Accessibility / Report Error

Às vésperas da abolição um estudo sobre a estrutura da posse de escravos em São Cristóvão (RJ), 1870

Resumos

A primeira parte deste artigo revela a estrutura da posse de escravos de São Cristóvão em 1870, quando essa freguesia já integrava o perímetro urbano do município neutro. Assim, mostramos tal estrutura às vésperas da Abolição em um centro urbano dos mais dinâmicos do Império. É corroborado o padrão estabelecido pela historiografia acerca do escravismo brasileiro: forte presença de escravistas de porte modesto, difusão relativamente ampla da instituição e inexistência de grande concentração na posse de cativos. O escravismo apresenta, no caso analisado, o mesmo perfil básico identificado desde inícios do Setecentos, nos mais diversos pontos do Brasil. Na segunda parte, confrontamos nossos resultados com os de vários outros estudos, respeitantes a diversas localidades brasileiras consideradas em diferentes momentos, apontando as semelhanças e disparidades observadas. De um lado, situamos São Cristóvão no universo do escravismo brasileiro; de outro, perseguimos o conhecimento mais largo e profundo das estruturas demo-econômicas de nossa sociedade escravista.

estrutura da posse de escravos; Brasil história; economia da escravidão; escravismo; demografia histórica


The first part of this paper shows the slaveholding structure in São Cristóvão in 1870, when that parish already belonged to the urban perimeter of the capital city of Rio de Janeiro. Thus that structure can be seen on the eve of Abolition in one of the most dynamic urban centers of the Empire. The results validate the pattern of Brazilian slavery determined by historiography: a great weight of the small slaveholders, the institution of slavery was relatively widespread and slaveholding was not strongly concentrated. The case in focus shows the same basic characteristics of slavery seen since the early 1700s in different parts of Brazil. In the second part, our results are compared to those of several other studies of various localities examined in different moments, showing the similarities and differences observed. On the one hand, São Cristóvão is situated in the universe of Brazilian slavery; on the other, we seek a more wide and profound knowledge of the demo-economic structures of our slave society.

slaveholding structure; Brazilian history; economy of slavery; slavery; historical demography


Às vésperas da abolição um estudo sobre a estrutura da posse de escravos em São Cristóvão (RJ), 1870

José Flávio MottaI; Nelson NozoeII; Iraci del Nero da CostaIII

IProf. da FEA-USP e do Programa de Pós-Graduação em História Econômica da FFLCH-USP

IIProf. da FEA-USP e do Programa de Pós-Graduação em História Econômica da FFLCH-USP

IIIProfessor Livre-Docente da FEA-USP

RESUMO

A primeira parte deste artigo revela a estrutura da posse de escravos de São Cristóvão em 1870, quando essa freguesia já integrava o perímetro urbano do município neutro. Assim, mostramos tal estrutura às vésperas da Abolição em um centro urbano dos mais dinâmicos do Império. É corroborado o padrão estabelecido pela historiografia acerca do escravismo brasileiro: forte presença de escravistas de porte modesto, difusão relativamente ampla da instituição e inexistência de grande concentração na posse de cativos. O escravismo apresenta, no caso analisado, o mesmo perfil básico identificado desde inícios do Setecentos, nos mais diversos pontos do Brasil. Na segunda parte, confrontamos nossos resultados com os de vários outros estudos, respeitantes a diversas localidades brasileiras consideradas em diferentes momentos, apontando as semelhanças e disparidades observadas. De um lado, situamos São Cristóvão no universo do escravismo brasileiro; de outro, perseguimos o conhecimento mais largo e profundo das estruturas demo-econômicas de nossa sociedade escravista.

Palavras-chave: estrutura da posse de escravos, Brasil história, economia da escravidão, escravismo, demografia histórica.

ABSTRACT

The first part of this paper shows the slaveholding structure in São Cristóvão in 1870, when that parish already belonged to the urban perimeter of the capital city of Rio de Janeiro. Thus that structure can be seen on the eve of Abolition in one of the most dynamic urban centers of the Empire. The results validate the pattern of Brazilian slavery determined by historiography: a great weight of the small slaveholders, the institution of slavery was relatively widespread and slaveholding was not strongly concentrated. The case in focus shows the same basic characteristics of slavery seen since the early 1700s in different parts of Brazil. In the second part, our results are compared to those of several other studies of various localities examined in different moments, showing the similarities and differences observed. On the one hand, São Cristóvão is situated in the universe of Brazilian slavery; on the other, we seek a more wide and profound knowledge of the demo-economic structures of our slave society.

Key words: slaveholding structure, Brazilian history, economy of slavery, slavery, historical demography.

JEL Classification

N36

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CARVALHO, José Alberto Magno de; SAWYER, Diana Oya; RODRIGUES, Roberto do Nascimento. Introdução a alguns conceitos básicos e medidas em demografia. Belo Horizonte: ABEP, 1994.

CASTRO, Hebe Maria da Costa Mattos Gomes de. Das cores do silêncio: os significados da liberdade no sudeste escravista - Brasil, século XIX. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1995.

Collecção das leis do império do Brasil de 1872. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1873, v. 2.

COSTA, Iraci del Nero da. Vila Rica: população (1719-1826). São Paulo: IPE/USP, 1979.

_______. Populações mineiras: sobre a estrutura populacional de alguns núcleos mineiros no alvorecer do século XIX. São Paulo: IPE/USP, 1981.

_______. Nota sobre ciclo de vida e posse de escravos. História: Questões & Debates, v. 4, n. 6, p. 121-127, jun. 1983.

COSTA, Iraci del Nero da; NOZOE, Nelson Hideiki. Elementos da estrutura de posse de escravos em Lorena no alvorecer do século XIX. Estudos Econômicos, v. 19, n. 2, p. 319-345, maio/ago. 1989.

COSTA, Iraci del Nero da; SLENES, Robert W.; SCHWARTZ, Stuart B. A família escrava em Lorena (1801). Estudos Econômicos, v. 17, n. 2, p. 245-295, maio/ago. 1987.

FERNÁNDEZ, Ramón V. García. Transformações econômicas no litoral norte paulista (1778-1836). 1992. Tese (Doutorado), FEA/USP, São Paulo. (Mimeografado).

GRAF, Márcia E. de Campos. População escrava da Província do Paraná, a partir das listas de classificação para emancipação (1873 - 1886). 1974. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal do Paraná, Curitiba. (Mimeografado).

GUTIÉRREZ GALLARDO, Darío Horacio. Senhores e escravos no Paraná, 1800-1830. 1986. Dissertação (Mestrado), FEA/USP, São Paulo. (Mimeografado).

IBGE (MSS). Rolo n. 332: volume 1-3 com 286 páginas e volume 4-5 com 326 páginas; Rolo n. 333: volume 6-8 com 388 páginas e volume 9- 11 com 303 páginas; Rolo n. 334: volume 12-14 com 171 páginas. Todos referentes ao Recenseamento do Brasil de 1870; os volumes são manuscritos pelos próprios moradores da "Parochia de São Cristóvão do Município da Corte. Rio de Janeiro: IBGE-BICEN, 1980, microfilme.

LOBO, Eulalia Maria Lahmeyer. História do Rio de Janeiro (do capital comercial ao capital industrial e financeiro). Rio de Janeiro: IBMEC, 1978. 2 vols.

LUNA, Francisco Vidal. Minas Gerais: escravos e senhores - análise da estrutura populacional e econômica de alguns centros mineratórios (1718-1804). São Paulo: IPE/USP, 1981.

_______. Posse de escravos em Sorocaba (1778-1836). Primeiro Seminário do Centenário da Abolição do Escravismo: da Época Colonial à Situação do Negro na Atualidade. São Paulo: FEA/USP, 1986. (Mimeografado).

_______. São Paulo: população, atividades e posse de escravos em vinte e cinco localidades (1777-1829). Estudos Econômicos, São Paulo: IPE/USP, v. 28, n. 1, p. 99-169, jan./mar. 1998.

LUNA, Francisco Vidal; COSTA, Iraci del Nero da. Posse de escravos em São Paulo no início do século XIX. Estudos Econômicos, São Paulo: IPE/USP, v. 13, n. 1, p. 211-221, jan./abr. 1983.

MARCONDES, Renato Leite. A arte de acumular na economia cafeeira: Vale do Paraíba, século XIX. Lorena: Editora Stiliano, 1998.

_______. A propriedade escrava no Vale do Paraíba paulista durante a década de 1870. Texto para Discussão. Série Economia (TD-E/10). São Paulo: FEA/USP-Ribeirão Preto, 2000. (Mimeografado).

MARCONDES, Renato Leite; FALCI, Miridan Britto Knox. Escravidão e reprodução no Piauí: Oeiras e Teresina (1875). Texto para Discussão. Série Economia (TD-E/26). São Paulo: FEA/USP-Ribeirão Preto, 2001. (Mimeografado).

MELLO, Zélia Maria Cardoso de. Metamorfoses da riqueza, São Paulo, 1845-1895: contribuição ao estudo da passagem da economia mercantil-escravista à economia exportadora capitalista. São Paulo: Hucitec/ Prefeitura do Município de São Paulo, 1985.

METCALF, Alida C. Families of planters, peasants and slaves: strategies for survival in Santana de Parnaíba, Brazil, 1720-1820. Austin: The University of Texas at Austin, 1983.

MOTTA, José Flávio. Corpos escravos, vontades livres: posse de cativos e família escrava em Bananal (1801-1829). São Paulo: FAPESP/Annablume, 1999.

MOTTA, José Flávio; NOZOE, Nelson; COSTA, Iraci del Nero da. A posse de escravos em uma paróquia fluminense: São Cristóvão, 1870. São Paulo: N.E.H.D.-FEA/USP, 2002. (Mimeografado).

MOURA, Ana Maria da Silva. Cocheiros e carroceiros: homens livres no Rio de senhores e escravos. São Paulo: Hucitec, 1988.

PAIVA, Clotilde Andrade; LIBBY, Douglas Cole. Caminhos alternativos: escravidão e reprodução em Minas Gerais no século XIX. Estudos Econômicos, São Paulo: IPE/USP, v. 25, n. 2, p. 203-233, maio/ago. 1995.

PASSOS SUBRINHO, Josué Modesto dos. Reordenamento do trabalho: trabalho escravo e trabalho livre no Nordeste açucareiro; Sergipe, 1850/1930. Aracaju: Funcaju, 2000.

_______. Propriedade escrava e declínio do escravismo na Província de Sergipe. Anais do IV Congresso Brasileiro de História Econômica/5ª Conferência Internacional de História de Empresas. [CD ROM]. São Paulo: ABPHE - FEA/USP, 2001.

RANGEL, Armênio de Souza. Escravismo e riqueza: formação da economia cafeeira no município de Taubaté, 1765-1835. 1990. Tese (Doutorado), FEA/USP, São Paulo. (Mimeografado).

RELATÓRIO sobre o Arrolamento da População do Município da Corte em 1870. In: Relatório Apresentado ao Ministro e Secretário D'Estado dos Negócios do Império pela Comissão Encarregada da Direção dos Trabalhos do Arrolamento da População do Município da Corte a que se Procedeu em Abril de 1870. Rio de Janeiro: Typographia Perseverança, 1871.

SAMPAIO, Antonio Carlos Jucá de. Magé na crise do escravismo: sistema agrário e evolução econômica na produção de alimentos (1850-1888). 1994. Dissertação (Mestrado), ICHF/UFF, Niterói. (Mimeografado).

SANTOS, Francisco Agenor de Noronha. As freguesias do Rio antigo. Rio de Janeiro: Edições O Cruzeiro, 1965.

SANTOS, Jonas Rafael dos. Escravos e senhores em Mogi das Cruzes: a estrutura da posse de escravos, 1777-1829. 1965. Dissertação (Mestrado) FHDSS/UNESP, campus de Franca, 2001. (Mimeografado).

SCHLICHTHORST, C. O Rio de Janeiro como é, 1824-1826. Rio de Janeiro: Livraria-Editora Zélio Valverde, 1943.

SCHWARTZ, Stuart B. Padrões de propriedade de escravos nas Américas: nova evidência para o Brasil. Estudos Econômicos, São Paulo: IPE/USP, v. 13, n. 1, p. 259-287, jan./abr. 1983.

_______. Segredos internos: engenhos e escravos na sociedade colonial, 1550-1835. São Paulo: Cia. das Letras, 1988.

SLENES, Robert W. Escravidão e família: padrões de casamento e estabilidade familiar numa comunidade escrava (Campinas, século XIX). Estudos Econômicos, v. 17, n. 2, p. 217-227, maio/ago. 1987.

TEIXEIRA, Heloísa Maria. Reprodução e famílias escravas em Mariana, 1850-1888. 2001. Dissertação (Mestrado). FFLCH/USP, São Paulo. (Mimeografado).

VALENTIN, Agnaldo. Nem Minas, nem São Paulo: economia e demografia na localidade paulista de Apiaí (1732-1835). 2001. Dissertação (Mestrado), FFLCH/USP, São Paulo. (Mimeografado).

VERSIANI, Flávio Rabelo; VERGOLINO, José Raimundo O. Posse de escravos e estrutura de ativos no Agreste e Sertão de Pernambuco. Anais do XXIX Encontro Nacional de Economia. [CD ROM]. Belém: ANPEC, 2001.

(Recebido em setembro de 2002. aceito para publicação em julho de 2003).

Este artigo é dedicado à memória de Geísa Firmo Gonçalves, jovem professora, morta aos vinte anos, em junho de 2000, pelos tiros decorrentes da ação desastrosa de um soldado da PM que tentava atingir o assaltante do ônibus no qual Geísa e outras pessoas foram mantidas como reféns perto do Parque Lage, Jardim Botânico, na zona sul do Rio de Janeiro. Os autores, membros do N.E.H.D. - Núcleo de Estudos em História Demográfica da FEA/USP, agradecem os comentários à primeira parte do texto efetuados pelo Prof. Dr. Flávio Rabelo Versiani, da UnB, bem como as sugestões dos pareceristas da Estudos Econômicos.

  • CARVALHO, José Alberto Magno de; SAWYER, Diana Oya; RODRIGUES, Roberto do Nascimento. Introdução a alguns conceitos básicos e medidas em demografia. Belo Horizonte: ABEP, 1994.
  • CASTRO, Hebe Maria da Costa Mattos Gomes de. Das cores do silêncio: os significados da liberdade no sudeste escravista - Brasil, século XIX. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1995.
  • Collecção das leis do império do Brasil de 1872 Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1873, v. 2.
  • COSTA, Iraci del Nero da. Vila Rica: população (1719-1826). São Paulo: IPE/USP, 1979.
  • _______. Populações mineiras: sobre a estrutura populacional de alguns núcleos mineiros no alvorecer do século XIX. São Paulo: IPE/USP, 1981.
  • _______. Nota sobre ciclo de vida e posse de escravos. História: Questões & Debates, v. 4, n. 6, p. 121-127, jun.
  • COSTA, Iraci del Nero da; NOZOE, Nelson Hideiki. Elementos da estrutura de posse de escravos em Lorena no alvorecer do século XIX. Estudos Econômicos, v. 19, n. 2, p. 319-345, maio/ago. 1989.
  • COSTA, Iraci del Nero da; SLENES, Robert W.; SCHWARTZ, Stuart B. A família escrava em Lorena (1801). Estudos Econômicos, v. 17, n. 2, p. 245-295, maio/ago. 1987.
  • FERNÁNDEZ, Ramón V. García. Transformações econômicas no litoral norte paulista (1778-1836) 1992. Tese (Doutorado), FEA/USP, São Paulo. (Mimeografado).
  • GRAF, Márcia E. de Campos. População escrava da Província do Paraná, a partir das listas de classificação para emancipação (1873 - 1886) 1974. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal do Paraná, Curitiba. (Mimeografado).
  • GUTIÉRREZ GALLARDO, Darío Horacio. Senhores e escravos no Paraná, 1800-1830 1986. Dissertação (Mestrado), FEA/USP, São Paulo. (Mimeografado).
  • IBGE (MSS). Rolo n. 332: volume 1-3 com 286 páginas e volume 4-5 com 326 páginas; Rolo n. 333: volume 6-8 com 388 páginas e volume 9- 11 com 303 páginas; Rolo n. 334: volume 12-14 com 171 páginas. Todos referentes ao Recenseamento do Brasil de 1870; os volumes são manuscritos pelos próprios moradores da "Parochia de São Cristóvão do Município da Corte. Rio de Janeiro: IBGE-BICEN, 1980, microfilme.
  • LOBO, Eulalia Maria Lahmeyer. História do Rio de Janeiro (do capital comercial ao capital industrial e financeiro). Rio de Janeiro: IBMEC, 1978. 2 vols.
  • LUNA, Francisco Vidal. Minas Gerais: escravos e senhores - análise da estrutura populacional e econômica de alguns centros mineratórios (1718-1804). São Paulo: IPE/USP, 1981.
  • _______. Posse de escravos em Sorocaba (1778-1836) Primeiro Seminário do Centenário da Abolição do Escravismo: da Época Colonial à Situação do Negro na Atualidade. São Paulo: FEA/USP, 1986. (Mimeografado).
  • _______. São Paulo: população, atividades e posse de escravos em vinte e cinco localidades (1777-1829). Estudos Econômicos, São Paulo: IPE/USP, v. 28, n. 1, p. 99-169, jan./mar. 1998.
  • LUNA, Francisco Vidal; COSTA, Iraci del Nero da. Posse de escravos em São Paulo no início do século XIX. Estudos Econômicos, São Paulo: IPE/USP, v. 13, n. 1, p. 211-221, jan./abr. 1983.
  • MARCONDES, Renato Leite. A arte de acumular na economia cafeeira: Vale do Paraíba, século XIX. Lorena: Editora Stiliano, 1998.
  • _______. A propriedade escrava no Vale do Paraíba paulista durante a década de 1870 Texto para Discussão. Série Economia (TD-E/10). São Paulo: FEA/USP-Ribeirão Preto, 2000. (Mimeografado).
  • MARCONDES, Renato Leite; FALCI, Miridan Britto Knox. Escravidão e reprodução no Piauí: Oeiras e Teresina (1875). Texto para Discussão. Série Economia (TD-E/26). São Paulo: FEA/USP-Ribeirão Preto, 2001. (Mimeografado).
  • MELLO, Zélia Maria Cardoso de. Metamorfoses da riqueza, São Paulo, 1845-1895: contribuição ao estudo da passagem da economia mercantil-escravista à economia exportadora capitalista. São Paulo: Hucitec/ Prefeitura do Município de São Paulo, 1985.
  • METCALF, Alida C. Families of planters, peasants and slaves: strategies for survival in Santana de Parnaíba, Brazil, 1720-1820. Austin: The University of Texas at Austin, 1983.
  • MOTTA, José Flávio. Corpos escravos, vontades livres: posse de cativos e família escrava em Bananal (1801-1829). São Paulo: FAPESP/Annablume, 1999.
  • MOTTA, José Flávio; NOZOE, Nelson; COSTA, Iraci del Nero da. A posse de escravos em uma paróquia fluminense: São Cristóvão, 1870. São Paulo: N.E.H.D.-FEA/USP, 2002. (Mimeografado).
  • MOURA, Ana Maria da Silva. Cocheiros e carroceiros: homens livres no Rio de senhores e escravos. São Paulo: Hucitec, 1988.
  • PAIVA, Clotilde Andrade; LIBBY, Douglas Cole. Caminhos alternativos: escravidão e reprodução em Minas Gerais no século XIX. Estudos Econômicos, São Paulo: IPE/USP, v. 25, n. 2, p. 203-233, maio/ago. 1995.
  • PASSOS SUBRINHO, Josué Modesto dos. Reordenamento do trabalho: trabalho escravo e trabalho livre no Nordeste açucareiro; Sergipe, 1850/1930. Aracaju: Funcaju, 2000.
  • _______. Propriedade escrava e declínio do escravismo na Província de Sergipe. Anais do IV Congresso Brasileiro de História Econômica/5Ş Conferência Internacional de História de Empresas. [CD ROM]. São Paulo: ABPHE - FEA/USP, 2001.
  • RANGEL, Armênio de Souza. Escravismo e riqueza: formação da economia cafeeira no município de Taubaté, 1765-1835. 1990. Tese (Doutorado), FEA/USP, São Paulo. (Mimeografado).
  • RELATÓRIO sobre o Arrolamento da População do Município da Corte em 1870. In: Relatório Apresentado ao Ministro e Secretário D'Estado dos Negócios do Império pela Comissão Encarregada da Direção dos Trabalhos do Arrolamento da População do Município da Corte a que se Procedeu em Abril de 1870 Rio de Janeiro: Typographia Perseverança, 1871.
  • SAMPAIO, Antonio Carlos Jucá de. Magé na crise do escravismo: sistema agrário e evolução econômica na produção de alimentos (1850-1888). 1994. Dissertação (Mestrado), ICHF/UFF, Niterói. (Mimeografado).
  • SANTOS, Francisco Agenor de Noronha. As freguesias do Rio antigo Rio de Janeiro: Edições O Cruzeiro, 1965.
  • SANTOS, Jonas Rafael dos. Escravos e senhores em Mogi das Cruzes: a estrutura da posse de escravos, 1777-1829. 1965. Dissertação (Mestrado) FHDSS/UNESP, campus de Franca, 2001. (Mimeografado).
  • SCHLICHTHORST, C. O Rio de Janeiro como é, 1824-1826 Rio de Janeiro: Livraria-Editora Zélio Valverde, 1943.
  • SCHWARTZ, Stuart B. Padrões de propriedade de escravos nas Américas: nova evidência para o Brasil. Estudos Econômicos, São Paulo: IPE/USP, v. 13, n. 1, p. 259-287, jan./abr. 1983.
  • _______. Segredos internos: engenhos e escravos na sociedade colonial, 1550-1835. São Paulo: Cia. das Letras, 1988.
  • SLENES, Robert W. Escravidão e família: padrões de casamento e estabilidade familiar numa comunidade escrava (Campinas, século XIX). Estudos Econômicos, v. 17, n. 2, p. 217-227, maio/ago. 1987.
  • TEIXEIRA, Heloísa Maria. Reprodução e famílias escravas em Mariana, 1850-1888 2001. Dissertação (Mestrado). FFLCH/USP, São Paulo. (Mimeografado).
  • VALENTIN, Agnaldo. Nem Minas, nem São Paulo: economia e demografia na localidade paulista de Apiaí (1732-1835). 2001. Dissertação (Mestrado), FFLCH/USP, São Paulo. (Mimeografado).
  • VERSIANI, Flávio Rabelo; VERGOLINO, José Raimundo O. Posse de escravos e estrutura de ativos no Agreste e Sertão de Pernambuco. Anais do XXIX Encontro Nacional de Economia. [CD ROM]. Belém: ANPEC, 2001.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    13 Out 2009
  • Data do Fascículo
    Mar 2004

Histórico

  • Recebido
    Set 2002
  • Aceito
    Jul 2003
Departamento de Economia; Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da Universidade de São Paulo (FEA-USP) Av. Prof. Luciano Gualberto, 908 - FEA 01 - Cid. Universitária, CEP: 05508-010 - São Paulo/SP - Brasil, Tel.: (55 11) 3091-5803/5947 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: estudoseconomicos@usp.br