PROJETO ACERTO: IMPACTO NA ASSISTÊNCIA DE UM HOSPITAL PÚBLICO DE EMERGÊNCIA

Mauricio Adam Feitosa SAMPAIO Simone Losekann Pereira SAMPAIO Plinio da Cunha LEAL Ed Carlos Rey MOURA Lívia Goreth Galvão Serejo ALVARES Caio Marcio Barros DE-OLIVEIRA Orlando Jorge Martins TORRES Marília da Glória MARTINS Sobre os autores

ABSTRACT

Background:

In Brazil, the goal-based approach was named Project ACERTO and has obtained good results when applied in elective surgeries with shorter hospitalization time, earlier return to activities without increased morbidity and mortality.

Aim:

To analyze the impact of ACERTO on emergency surgery care.

Methods:

An intervention study was performed at a trauma hospital. Were compared 452 patients undergoing emergency surgery and followed up by the general surgery service from October to December 2018 (pre-ACERTO, n=243) and from March to June 2019 (post-ACERTO, n=209). Dietary reintroduction, volume of infused postoperative venous hydration, duration of use of catheters, probes and drains, postoperative analgesia, prevention of postoperative vomiting, early mobilization and physiotherapy were evaluated.

Results:

After the ACERTO implantation there was earlier reintroduction of the diet, the earlier optimal caloric intake, earlier venous hydration withdrawal, higher postoperative analgesia prescription, postoperative vomiting prophylaxis and higher physiotherapy and mobilization prescription were achieved early in all (p<0.01); in the multivariate analysis there was no change in the complication rates observed before and after ACERTO (10.7% vs. 7.7% (p=0.268) and there was a decrease in the length of hospitalization after ACERTO (8,5 vs. 6,1 dias (p=0.008).

Conclusion:

The implementation of the ACERTO project decreased the length of hospital stay, improved medical care provided without increasing the rates of complications evaluated.

HEADINGS:
Clinical protocols; Patient discharge; Postoperative complications; General surgery; Emergency medicine

RESUMO

Racional:

No Brasil, a abordagem baseada em metas foi nomeada de Projeto ACERTO e tem obtido bons resultados quando aplicada em operações eletivas com diminuição do tempo de internação, retorno mais precoce as atividades sem incremento de morbimortalidade.

Objetivo:

Analisar o impacto do ACERTO na assistência prestada em operações de emergência.

Métodos:

Foi realizado um estudo de intervenção em hospital de trauma. Foram comparados 452 pacientes submetidos à operações de emergência e acompanhados pelo serviço de cirurgia geral no período de outubro a dezembro de 2018 (fase pré-ACERTO, n=243) e no período de março a junho de 2019 (fase pós-ACERTO, n=209). Foram avaliados: reintrodução da dieta, volume de hidratação venosa pós-operatória infundido, tempo de uso de catéteres, sondas e drenos, analgesia pós-operatória, prevenção de vômitos pós-operatórios, mobilização precoce e fisioterapia.

Resultados:

Após a implantação do ACERTO houve reintrodução mais precoce da dieta, foi atingido o aporte calórico ideal mais precocemente, retirada mais precoce da hidratação venosa, maior prescrição de analgesia pós-operatória, de profilaxia de vômitos pós-operatórios e maior prescrição de fisioterapia e mobilização precoce em todos (p<0,01); na análise multivariada não houve alteração nas taxas de complicações observadas pré e pós-ACERTO (10,7% vs. 7,7% (p=0,268) e houve diminuição do tempo de internação pós-ACERTO (8,5 vs. 6,1 dias (p=0.008).

Conclusão:

A implantação do projeto ACERTO diminuiu o tempo de internação hospitalar, melhorou a assistência médica prestada sem incremento das taxas de complicações avaliadas.

DESCRITORES:
Protocolos clínicos; Alta do paciente; Complicações pós-operatórias; Cirurgia geral; Medicina de emergência

INTRODUÇÃO

O projeto ACERTO (ACEleração da Recuperação TOtal Pós-operatória) é baseado no protocolo ERAS (Enhanced Recovery After Surgery) no qual o cuidado é guiado por metas diárias fundamentadas na medicina baseada em evidência2121 Salomão AB, Caporossi C, Aguilar-Nascimento JE de. Livro, ACERTO - Acelerando a Recuperação Total Pós-operatória, Editora Rubio [Internet]. 3a edição. Rio de Janeiro: Editora Rubio; 2016. 392 p. Available from: http://www.rubio.com.br/livro-acerto-acelerando-a-recuperacao-total-pos-operatoria-9788584110575-ag1551.html,2424 Teixeira UF, Fontes PRO, Conceição CWN, Farias CAT, Fernandes D, Ewald IP, et al. Implementation of enhanced recovery after colorectal surgery (eras) protocol: initial results of the first brazilian experience. Arq Bras Cir Dig. 2019 Feb 7;32(1):e1419.,2525 Teixeira UF, Goldoni MB, Waechter FL, Sampaio JA, Mendes FF, Fontes PRO. Enhanced recovery (eras) after liver surgery:comparative study in a brazilian terciary center. Arq Bras Cir Dig. 2019 Feb 7;32(1):e1424.. A implementação desta forma de cuidado tem apresentado redução significativa nas complicações pós-operatórias e reduzido o tempo de internação hospitalar na ordem de 30-50%, e hoje é adotada em mais de 20 países como a forma de assistência cirúrgica ideal1212 Ljungqvist O, Scott M, Fearon KC. Enhanced recovery after surgery a review. JAMA Surg. 2017;152(3):292-8.;97(8):e0016..

O protocolo ERAS inclui a avaliação multimodal e multidisciplinar de 15 a 20 itens que abrangem o pré, trans e pós-operatório. Isolados, estes itens possuem pouca expressão clínica, mas juntos contribuem de forma significativa na redução do estresse pós-cirúrgico, complicações cirúrgicas, dor, tempo de recuperação e duração do tempo de internação1010 Kehlet H, Joshi GP. Enhanced Recovery After Surgery: Current Controversies and Concerns. Anesth Analg. 2017 Dec;125(6):2154-2155.,1212 Ljungqvist O, Scott M, Fearon KC. Enhanced recovery after surgery a review. JAMA Surg. 2017;152(3):292-8.;97(8):e0016..

O projeto ERAS se iniciou nos anos 1990s por Henrik Kehlet como um protocolo fast-track centrado no paciente com a cooperação da equipe médica, de enfermagem, de nutrição e de psicologia. Visava reduzir o estresse cirúrgico, complicações cirúrgicas e acelerar a recuperação pós-operatória66 de-Aguilar-Nascimento JE, Salomão AB, Waitzberg DL, Dock-Nascimento DB, Correa MITD, Campos ACL, et al. ACERTO guidelines of perioperative nutritional interventions in elective general surgery. Rev Col Bras Cir [Internet]. 2017 [cited 2019 May 22];44(6):633-48. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010069912017000600633&lng=en&tlng=en
http://www.scielo.br/scielo.php?script=s...
. Foi aplicado primariamente na Europa visando acelerar a recuperação pós-operatória em pacientes submetidos à operações colorretais. Os resultados demonstrados são reproduzíveis em todo o mundo, e mostram redução do tempo de internação após a sua implantação bem como é associado a número menor de complicações1111 Liu F, Wang W, Wang C, Peng X. Enhanced recovery after surgery (ERAS) programs for esophagectomy protocol for a systematic review and meta-analysis. Medicine (Baltimore). 2018 Feb.

A abordagem baseada em metas contribui para a diminuição de complicações em operações colorretais, diminui os custos hospitalares e vem sendo investigada em outros sítios cirúrgicos quanto à efetividade e possíveis riscos associados. Em uma revisão sistemática investigando o uso do protocolo em operações abdominais altas foi observada a diminuição da morbidade de 22% para 14% (p=0,017) e do tempo de internação hospitalar de 7,5 para 5,7 (p=0,019) sem diferenças estatísticas na mortalidade e em reinternações1717 O. Rasulov A, S. Gordeev S, I. Ovchinnikova A, Yu. Kovaleva Y. Results of ERAS protocol in patients with colorectal cancer. Vol. 6, Oncological Coloproctology. 2016. 18-23 p.

No Brasil, o protocolo ERAS foi adaptado, recebeu o nome ACERTO e foi implantado primeiramente no Hospital Universitário Júlio Muller, Cuiabá, MT, Brasil com redução do tempo de internação hospitalar, uso de hemoderivados, diminuição dos casos de infecção do sítio cirúrgico, complicações operatórias e óbitos. Foi validado em múltiplas operações desde as colorretais, cardíacas e até oncológicas onde se observou diminuição do volume de fluidos intravenosos tempo de internação menor quando jejum pré-operatório foi reduzido2121 Salomão AB, Caporossi C, Aguilar-Nascimento JE de. Livro, ACERTO - Acelerando a Recuperação Total Pós-operatória, Editora Rubio [Internet]. 3a edição. Rio de Janeiro: Editora Rubio; 2016. 392 p. Available from: http://www.rubio.com.br/livro-acerto-acelerando-a-recuperacao-total-pos-operatoria-9788584110575-ag1551.html.

O projeto ACERTO abrange a avaliação de fatores pré-operatórios como a informação ao paciente, a terapia nutricional, a diminuição do jejum33 Campos SBG, Barros-Neto JA, Guedes GDS, Moura FA. Pre-Operative Fasting: Why Abbreviate? Arq Bras Cir Dig. 2018;31(2):e1377.; também fatores transoperatórios como uso racional de catéteres, sondas, drenos e o uso racional de antibióticos profiláticos; e finalmente fatores pós-operatórios como analgesia, prevenção de náuseas, vômitos e mobilização ultra precoce. Os pontos de intervenção foram adaptados à realidade epidemiológica da América Latina2121 Salomão AB, Caporossi C, Aguilar-Nascimento JE de. Livro, ACERTO - Acelerando a Recuperação Total Pós-operatória, Editora Rubio [Internet]. 3a edição. Rio de Janeiro: Editora Rubio; 2016. 392 p. Available from: http://www.rubio.com.br/livro-acerto-acelerando-a-recuperacao-total-pos-operatoria-9788584110575-ag1551.html.

Alguns pontos do projeto ACERTO envolvem o cuidado pré-operatório e não estão acessíveis na maioria das vezes aos pacientes em unidades de urgência e emergência; porém alguns fatores fundamentais na condução destes pacientes e que têm relevâncias estatísticas comprovadas podem ser verificados no trans e pós-operatórios55 Currie A, Burch J, Jenkins JT, Faiz O, Kennedy RH, Ljungqvist O, et al. The impact of enhanced recovery protocol compliance on elective colorectal cancer resection: Results from an international registry. Ann Surg. 2015;261(6):1153-9.. Visando focar na assistência prestada durante o período trans e o pós-operatório a fim de evitar medidas desnecessárias e que o paciente retorne o mais breve possível às condições fisiológicas habituais, foram incluídas nesta avaliação: início precoce da dieta, hidratação venosa restritiva, uso racional de dispositivos (catéteres, sondas e drenos), profilaxia de náuseas e vômitos pós-operatórios, analgesia pós-operatória, mobilização precoce e fisioterapia.

O presente estudo visa avaliar se as medidas do projeto ACERTO aplicados em uma enfermaria cirúrgica de hospital de urgência e emergência poderia resultar em cuidado mais eficiente e refletir na diminuição do tempo de internação sem acrescentar morbimortalidade aos pacientes.

MÉTODOS

Este estudo teve início após a aprovação do comitê de ética em pesquisa com seres humanos da Universidade CEUMA sob o protocolo CAAE nº 2.586.802. E foi registrado no Registro brasileiro de ensaios clínicos sob o número de registro RBR-9tzrzx. É de intervenção do tipo antes e depois, onde foram avaliados 452 pacientes, submetidos a operação de urgência e emergência em hospital público de trauma em São Luís, MA, Brasil. A observação deu-se em duas fases: uma inicial de outubro a dezembro de 2018, antes da implantação do projeto ACERTO, e outra de março a junho de 2019 após a implantação do projeto ACERTO.

Foram realizadas reuniões de serviço que contaram com a participação de cirurgiões assistentes, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem e nutricionistas. Nessas reuniões, abordaram-se os seguintes temas: nutrição perioperatória; hidratação venosa perioperatória; uso racional de sondas, catéteres e drenos; analgesia pós-operatória; profilaxia de náuseas e vômitos; mobilização ultra precoce e fisioterapia. O processo gerou protocolo assistencial utilizado como método de tratamento ideal e facilitada através de um diagrama direcionador de condutas e as mudanças implementadas estão descritas na Tabela 1. Foram realizadas auditorias clínicas para a verificação da adesão das equipes as novas condutas preconizadas.

TABELA 1
Condutas aplicadas na enfermaria cirúrgica antes e após a aplicação do Projeto ACERTO

Análise estatística

Os dados da pesquisa foram avaliados pelo programa estatística IBM SPSS Statistics 20 (2011). Inicialmente foi feita estatística descritiva das variáveis contínuas, ou seja, fez-se a estimativa do mínimo, máximo, mediana, média e desvio-padrão, depois foram avaliadas quanto à distribuição normal com o teste de lilliefors e como elas apresentaram distribuição normal, foram avaliadas pelo teste paramétrico de t de Student. Em seguida, para avaliar a associação das variáveis sociodemográficas e as clinicocirúrgicas em relação aos dois momentos (antes e depois) foi feita pelo teste não paramétrico de qui-quadrado de independência (x2). Em todos os testes o nível de significância aplicado foi de 5%, ou seja, foi considerado significativo quando p<0,05.

RESULTADOS

Houve similaridade entre os grupos estudados nas características clinicoepidemiológica com discreta diferença quanto ao gênero e a procedência (Tabela 2).

TABELA 2
Características sociodemográficas no período antes e depois da implantação do Projeto ACERTO

Houve discreta diferença estatística quanto aos procedimentos cirúrgicos realizados comparando as duas fases (pré e pós-ACERTO), porém com predomínio de lesões mais graves (laparotomia por lesões multiviscerais) no período após a implantação do protocolo (Tabela 3).

TABELA 3
Procedimentos cirúrgicos realizados antes e depois da implantação do Projeto ACERTO

Houve diminuição no tempo de reintrodução da dieta, com 76,6% dos pacientes iniciando dieta no primeiro pós-operatório pós-ACERTO vs. 42% do grupo pré-ACERTO (p<0,001). O aporte calórico ideal foi atingido nos primeiros 2 dias em 84,2% após o protocolo ACERTO vs. 69,1% no grupo pré-ACERTO (p=0,002, Tabela 4).

TABELA 4
Comparação da intervenção sobre a dieta nos períodos antes e após o projeto ACERTO

A hidratação venosa =30 ml/h foi atingida no primeiro dia pós-operatório em 88,5% dos pacientes após a implantação do protocolo vs. 79% antes da intervenção (p=0,03). Houve também redução do tempo de hidratação venosa prescrita com 79,4% permanecendo utilizando hidratação por menos de três dias vs. 70,8% antes da implantação do protocolo (p=0,048,Tabela 5).

TABELA 5
Comparação da prescrição de fluidos antes e após a implantação do Projeto ACERTO

Houve maior frequência de prescrição de analgesia pós-operatória (98,6% vs. 84,0% (p<0,001) bem como de profilaxia de vômitos (94,7% vs. 35,8%, p<0,001), de mobilização precoce (80,9% vs. 4,9%, p<0,001) e de fisioterapia (80,4% vs. 9,5%, p<0,001) após a introdução do protocolo (Tabela 6)

TABELA 6
Comparação das intervenções antes e após a implantação do projeto ACERTO

Foi observada redução na média de dias de internação dos pacientes do grupo ACERTO de 8,5 para 6,1 (p=0,008). Não foram observadas variações estatisticamente significantes nas complicações pós-operatórias observadas e nem na mortalidade (Tabela 7).

TABELA 7
Taxas de complicações pós-operatórias antes e após a implantação do projeto ACERTO

DISCUSSÃO

A implementação do projeto ACERTO requer auditoria contínua para a observação de consequências indesejadas como aumento da taxa de readmissão. Em uma metanálise recente a aplicação de protocolos fast-track diminuiu as taxas de complicações pós-cirúrgicas88 Greco M, Capretti G, Beretta L, Gemma M, Pecorelli N, Braga M. Enhanced Recovery Program in Colorectal Surgery: A Meta-analysis of Randomized Controlled Trials. World J Surg [Internet]. 2014 Jun 25 [cited 2019 Jul 13];38(6):1531-41. Available from: http://link.springer.com/10.1007/s00268-013-2416-8.
http://link.springer.com/10.1007/s00268-...
. Esse fato foi confirmado em um estudo prospectivo de Wood et al.2828 Wood T, Aarts M-A, Okrainec A, Pearsall E, Victor JC, McKenzie M, et al. Emergency Room Visits and Readmissions Following Implementation of an Enhanced Recovery After Surgery (iERAS) Program. J Gastrointest Surg [Internet]. 2017;22(2):259-66. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/S0016-5085(17)34036-2
http://dx.doi.org/10.1016/S0016-5085(17)...
que seguia os pacientes nos primeiros 30 dias de pós-operatório e em uma série espanhola2020 Ripollés-Melchor J, Fuenmayor-Varela ML de, Camargo SC, Fernández PJ, Barrio ÁC del, Martínez-Hurtado E, et al. Aceleração da recuperação após protocolo cirúrgico versus cuidados perioperatórios convencionais em cirurgia colorretal. Um estudo de coorte em centro único. Brazilian J Anesthesiol [Internet]. 2018 Jul [cited 2019 Jul 10];68(4):358-68. Available from: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0034709417303896.
https://linkinghub.elsevier.com/retrieve...
que seguiu pacientes submetidos a operações laparoscópicas e avaliou complicações até o período de 180 dias. O ganho mais comumente observado foi na redução do tempo de internação como observado na Cohort retrospectiva de Wisely et al.2727 Wisely JC, Barclay KL. Effects of an Enhanced Recovery After Surgery programme on emergency surgical patients. ANZ J Surg. 2016;86(11):883-8., na revisão sistemática de Paduraru et al.1818 Paduraru M, Ponchietti L, Casas IM, Svenningsen P, Zago M. Enhanced Recovery after Emergency Surgery: A Systematic Review . Bull Emerg Trauma [Internet]. 2017;5(2):70-8. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5406176/
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles...
e em um trabalho recente que comparava pacientes submetidos ao bypass gástrico11 Aktimur R, Kirkil C, Yildirim K, Kutluer N. Enhanced recovery after surgery (ERAS) in one-anastomosis gastric bypass surgery: a matched-cohort study. Surg Obes Relat Dis [Internet]. 2018;14(12):1850-6. Available from: https://doi.org/10.1016/j.soard.2018.08.029
https://doi.org/10.1016/j.soard.2018.08....
.

Nesse estudo, foi observada diminuição tanto no tempo de reintrodução da dieta como no dia do aporte nutricional adequado. Esse fator contribui para o menor catabolismo do paciente e também com a possibilidade de alta mais precoce conforme consta nas diretrizes de intervenções nutricionais do projeto ACERTO66 de-Aguilar-Nascimento JE, Salomão AB, Waitzberg DL, Dock-Nascimento DB, Correa MITD, Campos ACL, et al. ACERTO guidelines of perioperative nutritional interventions in elective general surgery. Rev Col Bras Cir [Internet]. 2017 [cited 2019 May 22];44(6):633-48. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010069912017000600633&lng=en&tlng=en
http://www.scielo.br/scielo.php?script=s...
e na literatura internacional como forma de cuidado ideal2222 Sánchez C. A, Papapietro V. K. Nutrición perioperatoria en protocolos quirúrgicos para una mejor recuperación postoperatoria (Protocolo ERAS). Rev Med Chil [Internet]. 2017 Nov [cited 2019 Jul 10];145(11):1447-53.Availablefrom: http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-98872017001101447&lng=en&nrm=iso&tlng=en
http://www.scielo.cl/scielo.php?script=s...
. Esses dados corroboram com a literatura recente na qual pacientes com retorno mais precoce à alimentação habitual recebem alta mais precocemente1313 Lohsiriwat V. Enhanced recovery after surgery vs conventional care in emergency colorectal surgery. World J Gastroenterol. 2014;20(38):13950-5.,1515 Mahmoodzadeh H, Shoar S, Sirati F, Khorgami Z. Early initiation of oral feeding following upper gastrointestinal tumor surgery: a randomized controlled trial. Surg Today. 2015;45(2):203-8..

Observou-se redução no volume de hidratação venosa quantidade de volume prescrito, quanto com a redução do tempo de permanência da hidratação venosa durante a internação. A reposição volêmica restritiva tem-se mostrado superior no tratamento de pacientes cirúrgicos diminuindo o edema citotóxico que piora a oxigenação e recuperação tecidual, diminuindo o íleo adinâmico e prevenindo complicações cardiopulmonares em pacientes mais suscetíveis2323 Simmons JW, Dobyns JB, Paiste J. Enhanced Recovery After Surgery Intraoperative Fluid Management Strategies. Surg Clin NA [Internet]. 2018 [cited 2019 Jul 10]; Available from: https://doi.org/10.1016/j.suc.2018.07.006
https://doi.org/10.1016/j.suc.2018.07.00...
. Em uma recente revisão sistemática Miller1616 Miller TE, Roche AM, Mythen M. Fluid management and goal-directed therapy as an adjunct to Enhanced Recovery After Surgery (ERAS). Can J Anesth Can d'anesthésie [Internet]. 2015 Feb 13 [cited 2019 Jul 10];62(2):158-68. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25391735
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25391...
fala sobre a suspensão mais breve possível da hidratação venosa e da busca do balanço hídrico zero como forma de cuidado ideal.

A analgesia pós-operatória foi otimizada com a implementação do projeto ACERTO com adequação ao protocolo em 98,6% dos pacientes. A analgesia possibilita melhor mobilização, bem como aumenta a sensação de bem-estar proporcionando alta mais precoce. Na revisão sistemática de Wick et al.2626 Wick EC, Grant MC, Wu CL. Postoperative Multimodal Analgesia Pain Management With Nonopioid Analgesics and Techniques. JAMA Surg [Internet]. 2017 Jul 1 [cited 2019 Jul 10];152(7):691. Available from: http://archsurg.jamanetwork.com/article.aspx?doi=10.1001/jamasurg.2017.0898.
http://archsurg.jamanetwork.com/article....
foi relatada a importância do manejo pós-operatório da dor bem como estratégias poupadoras de opioides.

Quanto a utilização de catéteres sondas e drenos, não foi observada diferença estatística neste estudo, talvez pelo esforço prévio do abandono desta conduta já amplamente difundida na unidade. O uso de cateteres, sondas e drenos não diminui a incidência de coleções cavitárias2929 Yong L, Guang B. Abdominal drainage versus no abdominal drainage for laparoscopic cholecystectomy: A systematic review with meta-analysis and trial sequential analysis. Int J Surg [Internet]. 2016 [cited 2019 Jul 10];36:358-68. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.ijsu.2016.11.083.
http://dx.doi.org/10.1016/j.ijsu.2016.11...
e aumenta a incidência de complicações pleuropulmonares1919 Reasbeck P. Routine use of nasogastric drainage tubes. Ann R Coll Surg Engl [Internet]. 2016 May 3[cited2019Jul10];1-1.Availablefrom: http://publishing.rcseng.ac.uk/doi/10.1308/rcsann.2016.0155
http://publishing.rcseng.ac.uk/doi/10.13...
.

A profilaxia de vômitos foi adequada em 94,7% dos pacientes. Este ponto do bundle possibilita tolerância maior da dieta, diminui o mal-estar do paciente, aumenta a sua confiança no processo de recuperação e, por consequência, diminui os custos hospitalares77 Gan TJ, Diemunsch P, Habib AS, Kovac A, Kranke P, Meyer TA, et al. Consensus Guidelines for the Management of Postoperative Nausea and Vomiting. Anesth Analg [Internet]. 2014 Jan [cited 2019 Jul 10];118(1):85-113. Available from: https://insights.ovid.com/crossref?an=00000539-201401000-00013
https://insights.ovid.com/crossref?an=00...
.

A mobilização precoce e a fisioterapia foram prescritas a mais de 80% dos pacientes e encorajada por toda a equipe multiprofissional. O estudo de Boden et al.22 Boden I, Skinner EH, Browning L, Reeve J, Anderson L, Hill C, et al. Preoperative physiotherapy for the prevention of respiratory complications after upper abdominal surgery: pragmatic, double blinded, multicentre randomised controlled trial. [cited 2019 Jul 10]; Available from: http://dx.doi.org/10.1136/bmj.j5916
http://dx.doi.org/10.1136/bmj.j5916...
fala sobre os efeitos benéficos da mobilização precoce e fisioterapia nos pacientes submetidos à operações de abdome superior como a melhora do trânsito intestinal e a diminuição de complicações pleuropulmonares associadas à restrição.

Houve diminuição do tempo de internação hospitalar (TIH) de 8,5 vs. 6,1 dias (p=0,008) sem incremento estatístico da morbimortalidade. Esse dado entra em concordância com a literatura vigente quando fala que há redução do tempo de internação sem acréscimo de morbidade aos pacientes cirúrgicos submetidos a protocolos fast-trac44 Carter-Brooks CM, Du AL, Ruppert KM, Romanova AL, Zyczynski HM. Implementation of a urogynecology-specific enhanced recovery after surgery (ERAS) pathway. Am J Obstet Gynecol [Internet]. 2018;219(5):495.e1-495.e10. Available from: https://doi.org/10.1016/j.ajog.2018.06.009
https://doi.org/10.1016/j.ajog.2018.06.0...
,88 Greco M, Capretti G, Beretta L, Gemma M, Pecorelli N, Braga M. Enhanced Recovery Program in Colorectal Surgery: A Meta-analysis of Randomized Controlled Trials. World J Surg [Internet]. 2014 Jun 25 [cited 2019 Jul 13];38(6):1531-41. Available from: http://link.springer.com/10.1007/s00268-013-2416-8.
http://link.springer.com/10.1007/s00268-...
,1414 Lohsiriwat V, Jitmungngan R. Enhanced recovery after surgery in emergency colorectal surgery: Review of literature and current practices. World J Gastrointest Surg [Internet]. 2019 Feb 27 [cited 2019 Jul 13];11(2):41-52. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30842811
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30842...
.

Com a mesma quantidade de leitos disponíveis, a capacidade de tratar pacientes subiu de 207 para 258 pacientes com tratamento completo ao mês. Utilizando os mesmos recursos empregados foi possível tratar 24% mais pacientes e houve ganho virtual de 13 leitos.

CONCLUSÃO

O projeto ACERTO é viável e seguro aos pacientes submetidos a operações de emergência em um hospital de trauma. Eles receberam menor quantidade de fluidos pós-operatórios, iniciaram a dieta mais precocemente, chegaram ao aporte calórico ideal mais rapidamente, receberam mais analgesia pós-operatória, incrementaram as taxas de profilaxia de náuseas e vômitos, de fisioterapia e de mobilização precoce e tiveram alta mais precocemente sem alteração estatisticamente significante nas taxas de morbimortalidade entre os dois grupos. Com o resultado obtido foi possível tratar 24% pacientes a mais com os mesmos recursos empregados e sem acrescentar riscos aos pacientes.

Referências bibliográficas

  • 1
    Aktimur R, Kirkil C, Yildirim K, Kutluer N. Enhanced recovery after surgery (ERAS) in one-anastomosis gastric bypass surgery: a matched-cohort study. Surg Obes Relat Dis [Internet]. 2018;14(12):1850-6. Available from: https://doi.org/10.1016/j.soard.2018.08.029
    » https://doi.org/10.1016/j.soard.2018.08.029
  • 2
    Boden I, Skinner EH, Browning L, Reeve J, Anderson L, Hill C, et al. Preoperative physiotherapy for the prevention of respiratory complications after upper abdominal surgery: pragmatic, double blinded, multicentre randomised controlled trial. [cited 2019 Jul 10]; Available from: http://dx.doi.org/10.1136/bmj.j5916
    » http://dx.doi.org/10.1136/bmj.j5916
  • 3
    Campos SBG, Barros-Neto JA, Guedes GDS, Moura FA. Pre-Operative Fasting: Why Abbreviate? Arq Bras Cir Dig. 2018;31(2):e1377.
  • 4
    Carter-Brooks CM, Du AL, Ruppert KM, Romanova AL, Zyczynski HM. Implementation of a urogynecology-specific enhanced recovery after surgery (ERAS) pathway. Am J Obstet Gynecol [Internet]. 2018;219(5):495.e1-495.e10. Available from: https://doi.org/10.1016/j.ajog.2018.06.009
    » https://doi.org/10.1016/j.ajog.2018.06.009
  • 5
    Currie A, Burch J, Jenkins JT, Faiz O, Kennedy RH, Ljungqvist O, et al. The impact of enhanced recovery protocol compliance on elective colorectal cancer resection: Results from an international registry. Ann Surg. 2015;261(6):1153-9.
  • 6
    de-Aguilar-Nascimento JE, Salomão AB, Waitzberg DL, Dock-Nascimento DB, Correa MITD, Campos ACL, et al. ACERTO guidelines of perioperative nutritional interventions in elective general surgery. Rev Col Bras Cir [Internet]. 2017 [cited 2019 May 22];44(6):633-48. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010069912017000600633&lng=en&tlng=en
    » http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010069912017000600633&lng=en&tlng=en
  • 7
    Gan TJ, Diemunsch P, Habib AS, Kovac A, Kranke P, Meyer TA, et al. Consensus Guidelines for the Management of Postoperative Nausea and Vomiting. Anesth Analg [Internet]. 2014 Jan [cited 2019 Jul 10];118(1):85-113. Available from: https://insights.ovid.com/crossref?an=00000539-201401000-00013
    » https://insights.ovid.com/crossref?an=00000539-201401000-00013
  • 8
    Greco M, Capretti G, Beretta L, Gemma M, Pecorelli N, Braga M. Enhanced Recovery Program in Colorectal Surgery: A Meta-analysis of Randomized Controlled Trials. World J Surg [Internet]. 2014 Jun 25 [cited 2019 Jul 13];38(6):1531-41. Available from: http://link.springer.com/10.1007/s00268-013-2416-8
    » http://link.springer.com/10.1007/s00268-013-2416-8
  • 9
    Jiménez, William Andrés; Domínguez LC. La recuperación posoperatoria acelerada ( fast track ) disminuye la estancia hospitalaria en cirugía gastrointestinal alta?: revisión sistemática de la literatura. Rev Colomb Cirugía. 2015;30(3):184-92.
  • 10
    Kehlet H, Joshi GP. Enhanced Recovery After Surgery: Current Controversies and Concerns. Anesth Analg. 2017 Dec;125(6):2154-2155.
  • 11
    Liu F, Wang W, Wang C, Peng X. Enhanced recovery after surgery (ERAS) programs for esophagectomy protocol for a systematic review and meta-analysis. Medicine (Baltimore). 2018 Feb
  • 12
    Ljungqvist O, Scott M, Fearon KC. Enhanced recovery after surgery a review. JAMA Surg. 2017;152(3):292-8.;97(8):e0016.
  • 13
    Lohsiriwat V. Enhanced recovery after surgery vs conventional care in emergency colorectal surgery. World J Gastroenterol. 2014;20(38):13950-5.
  • 14
    Lohsiriwat V, Jitmungngan R. Enhanced recovery after surgery in emergency colorectal surgery: Review of literature and current practices. World J Gastrointest Surg [Internet]. 2019 Feb 27 [cited 2019 Jul 13];11(2):41-52. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30842811
    » http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30842811
  • 15
    Mahmoodzadeh H, Shoar S, Sirati F, Khorgami Z. Early initiation of oral feeding following upper gastrointestinal tumor surgery: a randomized controlled trial. Surg Today. 2015;45(2):203-8.
  • 16
    Miller TE, Roche AM, Mythen M. Fluid management and goal-directed therapy as an adjunct to Enhanced Recovery After Surgery (ERAS). Can J Anesth Can d'anesthésie [Internet]. 2015 Feb 13 [cited 2019 Jul 10];62(2):158-68. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25391735
    » http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25391735
  • 17
    O. Rasulov A, S. Gordeev S, I. Ovchinnikova A, Yu. Kovaleva Y. Results of ERAS protocol in patients with colorectal cancer. Vol. 6, Oncological Coloproctology. 2016. 18-23 p
  • 18
    Paduraru M, Ponchietti L, Casas IM, Svenningsen P, Zago M. Enhanced Recovery after Emergency Surgery: A Systematic Review . Bull Emerg Trauma [Internet]. 2017;5(2):70-8. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5406176/
    » http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5406176
  • 19
    Reasbeck P. Routine use of nasogastric drainage tubes. Ann R Coll Surg Engl [Internet]. 2016 May 3[cited2019Jul10];1-1.Availablefrom: http://publishing.rcseng.ac.uk/doi/10.1308/rcsann.2016.0155
    » http://publishing.rcseng.ac.uk/doi/10.1308/rcsann.2016.0155
  • 20
    Ripollés-Melchor J, Fuenmayor-Varela ML de, Camargo SC, Fernández PJ, Barrio ÁC del, Martínez-Hurtado E, et al. Aceleração da recuperação após protocolo cirúrgico versus cuidados perioperatórios convencionais em cirurgia colorretal. Um estudo de coorte em centro único. Brazilian J Anesthesiol [Internet]. 2018 Jul [cited 2019 Jul 10];68(4):358-68. Available from: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0034709417303896
    » https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0034709417303896
  • 21
    Salomão AB, Caporossi C, Aguilar-Nascimento JE de. Livro, ACERTO - Acelerando a Recuperação Total Pós-operatória, Editora Rubio [Internet]. 3a edição. Rio de Janeiro: Editora Rubio; 2016. 392 p. Available from: http://www.rubio.com.br/livro-acerto-acelerando-a-recuperacao-total-pos-operatoria-9788584110575-ag1551.html
  • 22
    Sánchez C. A, Papapietro V. K. Nutrición perioperatoria en protocolos quirúrgicos para una mejor recuperación postoperatoria (Protocolo ERAS). Rev Med Chil [Internet]. 2017 Nov [cited 2019 Jul 10];145(11):1447-53.Availablefrom: http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-98872017001101447&lng=en&nrm=iso&tlng=en
    » http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-98872017001101447&lng=en&nrm=iso&tlng=en
  • 23
    Simmons JW, Dobyns JB, Paiste J. Enhanced Recovery After Surgery Intraoperative Fluid Management Strategies. Surg Clin NA [Internet]. 2018 [cited 2019 Jul 10]; Available from: https://doi.org/10.1016/j.suc.2018.07.006
    » https://doi.org/10.1016/j.suc.2018.07.006
  • 24
    Teixeira UF, Fontes PRO, Conceição CWN, Farias CAT, Fernandes D, Ewald IP, et al. Implementation of enhanced recovery after colorectal surgery (eras) protocol: initial results of the first brazilian experience. Arq Bras Cir Dig. 2019 Feb 7;32(1):e1419.
  • 25
    Teixeira UF, Goldoni MB, Waechter FL, Sampaio JA, Mendes FF, Fontes PRO. Enhanced recovery (eras) after liver surgery:comparative study in a brazilian terciary center. Arq Bras Cir Dig. 2019 Feb 7;32(1):e1424.
  • 26
    Wick EC, Grant MC, Wu CL. Postoperative Multimodal Analgesia Pain Management With Nonopioid Analgesics and Techniques. JAMA Surg [Internet]. 2017 Jul 1 [cited 2019 Jul 10];152(7):691. Available from: http://archsurg.jamanetwork.com/article.aspx?doi=10.1001/jamasurg.2017.0898
    » http://archsurg.jamanetwork.com/article.aspx?doi=10.1001/jamasurg.2017.0898
  • 27
    Wisely JC, Barclay KL. Effects of an Enhanced Recovery After Surgery programme on emergency surgical patients. ANZ J Surg. 2016;86(11):883-8.
  • 28
    Wood T, Aarts M-A, Okrainec A, Pearsall E, Victor JC, McKenzie M, et al. Emergency Room Visits and Readmissions Following Implementation of an Enhanced Recovery After Surgery (iERAS) Program. J Gastrointest Surg [Internet]. 2017;22(2):259-66. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/S0016-5085(17)34036-2
    » http://dx.doi.org/10.1016/S0016-5085(17)34036-2
  • 29
    Yong L, Guang B. Abdominal drainage versus no abdominal drainage for laparoscopic cholecystectomy: A systematic review with meta-analysis and trial sequential analysis. Int J Surg [Internet]. 2016 [cited 2019 Jul 10];36:358-68. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.ijsu.2016.11.083
    » http://dx.doi.org/10.1016/j.ijsu.2016.11.083

  • Financiamento:

    não há
  • Mensagem central

    Através da utilização de protocolo de alta precoce foi possível atender uma maior quantidade de pacientes com segurança e sem aumento nos gastos públicos.
  • Perspectiva

    A implantação do projeto ACERTO diminuiu o tempo de internação hospitalar, melhorou a assistência médica prestada sem incremento das taxas de complicações avaliadas. A aplicação de protocolos assistenciais multiprofissionais baseados em recuperação precoce resulta em maior giro de leito, possibilitando atender um maior número de pacientes sem incremento nos gastos em saúde.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    15 Jan 2021
  • Data do Fascículo
    2020

Histórico

  • Recebido
    05 Jan 2020
  • Aceito
    13 Abr 2020
Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278 - 6° - Salas 10 e 11, 01318-901 São Paulo/SP Brasil, Tel.: (11) 3288-8174/3289-0741 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revistaabcd@gmail.com