A "crítica forte" da ciência e implicações para a educação em ciências

The "strong criticism" of science and the implication to science education

Ileana María Greca Olival Freire Jr. Sobre os autores

Resumos

Neste trabalho discutimos alguns elementos oriundos tanto do que se pode denominar vagamente de tendências pós-modernas na filosofia, quanto do campo da história social e da sociologia das ciências, e as possíveis implicações dos mesmos para a pesquisa e a educação em ciências. Nossa avaliação é que, independentemente do problemático de alguns de seus pressupostos, estas correntes têm a contribuir para a nossa compreensão da ciência e para a formação de cidadãos mais responsáveis.

pós-modernismo; crítica à ciência; sociologia da ciência; educação em ciências


In this article we discuss some issues from what can be termed vaguely postmodernists tendencies in philosophy and social history, trying to establish some implications from these positions for Science Education. Although problematic aspects exist in their assumptions, we think they may contribute to our understanding of science and help us to prepare more responsible citizens.

postmodernism; Criticism to Science; sociology of science; Science Education


ARTIGOS

A "crítica forte" da ciência e implicações para a educação em ciências

The "strong criticism" of science and the implication to science education

Ileana María GrecaI; Olival Freire Jr.II

IInstituto de Física – UFRGS – Porto Alegre. (e-mail: ileana@if.ufrgs.br)

IIInstituto de Física- UFBA – Salvador. (e-mail: freirejr@ufba.br)

RESUMO

Neste trabalho discutimos alguns elementos oriundos tanto do que se pode denominar vagamente de tendências pós-modernas na filosofia, quanto do campo da história social e da sociologia das ciências, e as possíveis implicações dos mesmos para a pesquisa e a educação em ciências. Nossa avaliação é que, independentemente do problemático de alguns de seus pressupostos, estas correntes têm a contribuir para a nossa compreensão da ciência e para a formação de cidadãos mais responsáveis.

Unitermos: pós-modernismo; crítica à ciência; sociologia da ciência; educação em ciências.

ABSTRACT

In this article we discuss some issues from what can be termed vaguely postmodernists tendencies in philosophy and social history, trying to establish some implications from these positions for Science Education. Although problematic aspects exist in their assumptions, we think they may contribute to our understanding of science and help us to prepare more responsible citizens.

Keywords: postmodernism; Criticism to Science; sociology of science; Science Education

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Referências

AASERUD, F. Sputnik and the “Princeton three”: the national security laboratory that was not to be. Historical Studies in the Physical and Biological Sciences, Berkeley, v. 25, n. 2, p. 185-239, 1995.

ANDRADE, A. M. R. Físicos, mésons e política: a dinâmica da ciência na sociedade, São Paulo: Hucitec, 1998.

BOURDIEU, P. Science de la science et réflexivité. Paris: Raisons d'agir, 2001.

BROMBERG, J. L. The laser in América 1950-1970, Cambridge: The MIT Press, 1991.

CAMENIETZKI, C. Z. Esboço biográfico de Valentin Stansel (1621-1705), matemático, jesuíta e missionário na Bahia, Ideação, Feira de Santana, v. 3, p. 159-182. 1999.

______. The celestial pilgrimages of Valentin Stansel (1621-1705), jesuit astronomer and missionary in Brazil. In: FEINGOLD, M. (Org.). The New Sscience and Jesuit Science: Seventeenth Century Perspectives. Dordrecht : Kluwer, 2003, p. 249-270.

CUDMANI, L. C. Cuestiones que plantean las concepciones posmodernas en la enseñanza de las ciencias. Visiones de científicos destacados de la historia. Ciência & Educação, Bauru, v. 7, n. 2, p. 155-168, 2001.

DANTES, M. A. M. Introdução. In: DANTES, M. A. M. (Org.). Espaços da ciência no Brasil 1800-1930. Rio de Janeiro: Ed. da Fiocruz, 2001. p. 13-22.

DEUS, J. D. de. Da crítica da ciência à negação da ciência. Lisboa: Gradiva. 2003.

DUSCHL, R. A. Science education and philosophy of science twenty-five years of mutually exclusive development. School Science and Mathematics, Menasha: School Science and Mathematics Association, v. 87, n. 7, p. 541-555, 1985

FERNÁNDEZ, I.; GIL, D.; VILCHES, A.; VALDÉS, P. ; CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; SALINAS, J. El olvido de la tecnología como refuerzo de las visiones deformadas de la ciencia. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 2, n. 3, Monográfico. Artículo 2. Disponível em: http://www.saum.uvigo.es/reec. Acesso em: 2005.

FEYERABEND, P. Adeus à razão. Lisboa: 70, 1991.

FORMAN, P. Behind quantum electronics: National security as basis for physical research in the United States, 1940-1960, Historical Studies in the Physical and Biological Sciences, Berkeley, v. 18, part. 1, p. 149-229, 1987.

______. Into quantum electronics: The maser as “Gadget” of Cold-War America. In: FORMAN, P.; SANCHEZ-RON, J. M. (Eds.). National Military Establishments and the Advancement of Science and Technology, Dordrecht: Kluwer, 1996. p. 261-326. Pro-Posições, São Paulo, v. 12, n. 1, 2001.

FREIRE JUNIOR, O. O debate sobre a imagem da ciência: a propósito das idéias e da ação de E. P. Wigner. In: SANTOS, B. S. (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências, revisitado. Porto: Afrontamento, 2003, 2003a p. 481-506.

GRECO, A. Homens de ciência. São Paulo: Conrad, 2001.

HELLMAN, H. Grandes debates da ciência: dez das maiores contendas de todos os tempos, São Paulo: Ed. da Unesp, 1999.

HOBSON, D. Time for action: science education for an alternative future. International Journal of Science Education, London, v. 25, n. 6, p. 645-670, 2003.

KAISER, D. Nuclear Democracy: political engagement, pedagogical reform, and particle physics in postwar America. ISIS, Bruxelles, v. 93, p. 229-268, 2002a.

______. Cold war requisitions, scientific manpower, and the production of American physicists after world war II. Historical Studies in the Physical and Biological Sciences, Berkeley, v. 33, n. 1, p. 131-159, 2002b.

______. (Ed.). Pedagogy and the practice of science:Historical and Contemporary Perspectives, a aparecer. 2005a.

______. Drawing theories apart: the dispersion of Feynman diagrams in postwar physics, The University of Chicago Press, a aparecer. 2005b.

KEVLES, D. J. The physicists: the history of a scientific community in modern America. New York: Vintage Books, 1979.

______. Cold war and hot physics: Science, security, and the American state, 1945-1956, Historical Studies in the Physical and Biological Sciences, Berkeley, v. 20, n. 2, p. 239-264, 1990.

LABINGER, J. A.; COLLINS, H. The one culture?: a conversation about science. Chicago: The University of Chicago Press, 2001.

LUDAN, L. The history of science and the philosophy of science. In: OLBY, R. C. et al. (Ed.). Companion to the History of Modern Science, London: Routledge, 1990. p. 47-60.

MARTIN, O. Sociologie des sciences. Paris: Nathan, 2000.

MARTINS, R. de A. Que tipo de história da ciência esperamos ter nas próximas décadas? Episteme, n. 10, p. 39-56, 2000.

MATTHEWS, M. Science teaching: the role of history and philosophy of science. New York: Routledge, 1994.

MOREIRA, I. C. A expedição de Couplet à Paraíba: 1698. Revista da Sociedade Brasileira de História da Ciência, São Paulo, v. 5, p. 23-31, 1991.

______. Notas da história da física no Brasil: o Brasil nos principia. observações astronômicas de Couplet na Paraíba. Física na Escola, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 33-34, 2003.

NOLA, R. Saving Kuhn from the sociologists of science. In: BEVILACQUA, F.; GIANETTO, E.; MATTHEWS, M. (Ed.). Science Education and Culture, Dordrecht, p. 213-226, 2001.

ROCHA, J. M. Sistema físico-matemático dos cometas. Rio de Janeiro: Mast, 2000.

SALDAÑA, J. J. Ciência e identidade cultural: a história da ciência na América Latina. In: FIGUEIRÔA, S. (Org.). Um olhar sobre o passado: história das ciências na América Latina. Campinas: Ed. da Unicamp, 2000. p. 11-31.

SANTOS, B. S. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

______. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. In: SANTOS, B. S. (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências, revisitado. Porto: Afrontamento, 2003. p. 735-775

SNOW, C. P. As duas culturas e uma segunda leitura. São Paulo: Edusp, 1995.

SOKAL, A.; BRICMONT, J. Impostures intellectuelles. Paris: Odile Jacob, 1997.

TEIXEIRA, E. S. A influência de uma abordagem contextual nas concepções sobre a natureza da ciência: um estudo de caso com estudantes de Física da UEFS. 2003. Dissertação (Mestrado)-Universidade Estadual de Feira de Santana e Universidade Federal da Bahia. 2003.

VILLANI, A. Filosofia da ciência e ensino de ciências: uma analogia. Ciência & Educação, Bauru, v. 7, n. 2, p. 169-181, 2001.

  • AASERUD, F. Sputnik and the Princeton three: the national security laboratory that was not to be. Historical Studies in the Physical and Biological Sciences, Berkeley, v. 25, n. 2, p. 185-239, 1995.
  • ANDRADE, A. M. R. Físicos, mésons e política: a dinâmica da cięncia na sociedade, Săo Paulo: Hucitec, 1998.
  • BOURDIEU, P. Science de la science et réflexivité Paris: Raisons d'agir, 2001.
  • BROMBERG, J. L. The laser in América 1950-1970, Cambridge: The MIT Press, 1991.
  • CAMENIETZKI, C. Z. Esboço biográfico de Valentin Stansel (1621-1705), matemático, jesuíta e missionário na Bahia, Ideaçăo, Feira de Santana, v. 3, p. 159-182. 1999.
  • ______. The celestial pilgrimages of Valentin Stansel (1621-1705), jesuit astronomer and missionary in Brazil. In: FEINGOLD, M. (Org.). The New Sscience and Jesuit Science: Seventeenth Century Perspectives Dordrecht : Kluwer, 2003, p. 249-270.
  • CUDMANI, L. C. Cuestiones que plantean las concepciones posmodernas en la enseńanza de las ciencias. Visiones de científicos destacados de la historia. Cięncia & Educaçăo, Bauru, v. 7, n. 2, p. 155-168, 2001.
  • DANTES, M. A. M. Introduçăo. In: DANTES, M. A. M. (Org.). Espaços da cięncia no Brasil 1800-1930 Rio de Janeiro: Ed. da Fiocruz, 2001. p. 13-22.
  • DEUS, J. D. de. Da crítica da cięncia ŕ negaçăo da cięncia. Lisboa: Gradiva. 2003.
  • DUSCHL, R. A. Science education and philosophy of science twenty-five years of mutually exclusive development. School Science and Mathematics, Menasha: School Science and Mathematics Association, v. 87, n. 7, p. 541-555, 1985
  • FERNÁNDEZ, I.; GIL, D.; VILCHES, A.; VALDÉS, P. ; CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; SALINAS, J. El olvido de la tecnología como refuerzo de las visiones deformadas de la ciencia. Revista Electrónica de Enseńanza de las Ciencias, v. 2, n. 3, Monográfico. Artículo 2. Disponível em: http://www.saum.uvigo.es/reec Acesso em: 2005.
  • FEYERABEND, P. Adeus ŕ razăo Lisboa: 70, 1991.
  • FORMAN, P. Behind quantum electronics: National security as basis for physical research in the United States, 1940-1960, Historical Studies in the Physical and Biological Sciences, Berkeley, v. 18, part. 1, p. 149-229, 1987.
  • ______. Into quantum electronics: The maser as Gadget of Cold-War America. In: FORMAN, P.; SANCHEZ-RON, J. M. (Eds.). National Military Establishments and the Advancement of Science and Technology, Dordrecht: Kluwer, 1996. p. 261-326.
  • Pro-Posições, São Paulo, v. 12, n. 1, 2001.
  • FREIRE JUNIOR, O. O debate sobre a imagem da cięncia: a propósito das idéias e da açăo de E. P. Wigner. In: SANTOS, B. S. (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as cięncias, revisitado. Porto: Afrontamento, 2003, 2003a p. 481-506.
  • GRECO, A. Homens de cięncia. Săo Paulo: Conrad, 2001.
  • HELLMAN, H. Grandes debates da cięncia: dez das maiores contendas de todos os tempos, Săo Paulo: Ed. da Unesp, 1999.
  • HOBSON, D. Time for action: science education for an alternative future. International Journal of Science Education, London, v. 25, n. 6, p. 645-670, 2003.
  • KAISER, D. Nuclear Democracy: political engagement, pedagogical reform, and particle physics in postwar America. ISIS, Bruxelles, v. 93, p. 229-268, 2002a.
  • ______. Cold war requisitions, scientific manpower, and the production of American physicists after world war II. Historical Studies in the Physical and Biological Sciences, Berkeley, v. 33, n. 1, p. 131-159, 2002b.
  • ______. (Ed.). Pedagogy and the practice of science:Historical and Contemporary Perspectives, a aparecer. 2005a.
  • ______. Drawing theories apart: the dispersion of Feynman diagrams in postwar physics, The University of Chicago Press, a aparecer. 2005b.
  • KEVLES, D. J. The physicists: the history of a scientific community in modern America. New York: Vintage Books, 1979.
  • ______. Cold war and hot physics: Science, security, and the American state, 1945-1956, Historical Studies in the Physical and Biological Sciences, Berkeley, v. 20, n. 2, p. 239-264, 1990.
  • LABINGER, J. A.; COLLINS, H. The one culture?: a conversation about science. Chicago: The University of Chicago Press, 2001.
  • LUDAN, L. The history of science and the philosophy of science. In: OLBY, R. C. et al (Ed.). Companion to the History of Modern Science, London: Routledge, 1990. p. 47-60.
  • MARTIN, O. Sociologie des sciences Paris: Nathan, 2000.
  • MARTINS, R. de A. Que tipo de história da cięncia esperamos ter nas próximas décadas? Episteme, n. 10, p. 39-56, 2000.
  • MATTHEWS, M. Science teaching: the role of history and philosophy of science. New York: Routledge, 1994.
  • MOREIRA, I. C. A expediçăo de Couplet ŕ Paraíba: 1698. Revista da Sociedade Brasileira de História da Cięncia, Săo Paulo, v. 5, p. 23-31, 1991.
  • ______. Notas da história da física no Brasil: o Brasil nos principia. observaçőes astronômicas de Couplet na Paraíba. Física na Escola, Săo Paulo, v. 4, n. 2, p. 33-34, 2003.
  • NOLA, R. Saving Kuhn from the sociologists of science. In: BEVILACQUA, F.; GIANETTO, E.; MATTHEWS, M. (Ed.). Science Education and Culture, Dordrecht, p. 213-226, 2001.
  • ROCHA, J. M. Sistema físico-matemático dos cometas Rio de Janeiro: Mast, 2000.
  • SALDAŃA, J. J. Cięncia e identidade cultural: a história da cięncia na América Latina. In: FIGUEIRÔA, S. (Org.). Um olhar sobre o passado: história das cięncias na América Latina. Campinas: Ed. da Unicamp, 2000. p. 11-31.
  • SANTOS, B. S. A crítica da razăo indolente: contra o desperdício da experięncia. 3. ed. Săo Paulo: Cortez, 2000.
  • ______. Para uma sociologia das ausęncias e uma sociologia das emergęncias. In: SANTOS, B. S. (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as cięncias, revisitado. Porto: Afrontamento, 2003. p. 735-775
  • SNOW, C. P. As duas culturas e uma segunda leitura. Săo Paulo: Edusp, 1995.
  • SOKAL, A.; BRICMONT, J. Impostures intellectuelles Paris: Odile Jacob, 1997.
  • TEIXEIRA, E. S. A influęncia de uma abordagem contextual nas concepçőes sobre a natureza da cięncia: um estudo de caso com estudantes de Física da UEFS. 2003. Dissertaçăo (Mestrado)-Universidade Estadual de Feira de Santana e Universidade Federal da Bahia. 2003.
  • VILLANI, A. Filosofia da cięncia e ensino de cięncias: uma analogia. Cięncia & Educaçăo, Bauru, v. 7, n. 2, p. 169-181, 2001.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    11 Ago 2009
  • Data do Fascículo
    Dez 2004
Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru. Av. Engenheiro Luiz Edmundo Carrijo Coube, 14-01, Campus Universitário - Vargem Limpa CEP 17033-360 Bauru - SP/ Brasil , Tel./Fax: (55 14) 3103 6177 - Bauru - SP - Brazil
E-mail: revista@fc.unesp.br