o conhecimento epidemiológico aplicável às ações de vigilância, de prevenção e de controle de doenças e agravos de interesse da saúde pública, visando ao aprimoramento dos serviços oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

 

 

Histórico

 

A RESS é continuação do Informe Epidemiológico do SUS (IESUS) criado em 1992, após a constituição do Centro Nacional de Epidemiologia (CENEPI). Em 2003, com a criação da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), passou a denominar-se Epidemiologia e Serviços de Saúde (RESS), a partir do volume 12, número 1.

 

 

Fontes de indexação

 

Os artigos publicados na Epidemiol. Serv. Saúde (RESS) são indexados ou resumidos por:

Bases de dados:

  • Medline
  • Coleção SciELO Brasil
  • Coleção SciELO Saúde Pública
  • Scopus
  • Embase
  • Literatura Latino-Americana em Ciências da Saúde (LILACS)
  • Web of Science

Indexadores:

  • Emerging Sources Citation Index (ESCI)
  • Sumarios.org

Diretórios:

  • Sistema Regional de Información em Lí nea para Revistas Cientí ficas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex)
  • Directory of Open Access Journals (DOAJ)

Biblioteca virtual:

  • Periódicos CAPES
 

 

Propriedade intelectual

 

Os artigos publicados são de responsabilidade dos autores e não expressam necessariamente a posição do Ministério da Saúde. É permitida a sua reprodução parcial ou total, desde que citada a fonte, sendo vedado o seu uso para fins comerciais. Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob a licença Creative Commons do tipo atribuição (CC-BY).

 

 

Patrocinadores

       Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS)

svsms sus
 


Corpo Editorial

 

Editora Chefe

 
  • Cynthia Braga, Instituto Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz, Recife, PE – Brasil
 

 

Editora Executiva

 
  • Fátima Sonally Sousa Gondim, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF – Brasil
 

 

Editora Científica

 
  • Bárbara Reis-Santos, Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose (Rede-TB), Rio de Janeiro, RJ - Brasil
 

 

Editores

 

Editores Associados

  • Amanda Coutinho de Souza, Organização Pan-Americana da Saúde, Brasília, DF – Brasil
  • Carolina Fausto de Souza Coutinho, Fundação Getulio Vargas, São Paulo, SP – Brasil
  • Cristine Bonfim, Diretoria de Pesquisas Sociais da Fundação Joaquim Nabuco, Pernambuco, PE - Brasil
  • Doroteia Aparecida Höfelmann, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR - Brasil
  • Isis Polianna Silva Ferreira de Carvalho, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF – Brasil
  • Elisângela Aparecida da Silva Lizzi, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Cornélio Procópio, PR – Brasil
  • Emanuele Souza Marques, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ – Brasil
  • Laylla Ribeiro Macedo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ – Brasil
  • Maryane Oliveira Campos, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF - Brasil
  • Tatiana Mingote Ferreira de Ázara, Instituto René Rachou, Fiocruz, Minas Gerais, BH– Brasil
  • Thaynã Ramos Flores, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS – Brasil

Editora para artigos de revisão sistemática

  • Taís Freire Galvão, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP - Brasil

Editora para métodos estatísticos

  • Lúcia Rolim Santana de Freitas, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF - Brasil
 

 

Comitê Editorial

 
  • Alicia Matijasevich Manitto, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP - Brasil
  • Ana Lúcia Escobar, Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, RO - Brasil
  • Brendan Flannery, Centers for Disease Control and Prevention, Atlanta - Estados Unidos
  • Bruce Bartholow Duncan, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - Brasil
  • Carlo Henrique Goretti Zanetti, Universidade de Brasília, Brasília, DF - Brasil
  • Carlos Castillo Salgado, Johns Hopkins University, Baltimore - Estados Unidos
  • Carlos Machado de Freitas, Fundação Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ - Brasil
  • Cláudia Medina Coeli, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ - Brasil
  • Cor Jesus Fernandes Fontes, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT - Brasil
  • Eduardo Simões, University of Missouri, Columbia - Estados Unidos
  • Eliseu Alves Waldman, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP - Brasil
  • Everton Nunes da Silva, Universidade de Brasília, Brasília, DF – Brasil
  • Iná da Silva dos Santos, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS -Brasil
  • Isabella Chagas Samico, Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira, Recife, PE - Brasil
  • Guilherme Loureiro Werneck, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ Brasil
  • Jarbas Barbosa da Silva Júnior, Organização Pan Americana de Saúde, Washington – Estados Unidos
  • João Bosco Siqueira Júnior, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO - Brasil
  • José Cássio de Moraes, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, São Paulo, SP - Brasil
  • José Ueleres Braga, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ - Brasil
  • Luiz Augusto Facchini, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS - Brasil
  • Márcia Furquim de Almeida, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP - Brasil
  • Maria Cecília de Souza Minayo, Fundação Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ - Brasil
  • Maria da Glória Lima Cruz Teixeira, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA - Brasil
  • Maria de Fátima Marinho de Souza, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP - Brasil
  • Marilisa Berti de Azevedo Barros, Universidade de Campinas, Campinas, SP - Brasil
  • Otaliba Libânio de Morais Neto, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO - Brasil
  • Vera Lúcia Guimarães Blank, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC - Brasil
 

 

Produção editorial

 

Secretaria Executiva

  • Aline Vieira de Lima, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF – Brasil
  • Dalila de Carvalho Silva Gonzaga, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF – Brasil

Revisão de Texto (português)

  • Ermenegyldo Munhoz Júnior, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF - Brasil
  • Maria Irene Lima Mariano, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF - Brasil

Tradução e Revisão de Texto (Inglês)

  • David Ian Harrad, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF – Brasil
  • Lúcia Ferreira Quirino, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF – Brasil

Tradução e Revisão de Texto (Espanhol)

  • Lota Moncada, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF – Brasil

Diagramação

  • Rhander David de Lima Sousa, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF – Brasil
  • Editora Librum

Bibliotecária

  • Isabel dos Santos Figueiredo, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília, DF - Brasil

Editoração Eletrônica

  • Alexandre Assunção da Costa, Instituto Evandro Chagas, Ministério da Saúde, Ananindeua, PA- Brasil
  • Alexandre Sena, Instituto Evandro Chagas, Ministério da Saúde, Ananindeua, PA- Brasil
  • Isabella Maria Almeida Mateus, Instituto Evandro Chagas, Ministério da Saúde, Ananindeua, PA- Brasil
  • Raimundo Edrijan Barreto da Silva, Instituto Evandro Chagas, Ministério da Saúde, Ananindeua, PA- Brasil
  • Dóris Angélica de Siqueira Corrêa, Instituto Evandro Chagas, Ministério da Saúde, Ananindeua, PA - Brasil (Coordenadora)
  • Caboverde
  • Editora Librum
 

 


 

POLÍTICA EDITORIAL E INSTRUÇÕES AOS AUTORES

Ética

 

Integridade em pesquisa

A RESS segue as orientações das Recomendações para elaboração, redação, edição e publicação de trabalhos acadêmicos em periódicos médicos, do International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE), disponível em inglês e português.

São adotados os princípios da ética na publicação do código de conduta do Committee on Publication Ethics (COPE), disponível em: https://publicationethics.org/resources/resources-and-further-reading/international-standards-editors-and-authors.

Práticas que ferem a integridade científica, como plágio, autoplágio, fabricação de dados, publicação redundante e conflitos de interesse não divulgados, entre outras práticas de má conduta, serão avaliadas por membros do Núcleo Editorial e do Comitê Editorial, independentes em relação ao processo editorial do manuscrito em questão, de acordo com os fluxogramas (http://publicationethics.org/resources/flowcharts) e demais recomendações do COPE, que comunicará imediatamente os autores sobre a decisão e todas as etapas deste processo. A revista adota o sistema iThenticate para identificação de plágio.

A RESS possui uma Declaração sobre Ética na Publicação, que expressa o compromisso ético da revista para a adoção de melhores práticas na publicação científica.

Ética na pesquisa envolvendo seres humanos

A observância dos preceitos éticos na condução e publicação dos resultados da pesquisa é de inteira responsabilidade dos autores, devendo-se respeitar as recomendações éticas contidas na Declaração de Helsinque. Para pesquisas com seres humanos no Brasil, os autores devem observar integralmente as normas constantes nas Resoluções do Conselho Nacional de Saúde. Sempre que pertinente, deve ser informado o número do protocolo e a data da aprovação por Comitê de Ética em Pesquisa. No caso de ensaio clínico, será necessária a indicação do número de identificação em um dos registros de ensaios clínicos validados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo ICMJE.

Conflitos de interesses

Conflitos de interesses são situações nas quais existem interesses – aparentes ou não – capazes de influenciar o processo de elaboração e de revisão dos manuscritos. São conflitos de natureza diversa – pessoal, comercial, política, acadêmica ou financeira – aos quais qualquer pessoa pode estar sujeita.

Autores devem reconhecê-los e revelá-los, quando presentes, por meio de uma Declaração de Responsabilidade, que deve ser assinada por todos os autores durante a submissão do manuscrito, e do Formulário de declaração de potenciais conflitos de interesse. A declaração sobre o conflito de interesses será publicada no manuscrito, caso aprovado.

Revisores ad hoc envolvidos no processamento editorial deverão declarar, no seu parecer de avaliação do manuscrito, se possuem algum conflito de interesse.  Os principais conflitos de interesse de revisores são:
1. Atuar ou ter atuado na mesma instituição/organização do autor;
2. Ter histórico recente de colaboração ou de publicação com um dos autores;
3. Ter alguma relação com a empresa que financiou a pesquisa;
4. Ter relação pessoal com o autor.

Editores e membros do Comitê Editorial da RESS apresentaram a declaração de conflitos de interesse.

Como forma de assegurar a independência editorial da revista em relação à instituição mantenedora, a decisão sobre a aprovação dos manuscritos para publicação compete ao Comitê Editorial e a decisão sobre a recusa de manuscritos em processamento são validadas por pelo menos dois membros no Núcleo Editorial.

Responsabilidade da autoria

Os autores necessitam declarar ser responsáveis pela veracidade e pelo ineditismo do trabalho, por meio da assinatura da Declaração de Responsabilidade.

Os critérios de autoria devem obedecer às deliberações do ICMJE/Normas de Vancouver, que reconhecem como critério de autoria a contribuição substancial nas quatro seguintes atividades: (i) concepção ou delineamento do estudo, ou coleta, análise e interpretação dos dados; (ii) redação ou revisão crítica relevante do conteúdo intelectual do manuscrito; (iii) aprovação final da versão a ser publicada; e (iv) responsabilidade por todos os aspectos do trabalho, incluindo a garantia de sua precisão e integridade. Todos aqueles designados como autores devem atender aos quatro critérios de autoria.

Direito de reprodução

O conteúdo publicado na RESS está sob licença da Creative Commons do tipo atribuição (CC-BY), segundo a qual é permitido que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir de trabalho publicado, mesmo para fins comerciais, desde que seja atribuído o devido crédito autoral.

Ciência aberta e compartilhamento de dados

A RESS se alinha aos princípios da ciência aberta. São acolhidos manuscritos publicados previamente nos servidores não comerciais de preprints, a exemplo do SciELO Preprints, do bioRxiv e do medRxiv, desde que não tenham sido submetidos a revisão por pares em outro periódico simultaneamente. O autor responsável pela submissão deve informar sobre esse depósito por meio do preenchimento do Formulário sobre Conformidade com a Ciência Aberta, que deve ser submetido como arquivo suplementar ao manuscrito.

A RESS atualmente adota o modelo de revisão por pares duplo-cego. Em alinhamento com a abertura progressiva do processo de revisão dos manuscritos, o nome do editor associado envolvido no processo editorial é incluído no manuscrito publicado.

O acesso às bases de dados do estudo poderá ser solicitado em qualquer etapa do processo editorial. O depósito e o compartilhamento de dados da pesquisa que apoiam a publicação do manuscrito, em repositórios públicos de dados, como o repositório SciELO Data, é incentivado pela RESS. Para acessar as instruções detalhadas sobre o depósito de dados, clique aqui.

A RESS também incentiva o depósito e o compartilhamento das rotinas de programação dos softwares estatísticos utilizadas nas análises de dados, por meio de materiais suplementares.

Equidade de sexo e gênero

Os manuscritos submetidos à RESS devem observar os princípios da Diretriz sobre Equidade de Sexo e Gênero em Pesquisa (Sex and Gender Equity in Research - SAGER). Por esta diretriz, os termos sexo (atributo biológico) e gênero (moldado por circunstâncias sociais e culturais) devem ser usados com atenção, a fim de evitar confusão em seu uso.

 


Instruções aos autores

 

Modalidades dos manuscritos

O Núcleo Editorial da RESS acolhe manuscritos nas seguintes modalidades:

a) Artigo original – produto inédito de pesquisa inserido em uma, ou mais, das diversas áreas temáticas da vigilância, prevenção e controle das doenças e agravos de interesse da saúde pública.

b) Artigo de revisão
b.1) Sistemática – produto da aplicação de estratégias para a redução de vieses na seleção, avaliação crítica e síntese de resultados de diferentes estudos primários, com o objetivo de responder a uma pergunta específica; pode apresentar procedimento de síntese quantitativa dos resultados, no formato de metanálise; é desejável a indicação do registro do protocolo da revisão na base de registros PROSPERO (International Prospective Register of Systematic Reviews).
b.2) Narrativa – produto da análise crítica de material publicado, com discussão aprofundada sobre tema relevante para a saúde pública ou atualização sobre tema controverso ou emergente; deve ser elaborado por especialista, a convite dos editores.

c) Nota de pesquisa – relato conciso de resultados finais ou parciais (nota prévia) de pesquisa original.

d) Relato de experiência – descrição de experiência em epidemiologia, vigilância, prevenção e controle de doenças e agravos de interesse para a saúde pública; deve ser elaborado a convite dos editores.

e) Artigo de opinião – comentário sucinto sobre temas específicos para promover o debate no âmbito da epidemiologia e/ou vigilância em saúde, a partir de evidências científicas e expressando a opinião qualificada dos autores; deve ser elaborado por especialista, a convite dos editores.

f) Debate – artigo teórico elaborado por especialista, a convite dos editores, que receberá comentários e/ou críticas, por meio de réplicas, assinadas por especialistas, também convidados.

g) Investigação de eventos de interesse da saúde pública – produto inédito de experiência em epidemiologia, vigilância, prevenção e controle de doenças e agravos de interesse para a saúde pública.

h) Perfil de bases de dados nacionais de saúde – descrição de bases brasileiras de interesse para a epidemiologia, a vigilância, a prevenção e o controle de doenças, feita a convite dos editores.

i) Cartas – comentários e/ou críticas breves, vinculados a artigo publicado na última edição da revista, que poderão ser publicadas por decisão dos editores e acompanhadas por carta de resposta dos autores do artigo comentado.

As características das modalidades acolhidas estão sumarizadas no quadro abaixo.

Quadro: Características das modalidades dos manuscritos.

Modalidade

Número de palavras

Número de tabelas e figuras

Número de referências

Resumos
(150 palavras)

Quadro de contribuições do estudo

Artigo original

3.500

Até 5

Até 30

Sim

Sim

Artigo de revisão sistemática

3.500

Até 5

Sem limitação

Sim

Sim

Artigo de revisão narrativa

3.500

Até 5

Sem limitação

Sim

Sim

Nota de pesquisa

1.500

Até 3

Até 30

Sim

Sim

Relato de experiência

2.500

Até 4

Até 30

Sim

Sim

Artigo de opinião

1.500

Até 2

Até 30

Não

Não

Debate

3.500 (1.500  cada réplica ou tréplica)

 

Até 30

Não

Não

Investigação de eventos de interesse da saúde pública

2.500

Até 4

Até 30

Sim

Sim

Perfil de bases de dados nacionais de saúde

3.500

Até 7

Até 30

Não

Sim

Cartas

400

Até 5

Até 5

Não

Não

 

A critério dos editores, podem ser publicados outros formatos de artigos, a exemplo de ferramentas para a gestão da vigilância em saúde (limite: 3.500 palavras), aplicações da epidemiologia (limite: 3.500 palavras), entrevista com personalidades ou autoridades (limite: 800 palavras), resenha de obra contemporânea (limite: 800 palavras), artigos de séries temáticas e notas editoriais.

Estrutura dos manuscritos

Na elaboração dos manuscritos, os autores devem orientar-se pelas Recomendações para elaboração, redação, edição e publicação de trabalhos acadêmicos em periódicos médicos, do ICMJE (versão em inglês e versão em português).

A estrutura do manuscrito deve estar em conformidade com as orientações constantes nos guias de redação científica, de acordo com o seu delineamento.

A relação completa dos guias encontra-se no website da Rede EQUATOR (Enhancing the QUAlity and Transparency Of health Research), disponível em: http://www.equator-network.org/reporting-guidelines. A seguir, são relacionados os principais guias pertinentes ao escopo da RESS.

  • Estudos observacionais: STROBE (Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology)
  • Revisões sistemáticas: PRISMA (Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses), versões em inglês e português
  • Estimativas em saúde:  GATHER (Guidelines for Accurate and Transparent Health Estimates Reporting) versões em inglês e português
  • Estudos de bases secundárias:    RECORD    ( Conducted using Observational Routinely-collected health Data)
  • Relato de sexo e gênero: SAGER (Sex and Gender Equity in Research) , versões em    i  nglês  e  português.    

Somente serão aceitos manuscritos que estiverem de acordo com o modelo disponível no Modelo de Submissão. Serão acolhidos manuscritos redigidos em língua portuguesa, com formatação em espaço duplo, fonte Times New Roman 12, no formato RTF (Rich Text Format), DOC ou DOCX (documento do Word). Não são aceitas notas de rodapé no texto. Cada manuscrito, obrigatoriamente, deverá conter:

Folha de rosto

a) modalidade do manuscrito;
b) título do manuscrito, em português, inglês e espanhol;
c) título resumido em português;
d) nome completo, ORCID (Open Researcher and Contributor ID) e e-mail de cada um dos autores;
e) instituição de afiliação (até dois níveis hierárquicos; cidade, estado, país), enumerada abaixo da lista de autores com algarismos sobrescritos; incluir somente uma instituição por autor;
e) correspondência com nome do autor, logradouro, número, cidade, estado, país, CEP e e-mail
f) paginação e número máximo de palavras nos resumos e no texto;
g) informação sobre trabalho acadêmico (trabalho de conclusão de curso, monografia, dissertação ou tese) que originou o manuscrito, nomeando o autor, tipo e título do trabalho, ano de defesa e instituição;
h) Financiamento, ou suporte, com a declaração de todas as fontes, institucionais ou privadas, que contribuíram para a realização do estudo; citar o número dos respectivos processos. Fornecedores de materiais, equipamentos, insumos ou medicamentos, gratuitos ou com descontos, também devem ser descritos como fontes de financiamento, incluindo-se cidade, estado e país de origem desses fornecedores. Essas informações devem constar da Declaração de Responsabilidade e da folha de rosto do artigo.

Resumo/Abstract/Resumen

Deverá ser redigido em parágrafo único, nos idiomas português, inglês e espanhol, com até 150 palavras, e estruturado com as seguintes seções: objetivo, métodos, resultados e conclusão. Para a modalidade relato de experiência, o formato estruturado é opcional.

Palavras-chave/Keywords/Palabras clave

Deverão ser selecionadas quatro a seis, umas delas relacionada ao delineamento do estudo, a partir da lista de Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) (disponível em: http://decs.bvs.br) e apresentadas nos idiomas português, inglês e espanhol.

Contribuições do estudo

Os autores devem informar as principais contribuições do estudo que serão apresentadas em destaque no manuscrito diagramado, em caso de publicação. Devem ser incluídos os seguintes tópicos, com até 250 caracteres com espaço para cada tópico:

a) Principais resultados: descrever, de forma sucinta, a resposta ao objetivo do estudo;
b) Implicações para os serviços: discutir como os achados do estudo podem repercutir nos serviços e/ou ser apropriados por eles.
c) Perspectivas: apresentar um "olhar para o futuro" e refletir sobre quais seriam os próximos passos para a área/tema estudado e/ou o que seria necessário para a implementação dos achados.

Texto completo

O texto de manuscritos nas modalidades de artigo original e nota de pesquisa deverão apresentar, obrigatoriamente, as seguintes seções, nesta ordem: introdução, métodos, resultados, discussão, contribuição dos autores e referências. Tabelas, quadros e figuras deverão ser referidos nos “resultados” e apresentadas ao final do artigo, quando possível, ou em arquivo separado (em formato editável). O conteúdo das seções deverá contemplar os seguintes aspectos:
a) Introdução: apresentar o problema gerador da questão de pesquisa, a justificativa e o objetivo do estudo, nesta ordem;
b) Métodos: descrever o delineamento do estudo, a população estudada, os métodos empregados, incluindo, quando pertinente, o cálculo do tamanho da amostra, a amostragem e os procedimentos de coleta dos dados ou fonte, local e data de acesso aos dados, as variáveis estudadas com suas respectivas categorias, os procedimentos de processamento e análise dos dados; quando se tratar de estudo envolvendo seres humanos ou animais, contemplar as considerações éticas pertinentes (ver seção Ética na pesquisa envolvendo seres humanos);
c) Resultados: apresentar a síntese dos resultados encontrados; é desejável incluir tabelas e figuras autoexplicativas.
d) Discussão: apresentar síntese dos principais resultados, sem repetir valores numéricos, suas implicações e limitações; confrontar os resultados com outras publicações relevantes para o tema; no último parágrafo da seção, incluir as conclusões a partir dos resultados da pesquisa e implicações destes para os serviços ou políticas de saúde;
e) Contribuição dos autores: incluir parágrafo descritivo da contribuição específica de cada um dos autores, de acordo com as recomendações do ICMJE.
f) Agradecimentos: quando houver, devem ser nominais e limitar-se ao mínimo indispensável; nomeiam-se as pessoas que colaboraram com o estudo e preencheram os critérios de autoria; os autores são responsáveis pela obtenção da autorização, por escrito, das pessoas nomeadas, dada a possibilidade de os leitores inferirem que elas subscrevem os dados e conclusões do estudo; agradecimentos impessoais – por exemplo, “a todos aqueles que colaboraram, direta ou indiretamente, com a realização deste trabalho” – devem ser evitados;
g) Referências: o formato deverá seguir as Recomendações para elaboração, redação, edição e publicação de trabalhos acadêmicos em periódicos médicos, do ICMJE e do Manual de citações e referências na área da medicina da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, com adaptações definidas pelos editores.

  1. No texto, utilizar o sistema numérico, segundo a ordem de citação no texto, com os números grafados em sobrescrito, sem parênteses, imediatamente após a passagem do texto em que é feita a citação (e a pontuação, quando presente), separados entre si por vírgulas; se números sequenciais, separá-los por um hífen, enumerando apenas a primeira e a última referência do intervalo sequencial de citação (exemplo: 7,10-16).
  2. Para referência com mais de seis autores, listar os seis primeiros, seguidos da expressão latina “et al.” para os demais;
  3. Títulos de periódicos deverão ser grafados de forma abreviada, de acordo com o estilo usado no Index Medicus ou no Portal de Revistas Científicas de Saúde;
  4. Títulos de livros e nomes de editoras deverão constar por extenso;
  5. Sempre que possível, incluir o DOI (Digital Object Identifier) do documento citado.

Recomenda-se evitar o uso de siglas ou acrônimos não usuais. Siglas ou acrônimos só devem ser empregados quando forem consagrados na literatura, prezando-se pela clareza do manuscrito. O Siglário Eletrônico do Ministério da Saúde ou o Manual de editoração e produção visual da Fundação Nacional de Saúde (Brasil. Fundação Nacional de Saúde. Manual de editoração e produção visual da Fundação Nacional de Saúde. Brasília: Funasa, 2004. 272p.) podem ser consultados.

Submissão de manuscritos

Os manuscritos devem ser submetidos à RESS por meio do Sistema SciELO de Publicação. Antes da submissão, no entanto, os autores devem preparar os seguintes documentos:

1. Declaração de responsabilidade, assinada por todos os autores, digitalizada em formato PDF;
2. Formulário de conformidade com a ciência aberta;
3. Folha de rosto e texto do manuscrito, de acordo com o Template de Submissão.

Taxas de processamento
A RESS não efetua cobrança de taxas de submissão, avaliação ou publicação de artigos.

Processo de avaliação dos manuscritos

Serão acolhidos apenas os manuscritos formatados de acordo com estas Instruções e cuja temática se enquadre no escopo da revista.

Uma análise preliminar verificará aspectos editoriais e técnicos, que incluem o potencial para publicação, o interesse para os leitores da revista e o atendimento aos requisitos éticos, não se limitando a esses elementos. Trabalhos que não atenderem a esses aspectos serão recusados; por sua vez, os manuscritos considerados potencialmente publicáveis na RESS seguem no processo editorial, composto pelas etapas especificadas a seguir.

1) Revisão técnica: realizada pelo editor associado e/ou assistente, consiste da revisão de aspectos de forma e redação científica, com o objetivo de garantir que o manuscrito atenda a todos os itens das Instruções aos autores e esteja apto a ingressar no processo de revisão externa por pares. Nesta etapa também é analisado o relatório do sistema de detecção de plágio do sistema iThenticate.
2) Revisão externa por pares: realizada por pelo menos dois revisores externos ao corpo editorial da RESS (revisores ad hoc), que apresentem sólido conhecimento na área temática do manuscrito, que devem avaliar o mérito científico e o conteúdo dos manuscritos, fazendo críticas construtivas para seu aprimoramento. As modalidades submetidas a revisão externa por pares são: “artigo original”, “nota de pesquisa”, ‘artigo de revisão”, “relato de experiência”, “investigação de eventos de interesse da saúde pública” e “perfil de bases de dados nacionais de saúde”. A RESS adota o modelo de revisão por pares duplo-cego, no qual os revisores ad hoc não conhecem a identidade dos autores e não são identificados na revisão enviada aos autores. Para manuscritos previamente publicados em servidores de preprints, a RESS entende que não é possível garantir o anonimato dos autores, sendo garantido apenas o dos revisores envolvidos no processo. Os revisores ad hoc devem seguir os requisitos éticos para revisores recomendados pelo COPE.
3) Revisão pelo Núcleo Editorial: após a emissão dos pareceres dos revisores ad hoc, o editor associado, científico e/ou chefe também avalia o manuscrito e, quando pertinente, indica aspectos passíveis de aprimoramento na sua apresentação e para observação dos padrões de apresentação da RESS. Posteriormente, com a reformulação realizada pelos autores, o manuscrito é avaliado quanto ao atendimento às modificações recomendadas ou em relação às justificativas apresentadas para não se fazerem as alterações.
4) Revisão final pelo Comitê Editorial: após o manuscrito ser considerado pré-aprovado para publicação pelo Núcleo Editorial, é avaliado por um membro do Comitê Editorial com conhecimento na área temática do estudo. Nessa etapa, o manuscrito pode ser considerado aprovado e pronto para publicação, aprovado para publicação com necessidade de ajustes ou não aprovado para publicação.

As revisões das etapas do processo editorial serão enviadas aos autores, pelo sistema de submissões, com prazo definido para reformulação. Recomenda-se aos autores atenção às comunicações que serão enviadas ao endereço de e-mail informado na submissão, assim como para a observação dos prazos para resposta. A não observação dos prazos para resposta, especialmente quando não justificada, poderá ser motivo para descontinuação do processo editorial do manuscrito. Se o manuscrito for aprovado para publicação, mas ainda se identificar a necessidade de ajustes no texto, os editores da revista reservam-se o direito de fazê-lo, sendo os autores informados a respeito. Importante destacar que, em todas as etapas, poderá ser necessária mais de uma rodada de revisão.

No momento da submissão, os autores poderão indicar até três possíveis revisores ad hoc, especialistas no assunto do manuscrito, e até três revisores especialistas aos quais não gostariam que seu manuscrito fosse submetido. Caberá aos editores da revista a decisão de acatar ou não as sugestões dos autores.

Após a aprovação, o manuscrito segue para a produção editorial, constituída das seguintes etapas:

1) Edição final;
2) Revisão do português;
3) Normalização das referências bibliográficas;
4) Tradução do texto completo do manuscrito para o inglês e revisões do abstract em inglês e do resumen em espanhol;
5) Diagramação do texto, tabelas e figuras;
6) Revisão final;
8) Controle de qualidade;
7) Prova do prelo, encaminhada ao autor principal por e-mail, em formato PDF, para a sua aprovação final para publicação do manuscrito; e
9) Editoração e publicação eletrônica.

Fluxograma de processamento dos manuscritos

Os autores poderão entrar em contato com a Secretaria da RESS, por meio do endereço eletrônico ress.svs@gmail.com ou revista.svs@saude.gov.br em caso de dúvidas sobre quaisquer aspectos relativos a estas Instruções, ou necessidade de informação sobre o andamento do manuscrito, de forma a evitar hiatos temporais no processo editorial.

Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviço/SVS/MS
Epidemiologia e Serviços de Saúde
SRTVN Quadra 701, Via W 5 Norte, Lote D, Edifício PO 700 - 7º andar, Asa Norte, Brasília, DF, Brasil. CEP: 70.719-040
Telefones: (61) 3315-3464 / 3315-3714
E-mail: ress.svs@gmail.com ou revista.svs@saude.gov.br

Versão atualizada em janeiro de 2022.

 

 

 

Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde do Brasil SRTVN Quadra 701, Via W5 Norte, Lote D, Edifício P0700, CEP: 70719-040, +55 61 3315-3464, Fax: +55 61 3315-3464, Brasília - DF - Brazil - Brasília - DF - Brazil
E-mail: ress.svs@gmail.com