Estudo ecopatológico da diarreia pós-desmame em granjas suinícolas do sudoeste do Paraná

Ecopathological study of post weaning diarrhea in pig farms of southwest Paraná

Benito Guimarães de Brito Laerte Francisco Filippsen Nelson Mores Sobre os autores

Resumos

Foram identificados em 9 granjas suinícolas do Sudoeste do Paraná, no período do verão e inverno de 1991, os principais fatores de risco que interferem no desempenho dos leitões após o desmame. Foram avaliados todos os lotes de leitões, no mínimo 30 leitões por granja, durante o período do desmame até 21 dias após. Foram analisadas 3 variáveis objetivas: mortalidade, diarreia e ganho médio diário e 7 variáveis explicativas: peso médio ao desmame, coeficiente de variação do peso, amplitude térmica, energia consumida pela porca, potabilidade da água, diarréia no aleitamento e lotação. As variáveis foram analisadas através do programa estatístico ECOPOR. Os fatores de risco com maior frequência foram as variações térmicas diárias superiores a 6°C, contaminação bacteriana da água e ocorrência de diarreia durante o aleitamento. Em mais de 50% das granjas foi detectado baixo peso médio e desuniformidade das leitegadas. Pela análise dos fatores de risco, as granjas foram localizadas em um mapa dividido em regiões de risco para o aparecimento de diarréias pós-desmame.

leitões; diarréia; pós-desmame; fatores de risco


The main risk factors that interfered on the performance of post weaning piglets were identified in nine farms from Southwest of Paraná State, Brazil, during the Summer and Winter of 1991. All the herd were evaluated, with at least 30 piglets per farm, from weaning up to 21 days after weaning. The software ECOPOR was used to evaluate three target variables (mortality, diarrhea and average daily gain), and seven explanatory variables (average weaning weight, weight variation coefficient, thermal amplitude, sow energy consumption, water potability, diahrrea in the suckling period and housing density). The risk factors with higher frequency were daily thermal amplitude higher than 6°C, bacterial contamination of the drinking water, and the occurrence of diarrhea in the suckling period. Im more than 50% of the farms, low mean gain and differences in litter size were observed. Based on the analyses of the risk factors, a map classifying regions with different risk of post weaning diarrhea was constructed and the farms were allocated.

piglets; diarrhea; post-weaning; risk factors


ESTUDO ECOPATOLÓGICO DA DIARREIA PÓS-DESMAME EM GRANJAS SUINÍCOLAS DO SUDOESTE DO PARANÁ

ECOPATHOLOGICAL STUDY OF POST WEANING DIARRHEA IN PIG FARMS OF SOUTHWEST PARANÁ

Benito Guimarães de Brito1 1 Pesquisador da Área Técnica de Sanidade Animal - IAPAR, Médico Veterinário, Esp., Caixa Postal 481, 86001-970 - Londrina, PR. Autor para correspondência. Laerte Francisco Filippsen2 1 Pesquisador da Área Técnica de Sanidade Animal - IAPAR, Médico Veterinário, Esp., Caixa Postal 481, 86001-970 - Londrina, PR. Autor para correspondência. Nelson Mores3 1 Pesquisador da Área Técnica de Sanidade Animal - IAPAR, Médico Veterinário, Esp., Caixa Postal 481, 86001-970 - Londrina, PR. Autor para correspondência.

RESUMO

Foram identificados em 9 granjas suinícolas do Sudoeste do Paraná, no período do verão e inverno de 1991, os principais fatores de risco que interferem no desempenho dos leitões após o desmame. Foram avaliados todos os lotes de leitões, no mínimo 30 leitões por granja, durante o período do desmame até 21 dias após. Foram analisadas 3 variáveis objetivas: mortalidade, diarreia e ganho médio diário e 7 variáveis explicativas: peso médio ao desmame, coeficiente de variação do peso, amplitude térmica, energia consumida pela porca, potabilidade da água, diarréia no aleitamento e lotação. As variáveis foram analisadas através do programa estatístico ECOPOR. Os fatores de risco com maior frequência foram as variações térmicas diárias superiores a 6°C, contaminação bacteriana da água e ocorrência de diarreia durante o aleitamento. Em mais de 50% das granjas foi detectado baixo peso médio e desuniformidade das leitegadas. Pela análise dos fatores de risco, as granjas foram localizadas em um mapa dividido em regiões de risco para o aparecimento de diarréias pós-desmame.

Palavras-chave: leitões, diarréia, pós-desmame, fatores de risco.

SUMMARY

The main risk factors that interfered on the performance of post weaning piglets were identified in nine farms from Southwest of Paraná State, Brazil, during the Summer and Winter of 1991. All the herd were evaluated, with at least 30 piglets per farm, from weaning up to 21 days after weaning. The software ECOPOR was used to evaluate three target variables (mortality, diarrhea and average daily gain), and seven explanatory variables (average weaning weight, weight variation coefficient, thermal amplitude, sow energy consumption, water potability, diahrrea in the suckling period and housing density). The risk factors with higher frequency were daily thermal amplitude higher than 6°C, bacterial contamination of the drinking water, and the occurrence of diarrhea in the suckling period. Im more than 50% of the farms, low mean gain and differences in litter size were observed. Based on the analyses of the risk factors, a map classifying regions with different risk of post weaning diarrhea was constructed and the farms were allocated.

Key words: piglets, diarrhea, post-weaning, risk factors.

INTRODUÇÃO

As doenças entéricas dos suínos representam um problema complexo, em virtude da diversidade dos agentes etiológicos e dos diversos fatores predisponentes envolvidos. Dentre as fases de produção de suínos, destacam-se o aparecimento de diarréias no período de lactação e em leitões recentemente desmamados (BARCELLOS & STEPAN, 1991).

A diarreia pós-desmame é uma doença multifatorial em que atuam como fatores predisponentes o manejo, o ambiente, a nutrição e a imunidade. GLOCK (1981) cita como agentes etiológicos envolvidos no aparecimento da diarreia pós-desmame a Escherichia coli, o Rotavírus, o Coronavírus, Isospora suis, Treponema hyodysenteriae, Trichuris suis e o Balantidium coli. Infecções com Ileal symbiont intracellularis (McORIST et al., 1994) e Cryptosporidium também têm sido relatadas (LINKS, 1982). No entanto, os mais frequentes são a E. coli e o Rotavírus (BARCELLOS & STEPAN, 1991), sendo que as associações de agentes etiológicos têm sido também verificadas (TAYLOR & OLUBONMI, 1982; JONES & HUNTER, 1983).

Estudos ecopatológicos foram realizados na França, Portugal e Brasil com o objetivo de encontrar o conjunto de fatores de risco (ambientais, alimentares e de manejo) que favorecem o aparecimento de diarréias em leitões lactentes (MADEC et al., 1986; PERESTRELO et al., 1988; MORES et al., 1989 e BRITO et al., 1991).

Este tipo de abordagem sistémica também foi realizada para o problema de diarreia pós-desmame (MADEC et al., 1982). Os fatores de risco encontrados por estes autores podem também estar presentes nas criações brasileiras.

O objetivo deste estudo foi determinar os fatores de risco que interferem no aparecimento de diarréias e na redução de ganho de peso, no período pós-desmame, em granjas suinícolas do sudoeste do Paraná, utilizando-se as mesmas variáveis definidas por PERESTRELO et al. (1989).

MATERIAL E MÉTODOS

Foram avaliadas 9 granjas suinícolas da região sudoeste do Paraná, sistema confinado, nos períodos de verão e inverno de 1991. No mínimo, 4 leitegadas por granja foram acompanhadas do parto até o desmame, e do desmame até 21 dias após. No mínimo 30 destes leitões, de cada granja, totalizando 322 leitões no verão e 329 no inverno foram examinados diariamente. Neste período, 3 variáveis objetivas e 7 variáveis explicativas, conforme sugeridas por MADEC et al. (1982) e PERESTRELO et al. (1989), foram analisadas. As variáveis objetivas foram: taxa de mortalidade, intensidade da diarreia na creche e ganho médio diário da desmama até 21 dias após.

A avaliação da ocorrência da diarréia foi realizada da seguinte maneira: os leitões eram examinados diariamente durante 3 semanas após o desmame. No dia em que mais de 20% dos leitões tinham diarréia, o lote foi considerado positivo. Após, considerou-se a seguinte classificação:

0 = sem diarréia (0 dia)

1 = pouca diarréia (1 a 3 dias)

2 = muita diarréia (4 ou mais dias)

As variáveis explicativas foram: peso médio ao desmame (PMS), coeficiente de variação do peso médio ao desmame (CVS), número de dias cuja amplitude térmica no interior da creche superou 6°C nas 3 semanas pós-desmame (NBJ), consumo de energia pela porca por dia do ciclo reprodutivo (gestação+lactação; Kcal), qualidade bacteriológica da água de bebida (POT), ocorrência de diarréia durante o aleitamento (DIA), e número de leitões por m2 no período do desmame (DEN). As variáveis objetivas e explicativas foram classificadas e analisadas utilizando o programa estatístico ECOPOR (PERESTRELO et al., 1989), para identificação dos fatores negativos e para localização dos rebanhos no mapa de fatores de risco.

A potabilidade da água foi analisada pela estimativa da contaminação por coliformes, conforme técnica do número mais provável de coliformes (IGRAM et al., 1978).

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Os índices técnicos na fase de maternidade das 9 granjas avaliadas encontram-se na Tabela 1.

Através da análise das variáveis, com auxílio do programa "ECOPOR", foi possível localizar cada granja no mapa de fatores de risco, no período de inverno e verão (Figura 1). Na região A situaram-se as variáveis positivas (de baixo risco), na região B, as variáveis intermediárias e na região C (área de risco), as variáveis negativas. Das 9 granjas avaliadas no verão, 3 encontravam-se na região de alto risco, 3 na região intermediária e 3 na região de baixo risco. No período do inverno, 6 granjas encontravam-se na região de alto risco, enquanto 1 granja na região intermediária e 2 na região de baixo risco.

Os fatores de risco que apareceram com maior frequência, tanto no verão quanto no inverno, foram: amplas variações térmicas diárias, contaminação bacteriana da água e a ocorrência de diarréia durante o aleitamento (Tabela 2). Em 56% das granjas, no período de verão, a taxa de mortalidade foi 0%, enquanto que em 33% esta taxa foi superior a 3%. Em mais de 50% das granjas foi detectado baixo ganho de peso médio diário do período do desmama até 21 dias e desuniformidade das leitegadas no desmame. Em 45 % das granjas havia muita diarreia na creche no período de verão, enquanto que no inverno, este índice subiu para 56% (Tabela 3). Em apenas 11% das criações a água alcançou níveis de potabilidade, em 11 e 22% os níveis foram baixos e médios respectivamente, e na grande maioria, 66% das granjas, os níveis de contaminação por coliformes foram altos (Tabela 4). Nenhuma das granjas avaliadas utilizava tratamento da água de bebida, bem como não examinava a potabilidade da água periodicamente. ZIEGLER et al. (1992) relataram situação semelhante em pequenas e médias propriedades rurais.

A diarréia pós-desmame é uma das principais enfermidades na produção de suínos (BARCELLOS & STE-PAN, 1991), podendo os fatores ambientais influenciar fortemente na sua ocorrência (VAN der HEYDE, 1970). Sendo uma enfermidade de caráter multifatorial (MADEC et al., 1982) é possível, através de estudos ecopatológicos, determinar os fatores de risco que favorecem o aparecimento de diarréia pós-desmame em leitões (MADEC et al., 1982; SVENSMARK et al., 1989). As amplas variações térmicas diárias e a contaminação bacteriana da água verificadas neste trabalho apresentaram efeito negativo no desempenho dos leitões e desenvolvimento de diarréia pós-desmame, dados também constatados por outros autores (RENAULT, 1975; SHIMIZU et al., 1978). A ocorrência de diarreia nos leitões no período de aleitamento foi alta, provocando desuniformidade dos pesos dos leitões e aumentando o risco da ocorrência de diarreia pós-desmame, o que também foi verificado por SVENSMARK et al. (1989).

Os resultados obtidos mostraram coerência, uma vez que, a maioria das granjas tinham vários fatores de risco e os leitões apresentaram alta ocorrência de diarréia e baixo ganho de peso no período de 21 dias após o desmame. O estudo e a distribuição das granjas em regiões de risco permitirá a tomada de medidas, visando a solução dos problemas específicos encontrados em cada granja. Em virtude de algumas variáveis poderem ser flutuantes, sugerem-se atualizações periódicas destas análises, visando um correto controle dos fatores de risco e, conseqüentemente, das perdas econômicas.

CONCLUSÕES

Os resultados evidenciam a presença de vários fatores de risco nas criações estudadas, que podem explicar a ocorrência de diarréia e o baixo ganho de peso dos leitões no período pós-desmame.

AGRADECIMENTOS

Agradecemos ao Sr. Armando L. Amaral pela colaboração nas análises estatísticas e a Sra. Márcia de Lourdes Amorim pela digitação do trabalho e figuras.

  • 1
    Pesquisador da Área Técnica de Sanidade Animal - IAPAR, Médico Veterinário, Esp., Caixa Postal 481, 86001-970 - Londrina, PR. Autor para correspondência.
  • 2Pesquisador da Área Técnica de Sanidade Animal - IAPAR, Médico Veterinário, Dr., Londrina - PR.

    3Pesquisador da EMBRAPA/CNPSA, Médico Veterinário, MSc. Caixa Postal 21, 89700-000 - Concórdia, SC.

    Recebido pua publicação em 31.03.95. Aprovado em 19.07.95

    • BARCELLOS, D.E.S.N., STEPAN, A.L. Estudo etiológico de diarréia em leitões recentemente desmamados. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE VET. ESPEC. EM SUÍNOS, 5, 1991. Águas de Lindóia, SP. Anais... Águas de Lindóia, ABRAVES, 144 p. p.60.
    • BRITO, B.G., FILIPPSEN, L.F., MORES, N. Fatores de risco no aparecimento de diarréias pré-desmame em granjas suinícolas do Sudoeste do Paraná. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE VET. ESPEC. EM SUÍNOS, 5, 1991. Águas de Lindóia, SP. Anais... Águas de Lindóia, ABRAVES, 144 p. p. 82.
    • GLOCK, R.D. Digestive system. In: LEMAN, A.D. et al. Diseases of swine 5 ed. Ames: The lowa State University Press, 1981. p. 130-137.
    • IGRAM, N., BRAY, DF., CLARCK, D.S. et al. Microorganisms in food couform bactéria London: University of Torcato Press, 1978. p. 234.
    • JONES, G.W., RUTTER, G.M. The association of 188 antigen with heamayglutinatiny activity in porcine strains of E. coli J Gen Microbiol, v. 84, p. 135-144, 1974.
    • LINKS, U. Cryptosporidial infection of piglets. Australian Vet J, v. 58, p. 60-62, 1982.
    • MADEC, F., JOSSE, J., CHANTAL, A. Evaluation d'une methode multifactorielle dans L'analyse des troubles digestifs du sevrage. Journees Rech Porcine m France, v. 14, p. 379-386, 1982.
    • MADEC, F., JOSSE, J., JESTIN, A. Les Diarrhées Manches du porcelet sous la mère. I. Étude écopathologique dans les élevages de Bretagne. Rec Méd Vét, v. 162, n. 10, p. 1087-1093, 1986.
    • McORIST, S., MACKIE, R.A., NEEF, N. et al. Synergism of ileal symbiont intracellulares and gut bacteria in the reproduction of porcine proliferative enteropathy. Vet Rec, v. 134, n. 13, p. 331-332, 1994.
    • MORES, N., SOBESTIANSKY, J., CIACCI, J.R. et al. Fatores de risco para ocorrência de diarréia em leitões lactentes em criações do estado de Santa Catarina. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE VET. ESPEC. EM SUÍNOS, 4, 1989. Itapema, SC. Anais... Itapema, ABRAVES, p. 85.
    • PERESTRELO, R., PERESTRELO, H., MADEC, F. Prevention of white scour syndrome in pigs using the concept of risk factor. In: CONGRESS INTERNATIONAL PIG VETERINARY SOCIETY, 10th, 1988. Rio de Janeiro, RJ. Proceedings... Rio de Janeiro, IPVS, 431 p. p.339.
    • PERESTRELO, R., PERESTRELO, H., MADEC, F. Aplicação da análise multidimensional na prevenção da patologia digestiva do desmame em suinocultura intensiva. Revista Portuguesa de Ciências Veterinárias, v. 84, n. 492, p. 229-241, 1989.
    • RENAULT, L. Colibacilose du porc. Ann Rech Vét, v. 6, p. 241-258, 1975.
    • SHIMIZU, M., SHIMIZU, Y., KODAMA, Y. Effects of ambient temperatures on induction of transmissible gastroenterites in feeder pigs. Infect Immun, v. 2, p. 747-752, 1978.
    • SVENSMARK, B., NIELSEN, K., WILLEBERG, P. et al. Epidemiological studies of piglet diarrhoea in intensively managed danish sow herds. II. Post-weaning diarrhoea. Acta Vet Scand, v. 30, p. 55-62, 189.
    • TAYLOR, D.J., OLUBONMI, P.A. Enteric diseases in suckling and weaned pigs imitiated by an association with C. Perfringens type A. In: 7th INTERNATIONAL PIG VET. SOC. CONGRESS, 7th, 1982. México. Annals... México, 339 p. p. 66.
    • VAN der HEYDE, H. Early weaning and environment. Inter. Conf. Agri. Engeneering. Gent Belgium, v. 25, p. 1-12, 1970.
    • ZIEGLER, J.C., GOUVEIA, N., FREIRE, R.L. Estudo de características de saneamento rural em microregião localizada no município de Londrina, PR. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA, 22, 1992. Curitiba, PR. Anais... Curitiba, S.B.M.V., 1992, 439 p. p. 241c.

    1 Pesquisador da Área Técnica de Sanidade Animal - IAPAR, Médico Veterinário, Esp., Caixa Postal 481, 86001-970 - Londrina, PR. Autor para correspondência.

    Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      16 Out 2009
    • Data do Fascículo
      1995

    Histórico

    • Aceito
      19 Jul 1995
    • Recebido
      31 Mar 1995
    Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
    E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br