SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 issue2Contribuição ao estudo da nervação foliar de plantas da flora amazônica. IV - Martinella obovata (H.B.K.) Bur. & K. Schum. e Periarrabidaea truncata A. Samp. (Bignoniaceae). author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Amazonica

Print version ISSN 0044-5967On-line version ISSN 1809-4392

Acta Amaz. vol.6 no.2 Manaus June 1976

https://doi.org/10.1590/1809-43921976062117 

BOTÂNICA

Notes on the vegetation of Suriname. I - Vegetation changes in a dammed up fresh water swamp in NW Suriname (*)

P. A. Teunissen** 

**— Suriname Forest Service, Paramaribo, Suriname.


Abstract

The vegetational changes in a newly dammed area on the Nanni Creek Basin in NW Suriname are here considered. The effects of periodical flooding on the different vegetation types are studied, and the types of succession ocurring at present are described. It is postulated that marsh forests that are now being drowned will be replaced by a Triplaris swamp forest. Peat levels will probably remain constant, as any accumulation of peat during high water seems to be counter-balanced by peat decomposition and destruction by fire during low water levels.

Resumo

O pântano de Nanni, no Suriname, é uma área natural, medindo 1700 km2. Segundo os dados disponíveis, a vegetação e a camada turfosa têm sido fortemente influenciadas pelo fogo. A partir do início deste século, o pântano vem sendo usado como fonte de abastecimento de água para a área de rizicultura que circunda a vila de Nieuw Nickerie. À medida que a área cultivada foi sendo gradualmente ampliada, proporcional deficit de água ocorreu. Em decorrência disso, o suprimento de água foi melhorando com a construção de barragem e canais de irrigação, e o comportamento hidrológico do pântano alterou-se consideravelmente. A vegetação paludosa, que ocorre em todos seus estágios de desenvolvimento, desde vegetação paludosa aberta e herbácea até floresta de dois estratos, é limitada por restingas pantanosas e florestas de tesos. Nos últimos anos, cerca de 15 km2 de floresta brejosa e cerca de 60 km2 de matagal pantanoso, vegetação subflorestal e florestal foram inundados ou severamente influenciados pela elevação extraordinária do nível das águas. Há indícios de que a floresta brejosa seja substituída por certos tipos de floresta pantanosa. Na área subflorestal pantanosa, severamente afetada pela inundação, a camada herbácea desapareceu (a regeneração natural das árvores incluída), enquanto a camada arbustiva foi parcialmente alagada. As árvores morreram, caíram ou permaneceram desfolhadas durante as grandes inundações. Na superfície aberta de água entre essas árvores, desenvolveu-se uma densa camada de plantas aquáticas. Nas turfas flutuantes e madeiras mortas, formou-se uma nova vegetação pantanosa herbácea, tolerante à luz. Em alguns casos, árvores de pântano desenvolveram novas brotações dos troncos e raízes, enquanto uma das espécies formou raízes verdadeiras a partir de raízes respiratórias suberosas. A sucessão vegetacional, acompanhada de acumulação de turfa, continuará se processando enquanto permaneceram altos os níveis do pântano no futuro. Para que a capacidade de armazenamento do pântano não decresça, é aconselhável manejar o nível das águas do pântano de tal modo que não permita futura alagação da vegetação paludícola lenhosa durante os períodos úmidos, e que, também, permita a aeração da camada turfosa durante o período seco. São apresentadas tabelas das modificações iniciais ocorridas após a inundação e um mapa da vegetação e de mudança de vegetação.

Texto disponível apenas em PDF

*— This investigation was financially supported by The Netherlands Foundation for the Advancement of Tropical Research (WOTRO).

Creative Commons License  This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License, which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.