Accessibility / Report Error

Desafios empírico-metodológicos para a pesquisa em letramentos digitais

Marcelo El Khouri Buzato Sobre o autor

Resumos

O estudo da relação entre contexto e prática social tem sido fundamental para os desenvolvimentos teóricos e metodológicos no campo dos estudos de letramento nas últimas décadas. A introdução das novas tecnologias da informação e da comunicação (TIC) no escopo de interesse desses estudos tem revigorado a necessidade de revisão da relação contexto-letramento sobre a qual se apoiavam pesquisas anteriores, em face das novas possibilidades de interação à distância e da utilização de 'mundos virtuais' que caracterizam certos tipos de práticas de leitura e escrita mediadas pelas TIC. O presente trabalho aborda tal revisão do ponto de vista da dupla crise da etnografia, procurando avaliar criticamente certas estratégias empíricas e modelos metodológicos que começam a ser propostos para os estudos qualitativos em letramento digital. Conclui que tais estratégias, embora possam ser úteis para a construção de pressupostos mais adequados sobre a relação prática-contexto, necessitam ser aplicadas à própria prática do pesquisador, como forma de garantir a reflexividade tida como necessária para a legitimação das abordagens etnográficas na contemporaneidade.

Letramento Digital; Policontextualidade; Etnografia


The study of the relation between context and practice has been essential for the theoretical and methodological developments in the field of literacy studies over the last few decades. The introduction of the new Information and Communication Technologies (ICTs) in the scope of interest of literacy studies has refreshed the need for a revision of the context-literacy relation upon which former research was based, in the face of new possibilities of interaction at a distance and the use of 'virtual worlds', typical of certain ITC-mediated reading and writing practices. The present essay addresses such revision from the viewpoint of the double-crisis of Ethnography, in an effort to critically evaluate certain empirical and methodological models that have recently been put forward in qualitative studies of digital literacy. It concludes that such strategies, although useful for the construction of more adequate assumptions as regards the practice-context relation, need to be applied to the researchers' practices themselves, so that the degree of reflexivity deemed necessary for the legitimation of ethnographic approaches is guaranteed.

Digital literacy; Policontextuality; Ethnography


ARTIGOS

Desafios empírico-metodológicos para a pesquisa em letramentos digitais* * O presente trabalho foi realizado com o apoio do UOL ( www.uol.com.br), através do Programa UOL Bolsa Pesquisa, processo número 20060509140453a. 1 Brandt & Clinton (2002) criticam os Novos Estudos sobre o Letramento por criarem "fissuras" artificiais entre o "local" e o "global". Ressaltam o fato de que os usos e significados dos letramentos não são criados apenas pelos agentes locais, a partir de seus próprios recursos, mas altamente influenciados por atores remotos, e relativamente mais poderosos, tais como governos, empregadores, editoras, etc.. Focalizando a dimensão material-tecnológica dos letramentos, as autoras propõem que se tome como dimensões de análise dos letramentos diferentes não apenas a "localização" (localizing moves), isto é, da apropriação e adaptação do letramento à estrutura sociocultural local e a seus interesses e necessidades específicos, mas as "conexões globalizadoras" (globalizing connects), isto é, as maneiras pelas quais os indivíduos extrapolam as "cenas locais" da leitura e da escrita filiando-se em redes de relações, de maneiras mais ou menos abstratas, tais como ser um leitor de tal autor 'global' ou escrever (ou ler e discutir) relatórios profissionais que serão lidos e discutidos (ou escritos) na matriz da empresa, em outro país. 2 Lurkers, ou participantes periféricos legitimados, são participantes de eventos coletivos de interação mediada por computador que têm acesso às mensagens trocadas pelos demais atores, mas que não se manifestam a respeito do que os outros membros estão dizendo/fazendo de forma explícita.

Marcelo El Khouri Buzato

Doutorando – UNICAMP

RESUMO

O estudo da relação entre contexto e prática social tem sido fundamental para os desenvolvimentos teóricos e metodológicos no campo dos estudos de letramento nas últimas décadas. A introdução das novas tecnologias da informação e da comunicação (TIC) no escopo de interesse desses estudos tem revigorado a necessidade de revisão da relação contexto-letramento sobre a qual se apoiavam pesquisas anteriores, em face das novas possibilidades de interação à distância e da utilização de 'mundos virtuais' que caracterizam certos tipos de práticas de leitura e escrita mediadas pelas TIC. O presente trabalho aborda tal revisão do ponto de vista da dupla crise da etnografia, procurando avaliar criticamente certas estratégias empíricas e modelos metodológicos que começam a ser propostos para os estudos qualitativos em letramento digital. Conclui que tais estratégias, embora possam ser úteis para a construção de pressupostos mais adequados sobre a relação prática-contexto, necessitam ser aplicadas à própria prática do pesquisador, como forma de garantir a reflexividade tida como necessária para a legitimação das abordagens etnográficas na contemporaneidade.

Palavras-chave: Letramento Digital; Policontextualidade; Etnografia.

ABSTRACT

The study of the relation between context and practice has been essential for the theoretical and methodological developments in the field of literacy studies over the last few decades. The introduction of the new Information and Communication Technologies (ICTs) in the scope of interest of literacy studies has refreshed the need for a revision of the context-literacy relation upon which former research was based, in the face of new possibilities of interaction at a distance and the use of 'virtual worlds', typical of certain ITC-mediated reading and writing practices. The present essay addresses such revision from the viewpoint of the double-crisis of Ethnography, in an effort to critically evaluate certain empirical and methodological models that have recently been put forward in qualitative studies of digital literacy. It concludes that such strategies, although useful for the construction of more adequate assumptions as regards the practice-context relation, need to be applied to the researchers' practices themselves, so that the degree of reflexivity deemed necessary for the legitimation of ethnographic approaches is guaranteed.

Key-words: Digital literacy; Policontextuality; Ethnography.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

  • Barton, D. (2001). Directions for literacy research: Analysing language and social practices in a textually mediated world. Language and education, v.15, n.2 e 3, p.92-104.
  • Barton, D.; e Hamilton, M. (1998). Local literacies: Reading and writing in one community New York: Routledge.
  • Brandt, D.; Clinton, K. (2002). Limits of the Local: expanding perspectives on literacy as a social practice. Journal of Literacy Research, v. 34, n.3, p.337-356.
  • Clifford, J. (1988). The Predicament of Culture Cambridge, MA: Harvard UP.
  • Denzin, N. K.; Lincoln, Y. S. (1998). Entering the field of qualitative research. In: _______ (Eds.) The Landscape of Qualitative Research Thousand Oaks, CA: Sage.
  • Edwards, R. (2005). Contexts, boundary zones and boundary objects in lifelong learning. Education-Line database. Disponível em: <http://www.leeds.ac.uk/educol/documents/143404.htm>. Acesso em: 03 mar. 2007.
  • Buzato, M. E. K. (2007). Entre a Fronteira e a Periferia: Linguagem e Letramento na Inclusão Digital. 256f. Tese (Doutorado em Lingüística Aplicada) Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas.
  • García Canclini, N. (2005). Diferentes, desiguais e desconectados: mapas da interculturalidade Rio de Janeiro: UFRJ.
  • Gee, J. P. (2005). The New Literacy Studies and the Social Turn. In: Barton, D.; Hamilton, M.; Ivanic, R (Eds.). Situated Literacies: Reading and Writing in Context London: Routledge, 2000. Disponível em: <http://www.schools.ash.org.au/litweb/page300.html>. Acesso em: 12 jan.
  • Geertz, C. (1973). The Interpretation of Cultures New York: Basic Books.
  • Hall, S. (2003). Da diáspora: Identidades e mediações culturais Belo Horizonte: Ed. UFMG; Brasília: Representação da UNESCO no Brasil.
  • Hannerz, U. (1992). Cultural Complexity Colombia University Press, New York.
  • Harvey, D. (1996). Justice, nature and the geography of difference Cambridge, Mass.: Blackwell Publishers.
  • Kostogriz, A. (2005) Rethinking the spatiality of literacy practices in multicultural conditions. In: AARE (Eds) Doing the Public Good: Positioning Education Research, Melbourne Education: Melbourne. Disponível em: <http://www.aare.edu.au/04pap/kos04610.pdf>. Acesso em 17. set. 2005.
  • Leander, K. M. (2001). "This is our freedom bus going home right now": Producing and hybridizing space-time contexts in pedagogical discourse. Journal of Literacy Research, v.33, n.4, p.637679.
  • Leander, K. M. (2002). Situated literacies, digital practices, and the constitution of space-time. National Reading Conference 52nd Annual Meeting, Miami. Disponível em: <http://www.vanderbilt.edu/litspace/nrc2002.pdf >. Acesso em 13. fev. 2006.
  • Leander, K.; McKim, K. (2003). Tracing the everyday 'sitings' of adolescents on the internet. Education, Communication and Information, v.3, n.1, p.11-30. Disponível em: <http://www.vanderbilt.edu/litspace/sitings.pdf>. Acesso em 10 ago. 2005.
  • Lefebvre, H. (1991). The production of space Cambridge, MA: Blackwell.
  • Lemke, J. L. (1995). Textual politics: Discourse and social dynamics London: Taylor & Francis.
  • Lincoln, Y. S.; GUBA, E. G. (1985). Naturalistic inquiry Beverly Hills, CA: Sage.
  • Mannion, G.; MILLER, K. (2005). Literacies for Learning in Further Education: promoting inclusive learning across boundaries through students' literacy practices. European Conference on Educational Research, Dublin. Disponível em: <http://orgs.man.ac.uk/projects/include/experiment/mannionmiller.pdf>. Acesso em 15 fev. 2007.
  • New London Group. (1996). A pedagogy of multiliteracies: Designing social futures. Harvard Educational Review, v.66, n.1, p.60-92.
  • Raposo, P. (2005). Etnografia: um itinerário possível da pré-modernidade à pós-modernidade. Oficina de Etnografia. Disponível em: <http://oficinadeetnografia.blogspot.com/2005/09/um-ponto-de-vista-antropolgico.html>. Acesso em 12 jan. 2006.
  • Reder, S.; Davila, E. (2005). Context and literacy practices. Annual Review of Applied Linguistics, v.25, n.1, p.17087.
  • Soja, E. W. (1996). Thirdspace: Journeys to Los Angeles and other real-and-imagined places Malden, MA: Blackwell.
  • Stredwick, R. (2001). Epistemological Boundaries and Methodological Confusions in Postmodern Consumer Research. Working Paper 001/01, Management Research Centre, University of Wolverhampton. Disponível em: <http://www.wlv.ac.uk/PDF/uwbs_WP001_01_Stredwick.pdf>. Acesso em 05 mar. 2007
  • Street, B. (2003). What's "new" in New Literacy Studies? Critical approaches to literacy in theory and practice. Current Issues in Comparative Education, v.5, n.2, p.1-14. Disponível em: <http://www.tc.columbia.edu/ cice/articles/ bs152.pdf>. Acesso em 20 jun. 2004.
  • *
    O presente trabalho foi realizado com o apoio do UOL (
    www.uol.com.br), através do Programa UOL Bolsa Pesquisa, processo número 20060509140453a.
    1 Brandt & Clinton (2002) criticam os Novos Estudos sobre o Letramento por criarem "fissuras" artificiais entre o "local" e o "global". Ressaltam o fato de que os usos e significados dos letramentos não são criados apenas pelos agentes locais, a partir de seus próprios recursos, mas altamente influenciados por atores remotos, e relativamente mais poderosos, tais como governos, empregadores, editoras, etc.. Focalizando a dimensão material-tecnológica dos letramentos, as autoras propõem que se tome como dimensões de análise dos letramentos diferentes não apenas a "localização" (localizing moves), isto é, da apropriação e adaptação do letramento à estrutura sociocultural local e a seus interesses e necessidades específicos, mas as "conexões globalizadoras" (globalizing connects), isto é, as maneiras pelas quais os indivíduos extrapolam as "cenas locais" da leitura e da escrita filiando-se em redes de relações, de maneiras mais ou menos abstratas, tais como ser um leitor de tal autor 'global' ou escrever (ou ler e discutir) relatórios profissionais que serão lidos e discutidos (ou escritos) na matriz da empresa, em outro país.
    2
    Lurkers, ou participantes periféricos legitimados, são participantes de eventos coletivos de interação mediada por computador que têm acesso às mensagens trocadas pelos demais atores, mas que não se manifestam a respeito do que os outros membros estão dizendo/fazendo de forma explícita.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      03 Jan 2013
    • Data do Fascículo
      Jun 2007
    UNICAMP. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) Unicamp/IEL/Setor de Publicações, Caixa Postal 6045, 13083-970 Campinas SP Brasil, Tel./Fax: (55 19) 3521-1527 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: spublic@iel.unicamp.br