Fragmentos da construção histórica do pensamento neo-empirista

Resumos

O presente trabalho procura identificar as idéias principais na construção histórica do pensamento neo-empirista a partir da visão mecânica do mundo e do método hipotético-dedutivo de Descartes. O método indutivo moderno é apresentado por Bacon e os empiristas ingleses colaboram na questão do pensamento “a posteriori”. No século XIX surge o positivismo que exclui a metafísica e considera a explicação dos fatos apenas como relações de sucessão e similidade. É nesse âmbito que se constroem as bases do método experimental moderno. No início do século XX, se desenvolve a ciência neoempirista cujas principais proposições são (1) a idéia da verificabilidade como forma de conferir a veracidade das teorias a partir da indução e das probabilidades e (2) o crescimento contínuo e acumulativo do conhecimento científico. Popper apresenta a impossibilidade de se obter grandes teorias oriundas da indução e sugere a substituição da indução pela dedução e da verificabilidade pela falseabilidade. Kuhn afirma que o conhecimento científico depende de paradigmas convencionais e Lakatos explica que a ciência não é uma sucessão temporal de períodos normais e revoluções, e sim sua justaposição.

Filosofia da Ciência; Epistemologia; Neo-empirismo; História da Ciência; Paradigma


The current paper tries to identify the main ideas used in the construction of the neo-empiricist thinking from the world's mechanical view and the Descartes' hypothetical-deductivistic method. The modern inductivistic method is presented by Bacon and the English empiricists collaborate in the question of the thinking afterwards. In the XIXth Century arises the Positivism, which excludes the Metaphysics and considers the explanation of facts only as relations of successions and similities. It is in this scope that is built the experimental method basis. At the beginning of the XXth Century, appears the neo-empiricist science which mains propositions are: (1) the idea of verifiability as a form to confer the theories' veracity from the induction and the probabilities and (2) the continuum and cumulative scientific knowledge increase. Popper presents the impossibility of obtaining huge theories from induction and suggests the substitution of the induction by the deduction and of the verifiability by the falseability. Kuhn argues that the scientific knowledge depends on conventional paradigms and Lakatos explains that science is not just a temporal succession of normal periods and revolutions but its overlapping.

Philosophy of Science; Epistemology; Neo-empiricism; History of Science; Paradigm


ARTIGOS

Fragmentos da construção histórica do pensamento neo-empirista

Antônio Fernandes Nascimento Júnior

Professor Assistente Doutor da Área de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional: Assentamentos Humanos - Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação. UNESP. (e-mail: arq-gott@travelnet.com.br)

RESUMO

O presente trabalho procura identificar as idéias principais na construção histórica do pensamento neo-empirista a partir da visão mecânica do mundo e do método hipotético-dedutivo de Descartes. O método indutivo moderno é apresentado por Bacon e os empiristas ingleses colaboram na questão do pensamento "a posteriori". No século XIX surge o positivismo que exclui a metafísica e considera a explicação dos fatos apenas como relações de sucessão e similidade. É nesse âmbito que se constroem as bases do método experimental moderno. No início do século XX, se desenvolve a ciência neoempirista cujas principais proposições são (1) a idéia da verificabilidade como forma de conferir a veracidade das teorias a partir da indução e das probabilidades e (2) o crescimento contínuo e acumulativo do conhecimento científico. Popper apresenta a impossibilidade de se obter grandes teorias oriundas da indução e sugere a substituição da indução pela dedução e da verificabilidade pela falseabilidade. Kuhn afirma que o conhecimento científico depende de paradigmas convencionais e Lakatos explica que a ciência não é uma sucessão temporal de períodos normais e revoluções, e sim sua justaposição.

Unitermos: Filosofia da Ciência, Epistemologia, Neo-empirismo, História da Ciência, Paradigma.

ABSTRACT

The current paper tries to identify the main ideas used in the construction of the neo-empiricist thinking from the world's mechanical view and the Descartes' hypothetical-deductivistic method. The modern inductivistic method is presented by Bacon and the English empiricists collaborate in the question of the thinking afterwards. In the XIXth Century arises the Positivism, which excludes the Metaphysics and considers the explanation of facts only as relations of successions and similities. It is in this scope that is built the experimental method basis. At the beginning of the XXth Century, appears the neo-empiricist science which mains propositions are: (1) the idea of verifiability as a form to confer the theories' veracity from the induction and the probabilities and (2) the continuum and cumulative scientific knowledge increase. Popper presents the impossibility of obtaining huge theories from induction and suggests the substitution of the induction by the deduction and of the verifiability by the falseability. Kuhn argues that the scientific knowledge depends on conventional paradigms and Lakatos explains that science is not just a temporal succession of normal periods and revolutions but its overlapping.

Key words: Philosophy of Science, Epistemology, Neo-empiricism, History of Science, Paradigm.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Agradecimentos

À Claudine Fernandes Gottardo e Roberto Nardi pela contribuição na construção deste artigo.

  • ABBAGNANO, N. História da Filosofia (14 volumes). Lisboa: Editorial Presença, 1982.
  • BACON, F. Novum Organum (1620). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.
  • BERKELEY, G. Tratado Sobre os Princípios do Conhecimento Humano (1710). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Abril Cultural, 1980.
  • CAMPELL, N. R. Foundations of Science (1919). New York: Dover Publications, 1937.
  • CARNAP, R. Testabilidade e Significado (1936-37), In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.
  • CARNAP, R. Fundamentos Lógicos da Probabilidade (1950). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.
  • COMTE, A. Curso de Filosofia Positiva (1830/1842). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.
  • COMTE, A. Curso de Filosofia Positiva (1852). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.
  • DESCARTES, R. Discurso do Método (1637). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1979.
  • DUHEM, P. The Aim and Structure of Physical Theory New York: Science Press, 1905.
  • FRANK, P. Phylosophy of Science Englewood cliffs. N. J.: Prentice-Hall, 1957.
  • FREGE, J. G. Sobre a Justificação Científica de Uma Conceitografia (1882). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1979.
  • FREGE, J. G. Os Fundamentos da Matemática (1884). In: Os pensadores São Paulo: Editora Abril Cultural, 1979.
  • HARRÉ, R. The Principles of Scientific Thinking London: Macmillan, 1970.
  • HEMPEL, C. C. Philosophy of Natural Science Englewood Cliffs, N. J.: Prentice-Hall, 1966.
  • HEMPEL, C. C. and Oppenheim, P. Studies in the Logic of Explanation, Phil. Sci. XV. 1948.
  • HERSCHEL, J. A Preliminary Discourse on the Study of Natural Philosophy London: Longman, Rees, Orme Brown & Green and John Taylor, 1830.
  • HESSE, M. Models and Analogies in Science Notre Dame, Ind: University of Notre Dame Press, 1966.
  • HUME, D. Investigações Sobre o Entendimento Humano (1748). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.
  • JEVONS, W. S. The Principles of Science New York: Dover Publications, 1958.
  • KOYRÉ, A. Estudos de História do Pensamento Científico Rio de Janeiro: Editora Forence Universitária, , 1982.
  • Kuhn, T. S. A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo: Editora Perspectiva S. A., 1964.
  • KUHN, T. S. Reflexões Sobre os Meus Críticos. In: A Crítica e o Desenvolvimento do Conhecimento, org. por I. Lakatos e A. Musgrave. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1970.
  • KUHN, T. S. Lógica da Descoberta ou Psicologia da Pesquisa. In: A Crítica e o Desenvolvimento do Conhecimento, org. por I. Lakatos e A. Musgrave. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1970.
  • KUHN, T. S. Reconsideração acerca dos paradigmas In: A Tensão Essencial, org. por T. S. Kuhn. Lisboa: Edições 70, 1977.
  • LAKATOS, I. O Falseamento e a Metodologia dos Programas de Pesquisa Científica. In: A Crítica e o Desenvolvimento do Conhecimento, org. por I. Lakatos e A. Muserave. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1970.
  • LOCKE, J. Ensaios acerca do Entendimento Humano (1960). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Abril Cultural, 1979.
  • LOCKE, J. Introdução Histórica à Filosofia da Ciência, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1979.
  • MACH, E. The Science of Mechanics (1883). La Salle: Open Court Publishiny Co, 1960.
  • MILL, J. S. Sistema de Lógica Dedutivo Intuitivo ( 1843). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Abril Cultural, 1979.
  • NAGEL, E. The Structure of Science New York: Harcourt, Brace & World, 1961.
  • POPPER, K. The Logic of Scientific Discovery New York: Basic Books, 1959.
  • QUINE, W. U. Espécies Naturais in Relatividade Ontológica e Outros Discursos (1969). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.
  • RUSSELL, B. A Análise da Matéria (1927) In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.
  • WHEWELL, W. Novum Organum Renovatum London: John W. Parker & Son, 1958.
  • WITTGENSTEIN, L. Tractatus Lógico - Philosophius (1971). In: Os Pensadores São Paulo: Editora NovaCultural, 1988.
  • WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas (1953). In: Os Pensadores São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    09 Fev 2012
  • Data do Fascículo
    1998
Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru. Av. Engenheiro Luiz Edmundo Carrijo Coube, 14-01, Campus Universitário - Vargem Limpa CEP 17033-360 Bauru - SP/ Brasil , Tel./Fax: (55 14) 3103 6177 - Bauru - SP - Brazil
E-mail: revista@fc.unesp.br