Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, Volume: 17, Issue: 1, Published: 2009
  • Apresentação

    Oliveira, Cecilia Helena de Salles
  • Dossiê Cartografia de uma história: exercícios cartomuseográficos e releituras cosmográficas - séculos XVI e XVII Estudos de Cultura Material

    Bueno, Beatriz P. Siqueira; Kantor, Íris; Ferlini, Vera Lúcia A.
  • O projeto museográfico da exposição Cartografia de uma história - São Paulo colonial: mapas e relatos Estudos de Cultura Material

    Bogus, Ricardo Nogueira

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo apresenta o projeto museográfico da exposição Cartografia de uma história, inaugurada no Museu Paulista da Universidade de São Paulo em março de 2005. O projeto museográfico foi concebido e elaborado a partir do diálogo entre as propostas da equipe de pesquisa e os dados do perfil dos visitantes do Museu, constituindo-se assim um trabalho integrado, que buscava tratar de forma lúdica o ato de descobrir.

    Abstract in English:

    This article presents the museum set design project for Cartography of a history, an exhibition opened at Museu Paulista/São Paulo University in March 2005. The said project was conceived and developed based on a combination of the research team's ideas and the profile of visitors to the Museum. It is therefore an integrated pursuit whose purpose was to approach the process of discovery in a playful manner.
  • Música para uma exposição cartográfica Estudos de Cultura Material

    Kieffer, Anna Maria

    Abstract in Portuguese:

    O artigo explora o uso da documentação histórica para composição das duas trilhas musicais que sonorizaram a exposição Cartografia de uma História: São Paulo Colonial, mapas e relatos, exibida no Museu Paulista. A primeira trilha, destinada ao vídeo instalado na sala cujo tema foi América: a quarta parte; a segunda, instalada na sala dedicada à cartografia do sertão e aos relatos da exploração do interior da capitania de São Paulo.

    Abstract in English:

    This paper explores the use of historical documentation as a basis for the composition of two musical scores for an exhibition titled Cartography of a history: colonial São Paulo, maps and accounts, staged at Museu Paulista. The first one was written for a video shown in an exhibition hall dedicated to the topic America: the fourth part; the second score was played in another gallery, serving as a sound track for an exhibition of maps of Brazil's backcountry and accounts related to the exploration of the interior of the captaincy of São Paulo.
  • Sensoriamento remoto como suporte para estudos cartográficos sobre o território da América Portuguesa entre 1500 e 1822 Estudos de Cultura Material

    Martini, Paulo R.; Godoi Filho, Joaquim; Arduino, Ricardo G. C.; Coimbra, Sílvio P.; Silva, Guilherme G.

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo aborda a utilização de imagens de satélites como suporte para evidenciar a expansão histórico-cartográfica das fronteiras paulistas entre o descobrimento do Brasil e a sua independência, recurso esse utilizado na exposição Cartografia de uma história, realizada no Museu Paulista da USP em 2005. As imagens foram aquelas do Modis, do Shuttle Radar Topographic Mission e do Satélite Landsat-5. As cenas foram georreferenciadas valendo-se da ferramenta Spring e dos mosaicos georretificados disponibilizados pela Nasa. Sobre estes produtos foi lançado um valioso conjunto de informações cartográficas coletadas pelas pesquisadoras da Cátedra Jaime Cortesão da USP. O conjunto inclui o Tratado de Tordesilhas, com suas distorções, o Mapa das Cortes, as capitanias, as bandeiras, as monções, as trilhas, os tropeirismos, ou seja, todo o conjunto de ações pioneiras que permitiram consolidar o território paulista e grande parte da identidade espacial brasileira. Foram analisados também o mito da Ilha Brasil e os enlaces das bacias do rio Amazonas e do rio Paraná-Prata a partir dos atributos geomorfológicos dispostos nas imagens orbitais. Os resultados foram consolidados em um banco de dados de 800 megabites, sendo dispostos em exposição junto ao Museu Paulista. Este artigo descreve os procedimentos metodológicos de geração e de análise das imagens bem como sintetiza os resultados alcançados.

    Abstract in English:

    This article discusses the use of satellite imaging as a means to support and map out the historical expansion of the borders of São Paulo State between the discovery of Brazil and its independence. This tool was employed in Cartography of a history, an exhibition staged at Museu Paulista/USP in 2005. The images were generated by Modis, Shuttle Radar Topographic Mission and Landsat-5, and georeferenced with the SPRING image processor as well as georectified mosaics made available by Nasa. They were then checked against a valuable set of cartographic data collected by the researchers working under the Jaime Cortesão History Chair at USP. The said set included information pertaining to the boundaries established by the Treaty of Tordesillas, with its distortions; the Map of the Courts; the captaincies; as well as the trails of bandeiras (exploring expeditions), monções (expeditions made up and down the rivers of the São Paulo and Minas Gerais captaincies), and tropeirismos (cattle driving routes). In other words, all the pioneering actions that helped to consolidate the territory of São Paulo State and to shape much of Brazil's spatial identity were traced in the images. The researchers also looked into the myth of Brazil as an island and into the purported connection between the Amazon and Paraná-Prata river basins based on their geomorphologic attributes as shown on the orbital images. The results were compiled into an 800-megabyte database and displayed at Museu Paulista. This paper describes the methodological procedures used to generate and analyze the images, and provides a summary of the research findings.
  • Mundos em miniatura: aproximação a alguns aspectos da cartografia portuguesa do Brasil (séculos XVI a XVIII) Estudos de Cultura Material

    Magalhães, Joaquim Romero

    Abstract in Portuguese:

    O artigo explora os desafios de "miniaturização" do mundo na cartografia portuguesa do início da época moderna. Chama atenção para o processo de acumulação de experiências e conhecimentos geográficos mobilizados nas representações cartográficas ao longo dos primeiros três séculos de colonização do Brasil.

    Abstract in English:

    This paper discusses the challenges of 'miniaturizing' the world in Portuguese cartography at the dawn of the Modern Age. It draws attention to the process of amassing experience and geographic knowledge, and their deployment in the cartographic representations of Brazil throughout the first three centuries of its colonization.
  • A carta náutica de Piri Reis (Piri Reis Haritasi), 1513 Estudos de Cultura Material

    Guedes, Max Justo

    Abstract in Portuguese:

    Piri Reis, almirante otomano, elaborou sua carta partindo de conhecimentos já amplamente divulgados no Mediterrâneo e de novidades trazidas pelas navegações portuguesas. O artigo apresenta as fontes utilizadas para confeccionar o mapa, minuciosamente cotejadas com outras cartas de seu tempo, trazendo à tona diferentes aspectos da prática cartográfica portuguesa no século XVI.

    Abstract in English:

    Ottoman Admiral Piri Reis designed his nautical chart based on a body of knowledge that was already widely disseminated in the Mediterranean and on new information brought back by Portuguese navigators. This article presents the sources used to make the Piri Reis map, thoroughly quoted against other charts of its time, and reveals certain aspects of Portuguese mapmaking practices in the 16th century.
  • Volta ao mundo por ouvir-dizer: redes de informação e a cultura geográfica do Renascimento Estudos de Cultura Material

    Gomes, Plínio Freire

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo elucida que, ao privilegiar a observação, a curiosidade e a busca de aprimoramento intelectual, a cultura do Renascimento é um fator determinante na criação do viajante moderno. Outra peculiaridade do período reside na transformação do conhecimento geográfico em foco de interesse estratégico. Mas o segredo oficial, preservado pelas "casas de contratação", passou por um contínuo processo de corrosão. A necessidade das Coroas ibéricas de ratificar a posse sobre os novos territórios coloniais tornava a divulgação tão importante quanto o silêncio. Além disto, a experiência dos Descobrimentos foi assimilada por informantes de segunda-mão e transmitida através de canais diplomáticos e comerciais, numa trama que se ramificou por toda Europa. Tal organismo coletivo e não-oficial, que hoje chamaríamos de "rede", colocou dados relativos à Ásia, África e América à disposição dos cosmógrafos, e constituiu assim o núcleo fundamental da cartografia quinhentista. O artigo tenta mostrar que o fluxo do saber geográfico no período dos Descobrimentos caracterizou-se pela prática quase irrestrita da cópia e pela configuração informal e internacional do seu circuito de consumo.

    Abstract in English:

    This paper shows what an important role Renaissance culture played in shaping the mindset of modern travelers thanks to its focus on observation, curiosity and the pursuit of intellectual refinement. Another peculiarity of this historical period is the use of geographic knowledge for strategic purposes. However, the official secrets, homologated by the Casas de Contratación (entities set up by Spain to control colonial trade), went through a continuous process of corrosion. The need of the Portuguese and Spanish Crowns to ratify their possession of new colonial territories made the disclosure of such information as important as silence. Furthermore, the experience of the Discoveries was assimilated by second-hand informers and shared through diplomatic and commercial channels that branched out across Europe. This collective and non-official organism - or "network" as we might call it today - made data relative to Asia, Africa and America available to cosmographers, thus constituting a firm basis for 16th-century cartography. The paper is an effort to show that the flow of geographic knowledge during the Age of Discoveries was characterized by a virtually unrestricted practice of copying and by a circuit of consumption that was both informal and international.
  • Todas as criaturas do mundo: a arte dos mapas como elemento de orientação geográfica Estudos de Cultura Material

    Teixeira, Dante Martins

    Abstract in Portuguese:

    Vagos em seu traçado e pródigos em figuras de seres reais ou fabulosos, a iconografia dos mapas medievais cumpria papel nada desprezível para o reconhecimento de terras virtualmente desconhecidas pela Cristandade. Em um mundo sem latitude e longitude confiáveis, os acidentes da paisagem, os povos existentes e até mesmo determinados componentes da fauna e flora poderiam transformar-se em variáveis de extrema importância para a orientação geográfica. Apesar de alcançarem maior precisão nas tentativas de representar o espaço geográfico, experimentarem considerável avanço na determinação da latitude e prosseguirem na busca de um método prático para obter a longitude, os cartógrafos da época dos Grandes Descobrimentos ainda se preocuparam em figurar elementos notáveis - imaginários ou não - capazes de auxiliar na orientação dos viajantes nas mais diferentes regiões do globo. Com a crescente expansão europeia e a autêntica revolução científica em curso no século XVII, os extensos comentários e as vistosas representações da natureza e dos habitantes dos locais perderiam rapidamente o papel de referência nos mapas seiscentistas, conservando apenas seu valor estético e econômico. A chegada do século XVIII consolidaria a definitiva transformação das ilustrações em um elemento essencialmente decorativo, sem qualquer outro papel relevante em termos cartográficos. Além de menos numerosas, as figuras amiúde tendem a uma certa estilização e acentuam seu deslocamento para a periferia dos mapas, que soem apresentar alguma ornamentação apenas nas cártulas ou cartuchos. Apesar de muitas vezes conservarem algum tipo de relação com o espaço geográfico considerado, os motivos escolhidos também podem adquirir relativa independência, havendo numerosos casos de alegorias e composições com variadas figuras mitológicas, bem como representações de caráter histórico destinadas a ressaltar o poderio de um determinado ator político.

    Abstract in English:

    Vague in the outlines and abounding in figures of real or fabulous creatures, the iconography of medieval maps played a significant role in helping users to recognize lands that were virtually unknown to Christendom. In a world with no reliable latitudes and longitudes, the land contours, inhabitants and even certain elements of fauna and flora could become variables of utmost importance for geographic orientation. Notwithstanding the higher levels of precision achieved in their efforts to represent geographic space, the considerable advancements made in latitude determination, and their continuous pursuit of a practical method for the establishment of longitudes, the cartographers of the Age of Discoveries still went to the trouble of depicting notable elements - whether real or imaginary - to help travelers get their bearings around different regions of the globe. As the presence of Europeans continued to expand and an authentic scientific revolution took place in the 17th century, the lengthy notes and eye-catching representations of nature and local inhabitants soon lost their utility as points of reference on 17th-century maps to become mere accessories of aesthetic and commercial value. The advent of the 18th century consolidated, once and for all, the transformation of such illustrations into essentially decorative elements with no other relevant role to play in mapmaking. In addition to decreasing in number, the figures became more stylized and moved to the borders of the maps as ornamental motifs. Although they often maintained some sort of relation with the geographic space depicted on the map, the motifs chosen could also constitute a rather independent element. In fact, allegories, compositions with a variety of mythological figures, and historical representations were often used to underscore the power of certain political agents.
  • Memória e conhecimento do mundo: coleções de objetos, impressos e manuscritos nas livrarias de Portugal e Espanha, séculos XV-XVII Estudos de Cultura Material

    Megiani, Ana Paula Torres

    Abstract in Portuguese:

    O artigo trata de uma época em que a idéia da coleção especializada não existia (séculos XVI e XVII), quando escrita e imagem, forma e conteúdo encontravam-se reunidos em um mesmo conjunto. Nas Câmaras de Maravilhas e Gabinetes de Curiosidades da Alta Idade Moderna, objetos exóticos, animais empalhados, pinturas, gravuras, impressos e manuscritos ocupavam o mesmo espaço como forma de apreensão do conhecimento do mundo. Homens como Manoel Severim de Faria, em Portugal, e Jerônimo de Mascarenhas, na Espanha, ambos contemporâneos da União Ibérica, estão entre esses possuidores de livrarias privadas; representantes de um tipo de letrado nos moldes do Renascimento que desapareceram com o surgimento dos métodos classificatórios e científicos do "colecionismo", difundidos a partir da segunda metade do século XVII.

    Abstract in English:

    This article describes a period of time when the concept of specialized collecting did not yet exist (15th-17th century), when text and image, form and content were to be found together in one ensemble. In the Wunderkammer (Chambers of Wonders) and Wunderkabinett (Cabinets of Wonders) of the Late Modern Age, exotic objects, stuffed animals, paintings, prints, printed matter and manuscripts were gathered in the same space, reflecting an attempt to grasp the knowledge of the world. Men like Manoel Severim de Faria in Portugal and Jerônimo de Mascarenhas in Spain, both contemporaries of the Iberian Union, are among those who owned private libraries. Such men represented a kind of Renaissance scholar that disappeared with the advent of classification and scientific methods used in "collecting" and disseminated as of the second half of the 17th century.
Museu Paulista, Universidade de São Paulo Rua Brigadeiro Jordão, 149 - Ipiranga, CEP 04210-000, São Paulo - SP/Brasil, Tel.: (55 11) 2065-6641 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: anaismp@usp.br